Quem são os 24 anciãos em Apocalipse? Quais suas Funções?

Os 24 anciãos aparecem em Apocalipse 4:4,10-11; 5:8-10 e 19:4. Nesse estudo vamos descobrir quem são os 24 anciãos em Apocalipse e suas Funções?

Quem são os 24 anciãos em Apocalipse? Quais suas Funções?

Onde aparecem os 24 anciãos em Apocalipse?

1. Eles fazem parte da visão de João sobre o futuro, a que ele anuncia em 1:19 e começa a descrever em 4:1

2. Em 4:4, os anciãos estão assentados sobre tronos ao redor de outro trono maior.

“E ao redor do trono havia vinte e quatro tronosvi assentados sobre os tronos vinte e quatro anciãos vestidos de vestes brancas; e tinham sobre suas cabeças coroas de ouro.”

3. Eles trazem vestes brancas e usam coroas de ouro.

4. Em 4:10-11, prostram-se no chão adorando o Cordeiro e oferecendo-lhe suas coroas.

10 Os vinte e quatro anciãos prostravam-se diante do que estava assentado sobre o trono, e adoravam o que vive para todo o sempre; e lançavam as suas coroas diante do trono, dizendo: 11 Digno és, Senhor, de receber glória, e honra, e poder; porque tu criaste todas as coisas, e por tua vontade são e foram criadas.”

5. Em 5:8-10, eles trazem harpas e prostram-se adorando o Cordeiro e entoando louvores.

8 E, havendo tomado o livro, os quatro animais e os vinte e quatro anciãos prostraram-se diante do Cordeiro, tendo todos eles harpas e salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos. 9 E cantavam um novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro, e de abrir os seus selos; porque foste morto, e com o teu sangue compraste para Deus homens de toda a tribo, e língua, e povo, e nação; 10 E para o nosso Deus os fizeste reis e sacerdotes; e eles reinarão sobre a terra.”

6. Em 19:4 descem de seus tronos e prostram-se para adorar a Deus, que está assentado sobre o trono maior.

“E os vinte e quatro anciãos, e os quatro animais, prostraram-se e adoraram a Deus, que estava assentado no trono, dizendo: Amém. Aleluia!”

Estes anciãos estão portanto, no céu durante a Grande Tribulação e, a cada juízo de Deus, reagem com manifestações de adoração.

A FUNÇÃO DOS 24 ANCIÃOS

Em Apocalipse 5.8-10, os 24 anciãos, entre outras coisas, tinham “[…] salvas de ouro cheias de incenso, que são as orações dos santos”.

Esta cena celestial representa a importância das orações na terra, mormente durante a Grande Tribulação.

“O papel dos anciãos parece ser o de demonstrar solidariedade, não o de mediar as orações feitas na terra”.

O simbolismo das salvas de incenso, que representam as orações dos crentes, assemelha-se às palavras de Davi em Salmos 141:2 que diz:

“Suba a minha oração perante a tua face como incenso, e seja o levantar das minhas mãos como o sacrifício da tarde”.

João não identifica quem os anciãos representam de forma específica.

As duas principais visões quanto a sua identidade são subdivididas em três variações cada uma:

A primeira visão defende que eles representam pessoas. Tais pessoas poderiam ser o povo de Israel (santos do Antigo Testamento) ou pessoas da Igreja, ou ambas.

A segunda visão afirma tratar-se de seres angelicais, que representam ordens sacerdotais veterotestamentárias ou um tipo específico de anjo ou uma ordem angelical especial.

A ideia de que representam outros grupos combina com o que lemos no Antigo Testamento, onde o sacerdócio era representado por 24 ordens sacerdotais, cada qual sendo representada por um sacerdote.

Da mesma forma, os 24 anciãos representam outras pessoas.

Os anciãos envergam coroas de vitória e não coroas que simbolizam autoridade para governar, apesar de Apocalipse mencionar os dois tipos.

E importante observar que os anciãos traziam suas coroas, ou seja, já tinham alcançado vitória.

IDENTIFICAÇÃO DOS ANCIÃOS

A identificação dos 24 anciãos faz uma grande diferença na visão que se pode ter do arrebatamento da Igreja.

Se os 24 anciãos representam os crentes da era da Igreja, e se seu número representa a completude do corpo de Cristo no céu, podemos concluir que a Igreja não passará pela Grande Tribulação, mas estará no céu durante este período.

Em Apocalipse 4, lemos o seguinte a respeito deste grupo específico:

(1) Eles são chamados “anciãos”;

(2) Estão sentados em 24 tronos;

(3) Trazem vestes brancas;

(4) E usam coroas de ouro.

Quem são os Anciãos no contexto bíblico

Tanto no contexto cristão como no judaico, a palavra “anciãos” está relacionada à liderança da congregação.

São eles que tomam as decisões e exercem autoridade sobre o povo de Deus.

São responsáveis por representar o povo diante de Deus e executar a vontade divina em meio ao povo.

Na história de Israel, os sacerdotes tiveram um importante papel na adoração do povo e no relacionamento da nação com Deus.

