Quem foi Maria Madalena na Bíblia?

Nem todos os relatos da vida, morte e ressurreição de Jesus se concentram nos mesmos eventos e detalhes, mas todos os quatro atestam que Maria Madalena testemunhou a crucificação e o sepultamento de Jesus

Sua conexão com Jesus era inegável. A cura que ocorreu em sua vida por causa de Sua presença milagrosa inspirou a dedicação de sua vida para seguir Jesus até Seu sepultamento… até que ela não podia mais ver fisicamente seu Salvador.

O desejo desesperado de Maria de estar perto de Cristo, de servi-lo de qualquer maneira que pudesse, tornou-se o modo como ela viveu sua vida. 

Ela sabia que não teria uma vida para viver se não fosse por Ele. O que Maria viveu diariamente é a fé que todos nos esforçamos para alcançar. 

O que havia de tão especial em Maria Madalena, que Jesus a escolheu para sair de uma história tão extravagante? Quem era realmente Maria Madalena, e o que aconteceu com ela depois da ressurreição de Cristo?

Aqui estão cinco perguntas respondidas sobre a vida e história de Maria Madalena na Bíblia

Quem foi Maria Madalena na Bíblia? E o que causou sua necessidade de cura?

“Jesus viajava de uma cidade e aldeia para outra, proclamando as boas novas do reino de Deus. Ali estavam com ele doze, e também algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e doenças: Maria (chamada Madalena), de quem saíram sete demônios…” (Lucas 8:1-2).

Maria era uma mulher judia da cidade de Magdala, na margem ocidental do Mar da Galileia. 

Seu nome aparece 12 vezes nos Evangelhos, mais do que a maioria dos apóstolos. 

Marcos e Lucas registraram a cura de demônios da vida de Maria em seus relatos evangélicos. 

Para ter uma ideia de como deve ter sido para Maria sofrer com isso no primeiro século, imagine a vergonha de estar ligada a uma doença física ou psicológica como causa da possessão demoníaca.

Maurice Casey, autor de Jesus de Nazaré, supõe que Maria deve ter sofrido um trauma emocional ou psicológico grave para considerar necessário um exorcismo. 

Ela estava machucada, ferida e em agonia pelo sofrimento da possessão demoníaca. 

Maria perdeu todo o controle e dignidade, junto com tudo o que sabia em sua vida anterior. A beleza e a riqueza não a pouparam do mal que a assaltava e atacava a cada hora de cada dia. 

Sete é um número nos transmite a ideia de totalidade, implicando que quando os espíritos malignos dominaram Maria o sofrimento foi extremamente severo.

Pode-se apenas especular como foi no momento quando Jesus olhou para Maria em seu estado de desespero. 

Só Ele poderia ter visto quem ela realmente era, independentemente de seu estado. 

Ele não apenas a reconheceu, mas ordenou aos demônios que a deixassem. 

Embora não haja muitos detalhes registrados sobre este evento, seu nome está entre os poucos mencionados nos registros das curas de Jesus. 

Foi Maria Madalena que derramou perfume aos pés de Jesus?

Ela foi uma das muitas Maria que seguiu Jesus, sendo que era o nome mais comum para uma mulher judia. 

Assim, ao escrever sobre ela, foi necessário esclarecer qual Maria. 

Alguns historiadores afirmam que não foi Maria Madalena que derramou perfume nos pés de Jesus, mas sim Maria de Betânia. 

Embora o relato esteja registrado em todos os EvangelhosMaria Madalena nunca é especificada.

“Uma mulher daquela cidade que vivia uma vida pecaminosa soube que Jesus estava comendo na casa do fariseu, então ela foi lá com um frasco de alabastro de perfume. lágrimas. Então ela as enxugou com os cabelos, beijou-as e derramou perfume sobre elas.” (Lucas 7:37 – NVI).

Também é proposto que, confundindo os dois, circule uma versão imprecisa de uma promíscua Maria Madalena. 

Certamente faz sentido para Maria derramar perfume aos pés de Jesus. 

Ela é frequentemente creditada por entender os ensinamentos de Jesus mais do que qualquer outra pessoa. 

Nosso dicionário bíblico explica: “Maria Madalena tornou-se o tipo de uma classe de pecadores arrependidos; mas não há autoridade para identificá-la com a ‘pecadora’ que ungiu os pés de Jesus em Lucas 7:36-50 ou existe alguma autoridade para a suposição de que Maria Madalena é a mesma irmã de Lázaro.” 

Não há nenhuma referência bíblica sugerindo que ela estivesse envolvida em prostituição ou um passado imoral.

Maria Madalena fazia parte do ministério de Jesus?

“Depois disso, Jesus ia de uma cidade para outra, pregando as boas novas do reino de Deus. Os Doze estavam com ele, e também algumas mulheres que haviam sido curadas de espíritos malignos e doenças: Maria (chamada Madalena) de quem saíram sete demônios; Joana, mulher de Cuza, administradora da casa de Herodes; Susana; e muitos outros. Essas mulheres os ajudavam com seus próprios meios. (Lucas 8:1-3 – NVI).

Os “recursos” fornecidos como parte do apoio ao ministério de Jesus no relato do Evangelho de Lucas sugerem que Maria pode ter sido rica.

Pode ser que “a Madalena” estivesse ligada à indústria da cidade, pois parece que ela não estava sem meios, permitindo-lhe servir ao Senhor com o que possuía. Mesmo assim, foi atingida por sete demônios.

Mas isso nos ajuda a entender o que alimentou sua generosidade e dedicação, ajudando no ministério de Jesus depois de libertada de sua doença.

“Jesus percorria toda a Galiléia, ensinando nas sinagogas, pregando as boas novas do reino e curando todas as doenças e enfermidades do povo”. (Mateus 4:23 -NVI).

As mulheres na sociedade judaica normalmente não desempenhavam papéis importantes, o que torna seu envolvimento no ministério de Jesus mais radical do que o normal para a época em que viviam.

A Bíblia de Estudo de Antecedentes Culturais da NIV declara: “Embora as mulheres em geral tivessem menos recursos do que os homens, algumas eram ricas, e alguns estudiosos estimam que um décimo de todos os clientes na antiguidade eram mulheres”.

Como Maria Madalena sabia onde Jesus foi sepultado?

“Algumas mulheres estavam assistindo de longe. Entre eles estavam Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, o menor, e de José, e Salomé”. (Marcos 15:40 – NVI).

Os quatro relatos evangélicos registram a presença de mulheres ao pé da cruz. 

  • Marcos 15:40 registra: Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago e Salomé. 
  • Mateus 27:55-56 registra: Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago e José, e mãe dos filhos de Zebedeu. 
  • Lucas menciona o grupo, mas não os identifica. 
  • João lista Maria, mãe de Jesus, sua irmã Maria, esposa de Cleofas, e Maria Madalena

EP Sanders relata: “A razão pela qual as mulheres assistiram à crucificação mesmo depois que muitos discípulos fugiram pode ter sido porque elas eram menos propensas a serem presas, porque eram mais corajosas do que os homens, ou por causa de alguma combinação disso”.

“Maria Madalena e Maria, mãe de José, viram onde ele foi colocado”. (Marcos 15:47 – NVI).

Maria permaneceu até que o corpo de Jesus foi retirado da cruz e seguido para testemunhar o sepultamento de Jesus por José de Arimatéia.

“Maria Madalena e a outra Maria estavam sentadas ali em frente ao túmulo.” (Mateus 27:61- NVI).

Ela ficou para assistir ao enterro de Jesus, e assim sabia o local exato em que ele havia sido sepultado. 

Maria conhecia o caminho tão bem, que ela foi capaz de traçar seus passos de volta lá no escuro dias depois. 

A Bíblia de Estudo dos Fundos Culturais da NIV afirma: “A viagem de Maria ao túmulo no escuro, mesmo que ela não seja de Jerusalém, requer um compromisso sério”.

“As mulheres que vieram com Jesus da Galiléia seguiram José e viram o sepulcro e como seu corpo foi colocado nele”. (Lucas 23:55 – NVI).

Como deve ter sido para Maria testemunhar uma sepultura vazia? 

Kelly Minter coloca isso lindamente em seu artigo “Siga as Mulheres no Túmulo:”

“Maria ficou sentada com as lágrimas tempo suficiente para espiar dentro da tumba e ver algo que os homens não tinham visto. Anjos. Eles perguntaram por que ela estava chorando. Ela deu a resposta mais reveladora: ‘Eles levaram o meu Senhor.'” (João 20:13).

O que aconteceu com Maria Madalena após a ressurreição?

“Ora, foram Maria Madalena, Joana e Maria, mãe de Tiago e as outras mulheres que estavam com eles, que contaram essas coisas aos apóstolos”. (Lucas 24:10 – NVI).

Maria foi a primeira a contar a história completa do evangelho. 

Quando os anjos lhe disseram para “ir” em Marcos 16:7, ela se tornou a primeira a sentir o chamado e a atração de Cristo em sua vida para falar de Sua ressurreição. 

As mulheres não eram chamadas para testemunhar naquela época, e sua palavra não dava credibilidade a nenhum evento registrado historicamente. 

Por que os cristãos colocariam essas mulheres no centro do relato do Evangelho – em uma sociedade onde as mulheres não eram consideradas iguais aos homens? 

Alguns documentos antigos dão crédito a Simão Pedro por ter visto Jesus primeiro e sugerem que o fato de Maria estar tão perto de Jesus o irritou.

Muitos dos discípulos e apóstolos viveram vidas de evangelismo, muitos se tornando mártires pelo estabelecimento inicial do cristianismo. 

E Maria Madalena? Seu poderoso testemunho de Jesus Cristo foi, sem dúvida, posto em prática para fortalecer a fé de outros. 

Há alguns que afirmam que ela se casou com o apóstolo João, outros que ela o acompanhou a Éfeso. 

Outros ainda dizem que ela evangelizou o sudeste da França e passou seus últimos 30 anos em uma caverna alpina. 

Há ainda mais histórias e lendas, incluindo uma lenda que conta a história dela e outros discípulos ficarem presos em um barco sem leme no meio do mar e chegarem milagrosamente à praia.

Mas lendas à parte, uma coisa é certa. Essa mulher ocupou um lugar especial na história do cristianismo e foi colocada lá por Deus. 

Através de seus olhos, aprendemos um pouco mais sobre quem era Jesus. 

Ele a encontrou em seu lugar mais escuro e a curou milagrosamente. Ela era uma de Suas amigas e uma seguidora fiel. 

As ações de Maria talvez tenham falado mais alto, apoiando o ministério de Jesus com tudo o que ela tinha para dar. 

Para o que ela pensava ser o amargo fim, ela deu sua vida para segui-lo e cuidar dele. 

A nota mais doce de sua história é não saber que seu Salvador estava diante dela naquele túmulo vazio. 

Ela estava tão abalada por sua dor que não percebeu que Ele estava diante dela.

“Nisso, ela se virou e viu Jesus parado ali, mas não percebeu que era Jesus. Ele lhe perguntou: Mulher, por que você está chorando? Quem é que você está procurando? Pensando que ele era o jardineiro, ela disse: Senhor, se você o carregou, diga-me onde o colocou, e eu vou buscá-lo. Jesus disse-lhe: Maria. Ela se virou para ele e gritou em aramaico: Raboni! (que significa Mestre). Jesus disse: Não me detenhas, porque ainda não subi para o Pai. Em vez disso, vá para os meus irmãos e diga-lhes: Eu subo para meu Pai e vosso Pai, para meu Deus e seu Deus” (João 20:14-17 – NVI).

Botão Voltar ao topo