5 maneiras de ajudar a se relacionar com seu enteado

Lidar com um enteado, talvez não faz parte dos sonhos de ninguém. Quando visualizamos nosso futuro como crianças, não vemos novo casamento, família misturada ou padrasto na agenda. No entanto, é bastante comum em nossos dias viver em uma família não tradicional.

É comum, normal e mais aceito nesta geração de famílias. Seu lugar em uma família mista, não é uma surpresa para Deus. Ele tem você nesta posição por uma razão. 

Saiba que você e seu enteado estão na mesma família por um propósito divino, e como você assume o papel de padrasto pode ser uma luz para outros em sua mesma posição. No entanto, não é fácil. Criar uma família vinda de dois lugares, origens e experiências diferentes, pode ser bastante desafiador.

Sendo aqueles que saltam para um papel de padrasto, precisamos de toda a ajuda que pudermos obter. Todos nós queremos nos relacionar com nossos enteados, contudo, às vezes é necessário fazer terapia familiar ou ler bons livros, ao longo do caminho, o que é bom. Em última análise, e não menos importante, devemos nos apoiar na direção do Senhor, para nos guiar por essas estradas estreitas.

A conexão que desejamos com nossos enteados pode não acontecer da noite para o dia. Pode levar tempo, consistência e trabalho duro. Mas o esforço valerá a pena, quando você puder compartilhar um relacionamento amoroso com seus enteados que durará e suportará todos os estágios de amadurecimento até a idade adulta. 

Tenho certeza de que muitos de nós desejam dançar com nossos enteados em seu casamento. O trabalho duro começa agora para que isso aconteça.

Então, como podemos ser pais de uma criança com a qual não estamos biologicamente conectados? Como os amamos como se fossem nossos? Como nos conectamos com eles no nível mais profundo possível?

Aqui estão 5 ideias para se relacionar com seu enteado:

1. Cultive um relacionamento harmonioso com o outro progenitor (até seja amigo deles)

Isso é muito importante. Se você deseja criar um relacionamento pacífico com seu enteado, deve deixar de lado quaisquer interações negativas, palavras ofensivas ou ressentimentos com o outro pai biológico. 

Esses relacionamentos complexos podem ser desafiadores; afinal, agora você está criando uma criança, com alguém com quem não necessariamente escolheu ser pai. Essa pessoa provavelmente teve um conflito com seu cônjuge, pois eles não estão mais juntos. 

Contudo, deve haver graça e perdão se você deseja um relacionamento coeso e pacífico com seu enteado. Eles nunca confiarão em você se você estiver vomitando negatividade sobre o outro pai. Eles desejam saber que você pode ser confiável, sem qualquer sentimento oculto ou ressentimento nublando seu julgamento.

2. Seja amigo deles (mas também pai)

Isso pode ser complicado, mas é possível com boas intenções e uma grande dose da ajuda do Senhor. A dinâmica de uma família mista pode estar em todo o mapa. 

Em alguns casos, o padrasto assume um forte papel de pai/disciplinar. Já em outros, o padrasto pode deixar a disciplina e a execução para seus pais biológicos. 

Em ambos os casos, é importante cultivarmos um relacionamento amoroso com o enteado. Eles precisam saber que são amados, aceitos e cuidados em sua casa. Demonstre alegria com eles, converse com eles sobre seu tempo na outra casa e esteja autenticamente interessado em suas vidas.

3. Encontre uma atividade para fazer juntos (seja entusiasmado com os interesses deles)

Cada criança é única com seu próprio conjunto de interesses. Se você está procurando uma maneira de se relacionar com seu enteado, deixe sua própria agenda de lado e reserve um tempo para fazer uma atividade da escolha dele. 

Por exemplo, meu enteado adora cozinhar, então muitas vezes cozinho com ele, e temos nossas coisas favoritas que fazemos. Separo atividades especiais só para ele e penso nele ao planejar as refeições. 

Sendo assim, mostre ao seu enteado o quanto eles são importantes para você pela forma como vocês passam o tempo juntos. Separe um tempo especial para fazer algo só vocês dois. 

É benéfico ter tempo sozinho para se conhecer. Leve-os para um encontro e abençoe-os com seu deleite ou restaurante favorito.

4. Dê a eles um lugar na casa (faça um espaço para o qual eles estejam animados para voltar)

As crianças que vivem em duas casas têm uma perspectiva única de vida. Eles essencialmente têm dois lugares de conforto e praticamente dois de todo o resto. 

Sendo assim, dê ao seu enteado seu próprio espaço em sua casa. Se no caso do quarto ser compartilhado, ainda assim, dê a eles um espaço no próprio quarto para suas coisas pessoais, onde eles saibam que estarão seguros, mesmo quando estiverem fora. 

A criança precisa sentir que seu espaço será respeitado. Eles não querem se sentir como um hóspede em sua própria casa. No entanto, receba-os em casa de braços abertos quando eles voltarem e fique entusiasmado com o que aconteceu em sua vida quando eles estiveram fora. 

Trate seu enteado como qualquer outra criança em casa, dando-lhe tarefas e responsabilidades como todos os outros. 

Eu por exemplo, deixo o quarto do meu enteado exatamente como estava, mesmo que esteja uma bagunça enorme. Eu não tento torná-lo perfeito antes que ele volte. 

Às vezes, ele pode voltar para casa e encontrar uma bagunça pela qual, ele sabe que é responsável. Isso faz com que ele sinta que a vida em sua casa vai estar exatamente como ele deixou.

5. Trate-os como seus próprios filhos (Faça-os sentir-se parte da família e ore com eles)

Esta parte pode ser complicada. Há algo sobre ser pai de seus filhos biológicos: tendemos a dar-lhes mais graça e compaixão quando se trata de desobediência, e tendemos a ser mais duros com nossos enteados. É assim que eu vi isso acontecer em minha casa. Isso pode acontecer bem debaixo de nossos narizes sem que percebamos. 

Contudo, reserve um tempo para refletir sobre suas ações e palavras ao lidar com seu enteado e ajuste quando necessário. Peça desculpas pelo comportamento inadequado, mostrando sua humanidade e humildade. 

Afinal, ninguém é perfeito, muito menos nós. Trate-os como se fossem seus, mesmo quando for difícil; isso criará um relacionamento de ligação em que eles se sentirão incondicionalmente amados.

Não fique sobrecarregado com ao exercer esse papel. Procure ajuda quando necessário, seja o mais natural possível. 

Ame-os, ore por eles, conecte-se com eles e passe tempo juntos. Isso pode ser mais fácil dizer do que fazer e, se você se sentir sobrecarregado, lembre-se de que não precisa fazer isso em seu próprio poder. 

Apoie-se no Senhor e em Sua poderosa força para ajudá-lo a ser o melhor padrasto que você pode ser.

E Jesus, olhando para eles, disse-lhes: Aos homens é isso impossível, mas a Deus tudo é possível.”  (Mateus 19:26)

Autora: Heidi Vegh adaptado por Biblioteca do Pregador

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!