Sermão: Nosso Ato Espiritual de Adoração – Romanos 12:1-2

Texto do sermão sobre o ato espiritual de adoração: Romanos 12:1-2.

Introdução deste sermão em Romanos 12:1-2

Os capítulos 9 e 11 de Romanos formaram uma interrupção na carta de Paulo aos Romanos. Nessas passagens, o foco de Paulo estava na salvação e no judeu. Paulo queria mostrar a eles que Deus não os estava negligenciando nesta era atual, mas que eles poderiam ser salvos invocando o nome do Senhor. 

Agora, Paulo retorna à ideia principal de sua carta. Ele passou um tempo considerável nos dizendo como somos salvos, do que somos salvos e o que a salvação fez por nós. Nesta última seção do livro, o foco de Paulo muda para alguns assuntos muito práticos. Ele discutirá muitos aspectos da vida cotidiana neste mundo.

Romanos 12:1-2 nos dá algumas dicas sobre uma área de nossa caminhada com Deus que nunca devemos negligenciar. Esses dois versículos nos contam o segredo da vida santa. Paulo nos diz o que Deus espera de nós e como devemos alcançar Seus objetivos para nossas vidas. Ele nos diz que a vida santa gira em torno de nossa rendição a três preocupações poderosas. Vamos ver exatamente o que eles são e o que eles exigem ao considerarmos o pensamento: Nosso Ato Espiritual de Adoração. 

1. A adoração de Deus

(Observe a o versículo um. Paulo nos diz que entregar nossos corpos ao Senhor é nosso “serviço razoável”. Entregar nossos corpos ao Senhor é lógico.)

Então, a palavra “serviço” vem de uma palavra que significa “realizar serviço sagrado”. Refere-se à função que os levitas desempenhavam no Tabernáculo e no Templo. Está ligado à ideia de adoração. Portanto, essa frase significa que entregar nossos corpos ao Senhor é nosso “serviço lógico de adoração diante do Senhor”. 

Em outras palavras, quando estamos totalmente entregues a Ele, é a forma mais elevada de adoração que podemos prestar! Nada diz “eu te amo” ao Senhor como uma vida consagrada, dedicada e santa (Jo 14:15). Com isso em mente, vamos olhar para este primeiro versículo e ver o que Paulo quer dizer quando ele nos convida a entregar nossos corpos.)

A. O Desafio (Romanos 12:1)

“Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus, que apresenteis o vosso corpo…

Somos chamados a “apresentar nossos corpos”. Isso tem referência ao flash que você e eu usamos por aí. Pessoalmente, acredito que estamos sendo ordenados a entregar a Deus nossos corpos, juntamente com nossa natureza pecaminosa. Deus está nos chamando para apresentar tudo o que temos, somos e sempre seremos a Ele para Sua glória e para Seu uso. 

A palavra “apresenteis” significa “colocar à disposição”. Isso significa que não estamos mais escondendo nada de Deus, mas colocamos tudo no Seu altar e estamos à Sua disposição!

(A idéia aqui é de total rendição a Deus. Muitas pessoas querem ser salvas, mas não estão dispostas a colocar tudo no altar. Elas são culpadas de reter áreas de suas vidas que são preciosas para elas. Deus quer que notemos outra coisa: a palavra “apresenteis” está em um tempo que sugere uma ação para sempre.

Não devemos apresentar nossos corpos a Deus, depois levá-los de volta e usá-los para nós mesmos novamente. Quando tivermos dado a Ele, é Dele para sempre!)

B. A Causa (Romanos 12:1)

“Rogo-vos, pois, irmãos, pelas misericórdias de Deus…

Observe a frase “…portanto, pelas misericórdias de Deus…” Essa frase leva nossas mentes de volta ao que o apóstolo está falando. Ele tem falado sobre o fato de que os redimidos são redimidos somente por causa da pura graça de Deus. Podemos perguntar por que Deus pensaria que Ele pode controlar todos os aspectos de nossas vidas. A razão é simplesmente que Ele nos comprou no Calvário e nós pertencemos a Ele (1 Coríntios 6:20; 7:23).

Como isso é verdade, não temos direitos! Devemos estar sujeitos aos Seus mandamentos, independentemente de quais sejam! Que nunca esqueçamos que estávamos indo para o Inferno quando Ele nos encontrou. 

