5 lições poderosas do livro de Oséias

É difícil imaginar muitos crentes aproveitando a chance de viver o chamado pessoal e profético de Oséias. Quero dizer, se entregar a vida a Deus e cumprir os deveres solitários de um profeta do Antigo Testamento. Oséias poderia ter o título de ter um dos chamados mais singulares e difíceis de toda a Bíblia. 

Instruído por Deus para ministrar a um povo confuso e infiel em estado de declínio moral, Oséias também recebeu instrução para se casar com uma prostituta e permanecer fiel a ela.

No entanto, a vida de Oséias serviu como uma ilustração da fidelidade de Deus e do amor infinito por Seu povo em meio à sua infidelidade.

Hoje há lições aprendidas do livro de Oséias que desafiam e encorajam os crentes em seu relacionamento com Deus.

Quem escreveu o livro de Oséias?

O profeta Oséias foi chamado por Deus para ministrar ao Reino do Norte de Israel por volta de 755 aC a 710 aC. Um ministério que durou o reinado dos últimos sete reis de Israel que antecederam a invasão assíria e a destruição do Reino do Norte em 722 aC.

Historicamente, Oséias teria sido o contemporâneo mais jovem do profeta Amós e ministrou na mesma época de Isaías e Miquéias, que trabalhavam arduamente ministrando ao Reino do Sul em Judá. Como você poderia esperar, o autor do livro de Oséias é o próprio Oséias. 

Um difícil chamado no livro de Oséias…

A coisa mais notável que aprendemos sobre Oséias desde o início é que ele foi chamado por Deus para se casar com uma mulher chamada Gômer. A Bíblia diz que ela era uma prostituta antes de se casarem ou se tornaria uma prostituta em algum momento mais tarde (Oséias 1:2). 

Infelizmente para Oséias, ela também continuaria nessa profissão e depois deixaria Oséias por completo, tornando-se escravizada por um de seus muitos amantes. Oséias acabaria por comprá-la de volta como sua noiva, refletindo a natureza redentora do amor de Deus por Israel, Sua noiva, que Ele também trabalharia para comprar de volta (Oséias 3). 

Este ato, juntamente com a fidelidade contínua de Oséias, teria sido um notável derramamento de graça, pois a lei levítica declarava que a penalidade pelo adultério poderia ser tão severa quanto a morte (Lv 20:10). No mínimo, o adultério de Gomer teria sido tratado como uma desgraça social. 

E no que diz respeito à família, Gômer deu à luz três filhos a Oséias. Cada um com nomes tragicamente simbólicos que refletiam o temperamento de Deus, até mesmo advertindo sobre os eventos vindouros. 

Em última análise, em Oséias, descobrimos em seus escritos que é o coração de um homem que era compassivo, comprometido com seu Deus e esposa e profundamente consciente de como seu trágico casamento refletia a tragédia da infidelidade de Israel. 

Desnecessário dizer que Oséias compreendeu o coração (e desgosto) de Deus e viu o grande amor Dele através de sua própria dor pessoal. 

Sobre o que é o livro de Oséias?

Na época do ministério de Oséias, Israel havia experimentado um período de prosperidade e crescimento econômico. Por dentro, no entanto, eles se tornaram corruptos, moralmente decrépitos e adúlteros, um dos principais temas que Oséias abordou. 

Como povo, os israelitas também haviam quebrado sua aliança com Deus. Não apenas eles se entregaram à idolatria, Oséias escreve que eles também “lavraram a maldade”, “colheram a injustiça”, “comeram o fruto da mentira” e confiaram em seus próprios caminhos (Os 10:13). 

Eles se voltaram para outros deuses em busca de respostas (Oséias 4:12) e outras nações para assistência em vez de Deus (Oséias 7:11). Por causa disso, Deus decidiu intervir, enviando Oséias com um aviso. Além disso, era também um chamado ao arrependimento e um convite para retornar ao relacionamento que Deus iniciou e estava disposto e ansioso para restaurar.   

Na história de Oséias, aqui estão várias lições desse livro que vale a pena levar a sério:

Lição 1: O pecado leva à confusão, esquecimento e destruição

Entre os muitos temas de Oséias, o profeta advertiu por quase quarenta anos que o povo de Israel estava em um estado de declínio espiritual que só levaria à destruição. Infelizmente, as pessoas ficaram cegas para a realidade de sua própria morte (Oséias 4:1).

Oséias escreve: “meu povo é destruído por falta de conhecimento. Porque você rejeitou o conhecimento, eu também o rejeitarei de ser meu sacerdote. Já que você se esqueceu da lei do seu Deus, eu também me esquecerei de seus filhos”. (Oséias 4:6)

“A prostituição, o vinho e o vinho novo tiram o entendimento.” (Oséias 4:11)

“Assim, as pessoas sem entendimento estão arruinadas.” (Oséias 4:14)

Não só as pessoas se afastaram de Deus, mas também O esqueceram completamente. Eles haviam esquecido Sua fidelidade. Eles haviam esquecido Seus muitos milagres e quão bom Ele havia sido para eles durante todo o relacionamento deles (Oséias 1:8). E Eles haviam esquecido Sua lei e instruções. 

E uma vez separados de Deus e de seu primeiro amor, eles rapidamente se voltaram para seus próprios caminhos, outros deuses e outras nações (Oséias 8:4). No entanto, logo descobriram, que isso não poderiam satisfazê-los ou salvá-los (Oséias 7: 16). 

“Eles vão comer, mas não terão o suficiente; prostituir-se-ão, mas não aumentarão, porque deixaram de dar ouvidos ao Senhor”. (Oséias 4:10) 

O pecado de Israel os deixou cegos e confusos, presos em um ciclo de pecado. Pior de tudo, o pecado fez com que eles se esquecessem de seu Deus e do conhecimento de Seu amor. Como escreve Oséias, “suas obras não permitirão que retornem ao seu Deus; porque um espírito de prostituição está dentro deles, e eles não conhecem o seu Deus”. (Oséias 5:4)

Lição 2: O pecado pessoal e oculto não permanece pessoal ou oculto por muito tempo

Enquanto Deus usou profetas como Oséias para ministrar ao povo de Israel no norte, o povo do Reino do Sul também não estava imune à idolatria e à traição. 

No entanto, onde Judá era conhecido por passar por períodos de avivamento, a doença espiritual do Reino do Norte havia se espalhado muito mais rapidamente do que a de seu vizinho do sul. 

Por esta razão, Deus falou através de Oséias para advertir Israel a se arrepender, para que seu pecado não os destruísse e infectasse seus irmãos ao sul. O que inevitavelmente aconteceu (Oséias 4:15, Oséias 8:14). 

Então, qual é a conclusão da advertência de Oséias a respeito de Judá? Oséias repete isso ao longo de seu livro. O pecado oculto não fica oculto para sempre, e o pecado que achamos que podemos encobrir acabará por ser exposto (Oséias 2:10). Pecado que apodrece por dentro, cheira por fora. É um fato espiritual. 

E embora Israel fosse responsável por seu pecado, enquanto Judá seria responsável por sua própria desobediência, no entanto, as coisas que fazemos em segredo muitas vezes ferem aqueles mais próximos de nós, incluindo Deus. 

O casamento de Oséias foi a ilustração disso. O adultério de Gomer doeu mais do que apenas Gomer. Partiu o coração de Oséias também. O mesmo é verdade para Deus, que vê e sente as coisas que fazemos em segredo (Oséias 7:2).

Fidelidade de Deus - lição do livro de Oséias

Lição 3: Deus é fiel mesmo quando não somos

Ao longo do Antigo Testamento, Deus usou os profetas para alertar o povo sobre seu pecado e infidelidade. Mas com Oséias, Ele decidiu adotar uma abordagem mais pessoal, transmitindo Sua raiva e desgosto pessoal em termos que eles pudessem entender. 

Afinal, quantos entrariam em um casamento sabendo que seu cônjuge os trairia regularmente? Quantos escolheriam permanecer em um relacionamento tão unilateral e adúltero? Mas esse era o ponto. 

