Por que os irmãos de José tinham tanta inveja da túnica colorida dele?

Quando José tinha 17 anos, seu pai Jacó deu a ele uma linda túnica que ficou na história como uma das peças de roupa mais memoráveis ​​já feitas. A história da túnica colorida de José está registrada no primeiro livro da Bíblia. Muitos pregadores e compositores têm se inspirado na história para suas pregações e composições.

Mas, por que tanto barulho por causa de uma túnica colorida? 

Esta história verdadeira é muito mais do que uma simples túnica. É uma história de drama familiar, ciúme, traição e um garoto que cresce para salvar seu povo. 

túnica colorida de José é a faísca que acende um barril de pólvora de emoções com consequências históricas.

O que a túnica colorida de José simbolizava?

No sentido mais simples, a túnica colorida de José simbolizava favor. 

Era uma vestimenta dada a José por seu pai Jacó. Não era uma roupa de trabalho como seus irmãos usariam, mas uma elaborada obra de arte que foi feita para se destacar. Falava de nobreza, não de trabalho duro. 

Isso o diferenciava de seus irmãos de uma maneira que eles não apreciavam. Quem pode culpá-los? Ninguém gosta de ser o estranho ou o desfavorecido. Eles estavam com ciúmes e esse ciúme logo chegaria a um grande problema.

Por que Jacó deu a túnica colorida a José?

Jacó mostrou muito favoritismo a José, mas por quê? 

Gênesis 37:3 nos diz: “Ora, Israel amava a José mais do que qualquer outro de seus filhos, porque ele era filho de sua velhice. E fez-lhe uma túnica de muitas cores”. 

Isso parece bastante simples, Jacó amava mais a José. Mas há uma história por trás desse amor.

A história do amor de Jacó por José

José era filho de Jacó e Raquel. Jacó trabalhou para o pai de Raquel, Labão, por sete anos para ganhar sua noiva. Quando a noite de núpcias chegou, no entanto, Jacó descobriu que era casado com a irmã de Raquel, Lia. 

O engano de Labão custou a Jacó outros sete anos de trabalho para se casar também com Raquel. Não era nenhum segredo que Jacó amava Raquel.

“Quando o Senhor viu que Lia era odiada, abriu-lhe o ventre, mas Raquel era estéril” (Gênesis 29:31). 

Assim começaram anos de rivalidade entre irmãos. Raquel deu sua serva Bila a Jacó para gerar filhos em seu nome. 

Logo Lia parou de ter filhos e deu sua serva Zilpa a Jacó para gerar filhos para ela.

“Então Deus se lembrou de Raquel, e Deus a ouviu e abriu seu ventre. Ela concebeu e deu à luz um filho e disse: Deus tirou o meu opróbrio. E ela chamou seu nome José, dizendo: Que o Senhor me acrescente outro filho” (Gênesis 30:22-24)!

O que parece simples acaba de se complicar. O amor de Jacó por José é o produto de uma história de engano, rivalidade, amargura, raiva, ódio e amor verdadeiro. 

E os filhos de Jacó assistiram a tudo acontecer na frente deles. Eles viram como Jacó amava Raquel mais do que suas mães. Eles viram como quando José nasceu. Ele era o filho de ouro, aquele que Jacó sempre amaria mais porque Raquel era sua mãe e ele nasceu na velhice de Jacó. Tenho certeza de que viram Jacó mimar José, enquanto eles trabalhavam.

Jacó deu a José uma túnica colorida para mostrar o quanto o amava. Era o começo do fim de José, ou então Jacó.

O que aconteceu com a túnica colorida de José?

A bela túnica colorida de José foi destruída. Lemos a história em Gênesis 37.

José tem 17 anos quando traz um relatório ruim para seu pai sobre seus irmãos. Jacó faz para ele uma túnica colorida. Então seus irmãos o odeiam porque seu pai o ama mais.

José tem um sonho e conta tudo a seus irmãos, fazendo com que eles o odeiem ainda mais. O sonho mostrava que todos se curvariam a José um dia, sugerindo que José os governaria. 

José tem outro sonho e novamente não consegue guardá-lo para si, fazendo com que seus irmãos fiquem ainda mais com ciúmes dele.

Logo Jacó envia José para os campos para verificar seus irmãos enquanto eles trabalham. Lembre-se, José já havia trazido um relatório ruim sobre seus irmãos, então eles ficaram furiosos ao vê-lo chegando. 

Então eles decidiram matá-lo quando ele chegou. No entanto, o irmão mais velho, Rúben, convenceu-os a jogar José em um poço em vez de matá-lo.

E aconteceu que, chegando José a seus irmãos, tiraram de José a sua túnica, a túnica de várias cores, que trazia. E tomaram-no, e lançaram-no na cova; porém a cova estava vazia, não havia água nela.” (Gênesis 37:23-24).

Antes que Rúben pudesse tirá-lo da cova, os irmãos venderam José a uma caravana de ismaelitas que passava por vinte siclos de prata. José estava a caminho do Egito, onde sua vida mudaria para sempre.

5 lições da túnica colorida de José

Há muito que podemos aprender com túnica colorida de José. 