Nós não nos importávamos com Deus, mas Ele nos amou. Ele morreu para nos salvar. Nos escolheu e nos chamou. Ele nos deu a fé para crer e nos salvou por Sua graça. 

Parece-me que devemos tudo a Ele! Que possamos, como Paulo, estar sempre cientes do fato de que “mas pela graça de Deus sou o que sou” (1 Coríntios 15:10).

Que isso nos ensine por que Deus tem o direito de emitir qualquer ordem para nós que Ele queira. E, que também nos ensine que não temos o direito de dizer nada além de “Sim, Senhor. Aqui estou, envie-me!”

C. A Consagração (Romanos 12:1)

“Portanto… peço que ofereçam o seu corpo como sacrifício vivo…

Dizem-nos que esses corpos devem ser apresentados “…como sacrifício vivo…” Isso soa terrivelmente doloroso para nós porque sabemos que o sacrifício, nos tempos bíblicos, era um animal que pertencia à pessoa que o oferecia e que o animal era colocado até a morte, seu sangue foi derramado e sua carne foi queimada em um altar. Isso não soa como algo em que eu queira me envolver.

A diferença entre o que o Senhor está nos chamando para fazer e o que Ele chamou aquelas pessoas no Antigo Testamento para fazer é esta: Seu sacrifício era para morrer, nosso sacrifício é para viver! Embora isso seja verdade, também existem algumas semelhanças entre o nosso sacrifício e o deles. 

Agora, assim como então, o sacrifício que o Senhor está ordenando que cada um de nós faça é caro, doloroso, difícil, pessoal e necessário. Basicamente, Deus está ordenando a cada um de Seu povo que coloque a totalidade de suas pessoas no altar do sacrifício. Mas, ao mesmo tempo, esse sacrifício deve continuar a funcionar no mundo ao seu redor. 

Isso é confuso, mas acho que quatro ideias estão em vista aqui:

1. Um sacrifício vivo significa que devemos estar no altar onde quer que estejamos. Independentemente do ambiente geográfico, devemos lembrar que este corpo e tudo o que é pertence a Deus. Nunca há um instante na vida em que estamos fora de Sua visão ou livres para viver como quisermos.

2. Um sacrifício vivo significa um sacrifício constante e contínuo. Isso não é algo que fazemos de vez em quando. Mas devemos oferecer este corpo ao Senhor e nunca mais pedir de volta!

3. Um sacrifício vivo significa que o corpo sacrifica seus próprios desejos pelos de Deus. Ser um sacrifício vivo exigirá que o corpo não viva para o mundo, a carne ou o diabo, mas que tudo o que o corpo faz seja mantido nas diretrizes da Palavra de Deus.

4. Um sacrifício vivo significa que o corpo é dedicado à tarefa de servir a Deus. Isso significa que devemos abandonar as ambições e desejos do corpo e nos comprometer a não fazer nada além do que Deus nos manda fazer! Devemos ser Seus vasos através dos quais Ele pode viver e trabalhar neste mundo.

(A linha de fundo de tudo isso é que o sacrifício do corpo não é algo que se faz apenas na igreja. Mas implica que cada ação e atividade que o corpo realiza é uma atividade que glorifica e honra a Deus. O corpo sacrificado se vê como o Templo de Deus. Ele percebe que Deus deve estar no controle absoluto da vontade, das emoções, das paixões, das ações e dos pensamentos do corpo. Todos os direitos são liberados e o corpo é entregue a Deus para fazer com ela como Lhe agrada!)

2. As Condições

Paulo nos diz como esses corpos devem ser sacrificados. Ele nos dá duas condições que esse sacrifício deve atender.

A. Um sacrifício admirável (Romanos 12:1)

“Portanto… peço que ofereçam o seu corpo como sacrifício vivo, santo e agradável…”

A palavra “santo” significa “algo consagrado e separado”. Refere-se àquilo que inspira admiração religiosa à vista de um observador. 

Imagine como teria sido inspirador estar com Elias no Monte Carmelo enquanto Deus enviava o fogo do céu para aquele altar. Como teria sido estar ao lado de Moisés enquanto ele conversava com aquela sarça ardente? Imagine como seria estar com Salomão na dedicação do Templo quando o fogo de Deus caiu. Aqueles eram tempos sagrados. Eles inspiraram admiração naqueles que os testemunharam.

