Jó era neto de Jacó e Filho de Issacar conforme Gênesis 46:13?

Com base na passagem de Gênesis 46:13, alguns acreditam que o patriarca Jó era neto de Jacó e filho de Issacar. Assim diz o texto: “E os filhos de Issacar: Tola, e Puva, e Jó, e Sinron (Gn 46:13)

Gênesis 46 descreve os descendentes de Jacó que desceram para o Egito. E entre eles estão os doze filhos de Jacó, dos quais um era Issacar que, de acordo com o versículo 13, era o pai de Jó.

Ora, uma vez que Issacar era filho de Jacó, e Jó era filho de Issacar, a conclusão óbvia é que o patriarca Jó era neto de Jacó.

Outro argumento, que reforça essa tese, consiste em que a maioria dos dicionários e livros biográficos apresentam apenas um personagem com o nome de Jó.

De acordo com a maioria dos historiadores, Jó viveu no período patriarcal, o que faz dele um possível contemporâneo de Abraão, Isaque e Jacó. Essa crença reforça ainda mais a ideia de que Jó era neto de Jacó.

Mas será que o patriarca Jó, personagem histórico do livro, da Bíblia, de fato o neto de Jacó?

Existem boas razões para descartarmos a interpretação de que o patriarca Jó era neto de Jacó.

1. Existiam dois personagens com o nome Jó

Apesar dos vários dicionários registrarem apenas um personagem com o nome de Jó, podemos constatar que há na Bíblia um caso de homônimo relacionado com o nome de Jó. Ou seja, existem dois personagem com esse mesmo nome. São eles: o filho de Issacar (Gn 46:13); e o patriarca Jó (Jó 1:1).

2. O patriarca Jó vivia na terra de Uz, mas Jó filho de Issacar, vivia no Egito.

A Localização da terra de Uz

Em nenhum lugar a região é especificamente localizada, quer na história ou na geografia sagrada ou secular, no entanto, as referências bíblicas e tradicionais oferecem diversas dicas quanto a sua localização:

A) Era uma terra de pastagens abundante (Jó 1:3).
B) Porções dela eram apropriadas para colheitas aradas (Jó 1:14).
C) Estava localizada próxima ao deserto (Jó 1:19).
D) Era suficientemente extensa para ter diversos reis ou “xeiques ” liderando muitas tribos ou povos (Jr 25:20).
E) Estava localizada de modo a estar mais ou menos nas proximidades das tribos dos temanitas, suítas e naamatitas (Jó 2:1), dos buzitas e Dedã (Jr 25:23).
F) Havia uma colônia de Edom (chamada “a filha de Edom ”) na terra de Uz (Lm 4:21).
G) Estava dentro do campo de invasão dos sabeus e caldeus (Jó 1:15,17).
H) A tradição antiga, como encontrada no livro Siríaco, afirmava que a terra de Uz estava localizada “nas fronteiras da Iduméia (Edom) e Arábia”.
I) A Septuaginta, em alguns versículos no final do livro de Jó, diz que a tradição contemporânea localizava a terra de Uz “nas fronteiras de Edom e Arábia”.

Jó foi o maior de todos os homens do oriente” (Jó 1:3, 13-19).

E o oriente, do ponto de vista do escritor bíblico, quase sempre significava esses países nas margens do deserto árabe, a leste e a sudeste do baixo rio Jordão e do Mar Morto, mas um pouco além de Amom, Moabe e Edom.

Uma vez que Jó, o filho de Issacar, desceu para o Egito e lá permaneceu até o dia da sua morte, ele não poderia ser o patriarca Jó que viveu na terra de Uz até o fim de sua vida (Jó 42: 16,17).

3. O patriarca Jó era o homem mais rico do oriente (Jó 1:3).

Jó, neto de Jacó, desceu para o Egito por causa da fome na terra de Canaã a convite de José que era a única pessoa da família de Jacó, verdadeiramente próspera. E, além disso, com a morte de José, todos os descendentes de Jacó tomaram-se escravos na terra do Egito, fato esse que não ocorreu com o patriarca Jó.

4. A longevidade do patriarca Jó aponta para um período anterior ao de Jacó e talvez até mesmo ao de Abraão, nosso pai na fé.

Por exemplo: Abraão viveu 175 anos, Isaque 185, e Jacó viveu 147. Mas diferente de todos estes Jó viveu cerca de 210 anos.

De acordo com a Bíblia Sagrada, antes da provação, Jó teve sete filhos e três filhas. Ora, para que um casal possa ter dez filhos são necessários pelo menos uns quinze anos.

Se somarmos os quinze anos que eles levaram para ter os primeiros dez filhos, mais os outros possíveis quinze anos para eles terem os outros dez filhos, obteremos um total de trinta anos.

Outro fato que devemos levar em consideração é que Jó viveu, provavelmente, no período patriarcal ou talvez no início desse período, quando a idade estimada para o casamento era de aproximadamente 40 anos (25:20).

Além disso, a Bíblia apresenta um período de provação de Jó, cuja duração está no anonimato.

Pode ser que sejam um, dois, cinco ou dez anos, ou talvez mais, não sabemos ao certo. Por essa razão não iremos computá-lo.

Mas sabemos que, depois que Deus mudou o seu cativeiro e lhe deu outros dez filhos, ele viveu mais 140 anos, e viu os seus filhos e os filhos de seus filhos até a quarta geração (Jó 42:16).

Ora, somando os 40 anos antes do casamento, mais os 30 anos referentes aos 20 filhos e os 140, depois da mudança do cativeiro, teremos um total de cerca de 210 anos.

Essa idade de Jó, tão longa, remete-nos para o período anterior a Abraão, quando os descendentes de Noé gozavam a bênção da longevidade. Vemos isso nas passagens bíblicas a seguir (Gn 11:11,13,15,17,19, 21,23, 32).

5. Por último, a Bíblia não diz que o patriarca Jó era neto de Jacó.

Portanto, se essa reflexão estiver correta, o patriarca Jó, com toda a certeza, não é, e nem pode ser, o neto de Jacó, como alguns querem afirmar.

Biografia: Perguntas difíceis de responder – Elias Soares.

Mais Perguntas e respostas aqui.

Botão Voltar ao topo