5 lições Poderosas na história de Jael

Jael é uma daquelas mulheres da Bíblia sobre as quais não temos muitos detalhes ou antecedentes. Tudo o que sabemos com certeza, além do relato de sua história, é que ela era beduína e esposa de Heber, o queneu. O nome Jael significa “cabra da montanha”.

Antes de falarmos mais sobre Jael, temos que falar sobre o que estava acontecendo em Israel na época.

Portanto, Israel estava em guerra com os cananeus. 

Juízes 4 nos diz que Deus “entregou Israel na mão de Jabim, rei de Canaã” porque os israelitas estavam fazendo o que era mau aos Seus olhos.

Débora e Baraque

Naquele tempo, à profetisa Débora, mulher de Lapidote, julgava a Israel, ela assentava-se debaixo das palmeiras de Débora, entre Ramá e Betel, nas montanhas de Efraim; e os filhos de Israel subiam a ela a juízo. 

Juízes 4:6 nos diz que ela convocou um homem chamado Baraque, que Deus escolheu para ser o líder do exército de Israel contra as forças de Jabim.

No entanto, Sísera era o comandante do exército cananeu. Ele era um homem poderoso e cruel que oprimiu os israelitas por vinte anos.

Débora passou a dizer a Baraque que reunisse seus homens para a batalha, e Baraque respondeu assim:

“Se você for comigo, eu irei, mas se você não for comigo, eu não irei”. (Juízes 4:8)

Uma Mulher para Obter a Glória – A Violenta Vitória de Jael

Débora concorda em ir, mas diz a Baraque que, por causa da maneira como ele respondeu ao chamado de Deus, não haveria glória para ele na derrota de Sísera. 

Na verdade, Deus iria “entregar Sísera na mão de uma mulher” e dar a ela a glória… e essa mulher seria Jael.

Pouco depois, o exército de Baraque enfrentou o de Sísera na batalha em que Sísera seria entregue nas mãos dos israelitas. O exército de Sísera estava perdendo rapidamente, então, em um último esforço para salvar sua vida, Sísera desceu de sua carruagem e fugiu a pé…

Direto à tenda de Jael.

Jael viu Sísera e saiu ao seu encontro. “entra, meu senhor,” ela disse a ele. “Não tenha medo.”

E Sísera não tinha razão para ter medo, pois o povo de Jael estava em paz com o povo dele. Então por que ele não iria se refugiar na tenda desta mulher, não envolvida na guerra? Ninguém imaginaria, bem como ninguém o encontraria lá.

Jael passou a demostrar toda gentileza possível, a Sísera. Ela o cobriu com uma coberta para escondê-lo e confortá-lo. Quando ele pediu água, ela lhe deu leite (possivelmente para deixá-lo mais sonolento!)

E Sísera adormeceu.

Oportunidade de Jael

Jael viu sua oportunidade de agir e aproveitou. A Bíblia Sagrada nos diz o seguinte:

“Então Jael, mulher de Héber, tomou uma estaca da tenda, e lançou mão de um martelo, e chegou-se mansamente a ele, e lhe cravou a estaca na fonte, de sorte que penetrou na terra, estando ele, porém, num profundo sono, e já muito cansado; e assim morreu”. (Juízes 4:21)

“E eis que, seguindo Baraque a Sísera, Jael lhe saiu ao encontro, e disse-lhe: Vem, e mostrar-te-ei o homem que buscas. E foi a ela, e eis que Sísera jazia morto, com a estaca na fonte”. (Juízes 4:22)

Contudo, a guerra não foi vencida por este único ato, mas este foi o começo do fim do reinado dos cananeus sobre Israel.

Então, à seguir as 5 lições poderosas da história desta mulher corajosa, Jael!

1. Faça bom uso das oportunidades que Deus coloca à sua frente.

As ações de Jael à princípio não faziam sentido no momento. Levar um refugiado para sua tenda, mostrar-lhe hospitalidade e fazê-lo sentir-se seguro, e depois matá-lo era um ato de traição horrível.

Não sabemos se Jael originalmente pretendia matar Sísera. Ela pode estar apenas tentando atrasá-lo para que qualquer um que o perseguisse pudesse alcançá-lo. Quando ela não viu ninguém correndo atrás dele, talvez foi quando tomou a decisão para agir.

O importante é que quando chegou a hora de tomar a decisão, ela não se acovardou e agiu rápido, não negligenciando a oportunidade, para fazer o que Deus estava pedindo que ela fizesse. Ela teve que ignorar todo o medo, todos os “e se”.

Quando o Espírito Santo nos impulsiona a agir, geralmente não temos muito tempo para pensar.

As situações estão sempre mudando nesta vida e as oportunidades passam rapidamente. 

É por isso que precisamos decidir em nossos corações que, quando chegar a nossa hora, diremos sim a Deus.

2. Use as ferramentas que lhe foram dadas.

Jael, em meia a esta circunstância, não tinha arma melhor do que a estaca da barraca. Como a barraca em que ela estava hospedada, era uma barraca de mulher, não havia armas por perto. Além disso, ela provavelmente tinha uma vasta experiência em montar barracas com estacas e, portanto, era habilidosa com essa ferramenta.

Contudo, Jael usou os recursos dados por Deus à ela, nesta ocasião. Ela não perdeu um momento pensando: “Se ao menos eu tivesse uma espada.” Ela simplesmente pegou as ferramentas à mão e fez o que estava sendo pedido a ela.

Deus equipa seu povo para o trabalho. Ele nos dá certas habilidades e dons por uma razão, e devemos sempre estar atentos para as maneiras de usá-los.

Mesmo quando não nos sentimos habilidosos, equipados ou preparados, Deus nos garante à vitória.

Pois nosso Deus é soberano, e podemos confiar que Ele nos dará competência.

“Não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus. O qual nos fez também capazes de ser ministros de um novo testamento, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata e o espírito vivifica”. (2 Coríntios 3: 5-6)

3. Algumas coisas são mais importantes do que seguir regras.

O assassinato de Sísera foi um grande ato de traição por parte de Jael. Isso ia contra tudo o que ela sabia sobre hospitalidade, algo extremamente importante para sua cultura na época.

Ainda assim, ela disse sim ao chamado de Deus.

Precisamos apenas observar a vida de Jesus nos tempos bíblicos, para vermos mais histórias de regras quebradas.

Não me entenda mal – Jesus nunca quebrou as regras para ser rude ou provocar desnecessariamente as pessoas. Ele sempre fez isso para desafiar o comportamento abusivo relacional e libertar os oprimidos.

Jesus denunciou os governantes religiosos por acumularem fardos impossíveis sobre as pessoas que os ouviam (Mateus 23).

Ele tocou em leprosos, embora as regras de sua época dissessem que isso o tornaria impuro. (Mateus 8:3)

Ele curou no sábado, embora nenhum trabalho deveria ser feito. (Marcos 3:1-6)

Vamos seguir o exemplo de Jesus e de desta mulher chamada Jael, para não ficarmos tão presos em seguir as regras religiosas e culturais a ponto de perdermos o chamado de Deus para desafiar o mal e a opressão no mundo.

4. Nosso maior motivo deve ser honrar a Deus.

Jael não matou Sísera por raiva ou vingança pessoal. De fato, a Bíblia nos diz que o povo de Jael, os queneus, estava em paz com os cananeus. Isso significa que, se alguma coisa acontecesse, Jael deveria estar aliada a Sísera.

Embora a Bíblia não nos fale expressamente sobre os motivos de Jael matar Sísera, ela deve ter tido um motivo que era mais importante para ela do que uma aliança terrena, e esse motivo deve ter sido honrar a Deus.

Tudo o que fazemos deve ser para honrar e trazer glória a Deus.

Quer comais, quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus”. (1 Coríntios 10:31)

No entanto, sabemos que comer e beber são coisas bem pequenas e insignificantes. Agora, quanto mais glorificar a Deus com partes maiores de nossas vidas?

5. A história de Jael nos ensina como lutar nossas batalhas espirituais.

Hoje, nossa batalha não é contra uma pessoa; é contra os poderes das trevas.

“Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais”.(Efésios 6:12)

A maior batalha que vamos travar nesta vida é a batalha contra o pecado.

Charles Spurgeon uma vez deu um sermão onde ele comparou Sísera ao pecado. Ele afirmou que não devemos nos contentar em ver nossos pecados simplesmente fugindo de nós; deveríamos estar prontos para persegui-los e depois jogá-los no chão — mortos — com um prego, como Jael fez.

O único que pode nos ajudar a fazer isso é Jesus. Devemos estar constantemente prontos para correr para ele, confessar nossos pecados e então nos deleitar com a vitória da cruz. 

“E, quando vós estáveis mortos nos pecados, e na incircuncisão da vossa carne, vos vivificou juntamente com ele, perdoando-vos todas as ofensas, Havendo riscado a cédula que era contra nós nas suas ordenanças, a qual de alguma maneira nos era contrária, e a tirou do meio de nós, cravando-a na cruz. E, despojando os principados e potestades, os expôs publicamente e deles triunfou em si mesmo”. (Colossenses 2:13-15)

Jesus Cristo é quem dá a vida; quem cancela nossas dívidas; aquele que prega nossos pecados na cruz de uma vez por todas.

Jael tinha suas prioridades claras.

Todas essas coisas podem ser resumidas em duas palavras: Priorizar Deus.

Precisamos priorizar suas regras celestiais e não nossas regras terrenas e religiosas. Precisamos priorizar Sua glória e Sua competência sobre a nossa.

Jael era uma mulher que entendia isso. Ela teve sua história contada, em apenas algumas linhas das Escrituras, mas sua história nos deixa um grande aprendizado.

Quão diferente seria o mundo se aproveitássemos as oportunidades, usássemos nossos recursos, libertássemos os oprimidos, honrássemos a Deus e lutássemos como Jael?

Pense nisso!

Autora: Jenna Martin

Botão Voltar ao topo