Palavra da Sabedoria O que é e o que Significa

Palavra da Sabedoria é uma capacitação divina sobrenatural para tomada de decisões sábias e em circunstâncias extremamente difíceis.

PALAVRA DA SABEDORIA

É um dom da parte da sabedoria de Deus, com a finalidade de propiciar entendimento, na ministração da palavra ou pregação.

É de grande valor na tarefa de aconselhamento, em situações que demandam uma orientação sábia, notadamente no ministério pastoral.

E de fundamental importância no exercício da liderança, da administração eclesiástica, na separação de obreiros, ultrapassando os limites do saber intelectual ou humano.

Jesus agradeceu ao Pai por essa revelação:

“Naquela mesma hora, se alegrou Jesus no Espírito Santo e disse: Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste essas coisas aos sábios e inteligentes e as revelaste às criancinhas; assim é, ó Pai, porque assim te aprouve” (Lc 10.21).

O BENEFÍCIO DO DOM PARA O MINISTÉRIO

Esse dom proporciona, pela operação do Espírito Santo, uma compreensão (Ef 3.4) da profundidade da sabedoria de Deus.

E, ensina a aplicá-la, seja no trabalho seja nas decisões no serviço do Senhor, e a expô-la a outros, de modo a ser bem entendida.

Quando os que dirigem a igreja local contam com esse dom, dispõem de uma diversidade de serviços ou ministérios que dinamizam o trabalho da
igreja (1 Co 12.28) e a edificação da igreja é feita com sabedoria (1 Co 3.10).

Quando surgem problemas, no meio da congregação, as soluções são encontradas com a ajuda do Espírito Santo (At 6.1-7; 15.11-21).

Paulo recebeu essa visão, de que há uma sabedoria sublime, quando
escreveu aos coríntios, dizendo:

“Mas Deus no-las revelou pelo seu Espírito; porque o Espírito penetra todas as coisas, ainda as profundezas de Deus.” (1 Co 2.9-11).

Essa sabedoria é de altíssimo nível, e transcende os limites da sabedoria natural ou humana.

Não se adquire nas escolas seculares, nem também nas escolas teológicas ou filosóficas.

Ela é concedida por Deus, a quem Ele quer, visando atender à necessidade da igreja, ou individual.

Principalmente em ocasiões em que o saber natural é insuficiente para a tomada de decisões, ou resoluções difíceis.

PALAVRA DA SABEDORIA NO ANTIGO TESTAMENTO

No Antigo Testamento, temos alguns exemplos marcantes dessa revelação da sabedoria de Deus.

Vemos tal sabedoria na construção do Tabernáculo (Êx 36.1,2).

José, filho de Jacó, teve momentos especiais em sua vida, em que demonstrou ter a sabedoria concedida por Deus, em situações extremamente significativas.

Na prisão, interpretou sonhos de servos de Faraó, os quais se cumpriram plenamente.

Chamado ao palácio real, diante de todos os sábios, adivinhos e conselheiros do rei, interpretou os sonhos proféticos que Deus concedera a Faraó.

E, ainda deu instruções e consultoria sobre planejamento, economia, contabilidade e finanças a Faraó.

Se não fosse a sabedoria do Espírito de Deus, jamais o jovem hebreu teria tamanha capacidade para interpretar os misteriosos sonhos das vacas gordas e das vacas magras, e foi elevado à posição de Governador do Egito (Gn 41.14-41).

A proverbial sabedoria de Salomão era, sem dúvida alguma, manifestação da sabedoria de Deus, para a resolução de “causas impossíveis”.

O caso das duas mulheres, que disputavam a mesma criança demonstra
tal capacidade, proveniente do Espírito de Deus (1 Rs 3.16-28).

Antes de desviar-se dos caminhos do Senhor, em sua velhice, Salomão foi um exemplo como beneficiário da sublime sabedoria de Deus.

“E era a sabedoria de Salomão maior do que a sabedoria de todos os do Oriente e do que toda a sabedoria dos egípcios” (1 Rs 4.29,30).

PALAVRA DA SABEDORIA NO NOVO TESTAMENTO

Em o Novo Testamento, há diversas referências quanto à aplicabilidade dessa sabedoria divina.

Paulo exorta aos colossenses a que saibam transmitir a palavra aos ouvintes, dizendo:

“Andai com sabedoria para com os que estão de fora, remindo o tempo. A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um” (Cl 4.5,6).

Podemos ver o exemplo de Estevão que expos as Escrituras com muita sabedoria.

O livro de Atos conta-nos que os sábios da sinagoga, chamada dos libertos nçao puderam resistir à sabedoria e ao Epírito com que falava.

A falta dessa sabedoria de Deus pode causar graves prejuízos à pregação do evangelho.

PALAVRA DA SABEDORIA NA PREGAÇÃO

Há pregadores que usam o púlpito, em eventos evangelísticos, de maneira arrogante e prepotente.

Houve um que dizia, para uma grande multidão, que os pastores eram um bando de trambiqueiros, e que a igreja estava ultrapassada.

A sabedoria desse tipo de pregador não é do Espírito Santo.

“Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrena, animal e diabólica”(Tg 3.15).

Na vida de Jesus, como o “Filho do Homem”, por diversas vezes, ele demonstrou essa sabedoria vinda do Alto.

Ao chegar à sua pátria, causou profunda admiração em seus conterrâneos, por causa da sabedoria como que ministrava a mensagem.

“E, chegando à sua pátria, ensinava-os na sinagoga deles, de sorte que se maravilhavam e diziam: Donde veio a este a sabedoria e estas maravilhas?” (Mt 13.54-56).

Essa mesma sabedoria tem sido identificada, na vida de irmãos humildes, ao longo da História da Igreja.

Há casos em que pessoas de pouca instrução formal, usadas por Deus, transmitem mensagens de profundo significado e conteúdo espiritual, que provocam admiração nos que o ouvem.

Em Natal, décadas atrás, o folclorista Luís da Câmara Cascudo, um dos ícones da literatura nacional, estava num culto, na Assembleia de Deus.

Foi dada oportunidade a um crente muito humilde, que, cheio do Espírito Santo, entregou a mensagem na unção de Deus.

O ilustre visitante não se conteve, e exclamou: “Esse homem prega e mostra o céu por dentro!”.

CONCLUSÃO

É interessante que anotemos que o dom da palavra da sabedoria não faz do seu portador uma pessoa mais sábia do que as outras.

Diz Horton: “O Espírito não torna a pessoa sábia por meio deste dom, nem
significa que a pessoa mais tarde não possa cometer erros (o exemplo
do rei Salomão que, no fim da vida, não só errou, mas pecou)”.

curso escatologia napoleão falcão

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


  1. Estudo maravilhoso estou gostando muito agora gasto meu tempo estudando a biblioteca do pregador muito grato.

Este site utiliza Cookies e Tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência. Ao utilizar nosso site você concorda que está de acordo com a nossa Política de Privacidade.