4 Lições que aprendemos com o pedido da esposa de Zebedeu em Mateus 20:20-28

Enquanto Jesus ensinava seus discípulos, a esposa de Zebedeu, mãe de Tiago e João ouvia, cheia de orgulho por seus filhos. Pois eles tinham um talento natural e tinham suas vidas dedicadas ao Senhor; por isso, foram incluídos no círculo pessoal íntimo de Jesus. Tiago tinha nascido para ser líder (Atos 12:17; 15:13). João era chamado de o discípulo amado de Jesus (João 13:23).

O orgulho dessa mãe também se devia a uma ambição humana, e ela ajoelhou-se diante de Jesus para pedir um favor especial (Mateus 20:21). Três vezes Jesus afirmou que seria condenado à morte e que ressuscitaria ao terceiro dia. Mesmo assim, na crucificação, muitos de seus discípulos o abandonaram, provando que ouviram apenas o que desejaram ouvir. Ouviram apenas as promessas de que seus seguidores iriam sentar-se em tronos (Mateus 19:28).

Tiago e João deixaram a mãe falar, mas nem eles nem ela entendiam os requisitos básicos para assumirem responsabilidades espirituais. Jesus ouviu o pedido, mas colocou uma pergunta para seus filhos: “Não sabeis o que pedis. Podeis vós beber o cálice que eu estou para beber?” (Mateus 20:22; Marcos 10:36).

Asseguraram a Jesus que sim, e então o Senhor começou a ensinar-lhes verdades elementares sobre líderes dispostos a servir. Jesus não rejeitou o pedido da mãe por seus filhos, mas, pelo contrário, corrigiu-o de modo inesperado. (Mateus 20:23,26)

Aquela mulher, que, sem dúvida, amava grandemente o Senhor e que tinha se juntado às mulheres que o serviam, seguiu Jesus Jesus até a cruz e ao túmulo. Seu maior objetivo era levar os filhos até Cristo, e a influência dessa mãe dedicada a Deus ficou evidente na vida deles.

Mas, como outros crentes, ela não conseguiu alcançar a essência da grandeza, ou seja, a verdadeira humildade, nos ensinando grandes lições, as quais veremos a seguir.

1. A mãe dos filhos de Zebedeu fez um pedido ambicioso

“Então se aproximou dele a mãe dos filhos de Zebedeu, com seus filhos, adorando-o, e fazendo-lhe um pedido. E ele diz-lhe: Que queres? Ela respondeu: Dize que estes meus dois filhos se assentem, um à tua direita e outro à tua esquerda, no teu reino. “

Mateus 20:20-21

O pedido da mulher de zebedeu contrasta o auto-sacrifício que Jesus acabara de descrever com o egoísmo de seus seguidores. A direita e a esquerda significavam posições de honra no Reino consumado. Essa mulher fez um pedido nada sabio, refletindo apenas interesses egoístas e ambiciosos.

2. Ninguém alcança a glória sem antes beber o cálice

“Jesus, porém, respondendo, disse: Não sabeis o que pedis. Podeis vós beber o cálice que eu hei de beber, e ser batizados com o batismo com que eu sou batizado? Dizem-lhe eles: Podemos. Então lhes disse: O meu cálice certamente haveis de beber; mas o sentar-se à minha direita e à minha esquerda, não me pertence concedê-lo; mas isso é para aqueles para quem está preparado por meu Pai.”

Mateus 20:22-23

O cálice era usado para simbolizar tanto uma grande alegria, quanto um grande pesar. Assim como o sofrimento e a morte de Jesus deviam vir antes de seu reino, assim também o sofrimento dos discípulos deve vir antes de seu reinado com ele.

Mesmo que venham a sofrer por Cristo, a posição, a classificação e a recompensa no Reino são assuntos reservados à soberania de Deus. Jesus apenas queria que seus discípulos se aproximassem dele com liberdade para fazer perguntas, mas ficou desapontado com a visão orgulhosa de sua própria importância e com sua falta de sensibilidade espiritual em compreender sua missão.

Enfim, eles estavam tentando alcançar a glória sem a disposição de enfrentar os pré-requisitos do sofrimento.

3. A grandeza do reino está em servir

“Não será assim entre vós; mas todo aquele que quiser entre vós fazer-se grande seja vosso serviçal; E, qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, seja vosso servo;”

Mateus 20:26-27

O que podemos aprender aqui nesta lição que Jesus ensina a mãe dos filhos de Zebedeu, é o ponto de vista oposto ao da sociedade, a respeito do conceito de grandeza.

A disposição de servir começa no coração. Mais uma vez, Jesus preocupa-se mais com a atitude do coração de Seus seguidores do que com suas obras.

4. Jesus é o nosso modelo de serviço

“Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos.”

Mateus 20:28

Salomé, a mãe dos filhos de Zebedeu nos ensina a importância de imitar a Cristo, o qual não veio para ser servido, e sim para servir.

Jesus ensinou que Ele é o modelo de serviço que Ele espera dos Seus discípulos.

Se observarmos esse versículo, Jesus disse que veio para dar a Sua vida para resgatar a muitos. Essa palavra resgate, significa a libertação da escravidão ou do cativeiro, realizado mediante o pagamento de uma quantia.

O pecado demanda uma explicação, uma reparação, um preço pago devido à penalidade de morte que estava sobre nós. O presente de Jesus para nós foi Ele mesmo, um resgate universal de natureza vicária.

Indiara Lourenço

Com mais de 20 anos atuando na Pregação e Ensino, Indiara possui experiência em ministério infantil, jovem e feminino. Estudante de Teologia e ministra aulas na EBD. Mãe, esposa e serva que ama fazer a obra de Deus. Contagia a todos com sua alegria e inspira com palavras motivadoras, deixando um impacto positivo por onde passa.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo