5 lições poderosas da primeira viagem missionária de Paulo

5 lições poderosas da primeira viagem missionária de Paulo

A primeira viagem missionária de Paulo está registrada em grande detalhe em Atos 13-15 e contém algumas lições profundas para nossas vidas hoje.

O apóstolo Paulo é um dos escritores mais importantes do Novo Testamento. No livro de Atos, encontramos um registro detalhado das viagens missionárias de Paulo. 

Qual é o contexto da primeira viagem missionária de Paulo?

Tudo começou em uma reunião de oração.

A igreja primitiva se reunia para um período de oração e jejum. Enquanto eles estavam orando, o Espírito Santo falou para separar Paulo e Barnabé para enviá-los (Atos 13:2). 

Depois de ouvir a voz do Espírito, os reunidos impuseram as mãos sobre a cabeça de Paulo e Barnabé e os consagraram para fazer a obra para a qual Deus estava chamando.

Depois de separados, Paulo e Barnabé, juntamente com João Marcos, partiram para Chipre. Lá eles pregaram na sinagoga e depois viajaram por toda a ilha até chegarem a Pafos. 

Enquanto estavam em Pafos, eles encontraram um feiticeiro judeu e um falso profeta, que começou a causar problemas para Paulo e Barnabé. 

O falso profeta Bar-Jesus e o feiticeiro Elimas, fizeram tudo para impedir a pregação do evangelho por Paulo e Barnabé. 

Em resposta às más intenções, Paulo, cheio do Espírito Santo, olhou para Elimas que ficou cego (Atos 13:9-12). 

Este é o primeiro milagre que Paulo realizou em seu ministério. Como resultado, o procônsul para quem Paulo estava pregando chegou à  salvadora em Cristo.

O que aconteceu na primeira viagem missionária de Paulo?

Depois que Paulo deixou Pafos, eles navegaram para Perga na Panfília. Lá João Marcos que era primo de Barnabé e estava viajando com eles, deixou a viagem e voltou para Jerusalém (Atos 13:13). 

Isso é significativo porque, mais tarde, ao pensar em voltar para visitar todos aqueles que vieram a Cristo durante a primeira viagem missionária, Paulo e Barnabé tiveram um forte desacordo sobre João Marcos. 

O conflito foi tão grande que os dois acabaram se dividindo. Como resultado, mais duas equipes ministeriais foram enviadas (Atos 15:37-40).

De Perga, Paulo e Barnabé seguiram para o que é hoje a Turquia. 

Em Antioquia da Turquia (não a mesma Antioquia na Síria, de onde Paulo e Barnabé saíram), eles começaram novamente a ensinar na sinagoga

Muitos gentios nesta região foram receptivos ao evangelho. Isso perturbou os líderes judeus e eles ficaram cheios de ciúmes. Incitando a perseguição, os líderes da sinagoga expulsaram Paulo e Barnabé de sua cidade.

A próxima parada em sua viagem missionária foi Iconium. 

Lá, o Senhor usou Paulo e Barnabé para trazer muitos à fé salvadora. Além de falar com ousadia sobre o evangelho, eles também realizaram muitos sinais e maravilhas que levaram muitos à fé salvadora. 

Mais uma vez, a perseguição se agitou e Paulo e Barnabé fugiram para as cidades da Licaônia de Listra e Derbe (Atos 14:6). 

Novamente, o Espírito Santo capacitou Paulo com dons de cura. Um coxo que nunca tinha andado desde o nascimento foi curado (Atos 14:10). 

Muitos que viram este milagre ficaram confusos e pensaram que Paulo e Barnabé eram deuses a serem adorados. 

Paulo e Barnabé rapidamente corrigiram isso e os apontaram para Cristo como o único Deus verdadeiro. 

No entanto, naquele momento a multidão estava enlouquecendo e os líderes judeus pegaram pedras e começaram a apedrejar Paulo. 

Eles o arrastaram para fora da cidade e o apedrejaram. Pensando que ele estava morto, eles o deixaram lá. 

No entanto, Paulo se levantou e no dia seguinte ele e Barnabé foram para Derbe e pregaram lá também e muitos foram salvos.

Depois de Derbe, eles voltaram para cada lugar onde haviam pregado na primeira viagem missionária de Paulo. 

Eles fortaleceram os crentes e designaram anciãos para cada congregação. 

Então eles voltaram para Antioquia na Síria para dar um relatório àqueles que originalmente os encomendaram. 

Toda a primeira viagem missionária durou entre 12 e 18 meses, mas as lições para nós são poderosas.

primeira viagem missionária do apostolo Paulo

5 lições que podemos aprender com a primeira viagem missionária de Paulo

1. O sofrimento e as dificuldades fazem parte do chamado para seguir Jesus. 

Muitas vezes, como crentes de hoje, quando encontramos sofrimento, nos perguntamos por que Deus não intervém para nos resgatar. 

No entanto, Jesus nos advertiu que: “Nesta vida tereis aflições” (João 16:33). 

No entanto, Ele também prometeu que venceria o mundo e que a paz era possível. 

A verdade é que o sofrimento faz parte do caminho e une nossos corações com a cruz de Cristo. 

Paulo e Barnabé ensinaram esse princípio quando voltaram para cada igreja nascente desde a primeira viagem missionária. 

Eles fortaleceram os crentes lembrando-lhes: “É necessário que passemos por muitas dificuldades para entrar no reino de Deus” (Atos 14:22).

2. Adoração e jejum abrem nossos ouvidos para ouvir o Espírito Santo falar. 

Foi enquanto a igreja primitiva estava orando e jejuando que o Espírito Santo falou para separar Paulo e Barnabé como os primeiros missionários (Atos 13:2). 

Muitas vezes as pessoas não têm certeza de como ouvir a voz do Espírito Santo. 

Certamente, Ele fala através da Palavra de Deus. No entanto, Ele também muitas vezes fala aos nossos espíritos enquanto estamos adorando. 

O louvor abre nossos ouvidos para ouvir a voz do Espírito Santo de forma mais eficaz. 

Ao considerar novos empreendimentos ministeriais, é melhor passarmos tempo adorando, jejuando e orando enquanto buscamos a Deus. 

O tempo em Sua presença nunca é desperdiçado. É o lugar onde o Espírito Santo alinha nossos corações ao Dele e ouvimos Sua voz.

3. O ministério é melhor realizado através do trabalho em equipe. 

Em nenhum lugar das escrituras encontramos a independência afirmada por Deus. Ele nos ligou para a comunidade. 

Parte do motivo pelo qual a primeira viagem missionária de Paulo foi tão eficaz foi porque havia trabalho em equipe. 

Moisés teve Arão, quando se sentiu inadequado (Êxodo 4). 

O profeta Elias foi instruído a levar Eliseu consigo quando se sentisse deprimido e esgotado (1 Reis 19). 

Todos nós já ouvimos histórias de missionários que saíram sozinhos e falharam miseravelmente. 

Também vimos pastores que valorizavam a independência a ponto de não suportarem ​​e, como resultado, falharam e não estão mais no ministério. 

A verdade é que Deus honra o trabalho em equipe. Ele nos projetou para a comunidade. 

Paulo e Barnabé trabalharam em equipe. Na segunda viagem missionária, cada um escolheu novos parceiros, mas nunca saiu sozinho.

4. Separação, às vezes é parte do plano redentor de Deus. 

Conflitos em equipes podem ser redimidos por Deus para espalhar ainda mais o evangelho. 

Depois que João Marcos partiu e retornou a Jerusalém, surgiu uma tensão entre Paulo e Barnabé. 

Quando chegou a hora de outra viagem ministerial, Barnabé queria dar uma segunda chance a João Marcos, mas Paulo não achou sábio (Atos 15:36-41). 

Embora em nossos corações desejávamos que Paulo e Barnabé tivessem se resolvido e reconstruído a equipe original, a separação foi usada por Deus e, como resultado, o evangelho se espalhou ainda mais. 

Muitas vezes há lutas e conflitos nas equipes ministeriais. Embora Deus sempre deseje a reconciliação entre os parceiros do ministério, às vezes o melhor caminho para a reconciliação pode ser uma separação. 

Paulo e Barnabé se dividiram em duas equipes diferentes e ambas as equipes foram usadas poderosamente por Deus.

5. Os parceiros de oração e doação permitem que o trabalho missionário avance. 

A igreja em Antioquia, na Síria, era onde os crentes se reuniam para adoração e jejum. 

Foi lá que os crentes sentiram que o Espírito Santo estava enviando Paulo e Barnabé deles para ministrar. 

Em essência, a igreja em Antioquia da Síria, era a igreja natal de Paulo e Barnabé. 

A grande comissão foi dada à igreja e a lição para nós é que as igrejas locais e os missionários precisam se unir para que o trabalho avance. 

Paulo e Barnabé valorizaram a igreja local e relataram à sua igreja local sobre o trabalho que havia sido realizado.

Nos últimos anos, vemos lutas entre igrejas, mas o coração de Deus deseja que estejam unidos, para que a obra avance mais.

Inscrição biblioteca do pregador-1

Para concluir

A primeira viagem missionária de Paulo foi fascinante!

Desde seu primeiro milagre até seu apedrejamento, de suas mensagens ousadas e encorajamento para os novos crentes. Toda a jornada parece um livro de aventuras bem escrito! 

No entanto, também há lições importantes a serem aprendidas com a jornada. 

Lições sobre adoração, sofrimento, ministério em equipes, separação e parceria entre igrejas, estão todas incluídas na primeira viagem missionária de Paulo. 


Autora: Becky Harling.

Redação BP

Redação BP

Compartilhe

Compartilhe

Inscreva-se em nosso blog

Acesse, em primeira mão, nossos principais posts em seu email

Publicidade

© 2022 Biblioteca do Pregador

Esse site usa cookies para melhorar sua experiência de navegação e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Leia Mais