9 Fatos e Lições do rei Manassés na Bíblia

De sua cela imunda no corredor da morte na Babilônia, Manassés olhou para o Deus de seus pais e orou pedindo ajuda. Aprendemos com Manassés que nunca é tarde demais para pedir perdão a Deus, não importa o que tenhamos feito. 

Deus visita o Corredor da Morte regularmente. Prisioneiros que cometeram crimes indescritíveis se voltam para Jesus Cristo para encontrar perdão e uma nova vida. Fora dos muros da prisão, as pessoas reagem com admiração, ressentimento ou descrença de que Deus se deleita em salvar tais indivíduos.

A História do Rei Manassés

O rei Manassés conheceu o deleite de Deus em primeira mão. De sua cela imunda no corredor da morte da Babilônia, ele relembrou anos de crimes indescritíveis, como adorando o sol e as estrelas no próprio Templo do Senhor, derramando o sangue de pessoas inocentes, sacrificando seus próprios filhos a ídolos.

Ele percebeu que sua rebelião arbitrária contra Deus não lhe trouxe nada além de dor. Então ele olhou para o Deus de seus pais e clamou por ajuda. Felizmente, o Senhor sempre ouve o clamor dos humildes e se deleita em responder às suas orações.

Aqui estão 9 Fatos sobre Manassés com lições:

1. Manassés, filho de Ezequias, foi o décimo terceiro rei do Reino do Sul.

Duas coisas importantes: Não só o seu reinado de 55 anos foi o mais longo de qualquer rei na história dos israelitas, mas também teve a distinção de ser o pior rei que Judá já teve.

Queremos apresentar alguns fatos sobre sua vida e depois observar algumas lições que podemos aprender em 2 Crônicas 33.

Manassés reinou sobre Judá por mais de meio século (2 Crônicas 33:1) e durante a maior parte de seu reinado, ele foi espiritualmente corrupto. 

Lição para aprender:

A longevidade do serviço não garante a fidelidade ou a qualidade do serviço. Alguém que está no Senhor há muitas décadas não possui necessariamente mais zelo, conhecimento ou fé do que alguém que se tornou parte da família de Deus há menos de um ano.

Certamente apreciamos nossos irmãos e irmãs que trabalharam durante o calor do dia, por assim dizer, mas a posição atual de alguém diante de Deus não tem nada a ver com quanto tempo ele/ela O serviu.

2. O pai de Manassés, Ezequias, era um homem justo.

1 – TINHA Manassés doze anos de idade, quando começou a reinar, e cinqüenta e cinco anos reinou em Jerusalém.

2 – E fez o que era mau aos olhos do SENHOR, conforme às abominações dos gentios que o SENHOR lançara fora de diante dos filhos de Israel.

3 – Porque tornou a edificar os altos que Ezequias, seu pai, tinha derrubado; e levantou altares aos Baalins, e fez bosques, e prostrou-se diante de todo o exército dos céus, e o serviu.

Infelizmente, Manassés não foi como seu pai, porque ele “ fez o que era mau aos olhos do Senhor ” (33:2). 

Lição que aprendemos:

Um pai justo nem sempre produz filhos justos. Não se deve presumir que apenas porque ele é fiel ao Senhor, sua descendência também o será. Não há 100% de certeza.

A prioridade número um de todo pai cristão deveria ser criar seus filhos “na instrução e admoestação do Senhor” (Efésios 6:4).

3. Manassés desfez grande parte do bem que seu pai fez.

3 – Porque tornou a edificar os altos que Ezequias, seu pai, tinha derrubado; e levantou altares aos Baalins, e fez bosques, e prostrou-se diante de todo o exército dos céus, e o serviu. 4 – E edificou altares na casa do SENHOR, da qual o SENHOR tinha falado: Em Jerusalém estará o meu nome eternamente. 5 – Edificou altares a todo o exército dos céus, em ambos os átrios da casa do SENHOR. 6 – Fez ele também passar seus filhos pelo fogo no vale do filho de Hinom, e usou de adivinhações e de agouros, e de feitiçarias, e consultou adivinhos e encantadores, e fez muitíssimo mal aos olhos do SENHOR, para o provocar à ira. 7 – Também pôs uma imagem de escultura do ídolo que tinha feito, na casa de Deus, da qual Deus tinha falado a Davi e a Salomão seu filho: Nesta casa e em Jerusalém, que escolhi de todas as tribos de Israel, porei o meu nome para sempre.

