Os 6 sermões dos últimos dias que os pastores raramente pregam

Quando foi a última vez que você ouviu um sermão dos “últimos dias” do Antigo Testamento?

A grande maioria dos pastores quando pregam um sermão sobre o fim dos tempos, eles geralmente começam com o Sermão das Oliveiras (Mateus 24, Marcos 13 e Lucas 21) ou no Livro do Apocalipse

Durante anos, o foco dos sermões sobre o fim dos tempos, permaneceu no Novo Testamento. 

Infelizmente, isso resulta em nossos professores apenas nos dando o fim da história. 

Porém, ao ler uma história, faz sentido começar do início, e não no final, e tentar descobrir a história a partir daí. 

No entanto, os sermões dos “últimos dias” na maioria das igrejas em nossos dias, fazem exatamente isso.

Contudo, encontrei estudos no antigo testamento, que são cruciais para entender os “últimos dias” e que você raramente ouvirá pastores pregando nas igrejas em nossos dias atuais.

Aqui estão, portanto, os 7 sermões dos últimos dias que os pastores raramente pregam

1. A Previsão de Jacó dos Últimos Dias

Você acreditaria que a primeira menção dos “últimos dias” está em  Gênesis 49? 

“E Jacó chamou seus filhos e disse: “Reúnam-se, para que eu possa dizer-vos o que vos acontecerá nos  últimos dias.” (Gênesis 49:1)

Ironicamente, a primeira passagem da Bíblia que fala dos últimos dias está no primeiro livro da Bíblia e não no último. 

Esta passagem fala, portanto, dos últimos dias das doze tribos de Israel.

2. Advertência de Moisés aos Israelitas

Em  Deuteronômio 31:29, Moisés diz aos israelitas:

“Porque eu sei que depois da minha morte vocês se corromperão e se desviarão do caminho que lhes ordenei; e o mal vos acontecerá nos últimos dias, porque vocês farão o que é mau aos olhos do SENHOR, provocando-o à ira com a obra das tuas mãos.” (Deuteronômio 31:29)

Este versículo está no contexto de Deuteronômio 2832 e Levítico 26

Deus está estabelecendo a Aliança com Seu povo, prometendo, contudo, tanto bênçãos por obediência quanto maldições por desobediência.

A partir desta passagem você começará a ver que os últimos dias mencionados em Deuteronômio 31:29 estão falando dos últimos dias da Antiga Aliança e não dos últimos dias da terra.

3. A Predição de Jeremias dos Últimos Dias

“O ardor da ira do Senhor não retrocederá, até que ele cumpra e cumpra o desígnio do seu coração;  nos últimos dias  você entenderá isso.” (Jeremias 30:24)

Jeremias, fala do julgamento vindo sobre Seu povo, e é também o contexto de Jeremias 31, onde revela as várias profecias cumpridas no primeiro  advento  de Cristo. 

Por exemplo, Jeremias 31:15 é uma profecia cumprida em Mateus 2:16-18

Jesus nasceu sob a lei (Gálatas 4:4), no final da Antiga Aliança. 

Sobretudo, a Antiga Aliança está terminando com o nascimento de Cristo, e a Nova Aliança está próxima com o início de Seu ministério. 

“Deus, depois de muito tempo atrás ter falado muitas vezes e de muitas maneiras aos pais pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou em seu Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, por quem também fez o mundo”. (Hebreus 1:1-2)

Se você estudar esses versículos cuidadosamente, contra o pensamento atual, os últimos dias dos judeus e sua aliança estavam sobre eles. 

Essas referências, começam a se alinhar com os últimos dias da Antiga Aliança, não com os últimos dias do mundo. 

4. Jesus nasceu nos ‘últimos dias’

Miquéias 4, mostra que Jesus nasceu nos últimos dias da Antiga Aliança:

“E acontecerá  nos últimos dias que o monte da casa do Senhor será estabelecido como o chefe dos montes. acima dos montes, e os povos afluirão a ela”. (Miquéias 4:1)

No mesmo contexto, Miquéias 5:2 diz:

“Mas quanto a ti, Belém Efrata, pequena demais para estar entre os clãs de Judá, de ti sairá um para mim como governante em Israel. Suas saídas são de longa data. atrás, desde os dias da eternidade.”

Esta profecia é cumprida nos últimos dias da Antiga Aliança de acordo com Mateus 2:1-6

5. A Predição de Isaías do julgamento sobre Israel da Antiga Aliança nos Últimos Dias

Em Jeremias 30:24 : Jeremias 4:8Jeremias 30:24 : Jeremias 23:20,  Em Isaías 2:1-2, vemos também, quase literalmente as palavras de Miquéias 4:1, sobre os últimos dias da aliança:

A palavra que Isaías, filho de Amoz, viu a respeito de Judá e Jerusalém.

“Mas nos últimos dias acontecerá que o monte da casa do SENHOR será estabelecido no cume dos montes, e se elevará sobre os outeiros, e a ele afluirão os povos”. (Miquéias 4:1)

Este segmento da Escritura está repleto de descrições dos últimos dias que podem ser rastreados através do Novo Testamento até o livro do Apocalipse. 

O fim do sistema da Antiga Aliança terminou na Cruz, mas a destruição final do sistema do templo veio em 70 d.C.

6. A Predição de Joel de que o Espírito Santo Seria Derramado nos Últimos Dias

Joel 2:28-32 é citado pelo apóstolo Pedro em seu sermão no Pentecostes em Atos 2:14-21

Segundo o profeta Joel, o Espírito Santo seria derramado nos “últimos dias”. 

Contudo, esta profecia estava sendo cumprida em Atos 2 de acordo com o apóstolo Pedro. Sua audiência em Atos 2 são judeus de “toda nação debaixo do céu”.

Conclusão sobre os sermões dos últimos dias do antigo testamento

Todas essas passagens do Antigo Testamento que foram cumpridas e apontadas por escritores inspirados no Novo Testamento, poderiam ser sobre os Últimos Dias da Antiga Aliança, e não sobre os Últimos Dias do Mundo? Vale a pena o seu tempo e estudo para pesquisar na bíblia sagrada.

Todos os Profetas que mencionamos acima, estavam escrevendo aos judeus sobre o julgamento vindouro deles por quebrarem a aliança de Deuteronômio 28-32

Os eventos dos últimos dias, mencionados no Antigo Testamento incluíram o nascimento do Messias, a vinda da Nova Aliança, o derramamento do Espírito Santo e o julgamento pendente do sistema da Antiga Aliança. 

Jesus afirma claramente, que este julgamento está vindo sobre a geração para quem Ele veio, no Primeiro Século (Mateus 23:36Mateus 24:34Marcos 13:30Lucas 21:32).

Então, o que tudo isso significa? 

As referências do Antigo Testamento fornecem o contexto para as passagens do Novo Testamento relativas aos “últimos dias”. 

Mas isso é algo que você raramente ouvirá nos púlpitos de hoje, em uma cultura que é mais fascinada por sinais de eventos mundiais, do que pela bíblia sagrada.

No setor imobiliário, a regra de ouro é “localização, localização, localização”. Em escatologia, são “sinais, sinais, sinais”. Que tal voltarmos para “Bíblia, Bíblia, bíblia”?

Eu desafio nossos pastores e professores na igreja hoje, a começarem a abordar esses sermões sobre os Últimos Dias do Antigo Testamento. 

Eles fornecem, portanto, o contexto para as passagens do Novo Testamento sobre os Últimos Dias, e irão desencadear uma discussão saudável dentro de nossas igrejas em nossos dias atuais.

Autor: Paulo Lopez

Botão Voltar ao topo