12 Características de um Relacionamento Abusivo

“Meu namorado está com ciúmes. Ele fica furioso quando eu não deixo meus amigos e não passo todo o meu tempo livre com ele!” a mulher chorando compartilhou comigo. 

“Fiquei tão emocionada por ter um namorado dedicado que ignorei os sinais de abuso. Eu me convenci de que ele me amava e que as coisas iriam melhorar com o tempo. Eu estava errada – completamente errada.”

Frequentemente ouvimos esse clamor de homens e mulheres que estão em relacionamentos abusivos. Os cristãos muitas vezes acreditam que violência doméstica, abuso e manipulação não ocorrem dentro da igreja, mas nada poderia estar mais longe da verdade.

Vamos usar a perspectiva feminina para facilitar a leitura e também porque normalmente é mais comum, entre as mulheres; no entanto, é essencial observar que tanto os agressores masculinos quanto femininos podem apresentar esses padrões. 

Às vezes os homens são retratados como sádicos, mas as mulheres podem ser igualmente perigosas. Para ser claro, eu entendo perfeitamente – e concordo – que uma mulher pode ser tão abusiva quanto um homem. Com isso, separamos as 12 características mais comum de um relacionamento abusivo.

Relacionamento Abusivo: Aqui estão 12 características que os abusadores geralmente exibem

1. Charmoso

Ele rapidamente esbanja sua mais nova vítima com presentes, elogios e atenção. Ela imediatamente se tornou seu mundo inteiro. Ele instantaneamente pressiona por um relacionamento exclusivo, usando frases como “Eu não posso viver sem você”.

A razão pela qual tantas pessoas caem na armadilha de um abusador é porque a ternura e a atenção parecem amorosas e parecem ser o romance que vemos nos filmes. Mesmo quando lhe dizem “acho que estamos indo rápido demais” ou “não estou pronto para esse tipo de compromisso”, o agressor insiste continuamente. 

Eventualmente, seus comentários se transformam em: “Se eu não puder ter você, vou me matar. Isto é o quanto eu te amo. A vida não vale a pena ser vivida sem você.” 

Esses comentários são um sinal de alerta imediato, de perigo extremo. Corra, corra!

2. Ciumento

O agressor vê todas as outras pessoas e associações como uma ameaça ao relacionamento. Isso inclui pais, irmãos, familiares, amigos, colegas de trabalho e conhecidos. Ele implacavelmente acusa você de flertar, trapacear e cobiçar os outros. As antigas qualidades amorosas se transformaram em qualidades possessivas.

Frases comuns como “eu sei que você está tendo um caso”, “preciso verificar seu telefone”, “preciso de suas senhas” e “eu te amo tanto, é por isso que estou com ciúmes” são indicadores claros de que a preocupação não é saudável ou sábia; é uma obsessão. O tempo todo nesse relacionamento abusivo, a vítima tenta desesperadamente provar que é fiel, mas nada funciona.

Nenhuma quantidade de verificação de fidelidade é suficiente para o agressor, e a ironia é que o agressor normalmente é o trapaceiro. Ele descobriu como usar as acusações e alegações em um esforço tortuoso para desviar a infidelidade dele e para ela. Os abusadores são muitas vezes muito inteligentes e astutos.

3. Manipulativo

Abuso e manipulação quase sempre andam de mãos dadas. Os agressores caçam a área de fraqueza de suas presas e a usam como uma arma engenhosa de destruição em massa para controlar e humilhar a vítima. 

Como uma estaca no coração, ele reclama: “Você é tão gordo e feio, agora eu sei por que sua mãe o deixou”.

“Não é à toa que você foi abusado sexualmente quando criança, você é tão estúpido quanto eles. Isso foi a sua culpa,”

“Deus te odeia porque você fez um aborto”, “Você não pode me deixar, ninguém mais aturaria um idiota nojento como você”

“Eu apenas fingi te amar para que você dormisse comigo, e você é tão desmiolado que se apaixonou por isso. Há!”  

A enxurrada contínua de abuso verbal e insultos cruéis acaba cobrando seu preço. A vítima começa a acreditar nas mentiras hediondos ditas sobre eles. Eventualmente encolhendo sob o chicote verbal da vergonha, medo e culpa, a vítima não tem mais forças para pedir ajuda ou dizer: “Chega!” 

4. Um Relacionamento Abusivo é Controlador

Verificar constantemente o paradeiro da vítima é um traço comum para o agressor. Ele quer controlar cada aspecto de sua vida. Isso inclui finanças, empregos, onde passam as férias, como as crianças são criadas, onde passam as férias, tudo. 

Tudo é feito sob o disfarce de “amor”: “verifico a quilometragem do seu carro para saber onde você está”, “não quero que você vá à academia porque pode conhecer outra pessoa”, “vi uma mensagem de texto de Susan. Eu sei que ele é seu chefe, mas ele é muito insistente. Eu não quero que você aprenda a agir dessa maneira, então eu mandei uma resposta para ele dizendo que eu não quero que ele mande mais mensagens para você.” “Por que você está ligando para o seu ex-marido? Você não precisa falar com ele sobre nada. Eu sou o homem da casa aqui.” “A Bíblia diz que os casais devem fazer muito sexo. Só porque você não se sente bem não é uma desculpa.” 

A princípio, a vítima sente que este é um relacionamento abusivo. À medida que as críticas e restrições aumentam, ela começa a se questionar e se convence de que os comandos, regulamentos e monitores arrogantes são amorosos. 

Ela trabalha cada vez mais para fazê-lo feliz. Ela mantém a casa limpa e arrasta as crianças para seus quartos para acalmá-las quando ele está por perto. A pornografia que ela sabe que é pecado é infligida ao casamento e ao quarto deles como uma coisa boa, se ela realmente o ama. 

5. Uma vítima

Um abusador não assume nenhuma responsabilidade por suas más escolhas. Ele NUNCA tem culpa – por nada. Todos os outros são culpados. Não há auto-reflexão ou insight sobre suas más escolhas e como elas levam a sérias consequências. 

Quando ele perde o emprego, o chefe é muito exigente, ou, ele entra em uma briga, ele foi provocado. Quando ele dá um soco na esposa, ele diz: “Se você calasse a boca, eu não teria que bater em você. Você me obriga a fazer isso.” Quando ele luta contra o vício em álcool ou drogas, é “Eu bebo porque você me estressa”. Quando ele está muito endividado devido a seus gastos excessivos, é “Eu não quero todas essas coisas boas, mas tenho que comprá-las para mantê-lo feliz”. 

O agressor se rebaixará a qualquer nível para ter certeza de que parece ser o sofredor do sacrifício. Se os outros fizessem o que ele quer, como ele quer e quando ele quer, tudo ficaria bem. É semelhante ao comportamento de uma criança de dois anos. 

6. Narcisista, uma característica comum em um relacionamento abusivo

Essa palavra narcisista, tem sido muito usada nos últimos anos. O dicionário, o define como “uma pessoa excessivamente egocêntrica e muitas vezes vaidosa e egoísta, ou, uma pessoa que sofre de derivar gratificação erótica da admiração de seus próprios atributos físicos ou mentais.” Versão curta: “É tudo sobre mim.” 

O mundo inteiro deve girar em torno desse homem e de suas necessidades, reais ou percebidas. Ninguém mais importa, e eles ficam furiosos quando alguém tenta mudar o foco. Uma característica particularmente destrutiva que acompanha um narcisista é que ele fica encantado quando sua vítima “pisa em ovos”. Este é o epítome de seu egocentrismo. 

“Você sabe que eu estou assistindo o jogo, por que você não pode manter essas crianças quietas?” “Eu trabalhei duro o dia todo enquanto você se senta no seu traseiro em um hospital, sem fazer nada além de flertar com os médicos. Por que você não pode ter uma refeição decente na mesa?” “Você esteve no telefone com sua irmã de novo? Porque sua atitude é nojenta.” O agressor adora quando aqueles ao seu redor vivem com medo de sua próxima explosão.

7. Inconsistente

Mudanças de humor são um traço comum para um agressor. Um minuto ele está feliz e doce, no próximo ele está fazendo birra. Hoje, esse cara é frequentemente rotulado erroneamente como bipolar. Algumas dessas pessoas são bipolares e precisam de medicação, mas muitas não são. Eles são apenas abusadores que se rotulam com um diagnóstico médico que fornece uma desculpa fácil. Isso é muito mais simples do que resolver o problema real.   

Ontem, servir-lhe uma sopa para o jantar foi ótimo. Hoje, a mesma refeição provoca um desabafo de que você o está acusando de não ganhar dinheiro suficiente. Ontem, ele disse docemente: “Vá fazer suas unhas”. Hoje, depois de nova manicure, ele acusa você de gastar todo o seu dinheiro suado. Ontem, seu filho era um gênio. Hoje, ele diz a ele: “Se você tivesse um cérebro, seria perigoso”. Ontem, sua filha parecia “Barbbie”. Hoje, com o mesmo tipo de roupa, ele grita com ela: “Você se veste como uma vagabunda, igual a sua mãe”. Nunca acaba.  

Muitas das pessoas na academia ou restaurante que ele frequenta rotulariam seu agressor como um tipo de cara “adorável, engraçado e de bom coração”. Eles nunca acreditariam que ele poderia ser nada além de encantador, porque ele tem a capacidade de usar uma máscara apertada na frente daqueles que deseja impressionar. 

Uma vez que não é mais necessário para suas intenções, a máscara sai. Uma verdadeira pessoa bipolar precisa de medicação para controlar esses pensamentos e mudanças de humor. Ele ou ela muitas vezes não pode funcionar normalmente sem eles; o agressor, no entanto, escolhe inconsistências.  

8. Crítico

Agredir verbalmente os outros é um modo de vida para o agressor, e sua necessidade de condescender com as pessoas em sua vida é irrestrita. Por baixo de toda a condenação geralmente reside um medo que canta: “Vou pegar você antes que você me pegue”. Para esse abusador, cortar as pessoas é o que o eleva. 

“Se você tivesse o cérebro para obter uma educação melhor, poderia ser alguma coisa agora. Você nunca será nada”, “Eu deveria ter ouvido minha mãe e me casado com outra pessoa”, “Você não pode fazer nada certo”.   

Essa pessoa encontra a vida com seus duques erguidos e sua língua afiada. Não é incomum que um agressor tenha sido menosprezado, molestado, abandonado, espancado ou severamente criticado em sua juventude. Eles aprenderam a sobreviver humilhando os outros. Condenar, zombar e envergonhar são mecanismos de defesa. Jamais aceitam que estão colocando o seu conjuge em um relacionamento abusivo.

Embora possamos ter compaixão em relação às razões pelas quais eles se tornaram tão críticos, isso não é uma desculpa. Como um adulto, eles devem aprender a formar novos métodos de lidar com a vida. Se eles se renderam a Jesus, o Espírito Santo está mais do que disposto a ajudar. 

9. Desconectado

O isolamento da família e dos amigos é um objetivo fundamental para o agressor porque força a vítima à submissão total. Ele sabe que pode colocar você sob seu controle. Sua família provavelmente apontará a maneira como ele trata você e seus filhos; portanto, removê-lo da influência deles é o objetivo dele. Ele quer que a vítima pense que os outros são o problema – não ele. Ele é aquele que realmente te ama, te conhece e se importa. Eles têm um motivo oculto. 

 “Sua família causa muitos problemas para nós. Eu não quero que você os veja mais” e “Como você pode ficar do lado deles depois de tudo que eu fiz por você? Você sabe que eu sou o único que realmente te ama”, são as frases mais usadas. 

Se ele pode criar um muro entre sua vítima e o resto do mundo, sua presa se sente presa. O agressor é seu único provedor, e ela começa a acreditar que realmente não pode sobreviver sem ele. Existem muitas histórias de mulheres que foram abusadas a ponto de estarem a um centímetro da morte, e elas ainda não contam a ninguém.

Normalmente, em um relacionamento abusivo, as crianças também são mantidas em isolamento. Ele quer que eles sejam educados em casa, se possível, e se eles frequentam a escola pública, eles não têm permissão para trazer amigos para casa. Medo, solidão e reclusão fazem sua mágica para manter a mulher e sua família sob seu controle. 

10. Hipersensível

 A menor ofensa deixa o agressor furioso. Outros estão sempre “fora para pegá-lo”. Essa característica permite que ele permaneça o sofredor. Ele sempre quer que as pessoas venham em seu auxílio e vejam tudo de sua perspectiva. Não importa quão errado ele esteja, ou quão mal ele tenha agido, é sempre culpa de outra pessoa. 

