Como usar de maneira certa as redes sociais

A maioria de nós não somos muito bons em desligar nossos telefones – nós os pegamos repetidamente, em público, em particular, com amigos, na igreja, no trabalho e no lazer com a família

Sabemos que os telefones criam em nós uma resposta viciante – ver que temos uma curtida no Facebook ou um retuíte no Twitter nos dá um rápido impulso mental, uma dose de dopamina em nossos cérebros. 

Podemos nos tornar viciados na enxurrada de interação porque isso significa que alguém está envolvido conosco – alguém nos ama.

Os seres humanos são bastante propensos ao vício, por isso precisamos ter cuidado com a maneira como gerenciamos nossas interações nas redes sociais, para evitar o vício. 

Portanto, é sempre bom dar uma conferida e analisarmos o que está diante de nossos olhos.

Vício nas redes sociais?

Quando falamos de vícios nas redes sociais, não estamos nos referindo a alguma dependência química, e sim uma dependência emocional, um sentimento pessoal de ser aceito pelos outros. 

Já ouvi pessoas dizerem “Ninguém me ama” quando não há curtidas no Facebook, por exemplo, mas sabemos claramente que isso não é verdade. 

A Função dos Algoritmos nas redes sociais

Em uma pesquisa publicada recentemente, nos estados Unidos; apontou o impacto dos algoritmos, das redes sociais. 

A função desses algoritmos é coletar dados, para descobrir o que mais gostamos de olhar. 

Se olharmos para muitas postagens no Facebook sobre gatos espirrando, por exemplo, os resultados de pesquisa dizem para enviar mais publicações de gatos. 

Na verdade, precisamos selecionar muito do que vemos online. Os algoritmos querem que você goste do site deles. Se olharmos para os argumentos políticos, eles também irão proliferar em nosso feed. 

As empresas de mídia social, no entanto, querem que você gaste mais tempo em seu site para aumentar sua receita de anúncios, portanto, é importante fornecer a você o que eles acham que você deseja ver.

As redes sociais, no entanto, em muitas vezes podem criar bolhas de filtro.

O Twitter faz isso muito bem – ao seguir pessoas que pensam como nós, achamos que todo o mundo pensa como nós. 

Muitas vezes, é uma boa ideia seguir algumas pessoas com as quais você não concorda para garantir uma visão mais ampla de todo o Twitter. 

Mas, ao mesmo tempo, pelo bem de sua sanidade, sinta-se à vontade para silenciar ou bloquear as pessoas se as opiniões delas o ofenderem demais.

Ao visualizar outras postagens que você gosta, e especialmente curtindo/compartilhando/comentando/retweetando as postagens que você gosta, você pode realmente desenvolver seu feed de maneira significativa. Responda às mensagens de bons amigos. Procure-os e envie um like ou dois. Adicione um comentário. Seja pro ativo. 

Duas coisas boas com seu feed bem selecionado

  • Em primeiro lugar, ele faz o engajamento social – é bom que essas pessoas vejam que você gosta de seus comentários, fotos ou compartilhamentos.
  • Em segundo lugar, o algoritmo aprende que esse é o tipo de pessoa, os interesses, as fotos com as quais você deseja passar o tempo online. Você pode descobrir que seu fluxo fica ainda mais cheio de pessoas que você gosta e com quem deseja passar o tempo.

Molde seu feed

Então, dê forma ao seu feed – cuide dele como cuidaria do seu jardim – regue as melhores plantas, curta as melhores fotos e comente os melhores posts. Mas, ironicamente, não gaste muito tempo com as ervas daninhas, porque o Facebook apenas enviará mais ervas daninhas para você lidar!

E depois há o Twitter e todos os outros feeds das redes sociais. O Twitter é um lugar cada vez mais difícil – um dos meus colegas da Universidade de Durham sempre disse que era uma tecnologia tóxica. 

Mas alguns sentem que precisam estar lá para fermentar o lote, por assim dizer – ser uma presença cristã no coração das trevas (isso é um exagero…). Acho que o mesmo vale para todos os feeds de rede social:

  • envolver com cuidado
  • sinta-se à vontade para deixar de seguir pessoas que o incomodam ou são inúteis.
  • sinta-se à vontade para seguir pessoas que o encorajam e o edificam.
  • Cuidado com as más influências.
  • como Bex Lewis costumava dizer: quando você postar, pense no que Deus pensaria do seu post, ou da sua mãe ou do seu melhor amigo… ou do seu pior inimigo.

“…tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se houver algo de excelente ou digno de louvor, gaste seu tempo concentrando-se nessas coisas.” (Filipenses 4:8)

Limpando seu feed de pesquisa, nas redes sociais

Falei acima sobre como podemos ensinar os algoritmos engajando positivamente com nosso feed das redes sociais. 

Quanto mais coisas boas você procurar, mais o algoritmo mostrará coisas boas – lembre-se de que as pessoas que escreveram esses algoritmos querem chamar mais sua atenção, não desencorajá-lo. 

Portanto, organize seu próprio feed gastando mais tempo nas postagens de seus amigos, em fotos que lhe trazem alegria e fazendo comentários que encorajam outras pessoas. Tente seguir Filipenses 4:8 como seu próprio lema nas redes sociais. 

Às vezes, nas redes sociais, chamamos isso de limpar seu feed, mas há momentos em que precisamos limpar nossa mente também – talvez focando em fazer algo criativo, pintar um quadro ou escrever um poema. 

Começamos a caminhar no início da noite e observar a vida selvagem onde moramos. Apenas caminhar juntos na calma da noite é uma prática consciente.

Os algoritmos funcionam nos dois sentidos:

Para retomar o controle da minha navegação, cliquei em cerca de trinta vídeos de gatos espirrando e bebês rindo, semeando um tipo muito diferente de semente, até que todo o conteúdo inútil foi retirado da minha página inicial, substituído por diversão inocente e adorável. 

Quando estamos lutando para parar de semear as obras da carne, precisamos redobrar a semeadura no Espírito. 

Precisamos bombardear nossos mecanismos de busca com pedidos de conteúdo verdadeiro, puro e admirável, mencionado em Filipenses 4:8”.

Conclusão

A conclusão sobre esse tema é, você pode sim ter suas redes sociais, seus amigos virtuais, mas não deixe jamais de conversar com seu cônjuge, com seus pais, seus irmãos, seus filhos.

Não troque momentos com sua família, pelas redes sociais.

Contudo, converse com seus filhos sobre as redes sociais, explique para eles o perigo que existe.

Pense nisso, com atenção, siga estas dicas para que você possa usar de maneira correta as suas redes sociais.

Tenha, portanto o autocontrole e use de maneira certa suas redes sociais!

Autor: Dr. Pete Phillips 

Botão Voltar ao topo