Quem foi Zaqueu? 5 maneiras pelas quais todos podemos nos relacionar com sua história na Bíblia

“…Havia ali um homem chamado Zaqueu; e era este um chefe dos publicanos, e era rico. E procurava ver quem era Jesus, e não podia, por causa da multidão, pois era de pequena estatura. E, correndo adiante, subiu a um sicômoro para o ver; porque havia de passar por ali.”

Quem foi Zaqueu? Sua história na Bíblia

Zaqueu era cobrador de impostos da cidade de Jericó e soube que Jesus, o profeta, estava passando pela cidade. 

Como Zaqueu era “de baixa estatura”, ele correu à frente da multidão e subiu em um sicômoro para ter uma visão melhor de Jesus. 

Quando Jesus chegou, ele notou Zaqueu na árvore e disse-lhe: “Zaqueu, desça depressa, pois preciso ficar em sua casa hoje”. 

Isso deixou Zaqueu muito alegre, mas a multidão “resmungou”, ou murmurou em uma queixa de que Jesus “entrou para ser hóspede de um homem pecador”. 

A maioria de nós que cresceu na igreja conhece essa pequena canção, e qualquer menção a Zaqueu começa a tocar nossas mentes. 

A história de Zaqueu subindo em uma árvore é divertida para compartilhar com crianças pequenas. Especialmente porque elas também são pessoas “pequenas”. 

No entanto, há muito a aprender sobre ele além do fato de um cara baixinho que subiu na árvore. Zaqueu é alguém com quem nós, adultos, também podemos nos relacionar.

Assim como Zaqueu, também somos pecadores e gananciosos

“O fariseu ficou em pé sozinho e orou: Deus, eu te agradeço porque não sou como as outras pessoas, ladrões, malfeitores, adúlteros ou mesmo como este publicano” (Lucas 18:11).

Além de sua pequena estatura, o que definiu Zaqueu foi sua carreira como chefe dos coletores de impostos em Jericó. 

Aqueles que cobravam impostos não eram populares em nenhuma época, mas a antipatia era ainda mais profunda na cultura judaica do século I. Não só Zaqueu era o agente do IRS de seu tempo, mas também era um traidor de sua nação.

Até mesmo Jesus reconhece o ódio que as pessoas tinham pelos cobradores de impostos: “Se eles se recusarem a ouvir até a igreja, trate-os como pagão ou publicano” (Mateus 18:17).

Os impostos romanos excessivos eram um tema quente nos dias de Jesus, e os cobradores de impostos trabalhavam diretamente para a ocupação romana. 

Também não havia leis que protegessem os contribuintes trabalhadores. As pessoas eram obrigadas a pagar grandes quantias a um governo estrangeiro cruel, e os cobradores de impostos abertamente acrescentavam mais para si mesmos.

Zaqueu ficou rico usando sua posição para receber o quanto quisesse. Isso deixou as pessoas sobrecarregadas e ressentidas com esse homem que estava roubando delas. E como ele tinha o total apoio das autoridades romanas, o povo não tinha poder para detê-lo.

Quer percebamos ou não, assim como Zaqueu, nossa tendência natural é “cuidar” de nós mesmos e levar tudo o que pudermos. Pode ser difícil olharmos além de nós mesmos para as necessidades dos outros. No entanto, como veremos, Zaqueu tinha esse potencial e acabou abraçando-o.

Não precisamos subir em uma árvore para ver a verdade

Todos nós queremos ver as coisas que estão acontecendo ao nosso redor. Verificamos as mídias sociais regularmente para ver o que perdemos. Desaceleramos e investigamos quando vemos uma multidão. Nossa natureza é imaginar o que as pessoas estão olhando e falando e nos envolver.

Este é o cenário em que Jesus andou por Jericó. As pessoas se aglomeravam ao redor de Jesus e, como qualquer um de nós, Zaqueu queria dar uma olhada no que estava acontecendo.

Quão chocante deve ter sido quando Jesus falou diretamente com Zaqueu no meio dessa grande multidão.

Zaqueu não era um homem alto e teve que subir em uma árvore para ver Jesus. No entanto, em certo aspecto, Zaqueu já sabia quem era Jesus e que valia a pena vê-lo. Nós também, por meio da palavra de Deus, temos pleno acesso à verdade completa de quem Deus é.

Nós tendemos a olhar alto e baixo para cada segredo da vida que podemos ter medo de perder. Procuramos livros de autoajuda, procuramos mensagens ocultas e buscamos propósito e significado em todos os lugares errados.

Podemos figurativamente passar nossos dias em árvores.

Mas não há necessidade de tomarmos medidas extraordinárias para encontrar a verdade que está escrita para nós em cada página da Bíblia. 

Jesus era e é a representação humana completa da verdade, e não precisamos olhar além dele.

Jesus vem à nossa casa de qualquer maneira

É provável que as pessoas estivessem zombando de Zaqueu enquanto ele subia naquela árvore. Eles certamente não queriam que esse tipo de homem interrompesse sua chance de ver Jesus e provavelmente ficaram frustrados por ele estar lá. Afinal, Jesus veio para salvá-los de pessoas como Zaqueu. 

No entanto, Jesus vê Zaqueu naquela árvore e, “quando Jesus chegou ao local, olhou para cima e disse-lhe: Zaqueu, desça imediatamente. Devo ficar em sua casa hoje. Então ele desceu imediatamente e o recebeu com alegria” (Lucas 19:5-6).

Jesus choca a multidão dirigindo-se a Zaqueu e depois dizendo que ele deve ficar em sua casa.

Sério? Jesus vai para a casa dele?

É como se Jesus tivesse isso em mente antes mesmo de chegar a Jericó. Ele não planeja ficar com o pastor local, o prefeito ou qualquer outra pessoa respeitável com quem possamos esperar que Jesus fique. 

Mas Ele tem um plano para ficar com o cara que ninguém gosta. Na verdade, ele deve ficar lá.

Podemos nos tornar puros – o significado do nome de Zaqueu

Até mesmo cobradores de impostos vieram para ser batizados. Mestre, eles perguntaram, o que devemos fazer? Não colete mais do que você precisa, ele disse a eles” (Lucas 3:12-13).

O nome Zaqueu significa “puro” ou “inocente”. Como cobrador de impostos, Zaqueu não fez jus ao seu nome. Não era segredo que sua riqueza foi adquirida nas costas de seus vizinhos e compatriotas.

No entanto, João Batista diz que esses cobradores de impostos podem consertar as coisas simplesmente sendo honestos em seus negócios. 

Zaqueu faz isso depois de encontrar Jesus: “E Zaqueu se levantou e disse ao Senhor: Eis, Senhor, a metade dos meus bens dou aos pobres; e se de algum homem tomei alguma coisa por falsa acusação, eu o restituirei quatro vezes” (Lc 19:8).

Depois que Jesus estendeu a mão para ele, Zaqueu mudou seus caminhos e foi além para consertar as coisas. Ele finalmente superou seu passado e viveu de acordo com seu nome.

Nosso significado é encontrado em Cristo

Assim como Zaqueu, Jesus deve visitar nossa casa hoje. Ele não tem requisitos para nós antes de vir nos visitar. Não temos que acertar todas as coisas com todos os nossos negócios antes de deixá-lo entrar. Ele já sabe quem somos e em que condições nossa casa está. Ele quer estar lá de qualquer maneira.

Somente sua presença e seu amor por nós nos levarão a fazer coisas que nunca pensamos que poderíamos fazer: até mesmo admitir onde erramos e corrigir as coisas. 

Podemos facilmente supor que Zaqueu viveu uma vida diferente e mais plena após esse encontro com Jesus. E podemos ter a mesma experiência.


Autor Jason Soroski

Botão Voltar ao topo