9 coisas importantes para aprender no livro de Jó

Já se perguntou o que tem de tão importante no livro de Jó? Nossas leituras diárias da Bíblia proporcionam-nos alimento espiritual e auxiliam-nos a compreender o Deus que nos criou. No entanto, ao nos depararmos com passagens difíceis, é comum ignorá-las devido a certas questões teológicas para as quais não possuímos respostas claras. O relato de Jó é um desses tópicos delicados que frequentemente discutimos.

Por que Deus permitiu que Satanás afligisse Jó?

Por que coisas ruins acontecem com pessoas boas?

Podemos ter tantas respostas quantas perguntas, e nunca saberemos a razão definitiva do livro de Jó até que Jesus nos leve para casa para viver com Ele para sempre (Deuteronômio 29:29). Mas porque temos o Espírito Santo habitando em nós agora, recebemos mais discernimento espiritual do que Jó e seus contemporâneos tiveram. 

Estas são as coisas que Deus nos revelou pelo seu Espírito. (1 Coríntios 2:10)

As teorias abundam sobre o tempo no calendário histórico das dificuldades de Jó, com algumas colocando Jó como contemporâneo de Abraão. Essas conclusões surgem porque ainda não há menção a uma lei hebraica ou qualquer tipo de aliança entre o Senhor e a humanidade. Jó também é considerado o manuscrito bíblico mais antigo.

Isso pode nos dar uma ideia de como Satanás foi capaz de afligir . Adão abriu mão de seus direitos de dominar o reino onde vivia quando pecou, ​​e Satanás se tornou o governante deste mundo.1 Pedro 5:8 NVI nos diz: 

Esteja alerta e sóbrio. O diabo, vosso inimigo, anda em derredor como leão que ruge procurando alguém para devorar.” 

Mas, diferentemente de Jó, agora temos a autoridade de Cristo para resistir ao nosso inimigo espiritual. Jó não tinha como superar essas adversidades. Alguns estudiosos apresentam a teoria de que Jó nem sabia que era o diabo causando sua angústia, porque em sua época o povo atribuía todos os acontecimentos ao Todo-Poderoso. 

Os povos antigos são ocasionalmente caracterizados como incultos e ignorantes em contraste com nossa vida moderna. Entretanto, a sabedoria presente nos escritos de Jó revela a notável inteligência de nossos ancestrais bíblicos, mostrando que eles possuíam uma perspicácia que rivaliza, e em alguns casos, supera a de certos cientistas e professores contemporâneos.

Essas 9 coisas no livro de Jó podem nos mostrar quanto conhecimento e inteligência o homem primitivo tinha sobre o mundo em que vivia, e como essa revelação lhe veio da sabedoria de Deus.

Aqui estão 9 coisas importantes para aprender no livro de Jó

1. Conhecimento de Astronomia

Ele é o criador do Urso e Orion, as Plêiades e as constelações do sul. (Jó 9:9 NVI)

Sem telescópios e tecnologia modernos, as primeiras civilizações ainda viam a formação das constelações e lhes davam nomes. Somente o Criador do universo massivo poderia colocar tal conhecimento no homem. 

Aventureiros navegantes navegaram pela astronomia séculos atrás, mas a indicação nos primeiros escritos sagrados revela até onde essa habilidade chegou.  

2. Conhecimento da Forma da Terra 

Ele desenhou um horizonte circular na face das águas, no limite da luz e das trevas. (Jó 26:10 NKJV)

Citações de Cristóvão Colombo revelam que ele usou versículos da Bíblia, como Isaías 40:21-22, para determinar que o planeta era redondo em vez de plano. Ele foi ridicularizado, mas as Escrituras que ele usou lhe deram a fé para embarcar em uma viagem perigosa que provou a teoria. 

Apenas a ignorância e a superstição infligiram a crença de uma terra plana. Com o passar dos séculos, a escuridão espiritual afastou as pessoas da sabedoria do Todo-Poderoso e resultou em falta de entendimento. 

3. Conhecimento de Geografia e Direções da Bússola

Da câmara do sul vem o redemoinho, e o frio dos ventos dispersos do norte.” (Jó 37: 9 NKJV)

Nossos antecessores tinham a capacidade de interpretar direções usando guias astronômicos sem a tecnologia que temos hoje. Eles também foram capazes de determinar a origem de certos padrões climáticos. 

4. Conhecimento dos Dinossauros e Provas que os Humanos Viveram entre Eles

Veja o Behemoth, que fiz junto com você e que se alimenta de capim como um boi. Que força tem em seus lombos, que poder nos músculos de seu ventre! Sua cauda balança como um cedro; os tendões de suas coxas são bem unidos. Seus ossos são tubos de bronze, seus membros como barras de ferro. Ele ocupa o primeiro lugar entre as obras de Deus, mas seu Criador pode abordá-lo com sua espada. As colinas trazem seus produtos, e todos os animais selvagens brincam nas proximidades. Sob as plantas de lótus fica, escondido entre os juncos no pântano. Os lótus o escondem em sua sombra; os choupos à beira do córrego o cercam. Um rio caudaloso não o alarma; está seguro, embora o Jordão se levante contra sua boca. Alguém pode capturá-lo pelos olhos, ou prendê-lo e furar seu nariz?”(Jó 40:15-24 NVI)

Os defensores da idade de um milhão de anos da Terra ensinam que as pessoas não existiam quando os dinossauros viviam. As Escrituras, bem como os fósseis que exibem pegadas humanas incrustadas com impressões de dinossauros, provam que esses lagartos gigantes vagavam junto com a humanidade. 

Outras teorias tentaram interpretar essas passagens para descrever um elefante ou hipopótamo. Mas nenhum desses animais tem caudas como um cedro. E ambas as criaturas puderam ser capturadas, enquanto a descrita em Jó fala de um animal que não pode ser contido.

criatura que cospe fogo no livro de jó

5. Conhecimento de uma criatura que cospe fogo

A fumaça jorra de suas narinas como de uma panela fervendo sobre juncos em chamas. (Jó 41:20)

Suas partes inferiores são cacos de barro irregulares, deixando um rastro na lama como um trenó de debulha. Faz as profundezas se agitarem como um caldeirão fervente e agitar o mar como um pote de unguento. Deixa um rastro brilhante atrás de si; alguém pensaria que as profundezas tinham cabelos brancos. (Jó 41:30-32)

Todo o capítulo quarenta e um de Jó descreve uma criatura que despeja fumaça de suas narinas e deixa um rastro de fósforo atrás de si. Os cientistas criacionistas descrevem certos dinossauros que tinham cavidades nasais maiores do que os outros animais. Por serem herbívoros, a decomposição da matéria vegetal se acumulava nas cavidades nasais e produzia gás metano. 

É possível que esses tipos de dinossauros tivessem um aparelho embutido que poderia acender o gás e acender as chamas por alguns segundos, mas o objetivo é desconhecido.

Este poderia ser o lugar onde as histórias do dragão cuspidor de fogo se originaram. A palavra dragão foi usada para todos os lagartos gigantes até 1841, quando o anatomista britânico, Sir Richard Owen, introduziu a palavra dinossauro na academia. 

6. Conhecimento das Fronteiras do Mar

Que encerrou o mar atrás de portas, quando ele irrompeu do ventre, quando fiz das nuvens sua vestimenta e o envolvi em densas trevas, quando lhe fixei limites e lhe pus as portas e trancas, quando disse: Este longe você pode chegar e não mais; aqui é onde suas ondas orgulhosas param? (Jó 38:8-11)

Jó certamente tinha ouvido falar do dilúvio nos dias de Noé. Embora o planeta tenha sido coberto de água em uma época, o Senhor é quem estabeleceu para onde os mares iam e até onde eles iriam. Ele prometeu nunca mais destruir o globo com águas turbulentas.

O dilúvio mundial foi aceito como fato. Quando Jó estava vivo, alguns dos descendentes de Noé poderiam existir também. Recontar, portanto, essa experiência incrível teria sido outra maneira de mostrar o incrível poder do Criador.

7. Conhecimento de Deus como Criador

Onde você estava quando eu lancei os alicerces da terra? Diga-me, se você entende. Quem marcou suas dimensões? Certamente você sabe! (Jó 38:4)

Enquanto alguns dos cidadãos vizinhos de Jó adoravam imagens de pedra e madeira, Jó sabia que o mundo foi criado pelo Senhor Todo-Poderoso. Deus é quem está falando no capítulo trinta e oito, mas as palavras nos mostram que Jó sabe onde a criação se originou. 

Um motivo pelo qual Jó floresceu em sabedoria é porque ele dependia da verdade de Jeová. Podemos ver em seu exemplo como o entendimento vem do céu e não das deduções do homem. 

8. Conhecimento da Prosperidade como Dom de Deus

Você não colocou uma cerca ao redor dele e de sua casa e de tudo o que ele tem? Você abençoou o trabalho de suas mãos, de modo que seus rebanhos e manadas se espalharam por toda a terra. (Jó 1:10)

A prosperidade de Jó veio do verdadeiro doador da vida e até mesmo o anjo caído sabia disso. O inimigo ataca para nos fazer falhar. No entanto, Jó provou que sua fé estava no Soberano por causa de quem o Senhor é e não por causa do que Deus havia dado ao Seu servo. Jó se recusou a amaldiçoar a Deus em todas as suas aflições. 

Jó relata como ele usou suas posses para abençoar os outros (Jó 29:12-17). Sua riqueza e generosidade também nos mostram que havia um conhecimento de doação desde o início da existência do homem. 

Porque somos feitos à imagem de Deus e Ele é um doador, temos o impulso de abençoar os outros. Nascemos com uma natureza caída que se reverte em egoísmo e cobiça, mas quando somos cheios do Espírito Santo, Ele induz o caráter benevolente que Ele colocou dentro de nós. 

Jesus disse aos Seus discípulos que eles seriam recompensados ​​pelo que eles deixaram para que pudessem segui-Lo, mas isso viria com perseguições (Marcos 10:30). O diabo não gosta de nos ver abençoados porque glorifica a Cristo e ajuda a espalhar o Seu amor pela humanidade.

O favor de Deus sobre os crentes

9. O favor de Deus sobre os crentes

O Governante do universo se gabou da fidelidade de Jó (Jó 1:8). Nosso Pai concede Seu favor àqueles que são fiéis a Ele. Ele gosta de nos ver andando em Suas bênçãos divinas. 

Lembre-se de que algumas das palavras ditas no texto são de Jó, seus amigos e depois algumas de Deus. Quando citamos passagens desse manuscrito antigo, devemos usar o contexto em que foram faladas. 

O Senhor nos mostra os fracassos e sucessos de Seu povo por toda a Bíblia para que possamos aprender com eles. Só porque uma passagem existe não significa que ela indica o caráter ou a vontade de Deus. Quando Jó disse que o Senhor dá e tira, ele não entendeu que o tirar veio de um inimigo maligno, não de Deus (Jó 1:21). 

Jó foi fiel a Deus apesar de não entender por que tudo aconteceu com ele (Jó 13:15). Três jovens hebreus permaneceram firmes contra o mesmo tipo de ataque quando confrontados com uma fornalha ardente (Daniel 3:17-18).

No final, Jó se destacou em posses mais do que antes e sua família cresceu novamente. O diabo é quem perdeu. Em vez de Jó cair, o diabo mais uma vez caiu do pedestal em que se colocou. 

Ao ponderarmos sobre o significado de algumas dessas descobertas negligenciadas neste antigo pergaminho, podemos ver como a Palavra de Deus estabeleceu esses insights em Seu povo muito antes de os cientistas descobrirem fósseis, antes de telescópios transmitirem imagens do além e antes de exploradores atravessarem as profundezas mares. 

Esta pergunta será feita até o fim de nossas vidas físicas. Por que coisas ruins acontecem com pessoas boas? A resposta é porque temos um inimigo. Mas ele é um inimigo conquistado. Não importa quais ataques encontremos, sabemos que se permanecermos na fé, as circunstâncias não podem nos fazer cair (1 João 4:4).

O que devemos tirar da experiência de Jó é que Deus é bom e o diabo é mau (João 10:10). 

Podemos dizer com Jó, eu sei que meu redentor vive e que no final ele se levantará sobre a terra. E depois que minha pele for destruída, ainda em minha carne verei a Deus. (Jó 19:25-26)

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo