Quais são as Dez pragas do Egito e o Significado de cada uma delas?

As Dez pragas enviadas por Deus ao Egito por meio de Moisés, teve o objetivo de confrontar as dez principais divindades veneradas pelos egípcios e revelar o Único Deus verdadeiro na terra.

O propósito de Deus ao enviar as dez pragas sobre o Egito era convencer Faraó a libertar os hebreus e permitir que eles adorassem a Deus.

Qual o livro da Bíblia que fala sobre as dez pragas do Egito?

Êxodo. As 10 pragas podem ser encontradas na Bíblia de Êxodo 7:14 a Êxodo 12:36.

Quais são as dez pragas do Egito?

  1. A praga do sangue (o Nilo se transforma em sangue)
  2. A praga das rãs
  3. Praga dos Piolhos ou mosquitos
  4. A Praga das Moscas
  5. Peste nos animais
  6. Praga das Úlceras
  7. Praga da Chuva de pedras (Saraiva)
  8. A praga dos gafanhotos
  9. Escuridão (trevas)
  10. Morte dos primogênitos

Vejamos então a seguir quais são as dez pragas do Egito e o que cada uma delas significava:

1. A praga do sangue (o Nilo se transforma em sangue)

Na primeira praga Deus feriu o rio Nilo, venerado pelos egípcios que tinham as suas águas como sagradas.

primeira-praga-do-egito

O rio Nilo é o maior rio do mundo, estendendo-se por cerca de 6.500 km.

Sua bacia hidrográfica é de 2.978.500 km2, servindo cerca de 9 países, desde a região central de Uganda, na África, até o mar Mediterrâneo.

Nesta praga o “EU SOU O QUE SOU” (Êxodo 3.14), mostrou sua Soberania como o Criador do maior rio do mundo, podendo então fazer nele o que quiser.

as dez pragas do egito - deus hapi

Foi, portanto, um golpe de Jeová contra “Hapi”, o deus das inundações do Nilo.

2. A praga das rãs

Na segunda praga, Deus tornou nojenta aos egípcios as rãs, tidas pelos egípcios como sagradas.

praga das rãs

As rãs aparecem regularmente em abundância na metade do mês de dezembro, quando as águas do Nilo baixavam e eram para os egípcios símbolo de fertilidade.

Nesta praga, Deus desferiu um golpe no deus “ecte”, usando tais criaturas idolatradas pelos egípcios, tornando-as odiosas para eles, cujas casas foram invadidas por tais répteis nojentos.

3. Praga dos Piolhos ou mosquitos

Na terceira praga, Deus transforma o pó da terra, considerado sagrado no Egito, em piolhos.

praga dos piolhos

A partir desta praga os “magos” começaram a reconhecer a impotência de seus deuses, diante do “dedo” do verdadeiro Deus da terra (Êxodo 8.19).

Foi um golpe de Deus contra os “principados e potestades do Egito” que manipulavam os magos “Janes e Jambres” para resistirem a Moisés (2 Timóteo 3.8), imitando o poder de Deus (Êx 7.11-12,22; 8.7, 18, 19).

4. A Praga das Moscas

Na quarta praga, Deus convoca um enxame de moscas sobre a terra do Egito, a exceção da terra de Gósen, numa clara demonstração de seu Senhorio no meio da terra do Egito (Êxodo 8.22-24).

as dez pragas no egito-moscas

Nesta praga, Deus desferiu um golpe em Zebube, o “senhor das moscas”.

Ficou bem claro para os egípcios a impotência do “senhor das moscas” em invadir a terra de Gósen, onde residia o povo do verdadeiro Senhor da terra do Egito (Êxodo 8.22).

5. Peste nos animais

Na quinta praga, Deus fere com pestilência os animais, tidos como sagrados para os egípcios.

as 10 pragas - pestes nos animais

No Egito eram adorados diversos deuses que tinham a forma de animais:

  • Amom- o deus adorado em todo o Egito, era um carneiro;
  • Ápio- também adorado em todo o Egito, era um “touro”.

