10 coisas que você precisa saber sobre a história de Davi e Bate-Seba

A história de Davi e Bate-Seba não é de amor ou pelo menos não começou assim. A história se encontra no livro de 2 Samuel 11. 

Um resumo da História de Davi e Bate-Seba

Primeiramente, o rei Davi fica em casa quando deveria ir para a guerra. Mas, ele não consegue dormir (talvez porque não esteja cumprindo seu propósito?). Então ele resolve passear no terraço de onde ele vê uma linda mulher tomando banho. 

Então, ele pergunta a alguém quem ela é essa mulher. “Ela é Bate-Seba, casada com Urias, um de seus guerreiros de elite”. 

Mesmo sabendo que era errado, ele a chama e tem relações sexuais com ela. Logo depois, Bate-Seba descobre que está grávida. 

Tentando esconder o pecado, Davi manda chamar o marido de Bate-Seba para voltar para casa. Ele faz de tudo para que Urias dormisse com sua esposa. Mas Urias era um homem íntegro. Então ele dorme do lado de fora do palácio. 

Davi tenta novamente na noite seguinte, desta vez deixando Urias bêbado. Mesmo assim, Urias ainda não vai para casa. Ou seja, Urias bêbado estava sendo mais íntegro do que Davi são.

Então Davi envia Urias de volta para a batalha com uma carta solicitando que Joabe colocasse Urias em uma posição exposta para ser morto.  

Dessa forma, Davi cometeu um adultério e um assassinato. 

Depois que Bate-Seba chora por seu falecido marido, Davi se casa com Bate-Seba. O bebê nasceu e pelo menos nove meses se passaram, mas Davi não se arrependeu. 

Deus envia o profeta Natã para contar a Davi uma história sobre injustiça. Então Natã revela que a história é sobre o pecado de Davi contra Bate-Seba e Urias. 

Natã profetiza a morte do bebê e que Davi sofreria as consequências. Imediatamente Davi se arrepende e adora. Mas as profecias de Natã ainda se realizariam.

Onde se encontra a história completa de Davi e Bate-Seba?

Para a história completa de Davi e Bate-Seba, leia 2 Samuel 11. E para a história Natã confrontando Davi e as consequências de suas ações, leia 2 Samuel 12

História Bíblica de Davi e Bate-Seba – O que Aconteceu

1. Davi teve relações com Bate-Seba e a mandou para casa. 

Antes de mais nada, esta história é um exemplo clássico de um homem poderoso e uma mulher impotente. 

Em um reino antigo, um rei podia matar qualquer um que o desobedecesse. Bate-Seba não tinha direitos. 

Mas, será que ela resistiu ou obedeceu? Nós não sabemos. Sabemos apenas que Davi podia fazer o que quisesse. 

Quando Davi perguntou sobre Bate-Seba e descobriu que ela era casada com um de seus soldados, ele a chamou mesmo assim. Logo depois, teve relações com ela e a mandou de volta para casa. 

Pelo que o texto indica, ele não estava apaixonado por ela. Bate-Seba era insignificante para Davi até que uma gravidez ameaçou expor suas ações perante a nação.

A Bíblia deixa claro que o que Davi fez foi errado e o Senhor o condenou por suas ações. A Bíblia não diz que o estupro foi um ato de violência, também não diz que o sexo foi mútuo e também não diz se Bate-Seba teve alguma escolha no assunto.

Poderíamos nos referir a esse estupro como “estupro pelo poder”, significando que Bate-Seba não estava em posição de dizer não (mesmo que quisesse). 

2. Davi já tinha três esposas antes de se casar com Bate-Seba.

Primeiramente, ele ganhou a filha do rei Saul, Mical, por matar 400 filisteus e cortar seus prepúcios. Na verdade, Saul prometeu a Davi sua filha mais velha, Merabe, esperando que os filisteus o matassem.

Saul renegou e deu a ele Mical porque ela estava apaixonada por Davi. No entanto, mais tarde, Saul tira Mical de Davi e a casa com outro homem, Paltiel. 

Em seguida, Davi adquire Ainoam como sua esposa, seguido por Abigail, que o impressiona com sua sabedoria e inteligência. 

Então, quando Davi ascende ao trono de Israel, Davi ordena que Mical seja tirada de seu novo marido e filhos e trazida de volta ao palácio. 

O marido de Mical, Paltiel, segue atrás dela, chorando (2 Samuel 3:13-17). Daquele momento em diante, Mical despreza Davi (2 Samuel 6:16).

3. Davi parou de cuidar da integridade. 

A falta de integridade em uma área sempre se infiltra na falta de integridade em outras áreas. A integridade guarda seu coração, mente, emoções e ações. 

A preguiça de Davi em vencer a luxúria se sobrepõe a uma preguiça de chamado e propósito. Ele se distrai com poder, fama e sucesso. 

Ele só enxerga Bate-Seba porque está em casa quando deveria estar liderando suas tropas. Como rei, sua responsabilidade era garantir uma nação pacífica. 

Davi se torna rei para estabelecer e liderar Israel como uma nação temente a Deus, ao contrário das nações vizinhas. 

Como a maioria de nós, Davi deve ter se cansado de lutar contra inimigos espirituais e físicos. Ele começou a tomar más decisões em áreas de sua vida onde ele achava que não importava. 

Eventualmente, todas as suas decisões foram mal feitas.

4. Deus deu muitas oportunidades a Davi para resistir à tentação.

Além do livre arbítrio de Davi que o permitia escolher evitar o adultério e assassinato, Deus também enviou Natã para confrontá-lo. E, dessa forma, lembrá-lo de que Deus exigia sua obediência. 

Natã lembrou a Davi que seu pecado fizera perder a proteção e a bênção de Deus de sua vida. Mesmo assim, não era tarde demais para pedir perdão e voltar à intimidade com o Pai. 

Deus sempre abre caminhos para o arrependimento e liberdade para nós e fornece rotas de fuga para todas as tentações que enfrentamos (1 Coríntios 10:13).

E Davi se arrependeu diante do Senhor. 

5. O arrependimento não reverteu os efeitos do pecado de Davi.

Quando os crentes pecam envergonhando o nome de Deus, Ele os pune para trazê-los de volta à comunhão. Além disso, através dessa punição, Deus mostra ao mundo que não aceita o pecado. 

Natã contou a Davi algumas consequências assustadoras de seu pecado:

  1. Seu pecado escondido se tornaria público. 
  2. O bebê nascido do pecado de Davi morreria. A morte mostraria às nações incrédulas que Deus não aprovava o pecado de Davi. 
  3. O pecado de Davi traria consequências para sua família por gerações. (2 Samuel 12:11-12)

Embora Davi tenha jejuado e orado por uma semana para que seu bebê sobrevivesse, Deus não respondeu ao seu pedido. Em vez disso, Deus deu a Davi um segundo filho (Salomão). Mais tarde, e esse filho se torna o próximo rei de Israel.

6. Deus restaurou Davi para uma íntima comunhão espiritual. 

Após seu pecado, Davi desfrutou de um belo relacionamento com Deus. Ele escrevendo muitos outros Salmos de adoração e ação de graças. 

Deus remove a culpa e a vergonha de Davi, mas Deus não remove as consequências naturais que os padrões pecaminosos de Davi produziram. 

A confissão e o arrependimento não apenas tornam nossos corações inteiros novamente, também redefine nossos estados físicos e emocionais. 

O Salmo 32 relata como o pecado e a restauração de Davi o afetaram física, psicológica e espiritualmente. 

Mas, a confissão de Davi em 2 Samuel 12:13 é bela e simples: “Pequei contra o Senhor”. 

Em primeiro lugar, nosso pecado é sempre contra Deus. Por isso, antes de mais nada, devemos buscar seu perdão.

7. Bate-Seba sofreu vários traumas em pouco tempo.

Ela ficou longe de seu marido como esposa de militar, foi aproveitada por seu rei, entristeceu por um cônjuge assassinado, engravidou do bebê do rei, casou-se com o rei tornando-se sua quarta esposa e depois perdeu seu bebê. 

Seu(s) futuro(s) filho(s) seriam criados em um contexto de má conduta sexual, manipulação, competição, mentiras e violência, assim como Natã profetizou. 

Mas Deus abençoou Bate-Seba com seu filho Salomão, que se tornaria rei depois de seu pai.

8. A formação de Davi o influenciou. 

Davi era um simples pastor quando Deus o escolheu. Como o sendo último dos oito filhos, Jessé achava que Davi não era importante. Além disso, seus irmãos achavam que ele era uma praga irritante (1 Samuel 16-17). 

Mas sua busca pela justiça era uma herança familiar. Muitos teólogos acreditam que a mulher de Provérbios 31, sobre quem Salomão escreveu, era a bisavó Rute de Davi (Rute 4:21-22). 

Davi e Salomão teriam crescido ouvindo as histórias da redenção de Deus de sua linhagem familiar por meio de Boaz, o parente redentor. 

Vinte e oito gerações depois, Jesus nasceu como descendente de Davi. Por causa das escolhas de Rute, Davi, Salomão, José e Jesus vieram através de sua linhagem.

9. Os filhos de Davi repetiram seus pecados. 

Natã profetizou que o pecado de Davi (metaforicamente, “a espada”) nunca se afastaria de sua família. 

O caráter de Davi influenciou o caráter de seus filhos. Eles assistiram sua luxúria, mentiras e pecados sexuais. 

