5 maneiras de ser um pai melhor

Todo mundo tem pai, mas nem todo mundo tem um pai de verdade.

Na minha opinião, você pode ser “pai” de uma criança biologicamente, mas você só poderá ser um pai de verdade, se tiver o acoplamento intencional de tempo, esforço, amor, afeto e construção de relacionamentos.

Algumas das minhas palavras favoritas na língua portuguesa são “pai” e “papai” porque meus filhos escolheram dizê-las para mim de forma afetuosa. 

Pensando, nisso separei aqui as cinco maneiras de ser um pai melhor.

1. Seja amado por seu Pai Celestial

A primeira, e acredito que a principal, maneira de se tornar um pai melhor é deixar-se amar e ser instruído por seu Pai celestial. 

A Bíblia Sagrada é bastante clara que sem fé em Cristo, não podemos estar na família de Deus. 

Em vez disso, somos como filhos ilegítimos, sem herança ou direito a um Pai, procurando dar tudo aos Seus filhos. 

Em Romanos 8:15-16, o apóstolo Paulo nos deixa saber que o Pai nos adotou, e que agora somos filhos de Deus pelo Seu Espírito. 

“VEDE quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus”. (1João 3:1)

Deus Pai “derramou” Seu amor sobre você. Ele deu Seu amor a você voluntária e intencionalmente. 

Isso significa que Deus o amou para que você possa mostrar esse amor aos outros, especialmente aos seus filhos. 

Nenhuma pessoa pode mostrar amor a outra a menos que seja amada. 

Portanto, a melhor maneira de você crescer em seu amor por seus filhos e descobrir novas profundezas de como amá-los é ser amado por seu Pai Celestial. 

É ler como Jesus fala sobre Ele, orar a Ele, até mesmo imaginar Deus como um Pai amoroso em vez de apenas um ser distante e poderoso. 

Afinal, você tem um pai, um pai que investe na sua vida e no seu futuro.

2. Perdoe seu próprio pai

A maioria das pessoas tem alguma “ferida do pai”, especialmente os homens. 

Queríamos o amor, a atenção, a presença deles ou simplesmente o reconhecimento de que nos viam e se importavam conosco. Muitos de nós, nunca conseguimos isso, então a ferida nunca cicatrizou. 

Em vez disso, permanece aberta, prejudicando a forma como criamos nossos próprios filhos, até que um dia lhes causemos uma ferida assustadoramente semelhante à nossa. Transmitimos a ferida que recebemos, embora tenhamos tentado de tudo para evitá-la.

Contudo, a melhor coisa que você possa fazer como pai, seja perdoar os seus.

Se você é um cristão, isso é algo que você não só é chamado a fazer, mas deve fazer porque você também foi perdoado Mateus 6:14.

O exemplo que Deus nos deu ao perdoar, é incrível. 

O coração do Pai é de compaixão, misericórdia, graça e verdade, entre outras coisas, e isso se estende a nos perdoar quando não merecemos. 

Seu próprio pai pode não merecer o perdão, mas você deve perdoá-lo de qualquer maneira. Não porque ele merece ou mereceu, mas porque seu Pai Celestial o perdoou e lhe mostrou o poder do perdão.

Afinal, o que o Pai fez quando perdoou você por meio de Cristo? Ele atraiu você, como um pai, para Si mesmo. 

Você ama o Pai, é grato a Ele, quer passar tempo com Ele e volta para agradecer a Ele sem cessar porque Ele o perdoou. 

Seu relacionamento com seu Pai Celestial e seu pai terreno são os dois fatores mais importantes sobre que tipo de pai você será para seus filhos. 

Se você perdoar seu pai terreno, orar por ele e tiver um relacionamento melhor com ele, isso curará sua ferida e fará de você um pai melhor para seus filhos. 

3. Aprecie-os quando crianças, crie-os como adultos

A fase infantil é divertida, cansativa, frustrante, gratificante e memorável. Eles são fofos, fofinhos, esnobes, máquinas de comer que precisam de atenção e amor constantes. Não perca esta etapa! 

O ditado comum de “eles crescem tão rápido” é comum por um motivo, eles rolam, rastejam, andam e depois vão para a faculdade. É muito rápido. 

Quando eles estiverem no palco das crianças, aproveite-os, faça vídeos e fotos para registrar o momento e esteja presente em todos eles.

Mas mesmo na fase infantil, lidere-os e leve-os para a idade adulta pouco a pouco. Como pais, não estamos ajudando a criar filhos porque eles já são crianças, estamos ajudando a criar adultos! 

Esta é uma mudança essencial na forma como pensamos sobre nosso relacionamento com nossos filhos. 

Isso significa que podemos nos permitir ser como crianças quando brincamos com eles. Precisamos lutar, fingir, fazer vozes engraçadas, ficar acordado até tarde com eles, sair em aventuras e ter lutas de comida. 

Afinal, esses tipos de oportunidades não têm preço. Brincar e se divertir são fundamentais para o seu desenvolvimento e ajudam a consolidar boas lembranças conosco.

Também podemos ensinar-lhes ao longo do caminho, lições sobre limpeza, disciplina, trabalho em equipe e responsabilidade, entre outras coisas. 

Mesmo que nossos filhos sejam selvagens, e só queiram continuar a brincar, pará-los em certos pontos ou no final para ensiná-los algo sobre ser um adulto vai cair bem quando eles estiverem envolvidos, presentes e sintonizados com você. Então faça os dois!

4. Certifique-se de discipular em amor

A disciplina às vezes tem uma conotação negativa, mas é importante para o desenvolvimento de nossos filhos. Ela é necessária para dominar uma habilidade, dizer não a algo ruim para nós ou ser corrigido quando fazemos algo errado. 

Nossos filhos também precisam de disciplina, especialmente de seus pais.

O escritor de Hebreus diz tanto quanto, eles encorajam a importância e o lugar da disciplina Hebreus 12:9-11.

Deus Pai, nos disciplina como Pais, e nós precisamos disto! 

Precisamos ser corrigidos e atraídos a Ele para sermos melhores pais. É necessário amar a verdade, e ser disciplinados em nossas vidas, para saber o que é ruim para nós, e assim, não passarmos o que é ruim para nossos filhos.

A disciplina realmente “produz o fruto pacífico da justiça”. 

No entanto, você conhece seus filhos melhor do que ninguém; você sabe o que funciona com eles e o que não funciona. O importante é discipliná-los com amor no momento, com a intenção de torná-los melhores no futuro.

5. Tenha a coragem de dizer a eles a verdade de Deus

Como pais, muitas vezes temos todas as “conversas difíceis” e momentos com nossos filhos. As mães também fazem isso, é claro, mas posso dizer por experiência própria que ouvi a frase “vá falar com seu filho…”. 

Pode ser, a voz do “pai” ou simplesmente, usar um tipo de influência diferente do que as mães têm, para ajudar nossos filhos.

Uma das coisas mais importantes que precisam vir de ambos os pais, é dizer a verdade aos nossos filhos. Não me refiro a responder a todas as perguntas quando elas perguntam, porque as crianças precisam de nível de maturidade para lidar com certas informações.

Contudo, pretendo reforçar a verdade de Deus sobre eles e contá-la regularmente.

Em nossa cultura hoje, quase tudo é flexível: verdade, identidade, gênero, preferência sexual, importância emocional, se Deus existe ou não, compromisso e padrões de excelência, só para citar alguns. 

Nossa cultura tem valorizado o indivíduo sobre a comunidade e a preferência pessoal sobre a verdade suprema. Como pais, precisamos falar as verdades de Deus em suas vidas todos os dias.

Embora, isso possa não ser popular em nossa cultura hoje e possa, sem dúvida, trazer problemas, o fim de algumas amizades ou pressão social, precisamos ter a coragem de deixar nossos filhos saberem como Deus os criou e o que Ele falou sobre eles.

Precisamos dizer aos nossos filhos que qualquer que seja o gênero com o qual eles nasceram é quem eles são, e Deus não cometeu um erro ao fazê-los assim. 

Ensine-os, a serem verdadeiros sempre, porque a verdade traz liberdade e conforto. Necessitamos dizer aos nossos filhos que Deus fez homens e mulheres únicos e complementares um ao outro. 

Precisamos ter a coragem de falar a eles sobre a importância da fidelidade, casamento e compromisso com outras pessoas, porque Deus nos fez para glorificá-lo mesmo quando interagimos uns com os outros.

Conclusão sobre as 5 maneiras de ser um pai melhor

Obviamente, existem muitas maneiras de ser um pai melhor, mas acho que essas cinco podem ser fundamentais para termos um relacionamento vitalício com nossos filhos, e podem ajudar a prepará-los para um relacionamento vitalício com Deus. 

Todos os cinco são contraculturais de certa forma, e isso é intencional. 

Nossos filhos passam muito tempo no mundo, com todo tipo de influência sobre eles todos os dias, pois estão longe de nós. 

Como pais, estamos constantemente lutando para dar a eles o que é bom e divino. 

Esta é a nossa tarefa como pais, aproximá-los constantemente de Deus, mesmo que a cultura e a sociedade lutem para afastá-los. 

Talvez a maneira mais incrível de ser um pai melhor, para seus filhos, seja, continuamente, apontá-los para o Pai Celestial, que os ama muito mais do que imaginamos.

Autor: Kile Baker 

Botão Voltar ao topo