O que podemos aprender com Terá, o pai de Abraão?

Se você já se mudou de um país para outro, então sabe o quão difícil a jornada pode se tornar. Diferentes costumes, culturas e idiomas incomodam até mesmo as pessoas mais calmas. Dentro das Escrituras, movimentos significativos mudaram o curso da história de povos inteiros. Um deles envolveu um homem chamado Terá e sua família. 

Lembramo-nos de Terá como o pai de Abrão, que recebeu as promessas da aliança de Deus a respeito de Jesus Cristo.

Embora ele seja mencionado em apenas alguns versos, a magnitude do lugar de Terá na história não pode ser negligenciada. 

Através da linhagem de Terá, seu filho Abrão tornou-se o pai da nação de Israel. Lucas registra os nomes dele e Abraão na genealogia de Jesus.

“…filho de Jacó, filho de Isaque, filho de Abraão, filho de Terá, filho de Naor…” (Lucas 3:34).

De onde veio Terá?

Em Gênesis 11, lemos que Terá veio de Ur dos caldeus. 

Ur era uma grande e próspera cidade-estado na Mesopotâmia (atual sul do Iraque). Os caldeus, que não existem mais, são anteriores a Israel.

Agora estas são as gerações de Terá. Terá gerou Abrão, Naor e Harã; e Harã gerou Ló. Harã morreu na presença de seu pai Terá na terra de sua parentela, em Ur dos caldeus” (Gênesis 11:27-18).

O nome “Ur” vem de “luz” ou “fogo”, provavelmente descritivo de sua adoração idólatra do fogo comum na terra. 

A cidade também prestou homenagem ao deus da lua “Sin”. Terá, junto com outros antepassados ​​israelitas, adotou práticas pagãs. 

No entanto, Deus, em Sua escolha misericordiosa, falou com Abrão antes mesmo dele o conhecer.

Mais tarde, no discurso de despedida de Josué ao povo de Israel, ele revisou sua história. Seu discurso confirmou de onde eles vieram, tanto territorialmente quanto espiritualmente.

“Assim diz o Senhor, o Deus de Israel: Há muito tempo, vossos pais viviam além do Eufrates, Terá, pai de Abraão e de Naor; e serviram a outros deuses” (Josué 24:2).

O pai de Terá, Naor, veio da linhagem de Sem, filho de Noé. Mais de 220 anos se passaram entre o dilúvio de Noé e o nascimento de Terá. 

A fé de Noé não se multiplicou com as décadas. A torre de Babel dispersou e reuniu pessoas em grupos, regiões e idiomas. Mais uma vez, a humanidade se desviou para a idolatria.

Por que Terá se mudou para Harã?

Não nos é dito em Gênesis por que Terá mudou com sua família de Ur para Harã. No entanto, em Atos 7:2-4, Estêvão dá um relato poderoso do movimento de Deus ao longo da história de Israel. 

Ele esboça ao conselho e aos fatos do sumo sacerdote, levando à sua proclamação de que Jesus era o Messias. Em sua mensagem, ele revela que Deus falou com Abraão antes mesmo que ele morasse em Harã.

E ele disse: Irmãos e pais, ouçam: O Deus da glória apareceu a nosso pai Abraão quando ele estava na Mesopotâmia, antes que ele habitasse em Harã, e lhe disse: Saia de sua terra e de seus parentes, e venha para uma terra que eu lhe mostrarei. Então ele saiu da terra dos caldeus e habitou em Harã. E dali, quando seu pai estava morto, ele o transferiu para esta terra em que você agora mora” (Atos 7:2-4).

Harã, que significa “estrada” ou “encruzilhada”, serviu como uma cidade comercial entre a Arábia e a Síria no norte da Mesopotâmia. 

Abrão teria viajado ao longo do Eufrates para chegar a Canaã em vez de atravessar o deserto com seu grande grupo de pessoas e animais. 

O filho de Terá, Harã (não confundir com a cidade), morreu em Ur. Ló, filho de Harã, neto de Terá e sobrinho de Abraão, tornou-se um personagem bíblico bem conhecido em capítulos posteriores. Terá liderou a importante mudança sul sudeste de Ur.

Terá tomou a Abrão, seu filho, e a Ló, filho de Harã, seu neto, e Sarai, sua nora, mulher de seu filho Abrão, e saíram juntos de Ur dos caldeus para ir à terra de Canaã, mas quando eles chegaram a Harã, eles se estabeleceram lá” (Gênesis 11:31).

Conforme a Bíblia relata, eles pararam antes de chegar a Canaã.

Terá estava vivo quando Abraão partiu para Canaã?

Há alguma confusão sobre se Terá ainda vivia ou não quando Abraão deixou Harã para Canaã, embora o discurso de Estêvão claramente coloque o movimento final para Canaã depois que Terá morreu.

“E dali, quando seu pai morreu, ele o transferiu para esta terra em que você agora mora” (Atos 7:4).

Alguns estudiosos acreditam que Terá morreu 60 anos depois que Abraão deixou a cidade de Harã e viajou para Canaã. Se assumirmos que os nomes dos filhos dele estão em ordem cronológica em Gênesis 11:26, parece haver uma divergência. Gênesis 11:26 diz: “Ora, Terá viveu setenta anos e gerou a Abrão, Naor e Harã”.

Terá começou a ter filhos aos 70 anos. Os anos não parecem estar de acordo com a mensagem de Estevão. No entanto, nenhuma inconsistência aparente existe se os filhos não estiverem listados em ordem de nascimento, mas sim por proeminência. 

A idade de Terá então teria sido 130 no nascimento de Abrão, o que concorda com os 205 anos de sua vida na Bíblia.

“E os dias de Terá foram duzentos e cinco anos: e Terá morreu em Harã” (Gn 11:31-32).

A declaração de Estêvão, dada sob a direção do Espírito Santo, confirma que Abraão permaneceu em Harã até a morte de Terá. 

Seguindo a ordem de Deus, Abraão retomou sua jornada para Canaã aos 75 anos, após a morte de seu pai.

Por que Deus disse a Abraão para deixar a casa de Terá?

Embora gostaríamos de supor que Terá temia a Deus, não há nada que apoie isso nas Escrituras. A ordem de Deus tirou Abrão das influências da casa do pai.

O nome Terá significa “atraso”, “errante”, “respirador”, enquanto o nome Harã significa “secado ou estéril”. Abraão significa “pai exaltado”.

Não sabemos por que ele se estabeleceu em Harã. Sabemos que, infelizmente, Terá não abraçou a Deus, mas adorou deuses pagãos (Josué 24:2). O paganismo de Terá acabou dividindo sua casa da de seu filho Abraão.

Deus falou com Abrão no que conhecemos como a aliança abraâmica através da qual Deus prometeu fazer de Abraão uma grande nação. 

O tempo verbal hebraico original no versículo seguinte, “Agora o Senhor havia dito”, confirma que Deus primeiro chamou Abrão antes que ele deixasse Ur.

“Ora, o Senhor disse a Abrão: Sai da tua terra, e da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei; e farei de ti uma grande nação, e abençoarei ti, e engrandece o teu nome; e tu serás uma bênção: e abençoarei os que te abençoarem, e amaldiçoarei os que te amaldiçoarem; e em ti serão benditas todas as famílias da terra” (Gênesis 12:1-3).

Abraão e sua família precisavam se separar de crenças contrárias ao Único e Verdadeiro Deus. Pois, Ele queria ser seu único Deus, Senhor e Mestre. Ele desejava que eles fossem separados, mas o plano de Deus se estenderia a todas as nações através deles.

Abraão obedeceu. Então ele fez as malas e saiu deixando tudo para trás. Ele partiu para uma terra desconhecida, mas com Deus na liderança.

O que podemos aprender com Terá?

Embora tenhamos apenas algumas passagens que tratam de Terá, aprendemos algumas lições importantes com elas.

1. Há apenas um Deus, e devemos adorá-lo somente. Nós também devemos decidir a quem serviremos.

2 . Quando demoramos a seguir o que sabemos ser certo, isso abre a porta para colocarmos outras prioridades em nossas vidas ao invés de Deus. Isso traz uma vida espiritual “secura e estéril” como Terá experimentou em Harã.

3. Deus cumpre Suas promessas. Sua fidelidade se estende além de nossa zona de conforto e além do que podemos ver. Terá não olhou para frente o suficiente.

4. Quando Deus moveu seu povo na Bíblia, Ele os moveu com propósito. Quando Deus lidera, devemos seguir.

5. Seja intencional ao passar a fé para a próxima geração. Antes de Terá, Noé achou graça aos olhos do Senhor, mas o conhecimento de Deus foi desaparecendo com o passar das gerações.

Deus cumpre suas promessas

O legado de Terá atravessa o Antigo e o Novo Testamento. Seu nome, mencionado na linhagem do Messias, nos lembra a misericórdia imerecida de Deus. 

Jesus cumpre a promessa de Deus de abençoar todas as famílias da terra. Por meio de Cristo, nos tornamos filhos espirituais de Abraão e herdeiros de uma nova aliança.

As lições de Terá nos movem a completar bem nossa jornada, a adorar somente a Jesus e a segui-Lo onde quer que Ele nos conduza. A jornada de Terá nos lembra que há um lugar melhor pela frente.

Autora Sylvia Schroeder, adaptado por Biblioteca do Pregador.

Botão Voltar ao topo