Por que não podemos servir a Deus e ao dinheiro?

“Ninguém pode servir a dois senhores. Ou você odiará um e amará o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Você não pode servir a Deus e ao dinheiro” (Mateus 6:24).

O Antigo Testamento na Bíblia oferece muitos princípios sobre como ganhar e lidar com dinheiro de maneira justa. E nos Evangelhos, Jesus se baseou nessas lições explorando a ideia de que a forma como lidamos com o dinheiro realmente revela o estado de nossos corações.

O Senhor não disse a Seus ouvintes para não buscarem ganhar riquezas. Mas Ele lhes deu uma advertência para não fazer disso uma prioridade maior na vida do que obedecer e servir a Deus. 

No mesmo capítulo, Ele apontou uma verdade sobre a natureza humana: “Pois onde estiver o seu tesouro, aí estará também o seu coração”.

O que significa Mateus 6:24?

Tantas coisas terrenas podem nos afastar de Deus. Este versículo é um chamado para os cristãos fazerem uma escolha consciente não apenas do que servirão, mas como viverão a cada dia.

Mesmo no tempo de Jesus, o materialismo dominava algumas pessoas, como a elite religiosa e certos cobradores de impostos. 

Eles fizeram grandes esforços para manter suas posições de poder, em parte para proteger suas riquezas. Mas Jesus sabia que qualquer um poderia se tornar escravo de um tipo de mentalidade de “querer mais”, e que ele ou ela poderia ser destruído por isso. 

Então, Ele lembrou publicamente aos crentes que seu tempo e energia devem ser direcionados para as coisas de Deus.

Cristo também estava falando sobre a questão maior da idolatria, de colocar qualquer coisa diante de Deus em nossas vidas. A fome de dinheiro pode substituir o desejo pelo Pai Celestial e diminuir nossa fé. Ele insinuou essa ideia em sua parábola sobre os quatro solos:

“Ainda outros, como a semente lançada entre os espinhos, ouvem a palavra; mas as preocupações desta vida, o engano das riquezas e os desejos de outras coisas vêm e sufocam a palavra, tornando-a infrutífera” (Marcos 4:18).

O que mais está acontecendo em Mateus 6?

Mateus 6:24 faz parte do que é chamado de Sermão da Montanha, uma série de ensinamentos de Jesus, certamente dados ao longo de um período de dias. 

Junto com Seus discípulos, uma enorme multidão se reuniu para ouvi-Lo. Alguns estavam apenas curiosos para ver o novo rabino, e outros estavam profundamente apaixonados por seguir a Deus. Mas Jesus usou este momento para aconselhar cada pessoa ali sobre viver corretamente.

O Sermão na verdade começa no capítulo 5 e continua até o final do capítulo 7. Cada um dos ensinamentos aborda como é o comportamento social de Deus. Mas, de uma forma mais profunda, eles também falam sobre o que o caráter interior de uma pessoa deve ser.

O início do capítulo 6 demonstra como abordar a doação aos necessitados, bem como a oração e o jejum. 

Jesus enfatizou a importância de ser humilde ao fazer boas obras, em oposição às demonstrações públicas de bondade da elite religiosa.

“Mas, quando deres aos necessitados, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita, para que a tua doação fique em segredo” (Mateus 6:3-4).

“Mas quando você orar, vá para o seu quarto, feche a porta e ore ao seu Pai… E quando você orar, não fique balbuciando como os pagãos…” (Mateus 6:6 a, 7a).

“Mas quando você jejuar, ponha óleo na cabeça e lave o rosto, para que não fique claro para os outros que você está jejuando, mas somente para o seu Pai…” (Mateus 6:17-18 a).

Mais tarde, depois de falar sobre dinheiro, Jesus encorajou a deixar de lado as preocupações e confiar que Deus já sabe o que precisamos e é mais do que capaz de fornecer.

Seguir a Deus significa que não podemos ser ricos ou sábios com nosso dinheiro?

O dinheiro é um objeto, uma ferramenta importante para conseguir o que precisamos e queremos. E algumas pessoas na Bíblia e no mundo de hoje são certamente abençoadas com mais do que outras. A Escritura faz questão de nos lembrar, porém, que qualquer dinheiro que tenhamos vem de apenas uma fonte.

“Mas lembrai-vos do Senhor vosso Deus, pois é ele quem vos dá a capacidade de produzir riquezas, e assim confirma a aliança que jurou a vossos pais, como é hoje” (Dt 8:18).

Devemos evitar buscar, manter e usar dinheiro apenas para satisfazer nossos próprios desejos. A Palavra de Deus nos exorta a usá-la para abençoar outros também.

“Ordena aos ricos deste presente século que não sejam arrogantes nem ponham a sua esperança na riqueza, que é tão incerta, mas que ponham a sua esperança em Deus, que tudo nos provê ricamente para nosso gozo. Ordene-lhes que façam o bem, sejam ricos em boas obras, generosos e dispostos a compartilhar. Assim, eles acumularão para si mesmos tesouros, como firme fundamento para o século vindouro, a fim de alcançarem a vida que é verdadeiramente vida” (1 Timóteo 6:17-19). 

Jesus chamou Seus seguidores para usar a riqueza para o bem, não para fins egoístas. Duas de Suas Parábolas mostram a grande diferença nas escolhas que dois homens fazem em relação ao seu dinheiro.

1. A Parábola do Bom Samaritano 

Jesus contou a história de um homem que foi atacado por ladrões a caminho de Jericó. Então Ele descreveu como um sacerdote e um levita passam, deixando o homem espancado na rua. Mas alguém intervém, usando seu próprio dinheiro para ajudar esse pobre homem.

“Mas um samaritano, enquanto viajava, chegou onde o homem estava; e quando o viu, teve pena dele. Ele foi até ele e enfaixou suas feridas, derramando óleo e vinho. Então ele colocou o homem em seu próprio jumento, levou-o para uma estalagem e cuidou dele. No dia seguinte, tirou dois denários e os deu ao estalajadeiro” (Lucas 10:33-35).

2.  A Parábola do Rico Tolo

Para alertar Seus ouvintes sobre a ruína que a ganância causa, Jesus contou a história de um homem que experimentou uma colheita abundante. Este homem, sem saber o que fazer com seus grãos excedentes, decidiu construir um celeiro maior para armazenar tudo o que tinha. Ele planejava viver uma vida de lazer a partir de então. Mas ele recebeu uma mensagem assustadora.

“Mas Deus lhe disse: Seu tolo! Esta mesma noite sua vida será exigida de você. Então, quem receberá o que você preparou para si mesmo? Assim será com aquele que entesoura para si mesmo, mas não é rico para com Deus” (Lucas 12:20-21).

Como podemos começar a nos libertar do mestre do dinheiro?

Para mudar uma mentalidade ou padrão de comportamento não saudável, tornar-se autoconsciente é sempre um primeiro passo importante. 

Então, fazer um simples inventário para entender melhor nossos motivos é um tempo bem gasto. E tirar momentos para meditar em versículos bíblicos relacionados nos dará orientação e encorajamento.

Aqui estão algumas questões a serem consideradas.

Em que você gasta seu tempo pensando?

“Pois o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males. Alguns, ávidos de dinheiro, se desviaram da fé e se atormentaram com muitas dores” (1 Timóteo 6:10).

Você é mais grato pela presença de Deus ou por Seus presentes? 

“Mantenha sua vida livre do amor ao dinheiro e se contente com o que você tem, porque Deus disse: Nunca te deixarei; nunca te abandonarei” (Hebreus 13:5).

Você confia em Deus para suprir suas necessidades e até mesmo alguns de seus desejos?

“E o meu Deus suprirá todas as vossas necessidades segundo as riquezas da sua glória em Cristo Jesus” (Filipenses 4:19).

Quem poderia ser um parceiro de responsabilidade para você nesta área?

“Então ele lhes disse: Cuidado! Esteja em guarda contra todos os tipos de ganância; a vida não consiste em abundância de bens” (Lucas 12:15).

Tomar a decisão de buscar a Deus em primeiro lugar não é apenas sábio, mas resulta em uma vida mais pacífica e alegre. Pois Ele é um mestre gracioso e amoroso. E as bênçãos que Ele nos trará superam em muito qualquer coisa que o dinheiro possa comprar.


Autora Heather Adams, adaptado por Biblioteca do Pregador.

Botão Voltar ao topo