A ideia aqui é que quando uma vida é totalmente entregue, separada e sacrificada a Deus Pai, será algo inspirador! Demonstrará o poder de Deus como nada mais! 

Estou convencido de que Deus poderia fazer mais em uma igreja com uma vida devidamente sacrificada do que com 1.000 que estavam sem entusiasmo jogando o jogo da igreja! Eu me pergunto quanta admiração nossas vidas inspiram?

B. Um sacrifício aceitável (Romanos 12:1)

“Portanto… peço que ofereçam o seu corpo como sacrifício vivo, santo e agradável…”

A palavra “agradável” significa “aceitável, satisfatório”. Deus se agrada quando a vida é sacrificada no altar de Seu serviço para Sua glória. Isso o honra como nada mais pode. Isso prova o Seu poder. Mostra a Sua glória. Diz a um mundo perdido que Deus faz a diferença nas vidas que Ele toca pelo Seu poder.

A triste verdade da questão é esta: ou estamos agradando a Deus ou ferindo-o pela maneira como usamos nossos corpos. Se queremos agradar ao Senhor, então nossos corpos devem ser colocados em Seu altar, sem reservas ou hesitações.

(A propósito, observe as palavras “irmãos” e “vós”. Esta ordem para sacrificar tudo no altar da consagração não é apenas para alguns super-santos selecionados. É uma ordem que é dada a cada membro da família de Deus. Nem uma única pessoa salva tem o direito de negar a Deus o prazer de nossos corpos sacrificados em Seu altar!)

3. A Sabedoria de Deus

Paulo passa de lidar com o corpo para lidar com a mente. Aqui está a raiz de todos os nossos problemas de qualquer maneira. Quando conseguirmos que a mente pense como deveria, então o corpo seguirá obedientemente. Nesta questão de conquistar a mente, há dois passos que devem ser dados.

A. Evitando o Molde (Romanos 12:2)

Somos ordenados: “Não vos conformeis com este mundo”. A palavra “conformado” significa “moldar ou moldar”. Literalmente significa “moldar”. 

Não devemos permitir que este mundo nos esprema em seu molde. Não devemos permitir que o mundo nos faça como ele é! Você vê o mundo, e aqueles que são controlados por sua influência, são muito diferentes daquilo que Deus pretende que os homens sejam. Isso fica claro por uma lista de algumas das obras da carne listadas em Gálatas 5:19-21. 

Há muitos outros conceitos que poderiam ser acrescentados a essa lista, mas esses são suficientes para ver que o mundo é diametralmente oposto a Deus. Devemos evitar ser espremidos no molde do mundo! Devemos ser diferentes e permanecer diferentes!

B. Moldando a Mente (Romanos 12:2)

Então somos ordenados a ser “transformados pela renovação de sua mente”. A palavra “transformado” nos dá nossa palavra inglesa “metamorfose”. Ele descreve a transformação pela qual uma lagarta passa para se tornar uma borboleta. 

Você sabia que a lagarta e a borboleta são as mesmas criaturas? O que acontece quando a lagarta entra no casulo e depois emerge é que a parte do inseto que reside no interior pode se manifestar do lado de fora.

Essa é a mudança que Deus quer efetuar em cada um de Seus filhos! Veja, Ele se moveu em nossos corações quando nos salvou. Ele transformou nosso espírito e nos transformou em Seu filho. Agora, Ele quer transformar a mente (a alma do homem) para que a carne possa ser mudada. O que devemos lembrar é que esta carne fará o que a mente lhe diz para fazer. É somente quando a mente é mudada e submetida ao poder de Deus que a carne pode ser controlada.

4. A Vontade de Deus

Tendo nos dito que o segredo para uma vida santa gira em torno de adorar a Deus por meio do sacrifício de nosso corpo e através do desenvolvimento da mente de Cristo em cada um de nós, Paulo passa a nos dizer que realizar essas duas coisas em nossas vidas nos capacitará cumprir a vontade de Deus para nossas vidas de uma maneira que o honre.

À medida que entregamos nossos corpos e nossas mentes a Ele, Sua vontade se torna mais clara e mais importante para nós.

A. Uma Descrição da Vontade de Deus.

Paulo em seus escritos ou nas epístolas usa três adjetivos identificadores para descrever a vontade de Deus.

(I) é precioso

Independentemente do que o Senhor nos peça para fazer, no final descobriremos que é bom. São o diabo e a carne que nos dizem que as ideias do Senhor trarão mágoa e problemas. No entanto, Deus nunca nos pedirá para fazer qualquer coisa que não seja para o nosso bem eterno (Gênesis 50:20, Romanos 8:28; 2 Coríntios 4:17)

Portanto, não tenha medo da vontade de Deus para sua vida. porque é bom!

(II) É agradável

Agradável no sentido de que quando Sua vontade nos é revelada, é algo que estamos dispostos a fazer. À medida que avançamos nesta vida, Deus está no negócio de nos amadurecer. À medida que crescemos, Suas exigências em nossa vida mudam. Por meio das experiências da vida, Deus nos faz crescer e amadurecer para que, quando Seu chamado vier e Sua vontade for revelada, estejamos equipados e prontos para tudo o que Ele nos chamar para fazer. 

Se a Sua vontade parece inaceitável, então estamos negligenciando algo que Ele está tentando nos mostrar! Ele nunca nos levará a um lugar que não estejamos prontos para ir!

(Abraão em Gênesis 22; Israel e sua experiência no deserto. Apenas Calebe e Josué pareciam ter aprendido bem as lições. Todo o povo estava equipado, mas apenas dois estavam dispostos a seguir. Quando a nação se recusou a honrar a Deus fazendo Sua vontade, eles enfrentaram julgamento em vez de bênção!)

Quando Deus revela Sua vontade, é porque Ele sabe que estamos prontos. E quando Ele nos mostra que é hora de marchar em frente, sem questionamentos ou reservas!

(III) É perfeito

Nada que pudéssemos acrescentar ao plano de Deus o melhoraria. Quando Ele revela Sua vontade para nós, precisamos perceber que Deus vê o fim do assunto antes que o assunto comece. Ele conhece o caminho que tomaremos e conhece os obstáculos e vales pelos quais passaremos ao longo do caminho. Ele sabe onde estão as provisões que já colocou ao longo do caminho. Seu plano não pode ser melhorado, mas deve ser seguido para que haja vitória e bênção! 

Não podemos estar em lugar melhor do que a perfeita vontade de Deus para nossas vidas!

B. Uma Demonstração da Vontade de Deus

Ao entregar nossos corpos e nossas mentes a Deus, seremos capazes de “provar” ou “viver” a vontade de Deus diante de um mundo que está olhando. 

Quando o mundo vir você e eu vivendo uma vida absolutamente espiritual, eles saberão que fomos transformados pelo poder do Evangelho da graça. Como resultado de chegarmos onde o Senhor pode abençoar e usar nossas vidas, almas serão salvas, Deus será honrado e seremos uma arma inspiradora, poderosa nas mãos de nosso Deus. 

Seremos uma prova positiva para um mundo duvidoso de que Deus pode tirar o pior e fazer o melhor dele. Seremos a evidência de Seu poder para um mundo que perece e seremos finalmente sal e luz, como nos foi ordenado (Mateus 5:13-16).

Conclusão deste sermão em Romanos 12:1-2

Assim, o segredo de nos oferecermos como sacrifícios vivos se resume a Deus ter o controle de nossas mentes, nossos corpos e nossas vontades. Isso descreve a vida que você está vivendo? Deus está no controle absoluto de tudo o que você tem e é? 

Primeiro, você tem certeza de que está salvo? Segundo, sua mente está sendo renovada pelo poder transformador da Palavra de Deus para que o novo homem interior tenha permissão para viver do lado de fora? Terceiro, você descobriu e se rendeu à vontade de Deus para sua vida?

Há necessidades hoje? Eu quero viver uma vida santa. E você? Vai se juntar a mim neste altar hoje? Você vai entregar tudo a Ele? Vai levar a sério essa coisa de servir ao Senhor? Você permitirá que o Senhor transforme você e sua vida em algo incrível em Suas mãos? Vamos obedecê-lo esta noite!

Se você gostou deste esboço de Romanos 12:1-2, então veja mais sermões aqui.

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo