5 tipos de músicas na Bíblia que não são salmos

Deus criou a música como um meio para os crentes expressarem sua adoração sincera a Ele e compartilharem Seus atos louváveis com os outros. A Bíblia contém mais de 180 canções que dão testemunho do caráter, poder e planos futuros de Deus. Mas nem todas essas canções estão no Livro dos Salmos.

De hinos e canções proféticas a cânticos, por toda a Bíblia vemos exemplos de personagens bíblicos levantando suas vozes para honrar nosso Criador e Rei.

A primeira música da Bíblia e a última são notavelmente semelhantes. Ambas são uma celebração espontânea e cheia de louvor da redenção de Deus.

A primeira música na Bíblia

Por 400 anos, os filhos de Deus foram escravizados pelos egípcios. Quando clamaram a Deus, Ele enviou Moisés para libertá-los. Mas o coração de Faraó estava duro; ele não tinha intenção de deixar seus trabalhadores irem.

No entanto, Deus demonstrou Seu poder e amoleceu o coração de Faraó enviando 10 pragas sucessivas sobre o Egito.

Durante as nove primeiras pragas, o domínio opressivo de Faraó sobre os escravos aumentou. Mas a décima praga foi tão poderosa que finalmente quebrou a resistência de Faraó e o fez permitir que o povo de Deus partisse.

Durante o êxodo, Faraó mudou de ideia e decidiu perseguir o povo. Uma barreira final estava entre Israel e a liberdade: o Mar Vermelho.

À medida que Faraó e seu exército se aproximavam, os filhos de Deus se viram encurralados. Mas a mão de Deus agiu por meio de Moisés e abriu o mar, permitindo que os israelitas o atravessassem a pé enxuto.

Quando os egípcios os seguiram, as ondas engoliram todos os cavalos e cavaleiros do exército de Faraó.

Logo depois, Moisés e os israelitas explodiram em louvor espontâneo:

“Cantarei ao Senhor, pois Ele é muito exaltado;

o cavalo e o cavaleiro Ele lançou ao mar.

O Senhor é a minha força e o meu cântico, e Ele se tornou a minha salvação;

Ele é o meu Deus, e eu O louvarei; o Deus de meu pai, e eu O exaltarei.”

Êxodo 15:1-2

A canção de libertação de Israel em 18 versos (Êxodo 15:1-18) é uma recapitulação detalhada dos atos miraculosos de Deus e Seu poder para derrotar o inimigo.

Enquanto Israel cantava coletivamente sobre a força, provisão, misericórdia e justiça de Deus, a letra evoluiu para uma visão profética cheia de fé na vitória contínua de Deus em seu favor.

A última música na Bíblia

A última música da Bíblia é encontrada no livro de Apocalipse. As Escrituras se referem a este cântico final como o cântico de Moisés e do Cordeiro. (Apocalipse 15:3)

Nesta passagem das Escrituras, João acaba de testemunhar os santos vencerem o poder da Besta por meio de sua fiel obediência a Cristo.

Sete pragas da tribulação final são administradas por sete anjos, mas os santos estão diante de um “mar” de vidro misturado com fogo e cantam sua canção de triunfo Àquele que garantiu sua redenção.

“Grandes e maravilhosas são as tuas obras, Senhor Deus Todo-Poderoso.

Justos e verdadeiros são os teus caminhos, Ó Rei das nações.

Quem não temeria, Senhor, e glorificaria o teu nome?

Pois tu és santo, sim, todos os gentios virão e adorarão diante de ti,

pois os teus juízos foram manifestos”.

Tanto o primeiro quanto o último cântico na Bíblia se concentram no poder redentor de Deus para libertar Seu povo da escravidão e nas promessas preparadas para eles.

Canções de vitória e canções de batalha

Canções de vitória e canções de batalha na Bíblia

“Nas tendas dos justos há voz de júbilo e de salvação; a destra do Senhor faz proezas.” (Salmo 118:15)

Alguns de nossos heróis bíblicos favoritos têm canções temáticas na Bíblia que declaram a vitória de Deus. Aqui estão apenas algumas. Vamos dar uma olhada, então:

O cântico de Débora

Um dos cânticos de vitória mais antigos registrados na Bíblia é cantado pela profetisa Débora.

Depois de liderar Baraque na batalha contra os cananeus, Deus capacita seu exército em menor número a sobrepujar o inimigo.

Quando o comandante cananeu, Sísera, escapa durante os estertores finais da batalha, uma mulher local chamada Jael completa a missão esmagando o crânio de Sísera com uma estaca de tenda.

Débora e Baraque cantam sua canção de vitória ao Senhor, dando-Lhe todo o crédito enquanto contam os detalhes da batalha (Juízes 5:1-31).

A canção de Davi

Depois que Deus permitiu a Davi derrotar Golias com apenas uma funda e uma pedra, Davi e Saul voltaram para casa, vitoriosos.

As mulheres de todas as cidades vizinhas saíram para felicitar os dois. Carregando adufes e liras, as mulheres dançavam com alegria enquanto cantavam:

“Saul matou seus milhares, e Davi suas dezenas de milhares.”

Este simples refrão enfureceu o rei Saul. A partir desse momento, o rei ficou desconfiado de Davi, mas isso não impediu que a canção da vitória se tornasse um sucesso popular, mesmo entre os inimigos de Israel (1 Samuel 18:6-8).

O cântico de Josafá

Em 2 Crônicas 20, o rei Josafá e todas as famílias de Judá clamam a Deus por ajuda para vencer o vasto exército de moabitas e amonitas que estão travando uma guerra injusta contra eles.

O Senhor respondeu ao Seu povo e disse-lhes: “A batalha não é vossa, mas de Deus”.

Cedo na manhã seguinte, Josafá designou homens para cantar louvores ao Senhor pelo “esplendor de Sua santidade”.

O coro foi para a batalha à frente do exército, cantando: “Dêem graças ao Senhor, porque o seu amor dura para sempre”.

Ao oferecerem seus sinceros louvores, o Senhor armou emboscadas contra os homens de Amom, Moabe e Monte Seir.

Quando os homens de Judá chegaram ao campo, a batalha já estava ganha. Os cadáveres do inimigo cobriam todo o terreno.

Adoração de Paulo e Silas

Durante sua primeira visita a Filipos, Paulo e Silas expulsaram um “espírito de adivinhação” de uma escrava local.

Os patrões da menina ficaram tão furiosos que prenderam Paulo e Silas, bateram neles com varas e os jogaram na prisão.

Quando Paulo e Silas começaram a adorar a Deus em sua cela, um violento terremoto sacudiu os alicerces da prisão.

Imediatamente as portas se abriram e todas as correntes dos prisioneiros foram liberadas.

Em vez de escapar da prisão, Paulo e Silas aproveitaram a oportunidade para levar o carcereiro e sua família a Cristo (Atos 16:25-29).

Músicas proféticas

O povo de Deus sempre usou a música para marcar eventos sagrados. Essas canções foram transmitidas através dos tempos para que cada nova geração se lembrasse dos atos poderosos de Deus, Sua bondade amorosa e Seu poder supremo.

Muitos cânticos bíblicos são até de natureza profética. De fato, a profecia bíblica estava frequentemente acompanhada por música no Antigo Testamento.

“Davi, juntamente com os comandantes do exército, separou alguns dos filhos de Asafe, Hemã e Jedutum para o ministério de profetizar, acompanhados de harpas, liras e címbalos.” (1 Crônicas 25:1)

“Depois disso você irá para Gibeá de Deus, onde há um posto avançado filisteu. Ao se aproximar da cidade, você encontrará uma procissão de profetas que descem do alto, tocando liras, tamboris, flautas e harpas diante deles, e eles estarão profetizando.” (1 Samuel 10:5)

“Disse Eliseu: ‘Tão certo como vive o Senhor dos Exércitos, a quem sirvo, se eu não respeitasse a presença de Josafá, rei de Judá, não daria atenção a você. Mas agora me traga um harpista’. Enquanto a harpista tocava, a mão do Senhor veio sobre Eliseu e ele disse: ‘Assim diz o Senhor: Vou encher este vale com tanques de água’.” (2 Reis 3:14-16)

“Ele [Saul] estava profetizando em sua casa, enquanto Davi tocava lira, como costumava fazer.” (1 Samuel 18:10)

Lamentações

Nem todas as músicas da Bíblia celebram vitórias. A primeira canção triste nas Escrituras está em 2 Samuel 1:17-27.

Davi compôs a música depois de descobrir que seu melhor amigo, Jônatas, e o rei Saul foram mortos em batalha, e ele ordenou que todo o Judá aprendesse a música intitulada “A Canção do Arco”.

23 Saul e Jônatas, tão amados e queridos na sua vida, também na sua morte se não separaram! Eram mais ligeiros do que as águias, mais fortes do que os leões.

24 Vós, filhas de Israel, chorai por Saul, que vos vestia de escarlata em delícias, que vos fazia trazer ornamentos de ouro sobre as vossas vestes.

25 Como caíram os valentes no meio da peleja! Jônatas nos teus altos foi ferido!

(2 Samuel 1:23-25)

O livro de Lamentações também é chamado de livro de endechas. Cada um dos cinco capítulos de Lamentações lamenta a queda de Jerusalém para os babilônios, usando texto lírico e acrósticos do alfabeto hebraico (Lamentações 1-5).

Grande parte do livro de Ezequiel é composto de lamentos sobre o julgamento necessário de Deus contra Israel e as nações vizinhas.

De fato, os profetas frequentemente expressam a dor de Deus sobre o rebelde Israel através de canções de lamento nas Escrituras (Amós 5:2, Habacuque 3, Isaías 23:15).

Canções do Novo Testamento

As escrituras do Novo Testamento confirmam a importância de cantar como um ato significativo de adoração (Colossenses 3:16, Efésios 5:19, Tiago 5:13, Mateus 26:30).

Além das canções listadas no livro do Apocalipse, um dos exemplos mais profundos de uma canção do Novo Testamento é o Magnificat, ou Canção de Maria.

Embora a Bíblia não diga explicitamente que Maria, a mãe de Jesus, cantou o louvor exultante encontrado em Lucas 1:46-55, a maioria dos estudiosos acredita que o formato poético da passagem é muito parecido com o dos Salmos.

O Magnificat agora é usado no culto litúrgico e cantado durante o tempo do Advento em muitas igrejas.

Quando o anjo Gabriel visita Maria e anuncia que ela conceberá um filho, ele também informa à jovem virgem que sua prima Isabel em breve terá um filho em sua velhice.

Mais tarde, quando Maria visita sua prima, o bebê no ventre de Isabel pula de alegria ao ouvir a saudação de Maria. A resposta de Maria à afirmação de Isabel é inspiradora:

45 Bem-aventurada a que creu, pois hão de cumprir-se as coisas que da parte do Senhor lhe foram ditas!

46 Disse, então, Maria: A minha alma engrandece ao Senhor,

47 e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador,

48 porque atentou na humildade de sua serva; pois eis que, desde agora, todas as gerações me chamarão bem-aventurada.

49 Porque me fez grandes coisas o Poderoso; e Santo é o seu nome.

50 E a sua misericórdia é de geração em geração sobre os que o temem.

51 Com o seu braço, agiu valorosamente, dissipou os soberbos no pensamento de seu coração,

52 depôs dos tronos os poderosos e elevou os humildes;

53 encheu de bens os famintos, despediu vazios os ricos,

54 e auxiliou a Israel, seu servo, recordando-se da sua misericórdia

55 (como falou a nossos pais) para com Abraão e sua posteridade, para sempre.

Como os cânticos bíblicos são importantes hoje?

Os cânticos da Bíblia não apenas fornecem aos cristãos de hoje uma melhor compreensão de Sua história, mas também têm uma maneira de unir todo o povo de Deus em adoração coletiva.

Como disse Bob Kauflin, um compositor e líder de louvor:

“Há algo no canto que permite e encoraja a rica habitação da palavra de Cristo em nossos corações. A palavra de Cristo é o evangelho. É quem Jesus é, o que Ele fez e a razão da sua importância. Esse evangelho deve habitar ricamente em nós através do canto. Cantar é o que nos ajuda a fazer e expressar isso.”

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo