Quem foi a mulher adúltera na Bíblia? História e lições da mulher que foi pega no ato do adultério

Sabemos que dentro dos templos, ainda hoje existem os mais variados tipos de fariseus, ou seja, os ditos líderes zelosos, porém, com um coração vingativo e rancoroso.

A história dessa mulher adúltera, vai nos mostrar o que é realmente amar o próximo como a nós mesmos.

À seguir, vamos conhecer quem foi essa mulher adúltera, sua história e as lições valiosas que podemos aprender com essa pecadora que alcançou o perdão e o favor de Deus.

Quem foi e qual o nome da mulher adúltera 

A história da mulher adúltera é contada no Novo Testamento da Bíblia, no Evangelho de João 8:1-11.

Contudo, o nome desta personagem não é mencionado na bíblia. Sendo simplesmente descrita como “uma mulher apanhada em adultério“.

O fato de o nome da mulher não ser mencionado é provavelmente porque o objetivo da história é ensinar sobre a graça e a misericórdia de Jesus, em vez de focar em um indivíduo específico.

História da mulher apanhada em adultério

história da mulher adúltera

Naquela época, a lei judaica era baseada na Torá, que prescrevia a pena de apedrejamento para a prática do adultério. Essa pena era aplicada quando duas testemunhas confirmavam o ato sexual ilícito, ou quando o próprio acusado confessava o crime. No entanto, o julgamento deveria seguir um rigoroso processo legal, que incluía a convocação de testemunhas, a verificação da veracidade das acusações e a confirmação da culpabilidade do acusado.

No caso da mulher apanhada em adultério, não há informações sobre a forma como ela foi flagrada ou como foi conduzida ao templo. O fato de estar seminua sugere que ela pode ter sido arrastada até lá, o que indica uma possível violência em sua detenção.

Além disso, a atitude dos escribas e fariseus em trazer essa mulher diante de Jesus não foi motivada por um interesse em fazer justiça, mas sim em testar a autoridade e a sabedoria do mestre. Eles não trouxeram o homem com quem a mulher teria cometido adultério, o que mostra que a intenção não era apenas condená-la mas sim para prejudicar a Jesus.

Ao desafiarem Jesus a julgar a mulher, os escribas e fariseus estavam buscando uma armadilha. Se Jesus tivesse concordado com a punição, eles o teriam acusado de desobedecer às leis romanas, que reservavam ao Estado o direito de impor a pena de morte. Se Jesus tivesse se recusado a condenar a mulher, os líderes religiosos o acusariam de violar a lei judaica.

Mas a resposta de Jesus foi genial. Ao escrever no chão, ele mostrou sua indiferença em relação às emoções e à provocação dos escribas e fariseus. Ao dizer “Aquele que entre vós está sem pecado seja o primeiro que lhe atire a primeira pedra”, Jesus colocou os acusadores no mesmo patamar da mulher, pois todos eram pecadores. E ao se baixar novamente para escrever na poeira, Jesus deixou claro que não estava interessado em condenar ninguém.

Quando todos os acusadores se retiraram, Jesus se dirigiu à mulher, que provavelmente estava apavorada e envergonhada, e só esperava uma chance de recomeçar sua vida sem julgamentos ou condenações.

Jesus porém lhe perguntou: Mulher, onde estão os seus acusadores? Ninguém te condenou? Então a mulher lhe respondeu: Ninguém Senhor! Jesus então repondeu para a mulher: Nem tampouco eu te condeno; vai e não peques mais.

Essa atitude de compaixão e misericórdia de Jesus foi um exemplo de amor e graça para a mulher e para todos os que testemunharam a cena.

Lições da mulher apanhada em adultério 

lições da mulher adúltera

1 – Tenha cuidado com as pessoas que não valorizam e protegem o seu valor

A história da mulher adúltera nos ensina que devemos ter cuidado com as pessoas que não valorizam e protegem nosso valor como seres humanos. Essas pessoas geralmente nos vêem como objetos ou peças de um jogo, usados ​​para sentir suas necessidades sem levar em consideração nossos sentimentos, sonhos e esperanças.

A história nos conta que essa mulher foi arrastada seminua na frente de uma multidão, para ser apedrejada até a morte. Sendo tratada como um objeto qualquer, e não como um ser humano. Os fariseus e escribas que a trouxeram a Jesus não se importavam com ela, apenas a usaram como uma armadilha para pegar Jesus.

É importante que, em nossos relacionamentos, estejamos cercados por pessoas que nos valorizam e nos respeitam. Pessoas que nos ajudam a tomar boas decisões e nos orientam para a luz, que nos avisam quando estamos indo na direção errada e nos encorajam a perseguir nossos sonhos e aspirações.

Devemos buscar estar em comunidade com pessoas que conhecem nosso valor em Cristo e nos honram por isso. Devemos nos cercar de pessoas que nos incentivam a crescer em nossa fé e nos apoiem em nossos esforços para seguir a vontade de Deus. Isso nos ajuda a crescer como seres humanos e como cristãos, e viver uma vida plena e satisfatória.

2. Sem amor o evangelho vira pura religiosidade

Os fariseus na história da mulher adúltera eram muito religiosos e cumpriam todas as leis e rituais da religião judaica. Eles pareciam ser muito devotos e espirituais, mas na verdade não tinham amor em seus corações. Eles estavam mais preocupados em julgar e condenar do que em amar e ajudar.

Isso nos mostra que a religião e a espiritualidade sem amor não honram a Deus. A Bíblia nos ensina que o amor é a essência de Deus e que Ele nos ama incondicionalmente. Devemos seguir as leis de Deus e sermos fiéis a Ele, fazendo isso com amor e compaixão. Se não temos amor em nossos corações, nossas ações religiosas são inúteis e vazias.

Portanto, devemos nos concentrar em amar a Deus e amar as pessoas ao nosso redor. Devemos buscar o amor e a compaixão em nossas vidas e deixar que isso guie nossas ações e decisões. Quando temos amor em nossos corações, honramos a Deus e vivemos uma vida espiritual abundante.

3. Não julgueis, mas reconheça o seu próprio pecado

Muitas vezes, é fácil cair na armadilha de julgar os outros sem reconhecer nossos próprios erros. Isso é especialmente verdadeiro em situações em que há clara violação da moral ou da lei, como no caso da mulher apanhada em adultério.

Os fariseus e escribas da época se concentraram em condenar a mulher sem reconhecer sua própria imperfeição. Eles não viram seu próprio pecado ao orquestrar a situação que levou ao adultério.

Além disso, o homem com quem a mulher estava envolvida também deveria ter estado presente, mas os fariseus não o julgaram. É possível que alguns deles também estivessem cometendo o mesmo pecado e, portanto, não desejassem um de seus próprios.

Infelizmente, essa mentalidade legalista e crítica ainda existe em nossos dias. Muitas pessoas estão sempre prontas para apontar o erro dos outros, mas não conseguem ver seus próprios defeitos.

No entanto, devemos nos lembrar que todos somos seres humanos pecadores e imperfeitos. Em vez de julgar, devemos mostrar compaixão e amor aos outros, independentemente de suas falhas.

Reconhecer nossa própria imperfeição e aceitar o amor e o perdão de Deus. Somente quando aceitamos nosso próprio pecado podemos mostrar verdadeira compaixão aos outros.

4. Devemos estar atentos as nossas escolhas

Devemos ter consciência em nossas escolhas, sabendo discernir que vivemos em um mundo cheio de problemas e imperfeições.

Quanto à mulher adúltera, é verdade que ela tinha problemas e fez escolhas que a levaram a uma situação. No entanto, os homens religiosos que prenderam tiveram motivações impuras e usaram sua situação para tentar prender Jesus. Isso não significa que a mulher era apenas uma vítima impotente da batalha cósmica entre Deus e Satanás.

Em vez de ver a vida como uma luta constante entre Deus e Satanás, é importante lembrar que Deus é um Deus de amor e misericórdia, e que Ele nos dá a liberdade de escolher e enfrentar as consequências dessas escolhas. É claro que a vida espiritual pode ser difícil às vezes, mas isso não significa que não podemos encontrar alegria e paz no meio às lutas e desafios.

Concentre-se, no entanto em confiar em Deus e em Seu amor e graça, sabendo que Ele está sempre conosco, independentemente das circunstâncias.

5. Deus é o único que sabe lidar com todas as nossas dificuldades

Quando os fariseus trouxeram uma mulher pega em adultério para Jesus, Ele não respondeu imediatamente. Isso foi uma armadilha para colocá-lo em uma posição difícil.

Se a resposta de Jesus fosse para que eles libertassem a mulher adúltera, os escribas e fariseus acusariam Jesus de violar a lei de Moisés. Se Jesus concordasse em apedrejar aquela mulher, com toda certeza Jesus seria acusado de violar a lei romana e seus ensinamentos.

No entanto, Jesus sabia exatamente como lidar com aquela situação. Com muita sabedoria e graça, respondeu aos Fariseus e escribas, de froma que os fez reconhecer que eram pecadores, também.

Quando você enfrentar problemas em sua vida, pode confiar em Deus para orientá-lo e ajudá-lo a encontrar uma solução. Ele é onisciente, onipotente e sempre tem uma estratégia para ajudá-lo a superar as dificuldades.

Não importa o que você esteja enfrentando – problemas no trabalho, conflitos familiares, problemas de relacionamento ou outros desafios – Deus está sempre lá para ajudá-lo. Você só precisa pedir a Ele e confiar que Ele tem a resposta certa.

Lembre-se de que Deus está sempre ao seu lado e quer o melhor para você. Confie Nele e você encontrará a força e a sabedoria para superar qualquer situação.

6. Deus quer tenhamos experiência para conhecermos quem Ele é

Deus é muito mais do que um avô carrancudo que está sempre pronto para punir os pecadores. Ele é amoroso, misericordioso e compassivo, e quer que você o conheça de maneira mais profunda e significativa.

Infelizmente, muitas pessoas são enganadas e influenciadas pelas mentiras do inimigo. Não sabendo discernir Jesus da forma em que Ele é. Eles podem estar tão preocupados em seguir as regras e as leis que esquecem de conhecer o Deus que as criou.

Mas, se você quer experimentar a verdadeira liberdade e alcançar os planos que Deus tem para você, precisa entender quem Ele é. Deus não deseja puni-lo por seus erros, mas deseja perdoá-lo e libertá-lo de toda culpa e vergonha.

Então, se você está lutando contra o pecado, saiba que Deus está pronto para perdoá-lo. Ele está esperando que você se aproxime dele, confesse seus pecados e permita que Ele trabalhe em sua vida. Quando você começa a conhecer a Deus de uma maneira mais profunda, você experimenta a verdadeira liberdade que só Ele pode oferecer.

Conclusão

Esta é uma história poderosa do amor, perdão e da graça de Deus. Embora as pessoas possam tentar usar nossos pecados e fraquezas contra nós, Deus está sempre nos dando uma chance de redenção.

Ele não se preocupa com o nosso passado, mas sim com o nosso futuro. Deus está sempre nos dando uma nova chance de recomeçar e nos tornarmos quem Ele sempre quis que fôssemos.

Quando sofremos algum tipo de acusação, Deus está lá para nos defender. Se nos sentimos perdidos, Deus nos guia de volta ao caminho certo. Quando estamos machucados, Deus nos cura.

Seu maior desejo é nos ver vivendo vidas santas e abundantes, cheias de alegria e paz. E Ele nos capacita a alcançar isso através de Seu amor e graça transformadora. Com Deus ao nosso lado, podemos enfrentar qualquer desafio e superar qualquer obstáculo.

Indiara Lourenço

Com mais de 20 anos atuando na Pregação e Ensino, Indiara possui experiência em ministério infantil, jovem e feminino. Estudante de Teologia e ministra aulas na EBD. Mãe, esposa e serva que ama fazer a obra de Deus. Contagia a todos com sua alegria e inspira com palavras motivadoras, deixando um impacto positivo por onde passa.
Botão Voltar ao topo