7 passos comprovados para superar o ressentimento e deixar de lado a amargura

Com esses passos comprovados você pode superar o ressentimento e deixar de lado a amargura.

“Porque sem mim nada podeis fazer.” (João 15:5)

A dor nos tenta a aceitar uma variedade de emoções irracionais. Não pretendemos nos tornar pessoas amargas em nossos relacionamentos, mas dependendo das circunstâncias, acontece.

No entanto, a bíblia sagrada, nos adverte quanto a isso.

“Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira”. (Efésios 4:26)

A amargura é caracterizada por intenso cinismo, antagonismo ou hostilidade. 

A maior parte de nossa amargura e raiva para com os outros está enraizada na incapacidade de ficar profundamente maravilhado com o amor de Cristo por nós em nosso pecado.” (John Piper)

Também interfere no perdão e dificulta a aceitação de certas realidades.

O ressentimento é, portanto, o subproduto da amargura e da raiva descontrolada nos relacionamentos, na maioria das vezes no casamento

“Mas agora, despojai-vos também de tudo: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca.” (Colossenses 3:8)

O ressentimento pode se transformar de uma reação comportamental, em um traço de personalidade. No entanto, quando Cristo costura nossas feridas, o sangramento é estancado, e a paz é restaurada.

4 sinais de ressentimento nos relacionamentos

1. Raiva  

A raiva se torna perigosa quando encontramos nossa identidade nas  pessoas, propósitos e bens pelos quais somos tão apaixonados. 

A incapacidade de deixar de lado a raiva, nos torna rabugentos e impacientes com outras pessoas.

2. Falta de perdão

perdão deve ser dado aos cristãos, porque afinal, nós fomos perdoados. 

Quando conseguimos nos libertar de todo o ressentimento e amargura, significa que perdoamos!

Todavia, perdoar é uma decisão, e não apenas um ato de amor. Ao perdoar alguém você está decidindo abandonar o sofrimento que outra pessoa te causou.

3. Ingratidão 

A Bíblia nos aconselha a levar cativo todo pensamento (2 Coríntios 10:5). 

Quando estamos na presença daqueles que nos machucam, queremos que eles se sintam mal! Ou seja, a ingratidão nos faz alinhar nossas vidas em contraste com a injustiça que sentimos.

Afinal, isso é uma armadilha para o orgulho.

4. Falta de empatia

Não podemos deixar a comparação roubar nossa capacidade de ver as lutas diárias por trás dos sorrisos. 

Uma vez que fomos injustiçados, podemos não procurar oportunidades para retribuir os erros, mas muitas vezes, paramos de procurar oportunidades para abençoar. 

4 sinais de amargura em sua vida

1. Desesperança

O que as figuras bíblicas fizeram para combater o início da amargura? 

Constantemente, eles lutaram com Deus em oração e não perderam a fé em Suas promessas ou caráter. A bíblia sagrada, aconselha “Ore sobre tudo”. (Filipenses 4:6)

2. Discórdia

“Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor; Tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem”. (Hebreus 12:14-15) 

A palavra hebraica para amargura significa uma raiz amarga, produzindo assim, um fruto amargo. 

Quando não levamos nossas mágoas a Deus, a amargura cria bebês defensivos e desconfiados.

3. Fofoca

A divulgação de informações erradas ou fatos incertos sobre outra pessoa, indica que uma raiz de amargura pode estar lentamente tomando conta do coração da pessoa.

4. Padrões duplos

O egoísmo, por outro lado, nos faz perder de vista aqueles que Deus colocou em nossas vidas para nos confortar, encorajar e amar. 

“No nosso caso, aceitamos desculpas com muita facilidade; mas de outras pessoas não as aceitamos com bastante facilidade.” – CS Lewis

Aqui estão os 7 passos comprovados para superar o ressentimento e deixar de lado a amargura:

Passo 1: Ação de Graças

“Que conselho sábio! Não briguento, mas gentil. Não irritado, mas paciente… mesmo quando injustiçado. Sem raiva, mas gentil.” (Chuck Swindoll) Defina. Encarar. Reconheça. Substitua-o. 

