Qual é o papel da esposa de um pastor?

Um dos papéis mais importantes na igreja é o da esposa de um pastor. Ela está em uma posição única para encorajar, orar e apoiar o homem encarregado de liderar e pastorear uma congregação.

Seu trabalho, as vezes não reconhecido e realizado nos bastidores. Mas é significativo e seu efeito se sente em toda a comunidade.

A Bíblia é muito clara sobre os requisitos para pastores e presbíteros em uma igreja, mas não há requisitos específicos para uma “esposa de pastor”.

A esposa do pastor é provavelmente uma mulher muito especial e talentosa. Ela está em uma posição única para ter um ministério muito eficaz na igreja, se ela tiver a liberdade de fazê-lo da maneira que foi chamada.

Qual é o papel da esposa de um pastor?

Pense no seguinte: Seu patrão esperaria que seu cônjuge fosse trabalhar com você? Seu cônjuge seria chamado a fazer o que você faz? No ministério, esta é muitas vezes a expectativa, mesmo que não seja dita.

Pois, examinam e avaliam a esposa do pastor quase tanto quanto o próprio pastor. Talvez mais.

Apesar disso, não há mandato bíblico para a esposa do pastor ser uma “co-pastora”. Em última análise, é injusto e priva o casal de cumprir seu ministério juntos.

O papel da esposa de um pastor é o mesmo de qualquer outra esposa em uma família crente: amar a Deus com todo o seu coração, alma, mente e força, e amar e apoiar seu marido enquanto ele segue a Deus.

A esposa do pastor é obrigada a fazer alguma coisa?

“Temos dons diferentes, de acordo com a graça dada a cada um de nós. Se seu dom é profetizar, então profetize de acordo com sua fé; se estiver servindo, então sirva; se está ensinando, então ensine; se é para encorajar, então encoraje; se for dar, então dê generosamente; se for para liderar, faça-o diligentemente; se é para mostrar misericórdia, faça-o com alegria” (Romanos 12:6-8).

Embora minha esposa tenha uma bela voz, suas habilidades e dons no corpo de Cristo não são os mesmos que os meus. Minha esposa é enfermeira, não pastora. E, embora seus dons complementem a mim e ao meu ministério, ela não é especialista em minha área, nem eu na dela.

O ministério é único porque a igreja considera a esposa do pastor de tal importância no papel do pastor. Quando um pastor aceita um ministério em uma igreja, ele está levando toda a sua família junto com ele, e nós, como crentes, precisamos nos lembrar da singularidade do que toda a família do pastor assumiu.

O curioso é que, embora a Bíblia não diga nada especificamente sobre a esposa do pastor, ou qual é o seu papel, ela está entre as pessoas mais importantes da sua igreja. A Bíblia não especifica necessariamente que os pastores devem ser casados.

Para aqueles que são, cada casamento e ministério é diferente. Algumas esposas podem servir ao lado de seus maridos, totalmente engajadas na obra pública e visível do ministério. Enquanto outras podem se destacar em apoiar o marido em oração, criar sua família e fazer um tipo diferente e menos visível de ministério.

Nenhum dos dois está errado, e devemos estender graça e amizade, independentemente da situação ou do que pensamos em nossa própria mente, como deve ser o papel dela.

Você descobrirá que a maioria das esposas de pastor são pessoas incríveis que amam seus maridos, amam sua igreja, amam sua família e amam o Senhor Jesus Cristo de todo o coração.

O Papel da Esposa como Membro da Igreja

“Pois, assim como cada um de nós tem um corpo com muitos membros, e esses membros não têm todos a mesma função, assim também em Cristo, embora muitos, formamos um corpo, e cada membro pertence a todos os outros” (Romanos 12: 4-5).

Um trabalho ministerial, como qualquer outro trabalho, vem com um contrato, um salário e uma descrição do trabalho.

A menos que esteja estipulado em algum lugar no contrato que a esposa do pastor se inscreveu para quaisquer deveres específicos, ela não tem mais obrigações do que qualquer outra pessoa na igreja.

No entanto, considerando que ela decidiu se casar com um pastor, há uma boa chance de que ela queira se envolver. Por exemplo, servir em uma área que se encaixe em seu chamado, de maneira que beneficiará o corpo de Cristo.

Permita que ela faça isso! Tentar forçá-la a uma área de serviço que não é sua vocação, só porque “alguém precisa fazer isso e seu marido trabalha aqui”. É desanimador e pode trazer danos a longo prazo para todos os envolvidos.

Como eu disse anteriormente, minha esposa é enfermeira e, como tal, ela ocasionalmente teve que trabalhar aos domingos em um hospital. Enquanto eu estava na equipe, a maioria das pessoas na congregação entendia esse tipo de horário e a necessidade de cuidados de saúde mesmo aos domingos. No entanto, alguns reclamaram que ela estava “pulando da igreja”.

Não trate a esposa do seu pastor assim! Esse tipo de atitude não tem lugar na igreja, não é fundamentado em nada bíblico e causará danos significativos à família do pastor e à igreja em geral. Embora esses tipos de coisas não sejam a norma, eles realmente acontecem.

A melhor coisa que um membro da igreja pode fazer é perceber que ela também é um membro da igreja que também precisa de amizades e um lugar para servir, conectar-se e se sentir em casa.

Só porque seu marido se inscreveu para um cargo público não significa que ela também precisa estar no banco da frente toda semana se esse não for seu chamado e local de serviço.

Como podemos apoiar a esposa de nossos pastores?

“Portanto, encorajai-vos uns aos outros e edificai-vos uns aos outros, como de fato estais fazendo” (1 Tessalonicenses 5:11).

Lembre-se de que estar em jugo no ministério não é um chamado para se encarar levianamente. Ao celebrarmos com nossas congregações e ao passarmos pelo luto com elas, o ministério carrega consigo algumas das emoções humanas mais alegres e dolorosas.

A esposa de um pastor provavelmente não foi ao seminário ou aprendeu a aconselhar os outros, mas ela é colocada nessas situações e na graça de Deus estará lá para outras pessoas.

Lembre-se de que ela não é membro da equipe, embora seja casada com um. Como todos os membros da igreja, ela precisa de relacionamentos.

Incentive-a convidando-a para sair, mas se esforçando para conversar com ela e deixá-la saber que você é grato por ela e por seu dom. Mostre-lhe amor, respeito e graça e certifique-se de que ela seja aceita como membro do corpo.

Autor: Jason Soroski do site Crosswalk.

Botão Voltar ao topo