Pouco depois do caso com Bate-Seba, o filho mais velho de Davi, Amnom, estuprou sua meia-irmã Tamar. 

Davi recusou-se a disciplinar Amnon, então o irmão de Tamar, Absalão, matou Amnon em vingança e fugiu para escapar do castigo (2 Samuel 13). 

Em rebelião contra seu pai, Absalão deu um golpe contra Davi e tomou brevemente o reino (2 Samuel 15-17). Por fim, Joabe matou Absalão. 

Até mesmo Salomão não estava isento do pecado de Davi. Ao intermediar a paz e o poder para Israel entre as nações vizinhas, Salomão adquiriu 1.000 mulheres. Casou-se com 700 mulheres de origem nobre e tomou 300 concubinas. 

A origem pagã das mulheres atraiu Salomão para longe da verdade e introduziu Israel na idolatria. 

Nossos pecados sempre afetam as gerações futuras.

10. Deus perdoou Davi de todo e qualquer pecado confessado. 

As passagens de confissão e arrependimento de Davi são alguns dos Salmos mais lidos e encorajadores na Bíblia. 

Os Salmos 32 e 51 detalham a jornada de Davi para o arrependimento. 

Deus em Sua graça restaurou Davi de volta a um relacionamento espiritual saudável com Ele. 

Aplicação da história de Davi e Bate-Seba

O adultério ainda é pecado.

Hoje, é comum dizer que alguém perdeu o amor, casou com a pessoa errada, encontrou a pessoa certa, etc. Mas, não importa as desculpas, adulterar ainda é pecado hoje. (Êxodo 20:14,17)

A integridade não é natural. 

Nossa natureza pecaminosa pende em direção ao egoísmo e ao prazer próprio. No entanto, fazer a coisa certa, independentemente das circunstâncias, é a verdadeira justiça. 

Pois, Deus nos chama para a santidade, não para a conveniência. (Gálatas 5:16-21)

A paternidade bíblica vai contra a cultura do mundo. 

A cultura de Davi aceitava a poligamia e a má conduta sexual de homens de poder. Mas, nunca foi a vontade de Deus. 

Infelizmente, nessa área, Davi não deu um bom exemplo e não chamou seus filhos para uma vida piedosa. (Deuteronômio 6:4-9)

Guarde seu coração. 

O maior atributo de Davi era ser chamado de “um homem segundo o coração de Deus”. Enquanto ele buscava um relacionamento com Deus, às vezes ele negligenciava guardá-lo de sua própria natureza pecaminosa. (1 Samuel 13:14)

Cuidado com o poder. 

Não precisamos ir muito longe para ver que o poder corrompe. Políticos, pastores, treinadores, atletas profissionais, líderes empresariais. Mas, eles são mais propensos ao pecado sexual do que as pessoas comuns? Eu não acho. 

No entanto, o poder e dinheiro nos fazem sentir que “merecemos” certos benefícios que talvez não tenhamos sem uma posição de poder. 

Busque a humildade porque é uma arma comprovada contra os pecados que vêm com poder e prestígio. (Tiago 4:4-10)

Estenda a mão para ajudar. 

As mulheres tinham pouca proteção no mundo antigo, embora a Bíblia sempre tenha orientado regras para tratá-las com justiça. 

Em primeiro lugar, erramos quando ignoramos ou desobedecemos as leis de Deus. Mas, lembre-se de que o amor de Deus é eterno, e ele é cheio de graça e misericórdia. 

O Espírito Santo é poderoso o suficiente para ajudá-lo a superar traumas, culpa ou arrependimento.

Como a vida de Davi mostra, nada de bom vem de fingir que um pecado não existe. (Provérbios 11:14)

Apoie-se em Deus para obter perdão, conforto e direção. 

Você pode se apoiar no chamado de Deus para sua vida e deixá-lo usar suas circunstâncias para criar o bem. 

Se você cometeu erros ou se aproveitou de outros, pode confessar seus pecados e mudar seus hábitos. 

“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.” (1 João 1:9-10)

Conclusão sobre a história de Davi e Bate-Seba

A história de Davi e Bate-Seba pode ser traumática, no entanto, é uma história de perdão e restauração de Deus.

É um aviso claro para todo líder, cônjuge e crente que ama a Deus. Devemos tomar cuidado para não confiarmos em nós mesmos.

A história revela as consequências de alimentar desejos lascivos secretos. Mesmo um coração como o de Davi pode ser enganoso e perverso. 

Além disso, até mesmo aquele que se acha o melhor, pode se enganar com o coração (Jeremias 17:9). 

Todos nós devemos estar conscientes da batalha que enfrentamos (1 Pedro 5:8-10) e responder de acordo com o poder do Espírito Santo. (Efésios 6:10-18)

Botão Voltar ao topo