Arrebatamento da Igreja: O que Significa? Será Antes ou Depois da Grande Tribulação?

A Bíblia ensina que o crente será removido da terra por Cristo antes do derramamento da ira de Deus, que precederá a segunda vinda de Cristo para reinar sobre a terra. Esse é, portanto, o Arrebatamento da Igreja.

O Arrebatamento da Igreja na Bíblia

1 Tessalonicenses 4.15-18

O arrebatamento da Igreja é um dos eventos proféticos mais empolgantes da Bíblia. Ele é ensinado em 1 Tessalonicenses 4:15-18, onde o apóstolo Paulo nos fornece os seguintes detalhes:

Dizemo-vos, pois, isto, pela palavra do Senhor: que nós, os que ficarmos vivos para a vinda do Senhor, não precederemos os que dormem. Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois nós, os que ficarmos vivos, seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, a encontrar o Senhor nos ares, e assim estaremos sempre com o Senhor. Portanto, consolai-vos uns aos outros com estas palavras.

Esta passagem das Escrituras define cinco estágios do arrebatamento:

  1. O próprio Senhor descerá do céu com alarido e com som de trombeta;
  2. Os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro;
  3. Nós que estivermos vivos e permanecermos na terra seremos “arrebatados” juntamente com eles nas nuvens;
  4. Encontraremos o Senhor;
  5. E estaremos sempre com Ele.

1 Coríntios 15:51-53

O apóstolo Paulo também revelou o que chamou de “mistério” a respeito do arrebatamento. Em 1 Coríntios 15.51-53, ele explicou que alguns crentes não dormiriam, mas os seus corpos seriam transformados.

Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados; Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados. Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade.

1 Coríntios 15:51-53

Assim acontecerá no dia do arrebatamento. Sem nenhum aviso, os corpos de todos os crentes que morreram desde o Dia do Pentecostes, de repente, se transformarão em novos corpos vivos e imortais.

Mesmo aqueles cujos corpos há muito tempo se decompuseram, ou cujas cinzas se espalharão sobre os oceanos, receberão um novo corpo. Este novo corpo se reunirá com o espírito da pessoa, que Jesus trará consigo.

Então os corpos daqueles que igualmente aceitaram a Cristo como o Salvador, serão transformados em novos corpos. Juntos, todos os crentes serão transportados subitamente aos céus para encontrarem o Senhor.

Aqueles que estiverem vivos e rejeitaram a salvação de Jesus Cristo permanecerão para trás, na terra, e testemunharão um evento miraculoso de proporções espantosas, o repentino desaparecimento em massa de milhões e milhões de pessoas da face da terra.

Arrebatamento da Igreja, a Bem-Aventurança

O arrebatamento é frequentemente referido como “a bem-aventurada esperança” (Tt 2.13), porque concede segurança aos crentes que estão preocupados com a Tribulação. E oferece consolação aos que anseiam reunir-se com os seus entes queridos que partiram, compartilhando a mesma fé em Cristo.

As mais de trezentas referências bíblicas à segunda vinda de Cristo claramente mostram que a sua volta possui duas fases distintas.

Na primeira fase, Ele virá de repente para arrebatar a sua Igreja nos ares e levar todos os crentes para a casa do seu Pai, em cumprimento à promessa em João 14.1-3. Ali, eles comparecerão ante o Tribunal de Cristo (2 Co 5.8-10).

Enquanto os crentes estiverem no céu, aqueles deixados para trás na terra sofrerão as angústias de sete anos da Tribulação.

Na segunda fase da segunda vinda de Jesus (a manifestação da glória), Ele voltará à terra em poder e grande glória para estabelecer o seu reino milenar. Toda a segunda vinda tem sido comparada a uma peça em dois atos com um intervalo de sete anos (a Tribulação).

O apóstolo Paulo faz distinção entre as duas fases em Tito 2.13, onde se refere ao arrebatamento como “a bem-aventurada esperança” e a volta de Cristo à terra como “o aparecimento” da glória.

O que significa Arrebatamento?

A palavra “arrebatamento” vem da palavra latina raptus, que as Bíblias latinas traduzem como a palavra grega harpazõ, usada catorze vezes no Novo Testamento.

A ideia básica é “remover ou arrebatar repentinamente”. E uma palavra usada pelos escritores do Novo Testamento em referência a roubo ou saque ou remoção. Veja algumas referências:

  • Mateus 11:12
  • Mateus 12:29
  • João 10:12,28-29
  • Mateus 13:19
  • João 6:15
  • Atos 8:39

O Novo Testamento emprega um terceiro uso, cujo enfoque aponta para o fato de sermos levados para o céu. A palavra descreve a experiência do “terceiro céu” de Paulo (2 Co 12.2, 4) e a ascensão de Cristo ao céu (Ap 12.5).

Obviamente, harpazõ é a palavra perfeita para descrever Deus repentinamente tomando a Igreja da terra e levando para o céu na primeira parte da segunda vinda de Cristo.

O arrebatamento da igreja será antes ou depois da Grande Tribulação?

A Igreja Não Está na Terra em Apocalipse 4-18

O termo comum do Novo Testamento para “igreja” (gr.: ekklêsia) aparece dezenove vezes em Apocalipse 1-3, e trata da igreja histórica do século I.

No entanto, Apocalipse usa igreja mais uma vez no final do livro (22.16), onde João volta a dirigir-se à igreja do século I. Mais interessante é o fato de que em nenhuma passagem durante o período da Tribulação o termo igreja se usa em referência aos crentes na terra.

A mudança de João destas instruções detalhadas à igreja para um absoluto silêncio a respeito desta por muitos capítulos seria impressionante e totalmente inesperada, se de fato a Igreja continuasse na terra durante a Tribulação.

Se a Igreja fosse passar pela Tribulação (a septuagésima semana de Dn 9), então certamente o estudo mais detalhado dos eventos da Tribulação incluiria instruções para a Igreja, o que
não ocorre.

A única explicação para esta frequente menção à Igreja em Apocalipse 1-3 e a total ausência desta na terra até Apocalipse 22.16 é um arrebatamento pré-tribulacional, que irá transferir a Igreja da terra para o céu antes da Tribulação.

Um Arrebatamento Depois da Grande Tribulação é Incoerente

Se Deus preservar miraculosamente a Igreja durante a Tribulação, por que haveria um arrebatamento? Se é para evitar a ira de Deus no Armagedom, então por que Deus não continuaria protegendo os santos na terra assim como Ele protegeu Israel da sua ira derramada sobre o Faraó e o Egito?

Além disso, se o propósito do arrebatamento é para que os santos vivos evitem o Armagedom, por que também ressuscitar os santos ao mesmo tempo?

Se o arrebatamento ocorresse após a tribulação com a manifestação da glória do nosso Senhor, a subsequente separação entre ovelhas e bodes (Mt 25.31-46) seria redundante. A separação ocorreria no mesmo ato da trasladação.

Se todos os crentes da era da Tribulação forem arrebatados e glorificados após a Tribulação e exatamente antes do início do reino milenar, quem então restará para povoar e propagar o reino? As Escrituras indicam que Deus julgará os descrentes vivos no final da Tribulação e os removerá da terra (veja Mt 13.41-42; 25.41).

No entanto, elas também ensinam que as crianças nascerão dos crentes durante o Milênio, e que estas crianças serão capazes de pecar (Is 65.20; A p 20.7-10). Isto não seria possível se todos os crentes na terra fossem glorificados através de um arrebatamento depois da tribulação.

Um arrebatamento após a tribulação e o suposto retorno imediato da Igreja à terra não deixa tempo para o bema Tribunal de Cristo (1 Co 3.10-15; 2 Co 5.10). Por estas razões, um arrebatamento depois da tribulação não faz sentido .

Um arrebatamento pré-tribulacional, ao contrário, não nos deixa com estas dificuldades insuperáveis.

A Tribulação Não é Iminente

Por todas as epístolas, Deus deixou muitas instruções para a Igreja, entre elas, advertências. Mas não recebem avisos sobre se prepararem para passar pela Tribulação (a septuagésima semana de Daniel).

A Bíblia adverte vigorosamente a respeito do erro futuro e dos falsos profetas que virão e contra a vida ímpia. E a perseverarem em meio à tribulação atual.

No entanto, o Novo Testamento cala-se absolutamente a respeito da Igreja se preparar para a Tribulação, como descrito em Apocalipse 6-18.

As Escrituras certamente não silenciariam sobre este período de tempo importante e traumático para a Igreja. Se o arrebatamento fosse ocorrer em parte durante ou no final da Tribulação, seria de esperar que as epístolas ensinassem a presença, o propósito, e a conduta da Igreja durante o período. No entanto, não encontram os absolutamente nada deste ensino.

Apenas um arrebatamento que leva a Igreja da terra para o céu antes da Tribulação explica satisfatoriamente a falta de tais instruções.

O Arrebatamento e a Volta

Uma comparação do arrebatamento com a manifestação da glória revela pelo menos oito contrastes ou diferenças significativas, que exigem que o arrebatamento ocorra em um tempo significativamente diferente da manifestação da glória:

  1. No arrebatamento, Cristo vem nos ares e volta para o céu (1 Ts 4.17). Na manifestação da glória, Cristo vem para a terra para habitar e reinar (Mt 25.31-32).
  2. No arrebatamento, Cristo reúne os seus (1 Ts 4.16-17). Na manifestação da glória, os anjos reúnem os eleitos (Mt 24.31).
  3. No arrebatamento, Cristo vem para dar o galardão (1 Ts 4.17). Na manifestação da glória, Ele vem para julgar (Mt 25.31-46).
  4. No arrebatamento, a ressurreição é proeminente (1 Ts 4.15-16). Na manifestação da glória, a ressurreição não se menciona.
  5. No arrebatamento, os crentes deixam a terra (l Ts 4.15-17). Na manifestação da glória, os incrédulos são levados da terra (Mt 24-37-41).
  6. No arrebatamento, os incrédulos permanecem na terra. Na manifestação da glória, os crentes permanecem na terra (Mt 25.34).
  7. O reino de Cristo na terra não aparece no arrebatamento. Na manifestação da glória, Cristo vem para estabelecer o seu reino na terra (Mt 25.31,34).
  8. No arrebatamento, os crentes receberão corpos glorificados (1 Co 15.51-57). Na manifestação da glória, os sobreviventes não receberão corpos glorificados.

Conclusão sobre Arrebatamento da Igreja na Bíblia

Arrebatamento da Igreja, é, portanto, Deus repentinamente tomando a Igreja da terra e levando para o céu na primeira parte da segunda vinda de Cristo.

Botão Voltar ao topo