3 inimigos do cristão e como vencê-los

Todo cristão que deseja ser fiel a Deus enfrenta três inimigos: A carne, o diabo e o mundo. O Diabo e o mundo estão do lado externo; a carne, porém, está do lado de dentro: é a nossa natureza pecaminosa.

“A grande tríade de inimigos para o crescimento cristão contém o mundo, a carne e o diabo.” – RC Sproul

Neste estudo, vamos entender a natureza de cada inimigo e como podemos vencê-los.

1. Inimigo do cristão – A carne

Essa carne se refere à natureza pecaminosa. Antes de mais nada, vamos entender como a Bíblia fala da carne.

Na Bíblia, “carne” tem quatro definições:

  1. tecido muscular (Gênesis 2:21);
  2. o corpo humano (Êxodo 4:7);
  3. fragilidade humana (Salmo 78:39);
  4. natureza pecaminosa (Gálatas 5:19; 6:8).

A expressão “concupiscência da carne” é relevante (1 João 2:16), referindo-se à busca de prazer individual, como glutonaria, sensualidade e bebedeira, revelando egoísmo extremo.

No Novo Testamento, “sarx” em grego significa “carne”, referindo-se à natureza humana pecaminosa, separada de Deus e sem o Espírito Santo.

Paulo mostra as obras da carne que se opõem a Deus, levando o ser humano a agir como se fosse Deus, fora dos planos divinos.

Em Gálatas 5:19-21 ele diz:

19 Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: prostituição, impureza, lascívia,20 idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias,21 invejas, homicídios, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus.

Em Colossenses 3:5,9 ele escreve:

Mortificai, pois, os vossos membros que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, o apetite desordenado, a vil concupiscência e a avareza, que é idolatria;pelas quais coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência;nas quais também, em outro tempo, andastes, quando vivíeis nelas.Mas, agora, despojai-vos também de tudo: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca.Não mintais uns aos outros, pois que  vos despistes do velho homem com os seus feitos

Doutrinariamente, “carne” é a natureza humana após a queda de Adão. Por exemplo, pode referir-se ao corpo humano (1 Coríntios 15:39) ou à natureza pecaminosa (Romanos 8:6).

Não se deve confundir “carne” como corpo e “carne” como natureza pecaminosa. O que é produzido pela natureza pecaminosa, como a idolatria, é reconhecido como obra da carne (Gálatas 5:20).

Como vencer o inimigo carne?

O primeiro passo é reconhecer que todos nós nascemos com uma inclinação para o pecado. Romanos 3:23 afirma: “Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus”.

Segundo, precisamos reconhecer que sozinhos, não podemos vencer a carne. Então, precisamos da força sobrenatural de Deus. Efésios 6:10 diz: “Fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder”.

Com oração, jejum e a leitura da Bíblia, nos fortalecemos para vencer os desejos carnais.

Terceiro, precisamos mortificar a carne. Isso significa negar os desejos pecaminosos e colocar em prática os valores de Deus. Em Colossenses 3:5, Paulo nos orienta: “Mortificai, pois, os vossos membros que estão sobre a terra…”.

Devemos evitar situações tentadoras, ter domínio próprio sobre pensamentos e ações, e buscar pureza em todos os aspectos da vida.

Quarto, o Espírito Santo nos concede poder para viver de acordo com a vontade de Deus. Gálatas 5:16 diz: “Digo, porém: Andai no Espírito, e jamais satisfareis os desejos da carne”.

Buscar o batismo com o Espírito Santo e cultivar seus frutos é essencial para vencer a carne.

Quinto, lembrar da nova natureza em Cristo. Quando aceitamos Jesus Cristo como Salvador, recebemos uma nova natureza. Em 2 Coríntios 5:17, Paulo afirma: “Se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; tudo se tornou novo”.

Ter fé nessa nova identidade e viver de acordo com ela nos fortalece na luta contra a carne.

Sexto, lute com persistência. Vencer a carne é uma batalha contínua. 1 João 1:9 diz: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”.

Podemos até fracassar, mas não se entregar a derrota. O importante é levantar-se, buscar o perdão de Deus e continuar lutando com fé e perseverança.

2. Inimigo do cristão – O diabo

A existência do Diabo como uma figura real é afirmada desde o início da Bíblia. No Antigo Testamento, encontramos relatos de suas ações em diversos livros, como Gênesis, 1 Crônicas, Jó, Salmos, Isaías, Ezequiel e Zacarias.

No Novo Testamento, Jesus menciona o Diabo cerca de 25 vezes nos Evangelhos, atestando sua realidade durante Seu ministério (Mt 13:39; Lc 11:18).

C.S. Lewis escreveu que uma das táticas do Diabo e dos demônios é nos dar um “anestésico” em relação à sua existência, fazendo-nos pensar que eles não são reais. Afinal, não se pode combater eficazmente um inimigo que não se conhece!

De acordo com a Bíblia, Satanás é um ser espiritual que pertencia a uma ordem angelical dos querubins, sendo o mais exaltado deles (Ez 28:12,14).

Ele é descrito como o chefe dos anjos caídos e possui poder, embora suas ações estejam limitadas. Reconhecido como o deus deste século e o príncipe da potestade do ar (2 Co 4.4; Ef 2.2), Satanás demonstra características de personalidade, como inteligência (2 Co 11.3), raiva (Ap 12.17), desejos (Lc 22.31) e vontade própria (Is 14.13,14; 2 Tm 2.26).

Jesus tratava Satanás como uma pessoa, usando pronomes pessoais para se referir a ele (Mt 4.1-12; cf. Jó 1.6-12; 2.1-4).

A Bíblia usa vários nomes para descrever o Diabo, cada um revelando diferentes aspectos de sua natureza e caráter. Ele é chamado de:

  • Serpente, indicando sua sagacidade e astúcia (Gn 3.1; Ap 12.9);
  • Satanás, como adversário ou opositor (Zc 3.1; Mt 4.10; Ap 20.2);
  • Diabo, como acusador (Mt 4.1; Ef 4.27);
  • Maligno, revelando seu caráter (1 Jo 5.18,19);
  • Dragão Vermelho, mostrando sua ferocidade (Ap 12.3,7,9,10);
  • Tentador, pelas tentações no campo da mentira e imoralidade (At 5.3; 1 Co 7.5);
  • Enganador (Ap 12.9; 20.2,3);
  • Belzebu, chefe dos demônios (Lc 11.15);
  • Belial, representando a maldade e falta de valor (Jz 19.22; 1 Sm 30.22; 2 Co 6.15).

Esses nomes revelam a natureza cruel, perversa e destrutiva do nosso inimigo.

Como vencer o inimigo diabo?

Podemos vencer o diabo com a palavra de Deus. Em Mateus 4, Jesus enfrenta o diabo em três tentações distintas. Em cada uma delas, Jesus responde citando passagens do Antigo Testamento. Jesus silencia o diabo e o faz recuar usando a palavra de Deus com sabedoria e autoridade.

Vencemos o inimigo com armadura espiritual. A Bíblia nos instrui a vestir a armadura de Deus para enfrentar qualquer batalha espiritual. Efésios 6:13-18 detalha cada peça da armadura.

Vencemos o inimigo diabo, resistindo a ele. Conforme escrito em Tiago 4:7 “Sujeitai-vos, pois, a Deus; resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.”

Podemos vencer o inimigo vigiando. O diabo é astuto e enganador, por isso é crucial estarmos vigilantes e discernirmos suas artimanhas. 1 Pedro 5:8 alerta: “Sejam sóbrios e vigilantes, porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge, buscando a quem possa tragar”.

3. Inimigo do cristão – O mundo

Vamos primeiramente entender a palavra “mundo” na Bíblia. Ela tem cinco conotações:

  1. Terra (Sl 24.1);
  2. Conjunto das nações conhecidas (1 Rs 10.23);
  3. Raça humana (Sl 9.8; Jo 3.16);
  4. Universo (Rm 1.20);
  5. Aqueles que se opõem a Deus, liderados pelo Diabo, vivendo na impiedade (Jo 12.31; 15.18).

Geralmente, a Bíblia descreve duas grandes realidades com a palavra “mundo“:

  • O planeta Terra (Salmo 19:4);
  • Pessoas que vivem independentemente de Deus, manifestando-se contrariamente a Ele, dominadas por vícios e ações contrárias à Sua vontade.

Em 1 João 2.15, “não amar o mundo” refere-se a essa sociedade separada de Cristo e imersa em vícios infames.

Três Níveis de Vícios Infames

  1. Concupiscência da carne: Natureza humana dominada pelo pecado, agindo de forma corrupta e imoral.
  2. Concupiscência dos olhos: Desejo por coisas pecaminosas, alimentado por influências externas como mídia e entretenimento.
  3. Soberba da vida: Autoglorificação, egoísmo e rejeição deliberada de Deus.

Um sistema carnal, controlado pelo Maligno, busca nos desviar do caminho para o céu com ideologias anticristãs e estilos de vida que não glorificam a Deus.

Como vencer o inimigo mundo?

Em primeiro lugar, precisamos buscar ser “cheio do Espírito” (Efésios 5:18). Isso é essencial para vencer as tentações e viver de acordo com os princípios de Deus. O Espírito Santo nos concede força, discernimento, amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio (Gálatas 5:22-23).

Através da oração, jejum, leitura da Bíblia, adoração e participação em cultos, podemos cultivar uma relação profunda com o Espírito Santo e receber seus frutos em nossas vidas.

Segundo, precisamos viver “em Cristo Jesus” (Mateus 7:21). Isso significa ter fé em Jesus como Senhor e Salvador, reconhecendo-o como o centro da nossa vida. Ou seja, andar em Seus passos, obedecer Seus ensinamentos e buscar Sua vontade em todas as áreas da vida.

Para os cristãos vencerem seus inimigos, precisam viver constantemente sob a presença do Espírito Santo, preparados e fortalecidos em Deus.

“Filhinhos, sois de Deus e  os tendes vencido, porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo.” 1 João 4:4

André Lourenço

Bacharel em Teologia, Graduado em Gestão da Qualidade e Pós Graduando em Psicologia nas Organizações, André possui mais de 17 anos de experiência na pregação e ensino da Bíblia. É Professor de cursos de Homilética e Hermenêutica. Já escreveu centenas de estudos bíblicos e ministra aulas na EBD. Se considera um eterno aprendiz e apaixonado por Compartilhar a Palavra de Deus!

Artigos relacionados

2 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!