5 indicadores de um coração mau e perverso

Como conselheiros cristãos, pastores e auxiliares, na maioria das vezes temos dificuldade em discernir entre um coração mau e perverso, e um pecador comum que erra, simplesmente pelo fato de não ser perfeito e sim, cheio de fraqueza e pecado.

Acho que uma das razões pelas quais não “vemos” o mal é porque achamos muito difícil acreditar que indivíduos maus realmente existem. 

Afinal, não podemos imaginar alguém nos enganando sem consciência, ferindo os outros sem remorso, inventando calúnias para arruinar a reputação de alguém ou fingindo que está comprometido espiritualmente, mas com o seu coração totalmente distante de Deus.

A Bíblia nos diz claramente que entre o povo de Deus há lobos que se vestem de ovelhas (Jeremias 23:14 ; Tito 1:10 ; Apocalipse 2:2). 

É verdade que todo coração humano está inclinado para o pecado (Romanos 3:23),

e isso inclui o mal (Gênesis 8:21Tiago 1:4). 

Todos nós perdemos a marca da perfeição moral de Deus. 

No entanto, a maioria dos pecadores comuns não satisfaz com prazer os impulsos do mal, nem se sentem bem por tê-los. 

Sentimo-nos envergonhados e culpados, com razão (Romanos 7:19-21).

Portanto aqui estão cinco indicadores de que você pode estar lidando com um coração mau e perverso

1. Os corações maus são especialistas em criar confusão e contenda 

Eles distorcem os fatos, enganam, mentem, evitam assumir responsabilidades, negam a realidade, inventam histórias e retêm informações. 

“Alienam-se os ímpios desde a madre; andam errados desde que nasceram, falando mentiras”. (Salmos 58:3)

“O ímpio se enlaça na transgressão dos lábios, mas o justo sairá da angústia”. (Provérbios 12:13)

“Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca. O homem bom tira boas coisas do bom tesouro do seu coração, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más. Mas eu vos digo que de toda a palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo”. (Mateus 12: 34-36)

2. O coração mau e perverso é especialista em enganar os outros com sua fala suave e palavras lisonjeiras

Mas se você olhar para o fruto de suas vidas ou o cumprimento de suas palavras, você não encontrará nenhuma evidência real de crescimento ou mudança piedosa. 

Afinal, é tudo vaidade e orgulho. 

“Soltas a tua boca para o mal, e a tua língua compõe o engano”. (Salmos 50:19)

“Ainda que o mal lhe seja doce na boca, e ele o esconda debaixo da sua língua”. (Jó 20:12)

“E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles. Porque os tais não servem a nosso Senhor Jesus Cristo, mas ao seu ventre; e com suaves palavras e lisonjas enganam os corações dos simples”. (Romanos 16:17-18)

3. Corações maus anseiam e exigem controle, sua autoridade máxima é sua própria auto-referência .

Esses corações maus, rejeitam conselhos, eles criam suas próprias regras para viver.

No entanto, usam as Escrituras mas para sua própria vantagem, contudo ignoram e rejeitam passagens que podem exigir autocorreção e arrependimento. 

“Mas a indignação e a ira aos que são contenciosos, desobedientes à verdade e obedientes à iniqüidade”. (Romanos 2:8)

“O soberbo e presumido, zombador é o seu nome, trata com indignação e soberba”. (Provérbios 21:24)

4. Coração mau e perverso, agem de forma a enganar as pessoas de boa vontade

Sendo assim, eles exigem misericórdia, mas não dão nenhuma. 

Eles exigem carinho, perdão e intimidade daqueles que prejudicaram, sem empatia pela dor que causaram e sem intenção real de fazer as pazes ou trabalhar duro para reconstruir a confiança quebrada. 

“A alma do ímpio deseja o mal; o seu próximo não agrada aos seus olhos”. (Provérbios 21:10)

“Porque se introduziram alguns, que já antes estavam escritos para este mesmo juízo, homens ímpios, que convertem em dissolução a graça de Deus, e negam a Deus, único dominador e Senhor nosso, Jesus Cristo”. (Judas 1:4)

5.  O coração mau e perverso não têm consciência, nem remorso 

Eles de fato, não lutam contra o pecado ou o mal – eles se deleitam com isso – enquanto se disfarçam como alguém de caráter nobre. 

