3 verdades Bíblicas sobre o cristão e a política

Se você é cristão já deve ter se questionado se é correto o cristão se envolver na política. Geralmente nos relacionamos com esse tema em vias de “pode ou não pode”.

Fazemos perguntas do tipo “É pecado um cristão candidatar-se a um cargo político?” ou “O crente pode defender alguma corrente partidária?”. Essas perguntas são importantes, porém não tocam o cerne da questão.

Paulo nos diz em 1 Coríntios 6.12 e 10.23 que todas as coisas nos são lícitas, logo poderíamos afirmar que o envolvimento com a política é lícito, porém ele continua “mas nem todas convêm” ou “não edificam”.

Biblicamente não é pecado o envolvimento na política. Mas, a pergunta que precisa ser feita é se convém ou edifica o envolvimento nela.

3 verdades bíblicas sobre o cristão e a política

1 – A primeira verdade que precisamos considerar é que política não é algo pecaminoso em si

Devido ao pecado, o homem se relaciona pecaminosamente com as esferas da vida. Podemos verificar no velho exemplo da faca que não é má em si mesma, mas que pode ser usada tanto para o bem quanto para o mal. Isso é verdade para todo o resto.

As coisas não são más em si mesmas, mas o coração pecaminoso dos homens usa as coisas para o mal.

Na narrativa bíblica nós aprendemos que Deus insere o homem que criou em um jardim. Note, um jardim é uma realidade primitiva, sem desenvolvimento, mas ao inserir o homem ali o Senhor da uma ordem, o homem deveria “cultivar”, ou seja, desenvolver o jardim.

Aquele ambiente primitivo deveria se desenvolver através da capacidade dada por Deus ao homem.

Quando chegamos ao capítulo 4 do livro de Genesis, lemos que a descendência de Caim começou a desenvolver a natureza e isso os levou a se organizarem em uma cidade. Isso nada mais é do que uma organização política.

Quando chegamos a Apocalipse, aprendemos que na eternidade Deus colocará os homens em uma cidade.

Assim, a verdade bíblica nos aponta que política é um desenvolvimento bom, porém mal utilizado pelos homens pecadores. O pecado está no coração humano, não na política.

2 – Em segundo lugar, também é uma verdade bíblica que Deus deseja ver o seu povo envolvido na política

Essa afirmação pode ser espantosa para muitos crentes, mas no decorrer da história bíblica Deus direcionou muitos dos seus servos a se envolverem na política.

Temos como exemplos os personagem José, que se tornou governador do Egito, e Daniel na Babilônia. Perceba que esses personagens não se envolveram em contextos políticos “puros”. Eles estavam inseridos na política de sociedades corruptas, imorais e contrárias aos preceitos divinos.

Mesmo assim, não só receberam a aprovação de Deus, mas designados por Ele em cargos políticos dessas sociedades. E trouxeram glória ao nome Dele enquanto atuavam nesses cargos.

Deus deseja que seu povo se envolva na vida política como sal e luz. Quando o povo de Deus se anula em uma sociedade, essa sociedade se distancia mais rapidamente dos preceitos do Criador.

3 – A terceira verdade bíblica é esta: o contexto político tornará você mais suscetível a tentações e exigirá maior maturidade espiritual

Não se engane, há tentações para às quais você não tem maturidade cristã para lidar ainda. Isso quer dizer que a política não é para você. Podemos tomar como exemplo a vida de Daniel.

Ele estava inserido na política da Babilônia. E, isso exigiu muita maturidade espiritual para não sucumbir as tentações dos desejos do seu próprio coração.

Ele precisou estar disposto a pagar o preço por se comprometer em primeiro lugar com o caráter de Deus, e se colocar em risco por fazer isso. Por essa razão, se envolver na política exige uma maturidade espiritual maior e você precisa ser sincero quanto a isso, pois os riscos são altos.

Conclusão sobre o cristão se envolver na política

Concluindo, é lícito o cristão se envolver na política e podemos até dizer que é necessário, porém não convém a todo cristão. Pois muitos não possuem a maturidade e conhecimento bíblico necessários para se inserirem em um contexto em que serão mais tentados por seu próprio coração pecaminoso.

Valter Dias Junior

Sou professor e expositor das Escrituras, trabalho em um Instituto Bíblico de confissão doutrinária conservadora. Amo ensinar qualquer coisa, principalmente a Palavra de Deus.
Botão Voltar ao topo