O que é helenismo e quem eram os helenistas segundo a Bíblia?

O que é helenismo e quem eles eram na Bíblia? Quando nos aprofundamos no estudo da Bíblia, encontramos diversos termos e conceitos que podem parecer um tanto desconhecidos ou confusos à primeira vista. 

Um desses termos é “helenistas“. Afinal, quem são eles, quais eram suas crenças, onde eles aparecem no Novo Testamento, e o que podemos aprender com esse grupo?

O que é helenismo e quem eles eram?

Para compreender os helenistas, é necessário entender o que era o helenismo. 

O helenismo foi um movimento cultural e filosófico que teve seu auge no período após as conquistas de Alexandre, o Grande, por volta do século IV a.C. 

Alexandre estabeleceu um vasto império que se estendia desde a Grécia até o Egito e a Índia, espalhando a cultura grega por todas essas regiões. 

Isso resultou em uma mistura de culturas e tradições, na qual o grego se tornou uma língua franca e a filosofia grega influenciou muitos povos.

Dentro desse contexto histórico, os helenistas mencionados na Bíblia eram judeus que viviam fora da terra de Israel e haviam sido influenciados pelo helenismo. 

Apesar de eles adotarem a língua e a cultura grega, ainda mantinham suas raízes judaicas. 

Assim, os judeus helenistas eram uma comunidade significativa, especialmente em cidades como Alexandria, Antioquia e outras regiões do Império Romano. (At 13: 16-41)

Quais eram as suas crenças?

Esse grupo tinham crenças e práticas religiosas que refletiam sua fusão entre o judaísmo e o helenismo. Por isso, frequentavam sinagogas, onde estudavam as Escrituras hebraicas e participavam de rituais e festividades judaicas. 

No entanto, também eram influenciados pela filosofia grega e adotavam algumas de suas ideias, como a preocupação com a felicidade e a Ética.

Uma das características distintivas dos helenistas era o uso da Septuaginta, uma tradução grega do Antigo Testamento, que lhes permitia estudar e entender as Escrituras em sua língua comum. 

Qual era a missão deles no Novo Testamento?

Em relação à missão dos helenistas, eles desempenharam um papel fundamental na expansão do cristianismo. 

No livro de Atos dos Apóstolos, capítulo 6, por exemplo, vemos que eles estavam envolvidos na distribuição de alimentos aos necessitados, permitindo que os apóstolos se dedicassem ao ensino e à oração. 

Além disso, alguns helenistas, como Estêvão e Filipe, foram proeminentes pregadores e evangelistas, levando a mensagem de Jesus a outras regiões.

Nesse período, o cristianismo estava se espalhando rapidamente, tanto entre os judeus quanto entre os gentios (não judeus). Por isso, eles foram muito importantes para a propagação do evangelho.

Porém, surgiram conflitos e tensões dentro da comunidade cristã, especialmente entre os judeus que viviam fora de Israel.

Assim, o maior desafio que eles enfrentavam, vinha da necessidade de conciliar sua herança judaica com nova fé em Jesus Cristo

O que podemos aprender com a presença dos helenistas na igreja primitiva?

Aqui estão algumas lições valiosas que podemos tirar dessa história, confira:

Compreensão cultural: Os helenistas foram capazes de se adaptar à cultura ao seu redor sem comprometer sua fé em Deus. Eles aprenderam a usar a língua e as ferramentas culturais disponíveis para alcançar as pessoas de seu tempo. Da mesma forma, devemos buscar entender a cultura em que vivemos para comunicar efetivamente o amor de Deus.

Compromisso com a Palavra de Deus: Apesar da influência do helenismo, eles continuaram a estudar e a valorizar as Escrituras sagradas. Eles compreenderam a importância de uma base sólida na Palavra de Deus para orientar suas vidas e ministérios. Por isso, nós também devemos dedicar tempo para estudar e meditar nas Escrituras, buscando orientação e sabedoria divina.

Serviço aos necessitados: Eles foram ativos no cuidado dos necessitados, ou seja, foi a partir da murmuração deles sobre as condições das viúvas que se instituiu diáconos (At 6 1-7). Eles compreenderam a importância de servir os outros como uma expressão tangível de sua fé. Devemos seguir esse exemplo, procurando oportunidades de servir os necessitados em nossa comunidade.

Coragem em compartilhar a fé: Mesmo diante de desafios e oposições, eles foram ousados em compartilhar a mensagem de Jesus Cristo. Não permitindo, portanto, que as diferenças culturais ou a oposição os impedissem de proclamar o evangelho. Assim, devemos ser corajosos em compartilhar nossa fé, mesmo quando enfrentamos obstáculos ou resistência.

Josiane Silva

Olá, eu sou a Josiane Silva, mãe, avó e procuro servir a Deus. Amo estudar a bíblia para compreender o comportamento humano. Afinal podemos aprender muito com as histórias dos outros, não é mesmo? Como gosto muito de ler e de escrever, também trabalho como redatora freelancer.

Artigos relacionados

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo