O que Paulo quis dizer com “Se Deus é por nós, quem pode ser contra nós?”

“Se Deus é por nós, quem será contra nós?” – Romanos 8:31

Embora Deus seja por nós, muitos no mundo estão contra nós. Devemos esperar perseguição, provações, tribulações e sofrimento por causa do evangelho e do nome de Jesus (Romanos 8:17). 

O que mantemos em meio a isso é Deus sendo por nós, para nosso bem, Sua glória e nossa conformidade à semelhança de Seu Filho.

Qual é o significado de Paulo em “Se Deus é por nós, quem pode ser contra nós?”

Paulo escreveu o livro de Romanos para que judeus e gentios entendessem a obra salvadora de Cristo. O livro desvenda a morte expiatória e a ressurreição de Jesus como o plano central de salvação de Deus, ao mesmo tempo em que deixa claro que aqueles que estão em Cristo Jesus desfrutam de uma esperança segura de glória futura. 

Não há condenação para aqueles que estão em Cristo Jesus (Rm 8:1), e nada pode nos separar do amor de Deus (Rm 8:28-39). 

O significado de Paulo em Romanos 8:31 é encontrado nos textos anteriores. Há três pontos que devemos levar em conta para obter uma imagem mais completa de Romanos 8:31. 

Primeiro, devemos entender que a posição de Paulo sobre a salvação vem com a compreensão da ira de Deus. 

Em Romanos 1:18 ele diz: “Porque a ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e injustiça dos homens, que pela sua injustiça suprimem a verdade”. 

Todas as pessoas experimentarão alguma forma da ira de Deus, no que se refere à sua ira pessoal contra o pecado, uma ira que vem de Sua resposta santa e amorosa à maldade humana. 

Sem uma compreensão da ira e condenação de Deus, não teremos uma verdadeira compreensão da graça de Deus. 

Se olharmos para este versículo sem o conceito de penalidade pelo pecado, Romanos 8:31 terá pouco efeito sobre nós. Uma verdadeira compreensão do amor e misericórdia de Deus não pode vir sem um fundamento da ira e julgamento vindouros (2 Coríntios 5:10).

Em segundo lugar, Romanos 8:1-17 fala de uma vida transformada através do Espírito.

Com o ápice dos versículos em 16-17 quando Paulo diz: 

“O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus, e se filhos, então herdeiros – herdeiros de Deus e co-herdeiros de Cristo, contanto que com ele soframos para que também com ele sejamos glorificados”. 

Somos transformados de escravizados ao pecado para aqueles que agora são capazes de agradar plenamente a Deus. 

Deus nos é dado a conhecer como um ajudador e Pai amoroso que nos promete uma coroa de glória. No entanto, Ele deixa claro que o caminho para a coroa é através da cruz (Lucas 9:23).

O evangelho fornece força através da provação, não remoção da provação.

Terceiro, Romanos 8:26-30 resume toda a gama de benefícios do evangelho quando conhecemos Jesus como Senhor e Salvador. 

Recebemos a intercessão do Espírito e a onisciência de Deus (v. 26-27), a onipotência e soberania de Deus (v. 28) e a segurança eterna à medida que somos conformados à semelhança do Filho de Deus (v. 29-30).

Não importa a circunstância, não podemos nos separar

Com isso em mente, nos voltamos para Romanos 8:31-39 e vemos que nada pode separar ou frustrar os propósitos de Deus na salvação para nós (v. 31). 

Porque Jesus Cristo tomou toda a ira de Deus em nosso lugar, não enfrentaremos mais a condenação pelo pecado. 

Não importa o acusador, Satanás, circunstância ou a pecaminosidade dos outros, nada pode ir contra o amor e a segurança de Deus por nós e vencer (v. 32-39). 

Podemos ser escarnecidos, espancados ou até mesmo mortos, mas isso não nos tira da família de Deus.

Se Deus é por nós, muitos no mundo serão contra nós. Sabemos que devemos esperar os mesmos sofrimentos que Cristo suportou na terra (1 Pedro 4:12-19). 

O que Paulo fala em Romanos 8:31 é que não importa o que aconteça, ninguém pode ir contra o poder, autoridade e soberania dos planos de Deus para Seu povo. 

Nossa esperança é encontrada no fato de que Deus nunca voltará atrás no que Ele prometeu em Romanos 8:28-30:

“E sabemos que para aqueles que amam a Deus todas as coisas cooperam para o bem, para aqueles que são chamados segundo o seu propósito. Para aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos. E aos que predestinou também chamou, e aos que chamou também justificou, e aos que justificou também glorificou”.

“Se Deus é por nós, quem pode ser contra nós”, como sabemos disso?

Podemos descansar no fato de que Deus é por nós, simplesmente confiando nas boas novas de Jesus Cristo. 

Deus mostrou Sua abundante fidelidade ao dar Seu próprio Filho para morrer por nossos pecados. Por meio de Sua vida, morte e ressurreição, Jesus suportou tanto a zombaria e a perseguição de pessoas quanto a separação e a ira total de Deus em nosso lugar. 

Um Deus que não é por nós, não abriria mão de Sua própria satisfação, coroa e glória para morrer de tal maneira que coloque Sua própria justiça sobre nós. 

A própria história de Paulo revela a bondade e graça de Deus para salvar aqueles a quem Ele chamou. 

Em 2 Coríntios 11:24-28 Paulo explica tudo o que ele suportou por causa e avanço do evangelho:

“Cinco vezes recebi das mãos dos judeus as quarenta chicotadas menos uma. Três vezes fui espancado com varas. Uma vez fui apedrejado. Três vezes naufragei; uma noite e um dia fiquei à deriva no mar; em viagens frequentes, em perigo de rios, perigo de ladrões, perigo de meu próprio povo, perigo de gentios, perigo na cidade, perigo no deserto, perigo no mar, perigo de falsos irmãos; em labuta e dificuldades, através de muitas noites sem dormir, com fome e sede, muitas vezes sem comida, com frio e exposição. E, além de outras coisas, há sobre mim a pressão diária da minha ansiedade por todas as igrejas”.

Ele escreveu sabendo que mais perseguições e prisões poderiam acontecer. Mas tendo tanta fé no cuidado de Deus, ele continuou a dar sua vida para que outros pudessem conhecer a Cristo.

“Por causa de Cristo, então, estou contente com fraquezas, insultos, dificuldades, perseguições e calamidades. Pois quando estou fraco, então sou forte.” –  2 Coríntios 12:10

 A força de Paulo não foi encontrada em sua própria capacidade de se salvar da condenação ou da ira de Deus. Em vez disso, Sua fraqueza revelou ainda mais a força de Deus para nos segurar e nos guardar, não importa o que aconteça em nosso caminho.

Se ninguém está contra nós, como devemos viver?

Quando olho para as passagens apresentadas aqui, vejo três aplicações principais para nossa vida hoje. 

Não importa o que você esteja experimentando hoje, oro para que isso o encoraje a se apegar à esperança do evangelho a cada momento de cada dia. 

1. Se ninguém está contra nós, e Deus está por nós, então podemos viver em gratidão pela obra salvadora de Deus em nossas vidas. 

Não é por acaso que encontramos fé em Jesus. Deus nos conheceu de antemão e nos chamou de acordo com Seus propósitos. 

Podemos não entender a determinada situação em que nos encontramos. Podemos não saber por que Deus está nos guiando em determinada direção ou permitindo que venha a perseguição.

 Apesar do que possa estar acontecendo, Deus sendo por nós significa que oferecemos nossas vidas em gratidão por Aquele que removeu nossa condenação e a substituiu pela justiça de Cristo. 

2. Se ninguém está contra nós, e Deus está por nós, então podemos abandonar a dúvida e confiar em Seu plano. 

Entendemos que nosso sofrimento é para o bem dos outros e para o bem de nós mesmos, à medida que nos conformamos cada vez mais à semelhança de Cristo. 

À medida que experimentamos o mundo vindo contra nós, podemos lembrar deste versículo acreditando que nosso bom e gracioso Pai está, nos conformando à semelhança de Seu Filho, santificando-nos e transformando nossos corações de um grau de glória para outro (2 Coríntios 3:17-18).

3. Se ninguém está contra nós, e Deus está por nós, então podemos proclamar o evangelho com ousadia. 

Entendemos que o propósito de nossa vida como crente não é para que possamos nos esconder atrás do poder e autoridade de Deus, mas sim viver disso. 

Saber que ninguém pode vir contra Deus e vencer, ou nos separar de Seu poder e propósito, deve nos estimular a viver com ousadia por causa do evangelho. 

Obedecemos à ordem de Jesus de fazer discípulos de todas as nações (Mateus 28:16-20), proclamar Suas excelências (1 Pedro 2:9) e compartilhar a obra de Deus com aqueles ao nosso redor, não importa o custo (Marcos 5:1-20). 

Devemos fazer nossa vida valer como Paulo e Jim e Elisabeth Elliot buscando alcançar aqueles que ainda não conhecem o amor inseparável de Cristo. 

Pois se ninguém está contra nós, não temos nada a temer em viver os propósitos que Deus revelou para nós em Sua Palavra.

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!