“Quando Deus adverte Seus eleitos a não se desviarem, Ele os capacita a responder.” 

Fazemos isso com a orientação da verdade de Deus, e Ele nos faz crescer através do processo. 

“E o servo do Senhor não deve ser briguento, mas deve ser benigno para com todos, capaz de ensinar e não se ressentir”. (2 Timóteo 2:24-26)

Restaure a ação de graças, fazendo uma lista de gratidão ou memorizando um versículo bíblico, para redefinir o tom. 

“Finalmente, irmãos, tudo o que for verdadeiro, tudo o que for nobre, tudo o que for correto, tudo o que for puro, tudo o que for amável, tudo o que for de boa fama, se alguma coisa for excelente ou louvável, pense nessas coisas”. (Filipenses 4:8)

Passo 2: Torne-se melhor, não amargo

“PORTANTO, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus“. (Colossenses 3:1)

Quando os irmãos de José viram seu pai morto, eles disseram: 

“E se José guardar rancor contra nós e nos pagar por todos os males que fizemos a ele?” (Gênesis 50:15)

Porém, José escolheu o poder e a paz do perdão. A sabedoria de crescer na verdade de Deus nos permite estabelecer limites saudáveis ​​para a amargura. 

Dando-nos, portanto, uma perspectiva divina, para ver as coisas de uma maneira nova e diferente, permitindo-nos seguir em frente.

Abrace a empatia sobre a culpa. Afinal, desafios relacionais e tragédias pessoais, são subprodutos de um mundo caído. 

O amor de Deus tem o poder de nos levar através de cada obstáculo que enfrentamos. 

“Comece atendendo a tudo o que pode mostrar que o outro homem não era tão culpado quanto pensávamos.”  CS Lewis  

“Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?” (1 João 4:20)

Passo 3: Pare de se preocupar em sua caminhada

“Por que eu?” é nossa reação instintiva ao sofrimento e à injustiça, mas alimentar a amargura apenas multiplica a dor. 

“ Satanás sabe que a amargura é muito eficaz com os seguidores de Cristo, e ele fará o que puder para manter esse ciclo em nossas vidas… Sempre teremos a escolha: parar o ciclo ou continuar o ciclo.” Nicki Koziarz

Nossos ofensores não gastam tanto tempo pensando em como nos machucaram. A Bíblia nos adverte:

“Se preocupar até a morte com ressentimento seria uma coisa tola e sem sentido de se fazer”. (Jó 5:2)

Muitas vezes, nos fixamos no problema, causando mais problemas, em vez de entregá-los a Deus e confiar em Sua resposta. 

“Quando cedemos ao ressentimento, agimos de maneira autodestrutiva e nos machucamos muito mais do que aqueles de quem guardamos rancor.” -Rick Warren

Passo 4: Busque a Verdade

Relacionamentos saudáveis ​​estão enraizados na honestidade. A busca diária da Verdade de Deus nos mantém fundamentados e mais capazes de buscá-la. 

“Davi passou anos no campo pastoreando, meditando e aprendendo a usar um estilingue”, escreveu Kaitlin Miller, para usar sua música para nos ensinar sobre o verdadeiro Bom Pastor que ele conheceu e amou nas encostas.” (Salmos 23Salmos 121)

A busca diária por nosso Pai, mantém a amargura e o ressentimento afastados. 

Embora, seja desconfortável se comunicar com nossos ofensores, orar nas conversas necessárias, traz cura e paz. Mesmo que nossos problemas não sejam resolvidos, o esforço vale a pena.

Passo 5: Confissão…

Todos nós somos propensos a vagar e nascer em pecado. 

“A verdadeira cura não virá finalmente da identificação das causas ou da atribuição de culpa, mas da confiança em Deus.” (Marechal Segal)  

Quando Deus libertou Seu povo dos egípcios, eles ainda encontraram muito do que reclamar. 

Quando Pedro viu os soldados vindo para levar Jesus, cortou uma orelha! 

Afinal, nossa humanidade padroniza para o status reacionário. O único caminho para a libertação da amargura é pelo perdão de Deus .

Jesus veio para limpar a lousa, apesar de nossa natureza pecaminosa 

“ Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça”. (1 João 1:9)

Às vezes, um olhar no espelho revela a amargura e o ressentimento que guardamos. Talvez, o que passamos não tenha sido nossa culpa, mas nossa reação pede confissão.

Passo 6: Não tente mudar as pessoas

Muitas vezes caminhamos pela vida com atitudes facilmente ofendidas, autoconsumidas, colocadas umas contra as outras, mesmo quando ninguém estava intencionalmente tentando causar dor. 

“Muitas vezes nos sentimos culpados quando as palavras ou o comportamento não têm nenhuma intenção pecaminosa por trás delas, e se tentássemos perdoar tal comportamento, seria ofensivo porque a outra pessoa nem sente que ela ou ele pecou, contra nós.” – John Piper

Cristo nos chama a abaixar nosso senhorio e, em vez disso, buscar amor e compreensão. 

“Seja a vossa eqüidade notória a todos os homens. Perto está o SENHOR.” (Fp 4:5)

Ninguém argumenta com Cristo, e somente Deus é capaz de mudar corações. Há, apenas, uma razão pela qual Deus nos diz para orar por nossos inimigos, não tentar mudá-los. 

Passo 7: Faça do perdão um dado

Se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai vos não perdoará as vossas ofensas.” (Mateus 6:15)

O perdão pode não restaurar a confiança em um relacionamento rompido, mas nos permite livrar-nos da amargura e do ressentimento. 

“Ser cristão significa perdoar o imperdoável, porque Deus perdoou o imperdoável em você.” (CS Lewis)

Com limites saudáveis ​​para evitar mágoas repetitivas, podemos permitir que nossas mágoas se curem, através, do perdão.

o apóstolo Paulo enfatizou a importância do perdão em sua carta aos efésios: 

“Sede bondosos e compassivos uns para com os outros, perdoando-vos uns aos outros, assim como Deus vos perdoou em Cristo.” (Efésios 4:32)

O perdão, portanto, provou ser eficaz no tratamento das doenças de ansiedade e depressão. . . mesmo sintomas físicos! 

“É o antídoto mais potente para o desejo venenoso de justiça retributiva que envenena seu sistema“. (Leon F Seltzer Ph.D)

Uma oração para superar o ressentimento e a amargura

Pai, de uma maneira que somente o Senhor pode, mova nossos corações em direção à compaixão e paz quando nossa raiva se inflamar. Limpe nossos corações de amargura e ressentimento. Pois, Cristo morreu na cruz para perdoar nossos pecados. Senhor, faça de nós um canal do Teu Amor. Poda-nos dos hábitos e relacionamentos que nos desviam. Revela-nos encorajamento e esperança em Tua Palavra. Pois em ti, somos uma nova criatura. Obrigado por nos transformar, por mais doloroso que o crescimento possa ser, e nos aproximar de ti, com cada nota de amargura e ressentimento que derramamos. Proteja-nos de abrigar essas emoções doentias e guarde nossos corações, enquanto, tropeçamos nos passos de Jesus. Nós Te amamos, SENHOR. Confiamos em Ti com nossas vidas e oramos para que seu propósito se cumpra. Que todos os que testemunham nossas vidas, conheçam Teu amor indescritível pela maneira como vivemos.
Em Nome de Jesus, Amém.”

Emfim, a fé enraizada por uma inclinação desesperada em Seu Amor derrotará a amargura e o ressentimento. Em Cristo, emergiremos de cada rodada de mágoa, um passo mais perto dEle. . . e esperançosamente, um ao outro. Pois, acima de todas as coisas, está o Amor.

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo