8 identidades reveladas na oração do Pai Nosso

A Oração do Pai Nosso é um modelo perfeito de oração que o Senhor Jesus nos ensinou. Ela revela diferentes aspectos de nossa relação com Deus e como podemos nos aproximar dEle em várias situações.

Baseado na oração do Pai Nosso, aqui estão as oito identidades que assumimos ao orar com as palavras de Jesus em Mateus 6:9-13.

1. Filhos: Nosso Pai

Quando oramos como filhos, reconhecemos nossa relação íntima com Deus. Jesus nos ensinou a começar nossa oração com “Pai Nosso” (Mateus 6:9).

Deus é nosso Pai. Ele não quer que o tratamos como um Deus de longe que não se importa com seus filhos.

No Antigo Testamento, a expressão “Pai Nosso” referindo-se ao Senhor Deus aparece em Isaías 63:16 e Isaías 64:8. Além disso, o Senhor se autodenomina “Pai” em Malaquias 1:6.

No Novo Testamento, encontramos a referência “Pai Nosso” na oração dos discípulos em Lucas 11:2. Fora isso, a expressão não é usada nos Evangelhos e em Atos. No entanto, nas Epístolas, ela aparece em Romanos 1:7, 1 Coríntios 1:3, 2 Coríntios 1:2, e nas saudações de abertura da maioria das outras epístolas de Paulo.

Em Romanos 8:15, Paulo reforça essa ideia, dizendo que recebemos o Espírito de adoção, pelo qual clamamos: “Aba, Pai.

Você tem esse privilégio de começar sua oração dizendo “Pai”. E como diz a canção “E se precisar, é só chamar, eu Sou Teu Pai”.

2. Adoradores: Santificado seja Teu nome

Santificado seja Teu nome

Como adoradores, começamos nossas orações reconhecendo a santidade de Deus. “Santificado seja o Teu nome” (Mateus 6:9) é uma expressão de reverência e louvor.

Em Salmos 29:2, há um convite para dar ao Senhor a glória devida ao Seu nome e a adorá-Lo na beleza da santidade.

Santificado” aparece exclusivamente aqui neste texto, aparecendo em muitas traduções da Bíblia em português, não apenas na Almeida Revista e Atualizada e na Nova Versão Internacional (NVI). O termo grego original introduzido aqui aparece mais 27 vezes no Novo Testamento.

Em outras passagens, a tradução está como “santo“, “consagrado” e termos similares, não apenas na Nova Tradução na Linguagem de Hoje (NTLH) e na Nova Versão Transformadora (NVT).

Orar “santificado seja teu nome”, reflete não apenas nossa identidade de adoradores, mas também de santos. Em outras palavras, Deus é santo, então, preciso ser santo para entrar em sua presença.

3. Submissos: Venha Teu reino

Orar pela vinda do reino de Deus é um ato de submissão à Sua vontade. “Venha o Teu reino” (Mateus 6:10) reflete nosso desejo de ver a soberania de Deus manifestada na Terra.

O que é singular? A expressão “Teu reino“, referindo-se ao reino do Senhor Deus, aparece uma vez no Salmo 45:6 (citado em Hebreus 1:8) e outras três vezes no Salmo 145:11-13. Nenhuma dessas quatro referências fala ou sugere a vinda do reino do Senhor à terra. Neste sentido, Jesus é o primeiro a proferir: “venha o teu reino“.

A frase mais simples, “teu reino”, aparece sendo repetida pela mãe de Tiago e João em Mateus 20:21 e pelo ladrão arrependido moribundo em Lucas 23:42.

Em Mateus 6:33, Jesus nos instrui a buscar primeiro o reino de Deus e Sua justiça. Submeter-nos ao reino de Deus implica viver de acordo com Seus princípios e trabalhar para a expansão de Seu governo.

Orar “venha o teu Reino” é como dizer “eu me submeto como súdito do Rei Jesus”.

4. Servos: Faça-se a Tua vontade

Como servos, buscamos cumprir a vontade de Deus em todas as coisas. “Faça-se a Tua vontade” (Mateus 6:10) é uma oração de entrega e obediência.

Jesus, em Lucas 22:42, orou assim no Getsêmani, demonstrando submissão ao plano do Pai:

“Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua.”

Quando oramos dessa maneira, estamos nos rendendo aos propósitos divinos, confiando que Sua vontade é boa, agradável e perfeita (Romanos 12:2). Essa atitude de serviço nos leva a viver vidas alinhadas com o plano de Deus.

5. Necessitados: O pão nosso de cada dia dá-nos hoje

Reconhecemos nossa dependência de Deus quando pedimos por nossas necessidades diárias. “O pão nosso de cada dia dá-nos hoje” (Mateus 6:11) é um pedido pela provisão diária.

A palavra grega original para “diariamente” se usa apenas aqui e em Lucas 11:2-4, na versão de Lucas da Oração dos Discípulos. Essa palavra original foca nas próximas 24 horas e, portanto, poderia ser traduzida como “para o dia seguinte”.

A expressão mais ampla “pão nosso de cada dia” se usa exclusivamente por Jesus na Oração dos Discípulos. Por outro lado, a frase “meu pão de cada dia” é usada por Jó em Jó 23:12 e por Agur em Provérbios 30:8.

Isso também significa provisão. Por exemplo, em Filipenses 4:19, Paulo afirma que Deus suprirá todas as nossas necessidades segundo Suas riquezas em glória.

Orar pelo pão de cada dia é confiar que nossa provisão diária vem de Deus. Ele é quem supre nossas necessidades físicas e espirituais. Significa depender totalmente de Deus.

6. Pecadores: Perdoa-nos as nossas dívidas

Perdoa-nos as nossas dívidas - oração pai nosso

Como pecadores, buscamos o perdão de Deus. “Perdoa-nos as nossas dívidas” (Mateus 6:12) reflete nosso arrependimento e necessidade de misericórdia.

Jesus usa as frases “perdoa-nos” e “perdoa-nos as nossas dívidas/pecados” exclusivamente aqui na Oração dos Discípulos. A única exceção é o uso por João em 1 João 1:9, onde ele afirma: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”.

Este parece ser um eco intencional da oração dos discípulos, possivelmente conhecida por muitos dos leitores de João após sua conversão.

Jesus usa a frase “como nós perdoamos” exclusivamente aqui na oração dos discípulos. Esta e frases semelhantes em outras traduções aparecem apenas uma vez em toda a Bíblia.

O que Jesus ensina sobre a oração é radicalmente novo para Seus seguidores. Essencialmente, Ele instrui a orar: “Pai nosso, perdoa-nos somente se e conforme perdoamos aos outros”. Isso merece uma reflexão profunda!

A palavra grega para “nossas dívidas” é usada apenas aqui e de maneira diferente em Romanos 4:4. Na versão de Lucas da oração dos discípulos, é usada a palavra “pecados“. Muitos tradutores e estudiosos veem “dívidas” como uma metáfora para “pecados“, pois o significado não é financeiro, mas moral e ético.

Em 1 João 1:9, somos assegurados de que, se confessarmos nossos pecados, Deus é fiel e justo para nos perdoar.

Se oramos “perdoa como também perdoamos”, é como dizer “me perdoa da mesma forma que eu perdoo”. Isso significa que se queremos perdão, então precisamos perdoar.

7. Fracos: Não nos deixe cair em tentação

Reconhecemos nossa fragilidade ao pedir a proteção de Deus contra a tentação. “Não nos deixe cair em tentação” (Mateus 6:13) é um pedido de força e resiliência.

A palavra grega para “tentação” se usa aqui pela primeira vez e aparece mais 20 vezes no restante do Novo Testamento. De maneira similar, a palavra grega para “libertar” aparece pela primeira vez aqui e aparece mais 16 vezes nas demais Escrituras Cristãs.

Em 1 Coríntios 10:13, Paulo nos lembra que Deus é fiel e não permitirá que sejamos tentados além de nossas forças, mas proverá um escape.

Orar por proteção contra a tentação nos ajuda a depender do poder de Deus para resistir ao mal e viver vidas santas. Isso nos fortalece em nossas batalhas espirituais.

8. Carentes: Livra-nos do mal

Por fim, como carentes, pedimos a Deus que nos livre do mal. “Livra-nos do mal” (Mateus 6:13) é um clamor pela proteção divina contra todo tipo de maldade.

Muitos tradutores e estudiosos entendem que a palavra grega para “mal” se refere ao “maligno“, ou seja, Satanás, o Diabo. Vemos isso em outros lugares, incluindo João 17:15.

Em 2 Tessalonicenses 3:3, Paulo assegura que o Senhor é fiel e nos fortalecerá e guardará do maligno.

Orar por libertação do mal nos lembra da constante batalha espiritual e da necessidade de depender da proteção e do poder de Deus. Essa oração nos mantém vigilantes e firmes na fé.

Você tem assumido essas 8 identidades na oração do Pai Nosso? Se não, esta é a oportunidade para orar o Pai Nosso em diferentes perspectiva. Deus te abençoe!

Oração do pai nosso tradicional Mateus 6-9-13

Pai Nosso na Nova Tradução Linguagem de Hoje

9 Portanto, orem assim: “Pai nosso, que estás no céu, que todos reconheçam que o teu nome é santo.
10 Venha o teu Reino. Que a tua vontade seja feita aqui na terra como é feita no céu!
11 Dá-nos hoje o alimento que precisamos.
12 Perdoa as nossas ofensas como também nós perdoamos as pessoas que nos ofenderam.
13 E não deixes que sejamos tentados, mas livra-nos do mal. Pois teu é o Reino, o poder e a glória, para sempre. Amém!”

Oração do Pai Nosso na Versão O Livro

10 Pedimos que o teu reino venha. Que a tua vontade seja feita aqui na Terra, tal como é feita no céu.

11 Dá-nos o pão para o nosso alimento de hoje.

12 Perdoa-nos os nossos pecados, assim como perdoamos aos que nos ofendem.

13 Não deixes que caiamos durante a tentação, mas livra-nos do mal. Isto te pedimos!

Oração do Pai Nosso na Versão Católica

Eis como deveis rezar: PAI NOSSO, que estais no céu, santificado seja o vosso nome;

10 venha a nós o vosso Reino; seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu.

11 O pão nosso de cada dia nos dai hoje;

12 perdoai-nos as nossas ofensas, assim como nós perdoamos aos que nos ofenderam;

13 e não nos deixeis cair em tentação, mas livrai-nos do mal.

André Lourenço

Bacharel em Teologia, Graduado em Gestão da Qualidade e Pós Graduando em Psicologia nas Organizações, André possui mais de 17 anos de experiência na pregação e ensino da Bíblia. É Professor de cursos de Homilética e Hermenêutica. Já escreveu centenas de estudos bíblicos e ministra aulas na EBD. Se considera um eterno aprendiz e apaixonado por Compartilhar a Palavra de Deus!

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo