Quem foi Filipe? História do discípulo que disse: “mostra-nos o Pai”

O Apóstolo Filipe foi um dos 12 principais discípulos de Jesus. Ele é uma das quatro pessoas chamadas Filipe na Bíblia, e muitas vezes é confundido com Filipe, o Evangelista, que desempenha um papel menor em Atos. (Os outros dois Filipes são ambos filhos do rei Herodes, o Grande).

O apóstolo Filipe aparece várias vezes no Novo Testamento, sete vezes nos evangelhos e uma vez em Atos. (Uma tradição também afirma que ele é mencionado em outro versículo, embora não pelo nome). Quatro dessas menções são apenas listas dos apóstolos. Como o apóstolo Tomé, as únicas menções significativas de Filipe vêm no Evangelho de João (e ainda não são tão significativas).

A tradição da Igreja identifica Filipe como o missionário para a Grécia, Síria e Frígia, mas desde cedo, Filipe, o Apóstolo, era frequentemente confundido com Filipe, o Evangelista (também conhecido como Filipe, o Diácono), o que torna difícil distinguir quais detalhes descrevem qual Filipe. Acrescente a isso os relatos lendários dos Atos de Filipe e da Carta de Pedro a Filipe, e também fica difícil separar o fato da ficção.

Ainda assim, há algumas coisas que podemos aprender sobre Filipe, o Apóstolo, na Bíblia, e também podemos obter alguns insights da igreja primitiva.

Para começar, aqui estão os fatos rápidos.

Fatos sobre o Apóstolo Filipe

Não aprendemos muito sobre Filipe nos evangelhos sinóticos ou no Livro de Atos na verdade, praticamente tudo o que aprendemos é que ele sempre está listado com Bartolomeu. Mas o Evangelho de João e a igreja primitiva preenchem algumas lacunas e nos ajudam a entender um pouco mais sobre quem ele era.

Ele foi um dos doze

O Novo Testamento lista todos os doze apóstolos quatro vezes – Mateus 10:2-4, Marcos 3:14-19, Lucas 6:13-16 e Atos 1:13-16. Embora existam algumas variações na ordem em que os apóstolos aparecem e até mesmo nos nomes pelos quais eles passaram, Filipe está listado em todos eles. Ele também é claramente um dos Doze no Evangelho de João, embora João nunca os liste explicitamente.

Isso significa que Filipe era uma das pessoas mais próximas de Jesus e que passou cerca de três anos morando com ele, testemunhando seus milagres e ouvindo seus ensinamentos. Ele viu inúmeras demonstrações da divindade de Jesus.

Ele veio de Betsaida

Uma das primeiras coisas que aprendemos sobre Filipe no Evangelho de João é que, como Simão Pedro e André, ele vem de Betsaida, uma cidade à beira do mar da Galiléia (Jo 1:44). Isso pode parecer um detalhe trivial, mas mais tarde, quando Jesus e os discípulos chegam a Jerusalém, alguns homens gregos de Betsaida querem ver Jesus – e eles vêm a Filipe (João 12:21). É possível que eles o conhecessem pessoalmente, ou talvez ele falasse grego melhor do que os outros discípulos (afinal, ele tinha um nome grego).

Ele não era Filipe, o Evangelista

É fácil ler os evangelhos e Atos e nem perceber que existem dois Filipes diferentes. De fato, é possível que Filipe, o Apóstolo, tenha sido confundido com Filipe, o Evangelista, já no primeiro ou segundo século. Na História da Igreja, Eusébio cita Pápias de Hierápolis — um contemporâneo dos apóstolos — dizendo que Filipe estava morando em Hierápolis com suas filhas. Papias também se refere a Filipe em Atos 21 como um apóstolo, e esse título era geralmente (mas nem sempre) reservado para os Doze.

Eusébio também cita Polícrates de Éfeso, um bispo que viveu durante o segundo século, dizendo:

“Pois também na Ásia adormeceram grandes luzes, que ressuscitarão no último dia, na vinda do Senhor, quando ele vier com glória do céu e buscar todos os santos. Entre estes estão Filipe, um dos doze apóstolos, que dorme em Hierápolis, e suas duas filhas virgens e idosas, e outra filha que viveu no Espírito Santo e agora repousa em Éfeso”.

Mas há boas razões para acreditar que provavelmente existem duas pessoas diferentes chamadas Filipe.

O Filipe que chamamos de “o Evangelista” ou “o Diácono” é mencionado pela primeira vez em Atos 6 quando a igreja seleciona sete pessoas para distribuir comida. Lucas escreve:

“Assim, os Doze reuniram todos os discípulos e disseram: Não seria certo descuidarmos do ministério da palavra de Deus para servir às mesas. Irmãos e irmãs, escolham entre vocês sete homens que são conhecidos por serem cheios do Espírito e de sabedoria. Entregaremos essa responsabilidade a eles e daremos nossa atenção à oração e ao ministério da palavra.” – Atos 6:2–4

Os doze apóstolos optaram por esta posição, e então um homem chamado Filipe foi escolhido para ser um dos Sete (Atos 6:5). Então seria muito estranho se fosse Filipe, o Apóstolo.

Muito mais tarde, em Atos 21:8–9, Paulo e seus companheiros ficam na casa de Filipe em Cesaréia com suas quatro filhas solteiras que tinham o dom de profecia. Este Filipe é explicitamente identificado como “o evangelista” e “um dos Sete”. Se fosse Filipe, o Apóstolo, seria estranho que Lucas fornecesse dois detalhes distintos e não o chamasse de apóstolo. E presumivelmente, se ele não usar detalhes distintos, a igreja primitiva teria assumido que ele se referia a Filipe, o Apóstolo – o mais conhecido Filipe. (Este é um dos principais argumentos para supor que todas as referências do Novo Testamento a Marcos estão falando sobre João Marcos, o autor tradicional do Evangelho de Marcos).

Ele pode ter sido um missionário

A tradição da Igreja sustenta que Filipe pregou o evangelho na Cítia (uma região na Eurásia central), na Síria e na Frígia (Turquia). No entanto, essa tradição se origina em grande parte com Atos de Filipe, um texto duvidoso do século IV que misturou relatos verdadeiros com lendas, incluindo uma narrativa envolvendo um dragão.

Então… pode ser?

Filipe na Bíblia

Além das listas de apóstolos em Mateus, Marcos, Lucas e Atos, Filipe aparece em quatro narrativas no Evangelho de João. Eles não nos dizem muito, mas são tudo o que realmente temos para continuar.

Jesus chama Filipe e Natanael (João 1:43–51)

Depois que Jesus chama Pedro, André, Tiago e João, ele encontra Filipe:

“No dia seguinte, Jesus decidiu partir para a Galiléia. Encontrando Filipe, disse-lhe: Siga-me.

Filipe, como André e Pedro, era da cidade de Betsaida. Filipe encontrou Natanael e lhe disse: ‘Encontramos aquele sobre quem Moisés escreveu na Lei, e sobre quem os profetas também escreveram: Jesus de Nazaré, filho de José.

Nazaré! Alguma coisa boa pode vir de lá? perguntou Natanael.

Venha ver, disse Filipe. – João 1:43–46

Assim como André, a primeira reação de Filipe depois de conhecer Jesus foi contar a alguém sobre ele. Ele desempenhou um papel ativo em levar outro apóstolo a Jesus.

Alguns estudiosos especulam que Filipe também pode ter sido discípulo de João Batista, uma vez que:

  • Dois dos discípulos de João seguiram Jesus (João 1:35–37)
  • A Bíblia apenas nos diz que um era André (João 1:40)
  • As contas aparecem lado a lado
  • Os encontros parecem acontecer no mesmo local
  • Jesus pode estar procurando ativamente por Filipe

Jesus Alimenta os 5.000 (João 6:1–15)

Antes de Jesus alimentar a multidão de mais de 5.000 pessoas, ele decidiu testar Filipe:

“Quando Jesus olhou para cima e viu uma grande multidão vindo em sua direção, disse a Filipe: Onde compraremos pão para este povo comer? Ele pediu isso apenas para testá-lo, pois já tinha em mente o que ia fazer.

Filipe respondeu-lhe: Seria preciso mais de meio ano de salário para comprar pão suficiente para cada um comer!” – João 6:5–7

Jesus já sabia exatamente o que ia fazer, mas perguntou a Filipe o que seria necessário para alimentar essas pessoas – talvez como uma brincadeira, ou possivelmente, para ilustrar que seria necessário um milagre para alimentar tantas pessoas. 

Nos evangelhos sinóticos, os escritores simplesmente nos dizem que essas trocas ocorreram entre Jesus e “os discípulos”, e o diálogo vai direto ao ponto. João parece mais interessado em nos dizer quem disse o quê, e usar a resposta de Filipe para estabelecer o milagre de Jesus.

Filipe refere alguns gregos a Jesus (João 12:20–36)

Quando Jesus chega a Jerusalém, alguns gregos tementes a Deus querem vê-lo, então eles procuram Filipe:

“Ora, havia alguns gregos entre os que subiram para adorar na festa. Eles vieram a Filipe, que era de Betsaida da Galiléia, com um pedido. Senhor, eles disseram, nós gostaríamos de ver Jesus. Filipe foi contar a André; André e Filipe, por sua vez, contaram a Jesus”. – João 12:20–22

Como discutimos anteriormente, esses gregos podem ter vindo a Filipe porque o conheciam, ou simplesmente porque ele tinha um nome grego e falava grego melhor.

Jesus, o Caminho para o Pai (João 14:5–14)

Frequentemente, os discípulos não têm ideia do que Jesus está falando, e alguém tem que arriscar o pescoço e fazer uma pergunta esclarecedora (ou muitas vezes no caso de Pedro, fazer uma declaração tola). Depois que Jesus diz aos discípulos que está preparando um lugar para eles e que eles sabem para onde ele está indo, Tomé pergunta: “Como podemos saber o caminho se não sabemos para onde você está indo?”

É aí que pegamos:

Jesus respondeu: Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem ao Pai senão por mim. Se você realmente me conhece, você conhecerá meu Pai também. De agora em diante, você o conhece e o viu.

Filipe disse: Senhor, mostra-nos o Pai e isso nos basta.

Jesus respondeu: Você não me conhece, Filipe, mesmo depois de tanto tempo entre vocês? Quem me viu, viu o Pai. Como você pode dizer: Mostra-nos o Pai? Você não acredita que eu estou no Pai, e que o Pai está em mim?” – João 14:6–10

Jesus acaba de dizer a eles que a mansão de seu Pai tem muitos quartos e ele vai preparar um lugar para eles e voltar e buscá-los.

Tomé diz: “Não sabemos para onde você está indo. Como podemos chegar lá.”

Os discípulos pensam que vão para a casa do Pai em breve, e Jesus responde: “Se você realmente me conhece, você também conhecerá meu Pai”.

Filipe está basicamente tentando demonstrar sua fé dizendo: “Nem me importo com os detalhes. Basta ver o Pai para nós”.

Quer a declaração de Filipe fosse tola ou simplesmente ousada, deu a Jesus outra oportunidade de afirmar diretamente sua divindade e nos ajudar a entender seu relacionamento com o Pai.

O Custo de Seguir a Jesus (Lucas 9:57–62, Mateus 8:18–22)

Em Lucas e Mateus, um discípulo sem nome pergunta a Jesus se ele pode enterrar seu pai antes de segui-lo. Jesus responde (aparentemente duramente): “Deixe que os mortos enterrem seus próprios mortos, mas você vai e proclama o reino de Deus” (Lucas 9:60).

Clemente de Alexandria, que viveu no segundo e terceiro século, afirmou que este discípulo sem nome era Filipe:

“Se eles citarem as palavras do Senhor a Filipe: Deixe os mortos enterrarem seus mortos, mas tu segue-me…” – Estroma

Como o Apóstolo Filipe morreu?

É difícil dizer como Filipe morreu, especialmente porque ele foi confundido com Filipe, o Evangelista, e há relatos conflitantes. Um registro diz que ele morreu de causas naturais. Outro diz que foi decapitado. Ou apedrejado até a morte. Ou crucificado de cabeça para baixo.

A maioria das primeiras tradições parecem apontar para ele sendo martirizado em Hierápolis. Em uma carta ao Papa Victor, Polícrates de Éfeso disse: “Falo de Filipe, um dos doze apóstolos, que foi sepultado em Hierápolis…”

Caio, o Presbítero (escritor cristão do terceiro século) escreveu: “E depois disso houve quatro profetisas, filhas de Filipe, em Hierápolis, na Ásia. A tumba deles está lá, e também a de seu pai.”

Os Atos de Filipe fornecem o relato mais antigo e detalhado de seu martírio, mas, novamente, é difícil dizer o quanto podemos confiar nele. Alegadamente, ele converteu a esposa de um procônsul, o que irritou o procônsul o suficiente para que ele e Bartolomeu fossem crucificados de cabeça para baixo. Enquanto estava pendurado lá, Filipe pregou, e a multidão foi levada a libertá-los. Ele disse a eles para libertarem Bartolomeu, mas não para derrubá-lo.

Filipe morreu em algum momento do primeiro século, possivelmente por volta de 80 dC.

Um apóstolo menos conhecido

Não há muito que possamos dizer sobre Filipe sem especular. A Bíblia não nos diz muito, e até mesmo alguns dos escritores mais confiáveis ​​da igreja primitiva estavam confusos sobre quem ele era.

O que sabemos é o seguinte: como um dos Doze, Filipe certamente teve um papel importante na igreja primitiva e provavelmente desempenhou um papel fundamental na divulgação do evangelho em algum lugar da antiga Eurásia.

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.
Botão Voltar ao topo