O significado bíblico do Pentateuco para os cristãos

O pentateuco, primeiros cinco livros bíblicos, não estão na Bíblia por acaso, mas aprendemos lições importantes sobre a fé cristã.

Os cristãos são descendentes teológicos e culturais dos primeiros judeus, que existiram desde o tempo do primeiro patriarca Abraão, cujos descendentes se tornaram o Povo de Israel. 

Com o tempo, entre os descendentes do povo de Israel chegou à terra, aquele prometido nas Escrituras, isto é, Jesus o Cristo, o Messias.

Portanto, é importante que os cristãos de hoje compreendam a história daqueles muitos anos e compreendam a complexa interação entre Deus e Seu povo escolhido, o Povo de Israel. 

Essa interação abrandou alguns judeus e endureceu outros, levando em última análise, ao dinamismo salvífico existente hoje entre Deus e os cristãos crentes.

Contudo, os cristãos crentes precisam saber sobre aqueles anos entre Abraão e Jesus, pois quanto maior seu conhecimento, mais rica sua compreensão de sua herança redentora. 

Acredito que é um erro e prejudicial aconselhar novos cristãos a evitar explorar os livros do Antigo Testamento, exceto Provérbios e Salmos.

Claro, eles deveriam explorar completamente o Novo Testamento, e até mesmo fazer isso primeiro, mas acredito que este conselho anti-Antigo Testamento é um erro supersessionista que enfraquece a compreensão de um novo cristão do próprio Cristo, da Trindade e de Seu relacionamento, em vez do que o fortalece.

O que é qual o significado de Pentateuco?

A palavra grega Pentateuco, refere-se aos primeiros cinco livros da Bíblia, coletivamente a GênesisÊxodoLevíticoNúmeros e Deuteronômio

Para um judeu, esses cinco livros também são conhecidos coletivamente como Torá, ou A Torá

Tradicionalmente, Moisés é o autor do Pentateuco, com exceção do último capítulo de Deuteronômio (34). Esse capítulo descreve a morte e o sepultamento de Moisés, e também a entrega da liderança judaica a Josué.

Qual é o conteúdo do Pentateuco?

O conteúdo do Pentateuco é nossa formação judaica e também o início de nossa história cristã. Hoje, quando as famílias se reúnem para um feriado, muitas vezes elas se sentam ao redor da mesa ou ao redor do fogo e contam e recontam sua história. 

Este é particularmente o caso quando um novo membro da família, um novo marido ou esposa, por exemplo, é trazido para a família pela primeira vez. O novo membro precisa ouvir e absorver a história da família, retrocedendo por gerações.

E para que nossa história seja verdadeira, ela deve conter tanto a parte boa, quanto a parte ruim. 

Veremos à seguir um resumo das histórias do Pentateuco, divididos pelos seus 5 livros.

1. Gênesis

Deus cria o mundo físico e todos os habitantes vivos em seis dias, incluindo Adão e Eva. O pecado é trazido ao Éden por Satanás, que é responsável pela Queda. 

Os patriarcas e as matriarcas são apresentados. Deus revela que Ele pode ficar farto da maldade humana, e Ele destrói a maioria dos humanos e outras criaturas vivas durante o dilúvio. 

Então, mais tarde, Deus promete ao Seu povo escolhido que eles habitarão em Canaã. Por um tempo, eles habitam na terra prometida, mas depois sofrem com uma fome prolongada, então se mudam para o Egito, onde há comida disponível.

2. Êxodo

O Povo Israel existe no Egito como escravos durante muitas gerações e seu número aumenta consideravelmente. 

Moisés, um judeu, nasceu entre eles. Para preservá-lo de ser executado por decreto real, Moisés é adotado pela princesa do Egito e elevado à idade adulta como um príncipe egípcio. 

Logo após, ter assassinado um senhor de escravos egípcio que estava prejudicando um judeu, Moisés foge para o deserto da Meda, torna-se pastor e se casa. 

Aos pés do Monte Sinai, Moisés encontra Deus na sarça ardente. Por Deus, Moisés é enviado de volta ao Egito para dizer ao Faraó: “Liberte meu povo”. 

