9 razões pelas quais sabemos que Cristo está voltando

Primeiramente, a Escritura não é vaga nem equívoca quanto à promessa do retorno de Cristo. Ainda mais, uma grande parte das Escrituras é profética, e um terço ou mais das passagens proféticas se referem à Segunda Vinda de Cristo ou eventos relacionados a ela. Portanto, é inquestionável a importância desse tema na profecia do Antigo e do Novo Testamento.

E independentemente do que os escarnecedores digam, Jesus está voltando (2 Pedro 3:3-10). A história mundial está se aproximando da conclusão que Deus ordenou. Não é um fim que virá como resultado de uma guerra nuclear, irresponsabilidade ambiental ou invasão alienígena. Mas, é aquele que vem pelo propósito e plano de Deus, predito nas Escrituras. Não se engane Cristo Voltará!

Aqui estão nove razões das Escrituras pelas quais você pode saber que Cristo está voltando.

1. A Promessa de Deus Exige

O Antigo Testamento está cheio de promessas messiânicas. Contudo, essa promessa é seu foco principal. 

Do início (Gênesis 3:15) ao fim (Malaquias 4:2), todo o Antigo Testamento está repleto de profecias sobre o Libertador vindouro. Por exemplo, são pelo menos 333 promessas distintas.

Bem como, as mais de 100 profecias que tratam do primeiro advento de Cristo, todas elas foram cumpridas de forma precisa e literal. 

Sua entrada montado num jumento, a separação de suas vestes, a perfuração de Suas mãos e pés, e as vívidas profecias de Sua rejeição pelos homens em Isaías 53. Enfim, tudo isso pode ter sido interpretado simbolicamente pelos estudiosos do Antigo Testamento antes de Cristo. 

Mas o registro do Novo Testamento relata repetidamente que tais coisas foram cumpridas no sentido mais literal, para que “se cumprissem as Escrituras dos profetas” (Mateus 26:56).

A Escritura diz que Deus “não pode mentir” e que Ele não mudará de ideia (Números 23:19; Tito 1:2). O que Ele prometeu, Ele fará. Portanto, a veracidade da Bíblia está em jogo na Segunda Vinda.

2. O Ensino de Cristo Exige

O ensino terreno de Cristo estava cheio de referências à Sua Segunda Vinda (Mateus 24). 

Quando Ele estava sendo julgado por Sua vida, Jesus defendeu Sua própria divindade com uma declaração ousada da Segunda Vinda nos termos mais triunfantes. 

Ele disse ao Sumo Sacerdote: “Você verá o Filho do Homem sentado à direita do Poder, e vindo com as nuvens do céu” (Marcos 14:62).

Na noite de Sua traição, Cristo disse aos discípulos: “Vou preparar-vos lugar”. Não apenas a credibilidade de Deus está em jogo na Segunda Vinda, mas também a credibilidade de Seu Filho. Enfim, se Jesus não voltar, haverá uma mentira.

3. O Testemunho do Espírito Santo O Exige

Uma vez que “Deus… não pode mentir” (Tt 1:2), Sua promessa garante o retorno de Cristo. Jesus é a verdade encarnada (Jo 14:6). Dessa forma, Seu ensino também confirma infalivelmente o fato da Segunda Vinda. 

E o Espírito Santo, que é chamado de “o Espírito da verdade” (João 14:17; 15:26), também testifica da Segunda Vinda de Cristo através dos escritores do Novo Testamento.

O Espírito Santo repete isso através dos apóstolos:

  • Paulo (1 Coríntios 1:4-7; Filipenses 3:20; Colossenses 3:4; 1 Tessalonicenses 4:16-17; etc.);
  • Pedro (1 Pedro 1:13; 1 Pedro 5:4; 2 Pedro);
  • João (1 João 3:2).

O Espírito Santo acrescenta, portanto, Seu testemunho ao do Pai e do Filho. Jesus está vindo!

4. O Projeto para a Igreja Exige

Deus está atualmente “tomando dentre os gentios um povo para o Seu nome” (Atos 15:14) e reunindo Seus eleitos em um grande corpo, a igreja. 

O papel da igreja é ser como uma noiva pura para o próprio Filho de Deus, pronta para ser apresentada a Ele em Sua Segunda Vinda.

Paulo usa essa figura do casamento em 2 Coríntios 11:2: “Tenho zelo por vós com zelo piedoso; O casamento é uma bela metáfora que retrata o amor e o cuidado de Cristo por Sua igreja.

E é por isso que podemos ter certeza de que Ele voltará para reivindicá-la, assim como prometeu (João 14:2-3). Ele voltará para buscar Sua noiva.

5. A corrupção no mundo exige

O mundo é um lugar muito perverso, e quando o “Filho do Homem [vier] na glória de Seu Pai com Seus anjos… [Ele] retribuirá a cada um segundo as suas obras” (Mateus 16:27). 