Na Igreja do Novo Testamento, todos os crentes são “sacerdotes”, e a liderança está nas mãos dos “anciãos”.

Muito provavelmente, a referência de Apocalipse aos “anciãos” alude à liderança da Igreja e não à liderança da nação de Israel.

Isto parece ser corroborado pelo fato de a primeira ocorrência do termo vir logo após as cartas às sete igrejas.

Israel não fazia parte desta visão, apesar de seu papel ativo mais adiante no livro.

Em Apocalipse 7, temos uma importante pista quanto à identidade dos anciãos. Um deles pergunta sobre quem é a grande multidão que vem da Grande Tribulação.

Naturalmente, esta multidão não pode ser identificada com os 24 anciãos.

Além disso, “todos os anjos” são distinguidos dos anciãos em Apocalipse 7:11, de modo que os anciãos não podem estar relacionados a anjos.

O SIMBOLISMO DO NÚMERO DE ANCIÃOS

Os 24 anciãos muito provavelmente não representam toda a nação de Israel, pois Apocalipse 7 fala sobre 144.000 judeus na terra durante a Grande Tribulação, e Apocalipse 12 fala sobre a perseguição de Satanás contra a nação durante este mesmo período.

O único grupo completo de criaturas de Deus omitido nesta passagem (Israel, anjos e a multidão que vem da Grande Tribulação são mencionados) é a Igreja.

Não há nada sobre a Igreja estar na terra durante este período. À igreja em Filadélfia, o Senhor prometeu:

“Como guardaste a palavra da minha paciência, também eu te guardarei da hora da tentação que há de vir sobre todo o mundo, para tentar os que habitam na terra” (Apocalipse 3:10).

Será, porém, que o número 24 indica um corpo completo?

A Bíblia é a melhor fonte de informações para compreendermos suas passagens, seus versículos e suas palavras.

O número 24 alude a mais alguma coisa?

Em 1 Crônicas 24, encontram os uma lista das divisões de sacerdotes que descendem de Arão.

Um de seus filhos, Eleazar, originou dezesseis “cabeças” de famílias de sacerdotes, enquanto seu outro filho, Itamar, teve oito.

Os versículos 7-18 enumeram cada uma das 24 divisões e deixam claro que, no serviço do Templo, eles deviam respeitar a ordem desta listagem.

Em 1 Crônicas 25, Davi organiza os músicos de forma semelhante.

Aqueles que eram músicos sobremodo talentosos somavam 288.

Seu período de serviço no Templo era baseado na ordem listada nos versículos 9-31, que incluía 24 divisões de músicos relacionadas às 24 divisões de sacerdotes.

O número 24, quando utilizado em relação a sacerdotes e músicos, representa toda a nação de Israel.

Não seria mera especulação, portanto, sugerir que os 24 anciãos representam um corpo completo de pessoas
no céu, enquanto a Grande Tribulação tem lugar na terra.

Daniel 12:1-3 apresenta de forma clara a ressurreição dos crentes do Antigo Testamento ao fim do período da Grande Tribulação.

Além disso, aqueles que vierem a crer na Tribulação, sendo mortos, ressuscitarão ao fim do período.

Tudo isso agrava o problema dos 24 anciãos no céu durante a Grande Tribulação na terra, pois eles trazem vestes brancas, indicando que sua ressurreição já ocorreu.

Talvez a pista mais importante para identificação destes anciãos seja a descrição encontrada em Apocalipse 4:4.

Como observam os anteriormente, eles trazem vestes brancas e coroas de ouro.

Como é fascinante ler nas cartas às sete igrejas que estas são as promessas para aqueles que vencerem:

  • Sentarão em tronos (Apocalipse 3:21);
  • Irão trajar vestes brancas (Apocalipse 3:5);
  • Usarão coroas de ouro (Apocalipse 2:10).

Se Apocalipse 4.4 retrata um tempo anterior ou contemporâneo à Grande Tribulação, é improvável que os anciãos
representem anjos, pois o julgamento destes ocorrerá ao fim do Milênio (Mateus 25.41; 2 Pedro 2.4; Judas 6).

A interpretação de que os anciãos representam santos de todas as eras é também pouco provável, pois o julgamento dos santos do Antigo Testamento ocorre apenas após o término da Grande Tribulação, com a segunda vinda de Cristo (Daniel 12:1-3).

Somente a Igreja, que terá sido arrebatada e estará sendo recompensada, envergará, neste momento da história, coroas de honra e vitória (1 Coríntios 3:10-15; 2 Coríntios 5:10).

Isto significaria que os anciãos representam os crentes da era da Igreja.

Conclusão

Chegamos, portanto, à conclusão de que os 24 anciãos representam o corpo completo de Cristo, a Igreja, incluindo todos os crentes, quer judeus, quer gentios, desde o Dia de Pentecostes (Atos 2) até o arrebatamento da Igreja (simbolizado por Apocalipse 4:1 e claramente precedendo a Grande Tribulação).

Referência (Enciclopédia Popular de Profecias Bíblicas).

Veja mais Estudos sobre Escatologia aqui.

Botão Voltar ao topo