Nesta praga, o Deus vivo de Israel demonstra aos egípcios que tais “divindades” em forma de animais não poderiam livrar-se a si mesmas, quanto menos a eles (Êxodo 9.1-7).

6. Praga das Úlceras

as dez pragas do egito - úlceras

Na sexta praga, Deus fere os homens, os animais e principalmente os magos com úlceras, numa clara demonstração de impotência daqueles feiticeiros e seus deuses, diante da potente e poderosa mão do Senhor. (Êxodo 9.8-11).

7. Praga da Chuva de pedras (Saraiva)

Na sétima praga, o Senhor Deus envia trovões, chuvas de pedras e fogo sobre a terra do Egito.

setima praga-chuvas granizos

Uma demonstração poderosa de seu domínio sobre os fenômenos físicos da natureza, cujo poder os egípcios atribuíam aos deuses astronômicos: “She e ”, que eram venerados por eles.

Os egípcios que obedeceram e temeram o Deus de Israel conseguiram salvar seu gado e suas vidas, reconhecendo que só havia livramento por parte do verdadeiro Senhor que fez os céus e a terra (Êxodo 9.13-26).

8. A praga dos gafanhotos

Na oitava praga, Deus envia um exército de gafanhotos para consumir a vegetação que havia sobrado da tempestade de saraiva.

as dez pragas no egito - gafanhotos

Os egípcios veneravam os deuses, Ísis e Seráfis que supostamente protegiam o Egito dos gafanhotos.

Mas, nesta praga, tais “divindades” foram impotentes diante do golpe desferido pelo Deus verdadeiro (Êxodo 10.12-19).

9. Escuridão (trevas)

Na nona praga, Deus envia trevas sobre a terra do Egito, num duro golpe contra o “deus sol” (She) e a “deusa lua” (Rah), que se mostraram impotentes diante daquele que fez o sol para governar o dia e a lua para presidirem a noite (Sl 136.2-9).

nona praga no egito - escuridão

O deus sol e a deusa lua não conseguiram impedir a escuridão enviadas por três dias sobre a terra do Egito.

Enquanto isso, os filhos de Israel tinham luz nas suas habitações (Êx 10.21-23).

10. Morte dos primogênitos

Na décima praga, Deus fere todos os primogênitos egípcios, inclusive o primogênito de Faraó que se dizia “imortal” (Êx 12.29-30).

os-dez-mandamentos-morte-primogenitos-decima-praga

Faraó, quando se encontrou com Moisés pela primeira vez, perguntou de forma sarcástica:

“Quem é o senhor para que lhe ouça eu a voz, e deixe ir Israel? Não conheço o Senhor, nem tão pouco deixarei ir Israel” (Êx 5.2).

No Egito, Faraó era divinizado como “senhor e deus”.

Nesta última praga, Faraó se encontrou desmontado e debilitado diante do seu primogênito morto, e, agora passa a conhecer quem é o Verdadeiro Senhor e Deus de toda a terra (Êxodo 12.30-32).

Os faraós que eram tidos pelos egípcios como imortais, agora descobrem que os faraós não passam de homens frágeis e mortais como qualquer outra pessoa.

Portanto, somente o Senhor é Deus no meio da terra (Êxodo 8.22).

Como a história das dez pragas se aplica a nós hoje?

Há algumas lições para aprendermos na história das 10 pragas. Em vários pontos, podemos desempenhar o papel de faraó e, em outras ocasiões, somos os hebreus que precisam de libertação.

Em ambos os casos, é útil lembrarmos que Deus é poderoso e misericordioso. Não devemos ser tão arrogantes a ponto de ser necessária a devastação para provocar nosso arrependimento.

Há também uma mensagem nisso para confiarmos no Deus que está nos resgatando. Há momentos em que Deus está no estágio de “água transformada em sangue” de nosso resgate, e nós preferimos que ele esteja em um estágio posterior, quando estamos atravessando um mar aberto com nossos inimigos no espelho retrovisor. Mas fazemos bem em confiar em Deus e no tempo de Deus. Ele se mostrou fiel várias vezes.

Lições sobre as Dez Pragas na visão de um Especialista

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!