Esta história, junto com o resto da vida de José, é uma das minhas favoritas. Pelo valor nominal, parece ser uma história trágica sobre um adolescente atrevido, irmãos malvados e pais que mostraram muito favoritismo. Mas, em última análise, é uma grande história de redenção e perdão.

Aqui estão cinco lições que podemos aprender com a primeira parte da história de José e sua túnica de muitas cores.

A Decepção Nos Arruinará

A história realmente começa com o engano de Labão. Se Jacó nunca se casasse com Lia, a rivalidade pelos filhos e o amor de Jacó não teriam acontecido e a raiva de Jacó por Labão não teria se acendido. 

Com o tempo, Jacó pegou Lia, Raquel, os netos e uma grande quantidade de gado e fugiu. Labão os perseguiu e, eventualmente, uma espécie de paz foi feita. Mas depois de voltar para casa, Labão nunca mais viu sua família.

A princípio, os enganos podem parecer pequenos, mas um pequeno engano geralmente leva a outro, e a outro. E, antes que percebamos o engano se transformou em algo com consequências muito maiores do que pretendíamos. 

As decepções nos arruínam, mas a verdade nos liberta.

O favoritismo nos custará

Em última análise, o favoritismo que Jacó mostrou a Raquel e então José lhe custou o filho que ele tanto amava. 

Se ele tivesse demonstrado esse tipo de amor a todos os membros de sua família, é difícil acreditar que seus outros filhos teriam vendido José como escravo.

Podemos ter um tipo de café favorito ou um casaco favorito, mas ter um filho favorito nos custará. 

Seus familiares sabem o quanto você os ama? Seus filhos sabem que você os ama igualmente e plenamente? Nunca podemos dizer “eu te amo mais que os outros filhos”!

A Inveja Vai Nos Destruir

Muitos anos depois, quando José é governador da terra do Egito, seus irmãos vêm comprar grãos dele durante um período de fome. 

Enquanto estavam lá, ouvimos falar de seu arrependimento por vender José como escravo enquanto falam sobre sua culpa e o desastre que lhes sobreveio. 

Eles acham que é um acerto de contas pelo sangue dele. Esta passagem em Gênesis 42:18-24 mostra que eles não esqueceram o que fizeram com José. É como se eles estivessem esperando todos esses anos para que sua punição chegasse.

Nada de bom vem da inveja. Isso nos leva a viver com medo, fazer suposições e temer o que está ou não por vir. 

Podemos aprender uma lição com os irmãos de José aqui. Em vez de deixar que o ciúme nos destrua, podemos pedir que a paz de Deus ocupe esse espaço em nossos corações. 

Quando confiamos nEle com nossas vidas, não precisamos cair no poço da inveja e da contenda.

A Ostentação Nos Humilhará

Tenho grande respeito por José, mas não tanto como um adolescente. Deus lhe deu alguns sonhos incríveis que mostraram seu futuro. 

Penso em Maria, mãe de Jesus. Ela também era uma adolescente quando um anjo apareceu para ela e disse que ela seria a mãe de Jesus. Ela guardou isso em seu coração. 

José, por outro lado, contou para seus irmãos. Agora, ele poderia estar tendo uma conversa sincera com eles, o tom de voz não pode ser lido, mas eu acredito que José se gabava. Ele estava se gabando do poder que teria sobre seus irmãos um dia. Essa ostentação (provavelmente enquanto usava sua nova túnica) o colocou em grandes apuros.

Quando nos gabarmos com orgulho ou egoísmo, também seremos humilhados. Provérbios 16:8 nos diz: “A soberba precede a ruína, e o espírito altivo antes da queda”. Se nos gloriamos em alguma coisa ou em alguém, gloriemo-nos no Senhor.

Deus pode nos mudar

José cometeu alguns erros quando era criança. Ele veio de uma família mergulhada em gerações de pecado e drama, mas Deus viu algo nele. Deus olhou para José e sabia que poderia usá-lo para um grande propósito. 

Deus fez uma obra poderosa na vida de José e o transformou em um poderoso homem de Deus, um líder com sabedoria para salvar inúmeras vidas.

Após a morte de seu pai, os irmãos de José ficaram com medo de que José se vingasse deles. Mas José era um homem mudado. 

Suas palavras para seus irmãos são algumas das minhas favoritas em toda a Escritura. Elas são aquelas que eu seguro quando a vida não parece justa.

“Disse-lhes José: Não temais, pois estou eu no lugar de Deus? Quanto a você, você quis fazer o mal contra mim, mas Deus o fez para o bem, para fazer com que muitas pessoas fossem mantidas vivas, como são hoje. Portanto, não tema; Eu proverei para você e seus pequeninos. Assim, ele os consolou e falou com eles com bondade” (Gênesis 50:19-21).

Aos 17 anos, José não estava pronto para ser líder. Ele tinha muito que crescer, e isso veio através de dificuldades. Deus usou as muitas provações que José enfrentou para moldá-lo, ensiná-lo e prepará-lo. Deus faz o mesmo por nós.

A túnica colorida de José nos ensina muitas lições, mas acho que a maior delas é que Deus pode nos mudar de dentro para fora. 

O mal que os outros planejam contra nós, Deus transforma em bem. Com Ele tudo é possível!

Botão Voltar ao topo