“Porque o vil fala obscenidade, e o seu coração pratica a iniqüidade, para usar hipocrisia, e para proferir mentiras contra o SENHOR, para deixar vazia a alma do faminto, e fazer com que o sedento venha a ter falta de bebida”. (Isaías 32:6)

“Sendo murmuradores, detratores, aborrecedores de Deus, injuriadores, soberbos, presunçosos, inventores de males, desobedientes aos pais e às mães; Néscios, infiéis nos contratos, sem afeição natural, irreconciliáveis, sem misericórdia; Os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem”. (Romanos 1:30-32)

Aprendendo a lidar com o coração mau e perverso

Contudo é importante, você identificar o coração mau e perverso, para que você saiba lidar com ele.

No entanto, se você está trabalhando com alguém que apresenta essas características, é importante que você os enfrente de frente. 

Você deve nomear o mal pelo que é. 

Quanto mais você tentar argumentar com eles ou mostrar misericórdia para com eles, mais você, como conselheiro cristão, se tornará um peão em seu jogo.

Eles querem que você acredite que:

1. Suas ações horríveis não devem ter consequências graves ou dolorosas 

Quando eles dizem “Sinto muito”, eles olham para você como o pastor ou conselheiro cristão para ser seu defensor da anistia com a pessoa que ele ou ela prejudicou. 

Eles acreditam que a graça significa que eles recebem imediatamente imunidade das consequências relacionais de seu pecado grave. 

Também, eles acreditam que o perdão lhes dá direito à reconciliação total e pressionará você e sua vítima a obedecer.

A Bíblia nos adverte dizendo:

“Mas quando a graça se mostra aos ímpios, eles não aprendem a justiça; mesmo em uma terra de retidão eles continuam fazendo o mal e não respeitam a majestade do Senhor”. (Is 26:10). 

A Bíblia nos diz que falar não desperta pessoas más, mas sim consequências dolorosas. 

Jesus não despertou os fariseus com sua conversa nem o conselho de Deus impactou Caim (Gênesis 4). 

Além disso, a Bíblia nos mostra que quando alguém está realmente arrependido pela dor que causou, ele ou ela está ansioso para reparar aqueles que prejudicaram por seu pecado (Lucas 19). 

Como conselheiros bíblicos, não vamos conspirar com o maligno, voltando nossa atenção para a vítima, exigindo que ela perdoe, esqueça, confie novamente quando não houver evidência de mudança interior. 

“Confiar em um homem traiçoeiro na hora da angústia é como um dente estragado ou um pé que escorrega”. (Provérbios 25:19)

2. Falar como um cristão que acredita no evangelho, mesmo que minhas ações não estejam alinhadas com minha fala

Lembre-se, Satanás se disfarça de anjo de luz (2 Coríntios 11:13-15). 

Contudo, ele conhece mais doutrinas verdadeiras do que você ou eu jamais conheceremos, mas seu coração é perverso. Por quê? Porque embora conheça a verdade, não a acredita nem a vive.

A Bíblia tem algumas palavras fortes para aqueles cujas ações não correspondem à sua fala

“Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitado, lhe cerrar as suas entranhas, como estará nele o amor de Deus? Meus filhinhos, não amemos de palavra, nem de língua, mas por obra e em verdade”. (1 João 3:17,18)

Se semana após semana você ouve a conversa, mas não há mudança na caminhada, você tem todos os motivos para questionar o relacionamento de alguém com Deus.

Como líderes espirituais fomos treinados para discernir entre o bem e o mal. 

Isto é importante porque o mal geralmente finge ser bom, e sem discernimento podemos ser facilmente enganados (Hebreus 5:14).

Portanto, estar em oração e consagração, fará com que o Espírito Santo esteja ao seu lado, lhe auxiliando em todas as situações.

 Autora: Leslie Vernick

Botão Voltar ao topo