O que a Bíblia diz e o que você precisa saber sobre a embriaguez

Muito se discute sobre a embriaguez e o que a Bíblia diz sobre isso. Perguntas como: é pecado beber vinho? Crente pode ingerir bebida alcóolica? E cerveja, um cristão pode beber?

Meu objetivo neste artigo é trazer luz sobre o assunto e fornecer uma visão bíblica a respeito da embriaguez.

Onde a Bíblia fala sobre embriaguez?

A Bíblia trata do tema da embriaguez em várias passagens, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, fornecendo orientações e advertências sobre as consequências negativas do consumo excessivo de álcool. A seguir, apresento algumas dessas passagens juntamente com suas mensagens.

Um exemplo vívido encontra-se em Provérbios 23:29-35, que descreve os efeitos da embriaguez e se alerta contra o exagero no consumo de álcool. O texto retrata de maneira clara como a embriaguez pode prejudicar fisicamente, emocionalmente e nos relacionamentos de um indivíduo.

O profeta Isaías condena aqueles que se entregam à bebida excessiva, descrevendo a situação em que “se levantam de manhã cedo, para seguirem a bebida forte” (Isaías 5:11-12). Isaías pinta um quadro de uma sociedade dominada pela indulgência própria e chama atenção para o caráter destrutivo da embriaguez.

Jesus adverte seus discípulos a cuidarem de si mesmos para não serem sobrecarregados por excessos como glutonaria, embriaguez e preocupações mundanas. Em Lucas 21:34, Ele destaca a importância da autovigilância e da consciência dos riscos do consumo exagerado.

Paulo exorta os crentes a viverem de maneira honesta, como o fazem durante o dia, evitando orgias, embriaguez, devassidão, libertinagem, contendas e inveja (Romanos 13:13). Essa passagem ressalta a relevância de levar uma vida caracterizada por sinceridade, autocontrole e integridade moral.

Quando a Bíblia usa a embriaguez como metáfora?

Embora a Bíblia reconheça o uso legítimo do vinho em certos contextos (como na celebração ou como símbolo do sangue de Cristo na Eucaristia), ela adverte de forma consistente contra o excesso de indulgência. Dessa forma, os cristãos devem praticar o autocontrole, tomar decisões prudentes e dar prioridade a uma vida que honre a Deus e reflita os valores de moderação, sobriedade e atenção espiritual.

A fim de realçar ainda mais os problemas ligados à embriaguez, podemos observar casos nos quais o julgamento ou a disciplina de Deus são ilustrados pela metáfora de tornar as pessoas fracas ou cambaleantes, como se estivessem embriagadas. Um exemplo claro dessa abordagem se encontra em Isaías 29:9-10:

“No entanto, fiquem atônitos e maravilhados, fiquem cegos e caiam em cegueira; embriaguem-se, mas não com vinho, cambaleiem, mas não por causa de bebida forte. O Senhor derramou sobre vocês um espírito de sono profundo; ele fechou os olhos de vocês, os profetas, e cobriu a cabeça de vocês, os videntes.”

Nesse trecho, o profeta Isaías utiliza a metáfora da embriaguez para transmitir a condição espiritual do povo de Jerusalém. A insensibilidade espiritual e a falta de compreensão deles são comparadas à desorientação causada pela embriaguez. A passagem sugere que Deus permitiu que a cegueira espiritual os atingisse como uma forma de disciplina ou julgamento.

A Bíblia especifica que a embriaguez é pecado?

Tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, encontramos várias passagens que condenam e alertam contra o consumo excessivo de álcool e o estado de embriaguez resultante. Aqui estão alguns versículos-chave do Novo Testamento que esclarecem o pecado da embriaguez.

O apóstolo Paulo instrui os efésios em Efésios 5:18 a evitar a embriaguez com vinho, que está ligada ao excesso e à falta de autocontrole. Em vez disso, ele os encoraja a serem cheios do Espírito Santo.

Nos versículos de Gálatas 5:19-21, Paulo elenca a embriaguez como uma das “obras da carne” contrárias ao Espírito, enfatizando que aqueles que praticam tais comportamentos não herdarão o reino de Deus.

Paulo menciona os bêbados em 1 Coríntios 6:10 como parte de uma lista daqueles que não herdarão o reino de Deus, destacando a gravidade da embriaguez como um pecado que afasta os indivíduos do reino divino.

Na primeira carta de Pedro, o apóstolo aborda comportamentos anteriores dos destinatários, incluindo “excesso de vinho, orgias, banquetes”, em 1 Pedro 4:3. Ele exorta os crentes a se absterem dessas condutas, que são incompatíveis com uma vida dedicada a Deus.

Juntas, essas passagens enfatizam que a embriaguez contradiz os princípios de autocontrole, sobriedade e devoção ensinados na Bíblia. As consequências da embriaguez não se limitam ao físico e ao emocional, mas também afetam o aspecto espiritual, pois impedem a pessoa de obedecer a Deus e de levar uma vida que O honre.

A Bíblia diferencia entre beber e embriaguez?

A Bíblia faz uma distinção entre beber com moderação e embriaguez, reconhecendo que o consumo moderado de álcool não é inerentemente pecaminoso. No entanto, ela condena veementemente o consumo excessivo que leva à embriaguez. As Escrituras oferecem sabedoria e diretrizes para o uso responsável e consciente do álcool, enquanto também alertam sobre os perigos da indulgência excessiva.

Provérbios 20:1 adverte contra ser enganado ou dominado pelo consumo excessivo.

No contexto de aconselhamento a Timóteo, Paulo menciona em 1 Timóteo 5:23 que o uso moderado do vinho pode ter benefícios medicinais para a saúde, sendo adequado para situações específicas.

A Bíblia não condena o consumo de álcool em todas as suas formas, mas sim a embriaguez. Portanto, é importante considerar os perigos do consumo excessivo, assim como as convicções e fraquezas dos outros.

O princípio de considerar o impacto sobre os outros é mencionado por Paulo em Romanos 14:21, aplicando-se também ao consumo de álcool. Ele aconselha os crentes a agir de acordo com suas convicções diante de Deus (Romanos 14:22-23), lembrando que alguns podem se abster por razões pessoais ou para evitar problemas.

Isso os lembra da importância de priorizar uma vida que honre a Deus, respeite seus corpos e busque o bem-estar de seus irmãos na fé.

Versículos Bíblicos que falam sobre embriaguez

Efésios 5:18:

“E não vos embriagueis com vinho, em que há contenda, mas enchei-vos do Espírito.”

Provérbios 20:1:

“O vinho é escarnecedor, a bebida forte alvoroçadora; e todo aquele que neles errar não é sábio.”

Gálatas 5:19-21:

“Ora, as obras da carne são manifestas: imoralidade sexual, impureza e libertinagem; idolatria e feitiçaria; ódio, discórdia, ciúmes, ira, egoísmo, dissensões, facções e inveja; embriaguez, orgias e coisas semelhantes. Eu os advirto, como antes já os adverti: Aqueles que praticam essas coisas não herdarão o Reino de Deus.”

1 Coríntios 6:10:

“Nem ladrões, nem avarentos, nem bêbados, nem caluniadores, nem extorsores herdarão o Reino de Deus.”

Provérbios 23:29-35:

“Para quem são os ais? Para quem, os pesares? Para quem, as rixas? Para quem, as queixas? Para quem, as feridas sem motivo? E para quem, os olhos vermelhos? Para os que se demoram perto do vinho, para os que andam buscando bebida misturada. Não olhes para o vinho, quando se mostra vermelho, quando resplandece no copo e se escoa suavemente. No fim, picará como a cobra e, como o víbora, morderá. Os teus olhos verão coisas estranhas, e o teu coração falará perversidades. Serás como o que se deita no meio do mar e como o que se deita no topo do mastro. E dirás: Espancaram-me, e não me doeu; bateram-me, e não o senti; quando virei a despertar? Então, tornarei a beber.”

Isaías 5:11-12:

“Ai dos que se levantam pela manhã à procura de bebida, e se demoram na noite, até que o vinho os esquente! A harpa, a cítara, o tamborim, a flauta e o vinho estão nos seus banquetes; mas não se preocupam com os feitos do Senhor, nem consideram as obras das suas mãos.”

Como os Cristãos Podem Celebrar sem Recorrer à Embriaguez?

Existem várias maneiras pelas quais os cristãos podem celebrar sem recorrer à embriaguez. Ao direcionar-se para atividades significativas e alegres que estejam alinhadas com sua fé e valores, é possível comemorar feriados e boas notícias de maneira positiva.

Uma distinção crucial para os cristãos reside na compreensão de que as celebrações não têm como objetivo principal a busca de prazer pessoal. Em vez disso, o foco está em Cristo, o centro de suas vidas, e todas as ações devem refletir a glória e a verdade de Deus.

Aqui estão algumas abordagens criativas e gratificantes para comemorar sem a presença de álcool:

1. Adoração e Gratidão: Iniciar a celebração com adoração, oração e agradecimento a Deus pela ocasião estabelece um tom espiritualmente edificante e mantém o foco apropriado.

2. Reuniões Familiares: Deus é o Deus do relacionamento e do amor. Promover reuniões familiares com atividades que fortaleçam os laços e a união, como jogos de tabuleiro, compartilhamento de histórias, cozinhar em conjunto ou participar de projetos de serviço em família, é uma maneira de celebrar enquanto constrói relacionamentos sólidos.

3. Aventuras ao Ar Livre: A natureza é uma revelação de Deus. Desfrutar da beleza da criação divina por meio de atividades ao ar livre, como caminhadas, piqueniques, passeios na natureza ou jogos ao ar livre, não só promove a apreciação da natureza, mas também ajuda a celebrar de maneira saudável.

4. Compartilhar Testemunhos: Compartilhar testemunhos pessoais da bondade e das bênçãos de Deus promove encorajamento e conexão entre os participantes, lembrando a todos do motivo da celebração e inspirando um espírito de gratidão.

5. Cozinhar e Festejar: A refeição compartilhada tem significado profundo. Jesus promete estar presente quando abrimos a porta para Ele. Preparar uma refeição especial juntos, usando receitas que possuam significado cultural ou sentimental, enfatiza o companheirismo e a alegria de compartilhar uma refeição.

6. Apreciar Tradições Culturais: Adotar tradições culturais, danças ou apresentações que honrem o patrimônio e a diversidade da criação de Deus é uma maneira de celebrar a riqueza da humanidade.

7. Celebrações Virtuais: Através de videochamadas e encontros virtuais, é possível conectar-se com entes queridos e compartilhar celebrações, independentemente da distância física.

O que você precisa saber sobre a embriaguez?

Embora não seja pecado beber moderadamente para muitos, é importante reconhecer que alguns são mais vulneráveis e, em certos casos, até mesmo uma quantidade pequena pode levar à embriaguez. Portanto, é prudente considerar as limitações individuais e buscar sempre o equilíbrio e a responsabilidade ao abordar o consumo de álcool.

Leia também: É pecado beber vinho? O que Jesus nos ensinou sobre isso

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!