7 lições que aprendemos com Débora na Bíblia

Débora, a profetisa, foi uma mulher que desempenhou uma liderança importante na Bíblia. Dedicou sua vida na missão que Deus tinha para ela, tornando-se corajosa, sábia e juíza de Israel. 

Em Juízes 4:4 lemos:

“Ora, Débora, uma profetisa, mulher de Lapidote, julgava Israel naquele tempo”. 

É importante que todos os cristãos conheçam Débora e sua influência sobre o povo de Deus. Neste estudo, conheceremos as características, qualidades e lições desta importante mulher na história de Israel.

Débora, a profetisa

Como afirmado, a Bíblia nos diz que Débora era uma profetisa e juíza de Israel. Como Débora era uma profetisa, isso significava que ela podia conversar diretamente com Deus e consultá-lo sobre vários assuntos, assim como os profetas homens podiam conversar com Deus. 

Devido à grande sabedoria de Débora, o povo de Israel vinha consultá-la sobre uma infinidade de coisas diferentes. 

“Ela assentava-se debaixo das palmeiras de Débora, entre Ramá e Betel, nas montanhas de Efraim; e os filhos de Israel subiam a ela a juízo.” (Juízes 4:5). 

A partir desta passagem da Bíblia Sagrada, sabemos que Débora era sábia, inteligente e influente para o povo de Israel. 

Além de ser sábia, inteligente e influente, Débora também era uma guerreira extraordinariamente corajosa. 

Quando Baraque, filho de Abinoão, estava com medo de marchar para a batalha no Monte Tabor, ele disse a Débora que não iria para a batalha a menos que ela viesse com ele (Juízes 4:8). 

Débora concorda em ir e diz:

“Certamente irei com você; não obstante, a viagem que você está prestes a fazer não será para sua honra e glória, porque o Senhor entregará Sísera nas mãos de uma mulher” (Juízes 4:9 a). 

Assim, por meio dessa decisão, Débora provou ser uma guerreira corajosa e poderosa. 

Débora, marcou a importância das Mulheres na Bíblia

O próprio fato de Débora ser juíza demonstra que Deus dá igual valor a homens e mulheres. 

Débora, no entanto, como juíza, enfatizou a importância das mulheres na Bíblia e a importância de que as mulheres também pudessem tomar decisões em nome de Israel falando com Deus. 

Em outras palavras, ser uma profetisa era extremamente único e raro para o povo de Israel. 

De fato, as profetisas raramente são mencionadas no Antigo Testamento

Apesar das crenças populares dentro e fora da cultura cristã, Deus tem uma visão positiva das mulheres, pois ama homens e mulheres igualmente. 

Deus não mostra favoritismo (Rm 2:11). O Senhor ama todas as pessoas igualmente e entrega seus dons a cada um de Seus filhos. 

Como afirmado, poucas mulheres eram profetisas, o que as tornava únicas, mas não inexistentes. Embora haja muito menos profetisas do que profetas, isso não significa que Deus dê mais valor aos homens do que às mulheres. Em vez disso, Deus ama homens e mulheres igualmente, pois todos somos imagem de Deus (Gênesis 1:27). 

Débora, a profetisa

Um mulher de muitas qualidades

Ela era sábia, corajosa, carinhosa, gentil e obedientemente seguia a Deus. 

Débora, contudo, poderia ter tanto medo dos inimigos de Israel quanto Baraque, mas em vez disso, ela escolheu ser corajosa. 

Ela foi capaz de ter coragem porque sabia que Deus estaria com Seu povo, provavelmente teve que sair de sua zona de conforto muitas vezes, mas ela não recuou diante do medo. 

Ela escolheu confiar em Deus e seguir sua liderança em todas as áreas de sua vida.

O fato de que o povo de Israel se sentiu à vontade para ir até ela e perguntar sobre seus problemas demonstrou que eles confiavam nela e sabiam que ela estava realmente falando com Deus (Juízes 4:5). 

Débora, portanto, ajudou as pessoas ao seu redor, usou sua sabedoria para ajudá-las a tomar decisões e consultou a Deus em favor delas. 

Ela era verdadeiramente um ser humano altruísta que se preocupava com o povo de Israel. 

Débora é única nesse sentido porque muitos juízes não se importavam com o povo de Israel e os maltratavam, ignorando os requisitos de Deus para esse papel.

Débora também nos ensina a verdade vital de sempre depender de Deus e nunca duvidar Dele. 

Em nossa vida moderna, pode ser difícil não duvidar quando as coisas vão mal, mas podemos seguir o exemplo de Débora confiando sempre em Deus e em Seu caráter fiel. 

Débora poderia ter duvidado da bondade de Deus e desobedecido quando eles foram para a batalha, mas ela escolheu permanecer fiel a Deus e não se desviou de sua fé. 

