3 lições que aprendemos com Maria ungindo os pés de Jesus

A história bíblica de como Maria unge os pés de Jesus com perfume (em João 12:1-8) descreve a devoção sincera a um Deus amoroso. 

A simples ação de Maria é profundamente significativa. Pois, ao aprender a história, podemos crescer espiritualmente e experimentar mais amor em nossas vidas. 

Aqui estão 3 lições que podemos aprender com Maria ungindo os pés de Jesus com perfume.

Por que Maria unge os pés de Jesus com perfume?

A história de Maria ungindo com perfume os pés de Jesus acontece em um jantar na casa de Simão, o Leproso, em Betânia. 

A mulher na história que estamos explorando é Maria, irmã de Marta e Lázaro. Todos os três irmãos eram amigos de Jesus. Este evento ocorre logo após Jesus ressuscitar Lázaro dos mortos, e cerca de uma semana antes da crucificação de Jesus. 

É importante notar que este incidente é diferente dos eventos separados de outras mulheres ungindo Jesus, que são registrados em Lucas 7:36-50, Mateus 26:6-13 e Marcos 14:3-9. Às vezes são confundidos com essa história. A história que estamos vendo é de João capítulo 12.

Como foi a história que Maria unge os pés de Jesus com perfume?

Durante o jantar, enquanto Jesus e os outros estavam reclinados à mesa, o versículo 3 diz:

“Então Maria tomou cerca de um litro de nardo puro, um perfume caro; ela derramou nos pés de Jesus e enxugou os pés dele com os cabelos. E a casa se encheu da fragrância do perfume.” 

O perfume era tão caro que “um de seus discípulos, Judas Iscariotes, que mais tarde o trairia, disse:

“Por que esse perfume não foi vendido e o dinheiro dado aos pobres? Valia o salário de um ano” (versículos 4-5).

A resposta de Jesus nos versículos 7 a 8 revela que a unção prenuncia sua próxima morte e sepultamento:

“Deixe-a em paz, respondeu Jesus. A intenção era que ela guardasse este perfume para o dia do meu enterro. Vocês sempre terão os pobres entre vocês, mas nem sempre terão a mim”.

A ação de Maria foi um ato de adoração que mostrou devoção sincera a Jesus. 

Maria conhecia bem Jesus e foi inspirada a honrá-lo. Ela ficou feliz em sacrificar algo valioso para expressar seu amor por Jesus. 

Jesus estava prestes a fazer o sacrifício final, morrer na cruz pelos pecados da humanidade para tornar a salvação possível. 

Olhando para o que planejava fazer por todas as pessoas, Jesus conectou a unção de Maria ao seu trabalho como Salvador do mundo. 

A palavra Messias na Bíblia significa “Salvador” e vem da palavra hebraica mashiach, que significa “ungido” e “escolhido”. A palavra Cristo vem da palavra grega christos, que significa “ungido”. 

Nos tempos bíblicos, ungir alguém era um sinal de que Deus havia escolhido essa pessoa para uma função específica. 

Maria reconheceu quem era verdadeiramente Jesus e respondeu com adoração amorosa.

Sacerdotes e reis foram ungidos, e como sumo sacerdote da humanidade e o Rei supremo de um reino eterno, a unção de Jesus aponta para seu papel como o Salvador escolhido de Deus para o mundo inteiro.

A história termina nos versículos 9 a 11:

“Enquanto isso, uma grande multidão de judeus descobriu que Jesus estava ali e veio, não só por causa dele, mas também para ver Lázaro, a quem ele havia ressuscitado dos mortos. Assim, os principais sacerdotes fizeram planos para matar também Lázaro, pois por causa dele muitos dos judeus iam ter com Jesus e creram nele.” 

Muitas outras pessoas estavam reconhecendo que Jesus realmente era quem ele disse estavam colocando sua fé nele.

3 lições que podemos aprender quando Maria unge os pés de Jesus com perfume

Aqui estão 3 lições espirituais importantes que podemos aprender com a história de Maria ungindo os pés de Jesus:

1. Deus é digno de nossa adoração. 

Todos nós adoramos alguém ou algo em nossas vidas, de acordo com como decidimos gastar nosso tempo e energia. 

O que mais dedicamos nossa atenção no dia a dia é essencialmente o que estamos adorando. 

Esta história do ato de adoração de Maria nos mostra que não há ninguém e nada mais merecedor de nossa adoração do que Deus. 

Precisamos nos livrar de quaisquer ídolos em nossas vidas. Seja o que for que estejamos dando mais atenção do que a Deus. Pois, Deus deve ser a principal prioridade em nossas agendas e decisões. 

A maneira de nos motivarmos a fazer isso é perseguindo a maravilha de Deus. Encontrar maravilhas nos inspira a adorar porque quanto mais notamos a maravilha da obra de Deus em nossas vidas, mais queremos adorá-lo. 

A conexão também funciona ao contrário: quanto mais escolhermos adorar a Deus, mais reconheceremos sua maravilha e sentiremos admiração.

2. Deus não esconde nada de nós. 

Deus nos ama completa e incondicionalmente. Esta história da unção prenuncia como Jesus deu tudo de si na Cruz por nós. 

Ele fez o sacrifício final para que possamos desfrutar de relacionamentos eternos com Deus. Como João 3:16 diz:

“Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. 

Não há limites para o que Deus está disposto a fazer por nós, por causa de seu grande amor por nós. Deus não apenas tem amor por nós, mas Deus realmente é amor em sua essência, como 1 João 4:16 declara:

“E assim conhecemos e confiamos no amor que Deus tem por nós. Deus é amor. Quem vive no amor vive em Deus, e Deus neles”.

O Salmo 36:7 indica: “Quão inestimável é o teu amor infalível, ó Deus!…”. 

Deus é a fonte de todo amor, e o amor que vem dele nunca falha. O amor ilimitado e confiável de Deus é algo a ser celebrado!

3. Não devemos esconder nada de Deus. 

Em nossos relacionamentos com Deus, não devemos reter nosso amor de Deus. Deus é digno de todo o nosso amor e não esconde o seu amor de nós. 

Assim, como Maria nesta história, devemos entregar nossa devoção sincera a Deus. Jesus revela em Mateus 22:37 que o maior mandamento de todos é:

“Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma e de todo o teu entendimento.”

O amor é mais do que uma emoção; é uma ação. Muitas vezes temos oportunidades de mostrar nosso amor a Deus através de nosso trabalho, e Colossenses 3:23-24 nos encoraja:

“Tudo o que fizerem, façam de todo o coração, como para o Senhor, não para mestres humanos, pois sabem que receberão uma herança do Senhor como recompensa. É ao Senhor Cristo que você está servindo”. 

Assim como Maria fez, vamos dar o nosso melhor a Deus.

Como podemos aplicar essas lições em nossa própria vida espiritual?

Podemos aplicar a sabedoria dessas lições fazendo o nosso melhor para derramar nossas vidas como oferendas a Deus, assim como Maria derramou perfume valioso para mostrar a Deus seu amor.

Nossa atenção mostra o que mais valorizamos. A atenção de Maria a Jesus revela que ela o valoriza muito. E nós…?

  • Estamos dando nossa atenção em primeiro lugar ao nosso relacionamento com Deus? 
  • Quantas vezes pensamos em Deus e nos comunicamos com ele? 
  • Estamos lendo a Bíblia, a carta de amor de Deus para nós, regularmente? 
  • Construímos hábitos de oração e meditação que gostamos? 
  • Quantas vezes estamos agradecendo a Deus por seu amor e as bênçãos que ele está nos dando? 
  • Estamos buscando a maravilha de Deus e celebrando-a? 
  • Estamos abordando a adoração como mais do que apenas um culto semanal, mas como um estilo de vida constante? 
  • O que estamos fazendo para mostrar a Deus dia a dia que o adoramos?

Nosso tempo é como o perfume de Maria, um recurso muito valioso que devemos usar bem. Para isso, devemos fazer do nosso relacionamento com Deus a nossa principal prioridade. 

Nossas agendas mostram que estamos centralizando nossas vidas em nossos relacionamentos com Deus?

Todos os dias, podemos pedir ao nosso Conselheiro o Espírito Santo (João 14:26) para nos ajudar a adorar a Deus de todo o coração, sem esconder nada. 

Podemos basear nossas decisões na orientação do Espírito Santo e, então, apreciar como isso acolhe o amor de Deus em nossas vidas.

Conclusão

A história bíblica em que Maria unge os pés de Jesus com perfume mostra poderosamente o amor em ação. 

Maria reconheceu o verdadeiro valor de Deus e respondeu a um Deus amoroso com adoração amorosa. 

Ao olhar para o exemplo de devoção de Maria a Jesus, podemos encontrar a inspiração de que precisamos para receber e dar amor plenamente em nosso próprio relacionamento com Deus.


Autora Whitney Hopler.

Botão Voltar ao topo