“Meu chefe estava com raiva de mim desde o início; ele nunca gostou de mim;” “Eu me inclino para trás tentando agradar aquela bruxa do chefe, mas ainda assim fui demitida.” “Você sabe que os policiais têm uma cota a cumprir. Eles estão sempre procurando alguém para culpar, e é por isso que estou na cadeia.” “Sim, eu tive um caso, mas a culpa é dela. Ela sempre usa aquelas blusas decotadas. Ela começou e eu simplesmente não pude evitar.” 

Há muitas pessoas que são hipersensíveis, mas não são abusadoras. Uma das características comuns de um abusador é ser tímido. Às vezes eles estão deprimidos, o que causa uma sensação de vulnerabilidade. O que diferencia o agressor é que ele está manipulando intencionalmente uma situação para que suas ações não tenham consequências. Ele tem o direito de ser tratado de maneira positiva, mesmo que não veja razão para estender essa cortesia aos outros. 

11. Vicioso e Cruel

Um número significativo de agressores inflige danos físicos a crianças e animais, bem como a um parceiro. Quando o abuso se transforma em brutalidade, ele alimenta seu poder de dominar a vítima. É quando a violência doméstica entra em cena. 

“Se eu não puder ter você, ninguém terá.” “Se você for embora, eu vou tirar as crianças de você e matá-las.” “Eu sou um cara legal. Eu não quero bater em você, mas você me obriga a fazer isso”, “Se você apenas fizesse o que eu peço, isso não aconteceria.”  

A raiva agora governa a casa. O cachorro corre para debaixo da cama, as crianças entram sorrateiramente no armário e a esposa tenta acalmá-lo. 

Sua hostilidade verbal se transforma em derramamento de sangue. Ele está tão enfurecido por seu direito que as palavras não podem mais causar dano suficiente àquele que ele vê como seu inimigo. Agora a vítima deve ser controlada pelo medo do punho e espancada até a submissão . 

É crucial notar que, quando o abuso verbal é tolerado pela vítima, ele frequentemente se transforma em socos nas paredes, arremesso de objetos e, eventualmente, abuso físico. Ignorar o abuso verbal não é amor; É perigoso e tóxico.

12. Demonstra um Falso Arrependimento

Uma vez que ele se acalme, um abusador jurará pela Bíblia que nunca mais se comportará da mesma maneira. Raramente é verdade; ele não aprendeu essa maneira de lidar com a vida da noite para o dia. 

“Prometo que nunca mais vou bater em você.” “Não sei o que deu em mim, só vi vermelho. Eu não posso controlar isso.” “Você sabe que eu te amo. Eu sei que prometi da última vez, mas desta vez eu realmente quero dizer isso.” “Eu vou para aquele grupo de apoio que você sempre menciona. Desta vez, eu realmente vou.” “Eu sou apenas uma pessoa horrível. Eu não sei o que há de errado comigo. Você deveria me deixar.” “Você merece muito melhor, eu não te culparia se você fosse embora.” 

As feridas e a instabilidade que o levaram a se comportar de maneira abusiva estão profundamente arraigadas. Infelizmente, os problemas de raiz não desaparecem apenas porque ele diz que sente muito, mesmo que seja sincero. A admissão do problema e medidas sérias devem ser tomadas para erradicar o comportamento abusivo. A vontade de fazer terapia, participar de grupos de apoio e descobrir o porquê por trás dos traços abusivos é fundamental para a superação e a cura. A menos que um abusador receba ajuda profissional, é improvável que o abuso desapareça.  

Para Concluir: Fuja de um relacionamento Abusivo 

Deus nos criou sua imagem e semelhança, para que vivamos felizes e livres. Desfrutando do que tem de melhor para nós nesta terra. Portanto, não se submeta a um relacionamento abusivo, fuja enquanto à tempo.

Talvez, você que leu este post, está passando exatamente por esse problema, nosso conselho é que você busque ajude. Em primeiro lugar, apresente o seu problema para Deus em oração e depois converse com seus familiares, com seu pastor, ou com alguém de sua confiança, tenho certeza que Deus vai lhe dar a direção correta, para que você “escape” com vida e segurança, deste relacionamento abusivo.

Uma pessoa se torna um agressor por muitos motivos, sendo o mais provável que eles próprios tenham sido criados em abuso. 

Tenho profunda tristeza pelos abusadores e pelo que eles podem ter sofrido no passado. Mas como adultos, eles devem procurar ajuda para reverter o padrão. 

Eles agora são responsáveis ​​perante Deus por aqueles de quem abusam. 

Botão Voltar ao topo