Por meio de sua fé e obediência, Débora e Baraque, conquistaram com sucesso, à vitória de Israel, por meio da obra de Deus. 

O “Cântico de Débora” na Bíblia

Débora nunca hesitou em dar glória a Deus. Ela sabia que todos os seus sucessos eram apenas por causa de Deus. 

A Bíblia nunca nos diz que Débora se torna excessivamente confiante ou orgulhosa por causa de sua posição como profetisa e juíza. 

Em vez disso, ela permaneceu firme e humilde. O “Cântico de Débora” atesta esta verdade, pois ela dá todo o louvor a Deus (Juízes 5:1-31). 

Em nossas próprias vidas, precisamos nos manter firmes, humildes e dar todo o louvor a Deus. Só podemos ser bem-sucedidos no que fazemos, se estivermos firmados em Deus. 

Não podemos fazer nada sem Ele e Sua bondade, graça e misericórdia.

Nós também podemos seguir o exemplo de Débora em louvar a Deus agradecendo a Ele e glorificando-O em nossas ações, e podemos até mesmo fazer uma canção para Ele como Débora fez. 

Mesmo que você não seja o melhor cantor como eu, Deus ainda gosta de nos ouvir cantar para Ele. 

Escrever uma canção inspirada para Deus é realmente uma ótima maneira de adorá-Lo e agradecer-Lhe por tudo o que Ele fez e continua a fazer por nós todos os dias. 

Mesmo que cantar ou escrever músicas não seja seu dom, você ainda pode louvar a Deus de sua própria maneira.  

7 lições que podemos aprender com Débora na Bíblia

História de Débora na Bíblia

Débora serviria a Deus e a Israel como juíza por quarenta anos. Há várias lições importantes que podemos aprender com a liderança e o exemplo de Débora durante esse período.

1. A prosperidade nunca deve levar ao comodismo

Embora a servidão de Israel nas mãos dos cananeus, midianitas, filisteus e outras nações fosse resultado de seu pecado e idolatria, os israelitas não fizeram nenhum favor a si mesmos ao se recusarem a remover essas nações e sua influência da terra, como Deus havia feito. instruído no livro de Josué.

Em vez disso, a tentação de deuses estrangeiros e a presença da falsa adoração permaneceram, lentamente remodelando a cultura e afastando o coração das pessoas de Deus no processo.

A prosperidade dos israelitas após os dias de Josué deveria ter solidificado sua fé. No entanto, em vez de serem gratos e humildes, as pessoas se tornaram complacentes e auto-indulgentes. Matthew Henry escreve: “assim, a prosperidade dos tolos os destrói”.

Porque o povo de Israel negligenciou glorificar a Deus em tempos bons, eles foram forçados a buscá-lo em tempos difíceis.

O mesmo é verdade para os crentes hoje.

Deus usa tempos difíceis e líderes ungidos como Débora para despertar Seu povo e livrá-los do hábito do pecado e da complacência quando necessário.

2. Deus pede obediência

Entre os juízes de Israel, Débora foi única por não apenas liderar pelo exemplo, mas também por ser ousada, assertiva e obediente tanto em sua vida pessoal quanto pública.

A vocação de Débora como juíza não era sua única ocupação. Ela também foi esposa, guerreira, profetisa e compositora e, em todas as coisas, provou ser fiel.

A lição aqui é que o chamado final de Deus para Sua criação é a obediência.

Todos nós temos muitos papéis e desempenhamos muitos papéis na vida, mas seja em nosso trabalho, em nossos relacionamentos ou em nossa família, Deus nos chama para sermos fiéis e obedientes em todas as áreas da vida, grandes e pequenas, públicas e privadas.

3. Líderes Lideram

Embora Débora convocou Baraque para liderar o exército de Israel na batalha, sua delegação não deve ser vista como uma tentativa de se livrar da responsabilidade ou “passar a responsabilidade”. Pelo contrário. Barak insistiu que Débora o acompanhasse, e Débora se comprometeu a ir. Ela não iria mandá-lo para algum lugar que ela mesma não estivesse disposta a ir.

Como qualquer bom líder, Débora liderou o caminho. Ela se apresentou quando chamada (Juízes 5:8) e não hesitou em agir; o que ela chamou Israel para fazer em público, ela se comprometeu a fazer em seu relacionamento pessoal com Deus.

Infelizmente, os últimos reis de Israel não seguiram o exemplo; conforme ia seu coração, assim ia a nação de Israel. Débora, no entanto, liderou pelo exemplo e modelou coragem, ação rápida, obediência e disposição de falar a verdade, apoiando aqueles que ela chamou à ação. “Aqueles que em nome de Deus chamam outros para cumprirem seus deveres devem estar prontos para ajudá-los nisso” (Matthew Henry).

Débora modelou esse aspecto da liderança melhor do que a maioria.

4. Quando Deus vai adiante de nós não devemos temer

Embora a coragem de Débora seja lendária, sua confiança não vinha de suas habilidades ou do exército de Israel. Na verdade, os exércitos de Israel eram superados em número por Sísera e seus muitos carros. Mas onde Sísera confiava no poder de seu exército, Débora confiava no poder e na provisão de Deus (Salmos 20:6-9).

Saber que Deus não era apenas por Israel, mas que havia ido adiante deles, era toda a força de que ela precisava para agir, fazer o trabalho e inspirar outros a dar um passo de fé também (Juízes 5:14) .

Para os cristãos de hoje, Matthew Henry oferece este poderoso lembrete: “não te assustes com as dificuldades que encontrares em resistir a Satanás, em servir a Deus ou sofrer por ele; pois o Senhor não foi adiante de ti?”

5. Deus merece gratidão e louvor

Após sua vitória sobre Sísera e os cananeus, Débora e Baraque fizeram o que Israel havia deixado de fazer desde os dias de Josué: atribuir toda glória, honra e louvor ao Senhor (Juízes 5) . E como a maioria das coisas na vida, Débora e Barak não hesitaram em adorar.

Dessa forma, a complacência e a auto-adoração foram momentaneamente superadas pela liderança de Israel. Eles reconheceram que, não importa o que eles ou o exército tivessem feito, Deus merecia o crédito.

Os crentes de hoje seriam sábios se imitassem esse comportamento e não perdessem tempo dando crédito e louvor ao Senhor quando é devido.

6. Olhe para o passado, mas olhe além para a promessa do futuro

No Cântico de Débora e Baraque, o(s) compositor(es) lembra(m) ao povo o custo de sua desobediência e as razões pelas quais eles tiveram problemas com os cananeus em primeiro lugar.

Aqui encontramos um acerto de contas honesto com o passado e um encargo para Israel “acordar” e retornar ao seu Deus. No entanto, ao reconhecer os pecados do passado de Israel, Débora também olha para a alegria de sua salvação presente e espera por um futuro ainda melhor. Isso é vital para a sobrevivência de qualquer civilização.

Ver os pecados e falhar (do passado) não é fatal e fatalista. Nós os vemos, mas vemos além deles as possibilidades de bondade, perdão e redenção. Reconhecemos que a história não acabou. Vemos a esperança do outro lado de onde estamos.

Débora lembrou ao povo que, embora tivessem traído a Deus e quebrado a aliança com Ele, Ele havia permanecido fiel. Sabendo disso, os filhos de Israel poderiam esperar dias ainda melhores se deixassem de lado seus ídolos e retornassem totalmente ao Senhor.

7. Deus Eleva Aqueles que Ele Escolhe

Não é por acaso que o grande general cananeu Sísera foi derrubado por uma garota e um único prego de ferro. Dessa forma, Deus demonstra Sua tendência de usar “as coisas fracas do mundo para confundir as fortes” (1 Coríntios 1:27). O apóstolo Paulo continuaria: “Deus escolheu as coisas humildes deste mundo e as desprezíveis – e as coisas que não são – para anular as coisas que são, para que ninguém se  glorie diante dele” (1 Coríntios 1:29).

Desta forma, como Débora havia prometido, Jael recebeu uma honra especial por seu papel em matar um inimigo do povo de Deus. “A mais abençoada das mulheres é Jael”, canta Débora (Juízes 5:24). Além disso, muito foi escrito sobre o papel de Débora como mulher no Antigo Testamento, e é verdade; não era comum mulheres ocuparem cargos de tanto poder e influência naquela cultura da época. 

No entanto, como vemos nas Escrituras, Deus não hesita em levantar, equipar, capacitar e promover Seus servos fiéis, independentemente de seu status social, habilidades ou falta delas. Como Matthew Henry escreve:

“Embora Ele não precise de ajuda humana, ele tem o prazer de aceitar os serviços daqueles que aprimoram seus talentos para promover sua causa”.

No final, Deus eleva aqueles que Ele escolhe. Débora canta:

“assim pereçam todos os teus inimigos, ó Senhor; mas que aqueles que o amam sejam como o nascer do sol em sua força”.

Juízes 5:31

Débora desempenharia um papel incrível na história de Israel e se tornou uma das mulheres mais influentes de todas as Escrituras. Porém, não é Débora ou Baraque, ou Jael quem merece glória ou louvor. Eles não são adorados porque não são os heróis supremos desta história ou os salvadores supremos de Israel. 

Esse papel é reservado para Deus e somente para Deus, diante de quem “os montes tremeram na presença do Senhor” (Juízes 5:5).

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!