Quem gostaria de ser Deus ou mesmo ter força ou vontade de permanecer fiel a uma noiva tão infiel como Israel? Isso é quem Deus provou ser uma e outra vez. 

Gracioso quando foi imerecido, fiel quando Sua noiva foi infiel e amoroso quando Seu amor não foi correspondido. 

A ilustração era poderosa e proposital, tornada identificável através da experiência pessoal de Oséias. Mas como Israel (como Gomer) provou ser infiel, Deus (como Oséias) demonstraria Seu amor por Sua noiva permanecendo fiel mesmo quando ela não era. 

E quando a fidelidade e a compaixão de Deus pareciam boas demais para ser verdade, Deus lembrou ao Seu povo: “Não executarei a minha ira feroz; Não destruirei Efraim novamente. Pois eu sou Deus e não homem, o Santo no meio de vocês, e não entrarei com ira”. (Oséias 11:9)

Lição 4: Somente Deus pode redimir e restaurar

Como Oséias, Deus estava disposto a ir a extremos para comprar de volta Sua noiva (Oséias 3). Vemos isso em todo o Antigo e até no Novo Testamento. Deus persegue Sua noiva fugitiva e está ansioso para restaurar e até renovar o relacionamento. 

Em termos do evangelho, o Bom Pastor procura sua ovelha perdida. Esta foi a mensagem de Deus para Israel, que Oséias comunicou lindamente. E é o tema principal de toda a Bíblia, cumprido através da obra redentora de Cristo na cruz.

Às vezes, no entanto, muitos de nós são muito teimosos, muito medrosos ou orgulhosos demais para admitir quando precisamos de ajuda. Mas a verdade é que todos nós precisamos de resgate. E isso é uma coisa eternamente boa quando sabemos quem está vindo ao nosso encontro. Apesar do adultério espiritual de Israel, o convite de Deus era claro. 

“Portanto, volte para o seu Deus. Observa a bondade e a justiça, e espera continuamente no teu Deus”. (Oséias 12:6)

Pois Deus não apenas receberá Sua noiva perdida quando ela retornar (Oséias 2:19-20; Oséias 14:2), Oséias escreve: “Eu curarei sua apostasia, eu os amarei livremente, pois minha ira se afastou deles .” (Oséias 14:4)

Lição 5: Deus está comprometido com o bem de seu povo

O chamado de Oséias não era para os fracos de coração, mas, novamente, nenhum chamado a serviço do Rei dos Reis é. 

Jesus deixou bem claro o custo do discipulado, advertindo Seus discípulos e futuros seguidores: “se alguém quiser vir após mim, renuncie a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me” (Mateus 16:24). E, no entanto, como o apóstolo Paulo escreveu mais tarde, “e sabemos que Deus faz com que todas as coisas contribuam juntamente para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito”  (Romanos 8:28).

Israel aprenderia, através de anos de provação, fracasso e eventual cativeiro e exílio, que não há satisfação separada de Deus e nenhum amor que possa se comparar ao amor inabalável que Ele tem por Seu povo (Romanos 8:38-39). 

Oséias era leal ao seu Deus, assim como era à sua esposa, porque entendia algo sobre o coração de Deus. Deus é fiel, Deus é bom, Deus é amoroso e Deus é justo. E se Deus é fiel, bom, amoroso e justo, Seus planos para nós são os mesmos, mesmo quando não fazem sentido, não são divertidos ou não são fáceis. 

“Quem é sábio, entenda estas coisas; quem tem discernimento, que os conheça. Porque os caminhos do Senhor são retos, e os justos andarão neles, mas os transgressores neles tropeçarão”. (Oséias 14:9)

No amor de Deus, Ele perseguiu Seu povo. E no amor de Deus, Ele disciplinou Seu povo para afastá-los das coisas que os prejudicavam, de volta para Seus braços amorosos. Este é o mesmo Deus que servimos hoje, e Seu amor permanece o mesmo.

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!