Eventualmente, seiscentos mil homens escravizados escapam do Egito, junto com suas esposas e filhos, seguindo Moisés, sendo assim, eles atravessam o Mar Vermelho e acampam no sopé do Monte Sinai. 

Moisés sobe o Monte Sinai e se encontra com Deus novamente, e ali Deus faz uma aliança com o povo de Israel. 

Deus promete guiá-los e protegê-los e mantê-los do mal se eles não tiverem outros deuses diante Dele, e assim Deus dá a Moisés os Dez Mandamentos, em hebraico seu título é Asceret Hadevarim ou “Dez Enunciados”. Sendo assim, Moisés traz as tábuas do monte para mostrar aos israelitas. 

No entanto, enquanto Moisés estava fora, o povo de Israel, que era rebelde, impaciente e egocêntrico, construiu para si um bezerro de ouro para adorar em vez de Deus. 

Com isso, furioso, Moisés quebra as tábuas e volta a subir a montanha para esculpir um novo conjunto de “Declarações” de Deus. 

O restante do Êxodo descreve a construção do Tabernáculo, que é onde as novas tábuas e, os dicta do próprio Deus, devem ser alojadas.

3. Levítico

Este livro é sobre como o povo de Israel deve usar o Tabernáculo que eles construíram, e se concentra nas leis da vida santa. 

Pode haver apenas dez mandamentos, porém existe as leis da vida santa, que são um total de 613! Em hebraico, eles são chamados de mitsvot. As leis são específicas, urgentes, claras, pactuais e não devem ser evitadas. 

Entre outras definições e ações, eles abrangem animais limpos versus impuros, abate ritual, práticas de sacrifício, instruções de culinária, uso adequado e impróprio do fogo, práticas de Shabat, purificação de contaminação humana, relacionamentos humanos, práticas sexuais para desfrutar ou insultar, e assim por diante.

Afinal Levítico, é sobre recompensas e punições.

4. Números

Números retoma a história novamente, seguindo a peregrinação de Israel no deserto, enquanto os escolhidos de Deus avançam em direção à terra anteriormente prometida a eles por Deus, Canaã. 

Vamos ver, no entanto, que devido as rebeliões contra Deus e repetidos tempos de incredulidade, os israelitas estão condenados a vagar por mais quarenta anos, antes de chegarem.

5. Deuteronômio

Tendo chegado à fronteira de Canaã, do outro lado da planície de Jericó, vamos ver os principais discursos de Moisés, nos quais ele adverte o recalcitrante povo de Israel a parar de vacilar sua fé em Deus. 

Pois, Deus cumpriu o Seu lado da aliança, e agora Israel precisa fazer o mesmo. Abandonando seu gosto pela idolatria, abstendo-se de imitar as práticas de adoração dos cananeus. 

Com isso, Moisés é levado por Deus até o cume do monte Pisga. De lá, ele tem permissão para ver a Terra Prometida, embora por causa de seus próprios pecados, Moisés não teve permissão para entrar lá. E então Moisés morre.

O Pentateuco não é apenas nossa história de fundo, é nossa história de vida. Ambos Judeus e cristãos esta é a nossa ancestralidade.

Mas o que tudo isso significa para nós cristãos hoje?

Você percebe algo fascinante sobre nossa história familiar? Nossa família existe há pelo menos 3.200 anos desde o Êxodo. Realmente, estamos aqui há mais tempo do que isso, desde a época de Abraão, mas digamos 3.200 anos para simplificar.

Nosso caminho de volta é tudo sobre amor? Não. Nossa história então e agora é sobre desafiados a viver de acordo com os requisitos de nosso Deus da aliança, uma vez que Ele realizou o que Ele se propôs a fazer por nós. 

Primeiro, Ele criou o universo, incluindo nós. Segundo, Ele nos deu as regras. Terceiro, Ele nos repreendeu ou puniu quando quebramos as regras. 

Mais tarde, Ele fez o que havia prometido em Gênesis 3:15, que enviaria Aquele que feriria a cabeça da serpente maligna, isto é, Ele enviaria Seu Filho, Jesus, o Cristo.

Como foi viajar com o Povo Israel através do deserto? Estávamos todos determinados, vigorosos, resolutos, inabaláveis, intencionados e gravados em pedra em nosso absoluto para seguir as mitsvot, todas as 613 delas? Ou, naquela época, éramos tentados a discutir e reclamar?

Alguns de nossos ancestrais achavam que poderia ser mais confortável adorar um deus como o deus cananeu, Baal. 

Afinal, a adoração a Baal pode ser mais agradável para nós do que adorar nosso Deus, porque a ira de Baal pode se aplacar por atividades comuns, por mais desagradáveis ​​que sejam, como sacrifícios de crianças, orgias no templo ou nos cortar com facas e lanças.

Mas fazer isso pode ser, de longe, melhor do que se curvar diante do rigor do Senhor Deus Todo-Poderoso, o Criador do Universo, diante de Yahweh.

Sobre o significado bíblico do Pentateuco, HOJE, somos tentados a discutir e reclamar?

Alguns podem pensar: “Realmente, quem pode seguir 613 pequenas leis, ou quem gostaria de segui-las, só porque consideram bíblicas e antiquadas?”

Nossos ancestrais no deserto estavam impacientes. Eles estavam cansados ​​das minúcias de Deus, e simplesmente cansados ​​também de andar  e arrastar todas aquelas partes pesadas do Tabernáculo. 

Eles ficaram satisfeitos por Deus ter realizado Sua parte na aliança, mas desejaram que Deus fosse menos exigente. Alguns deles até ansiavam para trás, por suas vidas anteriormente estabelecidas e dietas estáveis ​​como escravos no Egito.

HOJE, os cristãos reagem da mesma maneira

Jesus é um elemento da Trindade, e esse amor da Trindade que nós cristãos devemos entender.

” Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16)

Essa  variedade de amor trinitário, ou seja, a variedade central de amor no centro do cristianismo como fé, essa variedade de amor permitiu a condenação de Jesus, sua terrível tortura e até mesmo a morte humilhante e dolorosa de Jesus: o próprio Filho de Deus!

Deus permitiu até mesmo isso porque Ele desejava tão fortemente fornecer a nós judeus, gentios e cristãos a salvação pessoal e a vida eterna. 

Esse é o amor trinitário que está no coração tanto do Pentateuco quanto das passagens orientadas para o amor do ministério de Jesus aqui na terra.

As duas balanças, os cristãos devem entender isso

As 613 mitsvot são leis, contudo elas estão em um nível, na escala dos eventos humanos diários. Por que elas eram necessárias? Porque Satanás trouxe o mal ao mundo. Elas ainda são necessárias, já que Jesus veio? Sim, elas são. Até a destruição final de Satanás, o mal continuará a existir no mundo. Uma vez salvos, os cristãos perdem a urgência de pecar, mas ainda continuam pecando.

Continuaremos tentados pelo pecado por mais tempo que nossa longa jornada continue a durar. 

A vida mudou nos últimos 3.200 anos, e consequentemente, algumas leis não são mais práticas para seguir hoje. Porém, nossa consciência dessas leis ainda fornece profundidade e riqueza à nossa compreensão do relacionamento pactuado entre Deus e Seu povo, judeus e cristãos.  

No entanto, os dez mandamentos são dimensionados de forma diferente. Eles são fundamentais, não são litigiosos, não expiram. A linguagem deles é de alto drama, Tu deves! Tu Não Deves! 

Eles reverberam com trovões e relâmpagos e com o estalar de rochas e com o vento espantoso do próprio Criador do Universo. Há quatro declarações de quem Deus é, nos dizendo como devemos nos relacionar com Ele. 

Existem seis princípios básicos da sociedade humana decente, que nos dizem como devemos nos relacionar uns com os outros.

Esta é a história… do poder… do Todo Poderoso… para salvar … aqueles a quem Ele ama. 

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo