Bíblia de Genebra: História da Primeira Bíblia de Estudo

A Bíblia de Genebra é uma das mais significativas traduções da história da Bíblia para o Inglês, que precede a tradução King James por 51 anos.

Foi a principal Bíblia protestante do século 16, e foi a Bíblia usada por William Shakespeare, Oliver Cromwell, John Knox, John Donne, e John Bunyan, autor de “O Peregrino”.

História da Bíblia de Genebra

Quem produziu a Bíblia de Genebra de 1560 foram estudiosos que viajaram da Inglaterra para Genebra, Suíça, durante a perseguição provocada pela rainha Mary. Esta, durante seu reinado, também tinha proibido a impressão das Escrituras em inglês na Inglaterra.

O pensamento calvinista influenciou essa Bíblia.

Por sua vez, a Bíblia de Genebra exerceu notável influência sobre a King James.

Consideram a Bíblia de Genebra como a primeira “Bíblia para o povo”.

Entre 1560 e 1644, publicaram 140 edições dessa Bíblia.

Manuscritos usados: Os tradutores da Bíblia de Genebra, liderados por William Whittingham e Anthony Gilby, trabalharam a partir dos textos originais em grego e hebraico. Desse modo, a Bíblia de Genebra tornou-se a primeira traduzida para o inglês a partir de línguas bíblicas originais.

1557-1560: Em 1557 o Novo Testamento estava pronto e publicaram a Bíblia completa em 1560.

Divisões de versículos: Foi na Bíblia de Genebra a impressão das divisões de versículos de Robert Estienne, originariamente usadas em seu Novo Testamento grego de 1551. R. Nathan, em 1448 d.C., dividiu o Antigo Testamento em versículos. Robert Stephanus dividiu o Novo Testamento em 1551 d.C.

Divisões de capítulos: Quem dividiu a Bíblia em capítulos foi Stephen Langton em 1228 d.C. Toda a Bíblia de Genebra, dividida em capítulos e versículos, foi a primeira Bíblia impressa com os números dos versículos no texto.

Os versículos numerados tiveram início como um parágrafo em separado.

Estilo de impressão da Bíblia de Genebra

Em vez de tipos de letras pretas pesadas e volumosas em estilo gótico, as usadas anteriormente para as Bíblias, a versão de 1560 foi impressa com tipo romano.

USO DE ITÁLICO: Todas as palavras adicionadas que não estavam no original hebraico ou grego colocaram em itálico.

TAMANHO DA BÍBLIA: Versões anteriores da Bíblia em inglês vinham em Livros enormes, pesados, somente apropriados para ser as Bíblias de púlpito lidas nas igrejas.

A maioria das impressões da Bíblia de Genebra era de pequeno porte, edições convenientes, medindo cerca de 15 X 25 centímetros. Elas eram muito mais baratas do que as Bíblias anteriores.

Notas de margem: A característica notável da Bíblia de Genebra centrava-se nas extensivas notas de margem. Foi a primeira Bíblia impressa com tais notas.

Essas notas foram muito extensivas, e atingiam quase 300.000 palavras.

Principais reformistas

Os teólogos e principais reformistas como João Calvino, John Knox, Miles Coverdale, WiUiam Whittingham, Anthony Gilby, William Keithe, Thomas Sampson e Thomas Wood foram responsáveis por escrever essas notas.

Primeira Bíblia de estudo

Referências a outras partes da Bíblia foram incluídas nessas notas de margem, e assim a Bíblia de Genebra tornou-se a primeira Bíblia de estudo.

Intenção das notas de margem

Essas notas de margem são descritas como “breves anotações sobre todos os trechos difíceis, tanto para o entendimento de palavras obscuras quanto para a afirmação do texto, e também para a aplicação deste por pertencer à glória de Deus e à edificação de sua igreja.”

PALAVRAS OBSCURAS

Um exemplo de uma explicação de uma palavra obscura ocorre em Mateus 9.16, onde a expressão “pano novo” é “bruto e ainda não curtido”.

COMPREENDENDO O TEXTO

Um exemplo de compreensão de texto vem na nota de margem de João 13.14. Na margem oposta às palavras de Jesus: também deveis lavar os pés uns dos outros (Jo 13.14) foi incluído “servir uns aos outros”.

Frequentemente o mesmo versículo continha os dois tipos de comentários descritos. A palavra “recipiente” na declaração “Nem se põe vinho novo em recipiente de couro velho” (Mt 9.17) aparece como “Garrafas de saco de couro ou pelica nas quais carregavam o vinho em jumentos ou camelos”.

A palavra “velho” se entende pelo comentário: “A mente que está infectada com borras de cerimônias de superstição não está preparada para receber o agradável vinho do evangelho”.

Influência da Bíblia de Genebra

  • Foi a primeira levada para a América.
  • Foi a primeira Bíblia dos primeiros peregrinos que foram à América.
  • A primeira Bíblia impressa na Escócia foi uma edição escocesa da Bíblia de Genebra, em 1579.
  • Ficou conhecida como A Bíblia do povo e foi a Bíblia mais popular por 75 anos.
  • Foi a Bíblia usada por Shakespeare, John Bunyan, Oliver Cromwell e pelos puritanos.

Bíblia de culotes: Embora seja conhecida oficialmente como a Bíblia de Genebra, devido a uma passagem em Gênesis descrevendo a roupagem que Deus fez para Adão e Eva quando foram expulsos do jardim do Éden como “culotes”, essa Bíblia também se tornou conhecida como a Bíblia de culotes.

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Um Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!