“Vem a hora em que todos os que estão nos sepulcros ouvirão a sua voz e sairão; os que praticaram as boas obras para a ressurreição da vida, os que praticaram as más obras para a ressurreição do juízo” (João 5:28-29).

Mas, essa esperança abençoada de todo crente (Tt 2:13) é o terror do mundo. Para os incrédulos, Sua vinda significa julgamento imediato e imparcial (1 Tessalonicenses 1:7-10). Por outro lado, para os crentes, alegria sem limites! 

Jesus deve retornar a fim de executar a justa retribuição aos pecadores e cumprir o julgamento que Ele prometeu.

6. O Futuro de Israel Exige

Nos dias de Paulo, os gentios estavam entrando na igreja em maior número do que os judeus convertidos. Em Romanos 11, Paulo então os lembrou: “Você, sendo uma oliveira brava, foi enxertada no meio deles e se tornou participante com eles da rica raiz de a oliveira” (v. 17). 

Mas está chegando o tempo em que os ramos naturais serão enxertados de volta na oliveira (vv. 23-24). Um fenômeno que Paulo expressamente conectou com a volta de Cristo (v. 26). 

Esse é o dia em que Israel chorará por Aquele a quem traspassou (Zc 12:10), e Deus os salvará a todos (Rm 11:26).

7. A Vindicação de Cristo Exige

É inconcebível que a última visão pública que o mundo teria de Jesus Cristo seria a de um criminoso crucificado, coberto de sangue, pendurado nu no crepúsculo de Jerusalém. 

Você percebeu que depois de Sua ressurreição, Ele nunca apareceu em um local público diante de incrédulos? 

Muitos crentes O viram, O tocaram, falaram com Ele e deram testemunho unânime de que Ele ressuscitou dos mortos. Mas não há registro de que os incrédulos alguma vez O viram.

Mas o mundo incrédulo verá Sua glória exibida a todos. As Escrituras dizem: “Também Cristo, oferecendo-se uma vez para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez para salvação, sem pecado, àqueles que o esperam ansiosamente” (Hebreus 9:28).

O Salvador que foi humilhado, insultado e morto em uma exibição pública do ódio da humanidade a Deus retornará como Senhor conquistador à vista de todo o mundo (Lc 21:25-27). E por fim, todo olho o verá (Apocalipse 1:7).

8. A Destruição de Satanás Exige

Satanás, embora um inimigo já derrotado no que diz respeito aos cristãos, ainda exerce uma espécie de domínio sobre este mundo (João 12:31). 

Mas Cristo é o único governante legítimo deste mundo, e quando Ele retornar, Ele destruirá Satanás completamente.

Em Apocalipse 5, quando Cristo recebe o rolo de sete selos, Ele desencadeia o julgamento com a abertura de cada selo (Apocalipse 6). 

Então, os julgamentos dos selos dão lugar ao julgamento das sete trombetas (Apocalipse 8). Os julgamentos das trombetas levam ao julgamento das sete taças (Apocalipse 16). Finalmente, depois de um último esforço de Satanás para manter seu domínio ilegal sobre a terra, o próprio Cristo retorna para vencer o inimigo.

Ele o acorrenta, o lança em um poço sem fundo e, finalmente, o confina a um eterno lago de fogo. Apocalipse 19. Dessa forma, a vitória de Cristo sobre Satanás, o usurpador, está completa.

9. A esperança dos santos exige

Somente o retorno glorioso e triunfante de Cristo pode cumprir a esperança dos santos. Pois, todo verdadeiro crente anseia por esse dia. 

Paulo caracteriza os cristãos como aqueles que “amam a sua aparição” (2 Timóteo 4:8). O apóstolo João diz: “Ora, somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o que havemos de ser, mas sabemos que, quando ele se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque o veremos como ele é” (1 João 3:2 ). 

O retorno de Cristo instantaneamente dará início à plenitude de nossa glorificação.

João então acrescenta estas palavras: “E todo aquele que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como ele é puro” (v. 3). 

Este é o teste de uma escatologia saudável:

  • Sua esperança é uma influência santificadora em sua alma? 
  • Você está olhando além da comoção deste mundo com a percepção de que em breve poderá encontrar Cristo face a face, e está preparando seu coração e alma para isso? 
  • Você está ansioso e atento?
  • E você está cheio de alegre esperança e expectativa? 

Essa é, portanto, a atitude para a qual a Escritura nos chama.

A Segunda Vinda não deve fazer você parar o que está fazendo para esperar a volta do Senhor. E também não deve motivá-lo a concentrar toda a sua atenção nos eventos e desenvolvimentos políticos deste mundo. Em vez disso, deve levá-lo à santidade ao direcionar seu coração para Cristo, cuja vinda todo crente aguarda com alegria.

Botão Voltar ao topo