2 Crônicas 33:3-7

Ezequias foi um grande reformador, fazendo o melhor que pôde para eliminar as atividades pecaminosas em Judá. Mas, quando Manassés assumiu o trono, ele trouxe de volta a idolatria e a imoralidade na nação.

Lição que aprendemos:

Basta uma pessoa para estragar uma coisa boa. Reformas, as mudanças que são para melhor não devem apenas ser iniciadas, mas também mantidas.

4. Manassés fez passar seus filhos pelo fogo

Fez ele também passar seus filhos pelo fogo no vale do filho de Hinom, e usou de adivinhações e de agouros, e de feitiçarias, e consultou adivinhos e encantadores, e fez muitíssimo mal aos olhos do SENHOR, para o provocar à ira.

2 Crônicas 33:6

Manassés rejeitou o que a lei de Deus dizia e fez o que quis, fazendo com que “seus filhos passassem pelo fogo”, usando feitiçaria e feitiçaria, colocando um ídolo na casa de Deus e fazendo uma série de coisas que violavam a Lei de Moisés.

Lição que aprendemos:

Quando as pessoas desconsideram o que a lei de Deus diz, não há fim para o tipo de mal que elas cometerão. É lamentável, mas não surpreendente, ver alguns membros modernos da igreja envolvidos em esquemas desonestos, adultério e uso ilícito de drogas. Quando homens e mulheres deixam de lado as instruções de Deus, tudo pode acontecer e acontecerá.

5. Manassés derramou sangue inocente.

Além disso, Manassés derramou muito sangue inocente, até encher Jerusalém de uma a outra extremidade…” (2 Reis 21:16). 

Lição que aprendemos:

O Senhor sempre odiou o derramamento de sangue inocente (Provérbios 6:16,17). O assassinato é errado porque o homem foi feito à imagem de Jeová (Gênesis 9:5,6). Aqueles que cometem tal pecado, incluindo o assassinato de seres humanos não nascidos e sem pecado, não serão considerados inocentes por Deus.

6. Manassés teve influência sobre toda a nação.

Então Manassés seduziu Judá e os habitantes de Jerusalém para fazerem mais mal do que as nações que o Senhor havia destruído de diante dos filhos de Israel ” (33:9). 

Lição que aprendemos:

Cada um de nós tem algum tipo de influência sobre os outros, como Manassés certamente teve. A questão é: como usaremos nossa influência? Será para o bem, como a luz do mundo (Mateus 5:14), ou seremos imitadores do mundo? (Romanos 12:1,2).

Deus quer que continuemos sendo uma nação santa e separada (1 Pedro 2:9,10). É um dia triste quando o povo de Deus perde a sua distinção, mas foi exatamente isso que aconteceu durante o reinado de Manassés.

7. Manassés orou ao Senhor

Embora poucos, se é que algum, esperassem isso, Manassés mudou no bom sentido.

Ora, quando estava angustiado, implorou ao Senhor seu Deus e humilhou-se muito diante do Deus de seus pai ” (2 Crônicas 33:12).

Manassés então removeu a idolatria e fez outras mudanças positivas em Judá (33.15,16). 

Lição que aprendemos:

Até mesmo aqueles que consideramos como “pessoas realmente perversas” têm o potencial de mudar seus corações e, consequentemente, suas vidas. Manassés foi um exemplo disso.

8. Manassés não conseguiu levar a nação a obedecer a Deus

Embora o próprio Manassés tenha abandonado seus maus caminhos e começado a fazer a vontade do Senhor (2 Crônicas 33:15,16), ele não foi capaz de persuadir a nação a seguir sua liderança e retornar ao verdadeiro Deus. 

Lição que aprendemos:

Quando conseguimos influenciar as pessoas a seguirem um caminho de corrupção ou a aceitarem falsos ensinamentos, é muito difícil fazê-las reconhecerem e abandonarem seus erros.

Muitos pais levaram seus filhos a se desviarem da verdade religiosa, mas depois, quando os pais se corrigiram e voltaram à verdade, muitas vezes os filhos já adultos não se arrependem de seus pecados e não aceitam a verdade.

O mesmo acontece com pregadores do evangelho que se desviam e depois retornam à verdade. Eles, como Manassés, corrigem seus erros, mas geralmente não conseguem fazer com que aqueles que influenciaram mudem seus caminhos.

9. Manassés foi quem fez com que Judá fosse levado ao cativeiro. Deus disse:

Eu os entregarei à angústia, a todos os reinos da terra, por causa de Manassés, filho de Ezequias, rei de Judá, pelo que fez em Jerusalém” (Jeremias 15:4).

Sim, Manassés humilhou-se, arrependeu-se e mudou de atitude. Infelizmente, ele deixou uma marca tão grande na nação que foi como um trem descendo uma ladeira íngreme sem freios: um desastre iria acontecer. 

Lição que aprendemos:

A justiça exalta uma nação, mas o pecado é uma vergonha para qualquer povo” (Provérbios 14:34).

Infelizmente, os esforços que Manassés fez mais tarde na sua vida foram insuficientes e tardios.

A Oração de Manassés

Curiosamente, a Bíblia não nos conta o que o rei Manassés disse ao Senhor Deus. Em vez disso, ela simplesmente nos conta como ele orou.

“Em sua angústia, ele [o rei Manassés] buscou o favor do Senhor, seu Deus, e se humilhou muito diante do Deus de seus antepassados. E quando ele orou, o Senhor foi movido por sua súplica e ouviu seu apelo; então ele o trouxe de volta a Jerusalém e ao seu reino. Então Manassés reconheceu que o Senhor é Deus.” (2 Crônicas 33:12-13)

Humanamente falando, até mesmo os santos profetas de Deus devem ter pensado que o rei Manassés havia ido longe demais para que o Senhor o trouxesse de volta. 

Afinal, seus pecados levaram o reino de Judá tão profundamente à idolatria que o julgamento do Senhor sobre a nação não poderia ser cancelado. E seu desespero por causa de sua maldade não conseguiu trazer de volta à vida as pessoas que ele matou e as famílias que ele destruiu.

No entanto, por causa do perdão de Deus, o rei Manassés pôde entrar no Templo de Deus como um homem perdoado. Liberto da Babilônia e tendo outra chance para reinar, Manassés deu passos grandes e ousados ​​para mostrar que seu arrependimento era real, destruindo altares pagãos, restaurando o Templo e adorando o Senhor publicamente.

O que aprendemos com o Rei Manassés?

Certamente nem sempre posso desfazer o dano de minhas ações. Mas eu sei que os pecados do meu passado nunca são tão grandes que o amor e a misericórdia de Deus não possam me perdoar, me restaurar e me dar um novo começo.

Tudo o que tenho a fazer é me humilhar grandemente diante do Senhor meu Deus, abandonar meus pecados, voltar para Deus e pedir Seu perdão.

Outros nomes “Manassés” na Bíblia

José chama seu filho primogênito de Manassés (Gênesis 41:51) e anos depois Manassés é adotado pelo seu avô Jacó (Gênesis 48:5). O primogênito de José é o antepassado de uma das tribos israelitas, ao qual cresce muito entre o Êxodo e a Entrada na Terra Prometida (Números 1:35 e 26:34). Moisés acaba, então dividindo a tribo em duas meias tribos (Números 32:33).

O descendente mais famoso da segunda meia tribo de Manassés é Gideão (Juízes 6:15).

Sem parentesco com essas duas meias tribos, um dos descendentes do rei Davi se chama Manassés. Sem dúvida, Manassés é o rei mais perverso de Judá, 2 Reis 20 :21-21:18 e 2 Crônicas 33:1-11. Nada poderia impedir os efeitos inevitáveis ​​e devastadores das décadas de maldade do rei Manassés (2 Reis 21:20 , 23:26 e 24:3 e Jeremias 15:4).

Para choque de todos, o rei Manassés se arrepende, Deus o restaura e ele lidera um grande avivamento (2 Crônicas 33:12-20).

Enfim, a maior surpresa! O descendente mais famoso do rei Manassés é Jesus (Mateus 1:10).

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo