Gálatas 2:20 Significado de crucificado com Cristo

Gálatas 2:20 – ACF

“Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a pela fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.”

Traduções Bíblicas de Gálatas 2:20

NAA – Gálatas 2:20

“Logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. E esse viver que agora tenho na carne, vivo pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim.”

NVI – Gálatas 2:20

“Fui crucificado com Cristo. Assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. A vida que agora vivo no corpo, vivo-a pela fé no filho de Deus, que me amou e se entregou por mim.”

NVT – Gálatas 2:20

“Fui crucificado com Cristo; assim, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim. Portanto, vivo neste corpo terreno pela fé no Filho de Deus, que me amou e se entregou por mim.”

Explicação de crucificado com Cristo

Jesus nos chama a dar a vida e segui-lo. Ele diz que para viver, devemos morrer (Lc 9:22-24). Ele diz que se procurarmos ganhar nossa vida, a perderemos, mas se a perdermos por causa dele, a encontraremos. 

Paulo está falando nesta passagem do fato de que quando Jesus morreu, ele levou seu o seu pecado em seu próprio corpo. Paulo devia uma grande penalidade por seu próprio pecado grave, e Jesus a pagou. O pecado de Paulo foi imputado a Cristo, e a justiça de Cristo foi imputada a Paulo.

Isso, é claro, não era apenas para Paulo, mas para todos os que creem no nome de Jesus e depositam sua fé nele para salvá-los por meio de sua morte na cruz. Nisso, com a crucificação de Cristo, somos crucificados com ele. 

Em sua ressurreição, somos ressuscitados com ele. Agora vivemos uma vida eterna, embora ainda estejamos na Terra neste corpo mortal. Pela fé, lembramos que estamos nele, tendo morrido com ele, vivemos com ele.

Praticamente, isso significa que nosso velho eu com suas paixões e desejos foi eliminado. Não vivemos mais para essas coisas, mas para as coisas de Cristo. Ele colocou seus próprios desejos em nós. Ele colocou seu próprio Espírito em nós para nos guiar em toda a verdade e capacitar uma vida justa. 

Isso requer lembrar de passar tempo com Deus em Cristo e ficar atento ao fato apresentado aqui por Paulo enquanto passamos por nossas vidas diárias tomando nossa cruz para seguir a Jesus.

Comentando e explicando as partes chave de Gálatas 2:20

#1 “Já estou crucificado com Cristo e já não vivo”,
Jesus assumiu nossa carne (Hb 2:14) para que pudesse levar nossos pecados (1 Pe 2:24). Quando ele morreu, ele carregou nossa maldição até a cruz, a lista dos pecados que cometemos e cometeremos. Acreditar nele é morrer com ele. Nós morremos com Cristo.

#2 “mas Cristo vive em mim.”
Estou mais vivo do que nunca porque Cristo vive em mim pelo seu Espírito Santo. O que uma vez me levou foi morto na cruz, e agora sou guiado por Deus, seu Reino e a busca por sua justiça. Seu Espírito Santo me capacita a querer isso e buscar isso.

#3 “A vida que agora vivo no corpo, vivo pela fé no Filho de Deus”,
Esta é uma realidade. Estou morto para o pecado. Estou morto para o reino das trevas, mas me lembro disso pela fé. Não sou mais escravo do pecado (Rm 6:17) porque morri para ele. Mas devo viver esta nova vida pela fé ou esquecerei quem sou e, em minha carne, poderia voltar e viver como se não estivesse morto para essas coisas. Jesus e os apóstolos advertem sobre isso (Rm 6).

#4 “que me amou e se entregou por mim.”
“Assim conhecemos o amor: Jesus Cristo deu a sua vida por nós” (Jo 3:16). Cristo é o nosso exemplo do que significa amar uns aos outros a ponto de dar a nossa vida. Deus amou tanto o mundo que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele cresse nunca morresse, mas vivesse para sempre (Jo 3:16).

Comentários sobre o significado Gálatas 2:20

Comentários sobre o significado Gálatas 2-20

Comentário de Ellicott

No último versículo, o apóstolo falou de si mesmo como “morto para a lei e vivo para Deus”. A ideia proeminente na primeira metade desta cláusula foi a liberação daquele cerimonial pesado que o partido judaizante desejava vincular às consciências cristãs. Por uma transição natural, o pensamento do Apóstolo passou do que a Lei não podia fazer para o que o Cristianismo podia fazer.

Estou crucificado. A ideia é algo mais do que meramente “morrer com Cristo”, isto é, imitar a morte de Cristo de maneira espiritual: envolve, além disso, uma referência especial à cruz. É através do poder da cruz, através da contemplação da cruz e de tudo o que está associado a ela, que o cristão é capaz de mortificar os impulsos do pecado dentro dele e reduzi-los a um estado de passividade como o da morte.

Mesmo assim eu vivo. Esta morte para o pecado, morte de um lado da minha natureza, não me impede de ter vida do outro lado. O fato é que eu vivo em um sentido mais verdadeiro do que nunca.

Mas não eu. Mas não é mais o velho homem natural em mim que vive: não é aquela parte da personalidade humana que tem sua raiz na matéria, e é “da ​​terra, terrena”, mas aquela parte que é reformado pelo Espírito de Cristo.

Agora. Na minha atual condição de cristão oposto à antiga condição anterior à conversão.

Na carne. Nesta estrutura corporal humana; homem embora eu seja. O cristão é exteriormente igual aos outros homens; é sua vida interior que está “escondida com Cristo em Deus”.

Pela fé. Aqui ele está falando de fé antes como o elemento ou atmosfera em que o cristão vive. Ele é, por assim dizer, mergulhado na fé.

Comentário de Beacon

Esta nova vida em Deus, livre dos obstáculos da lei, foi possibilitada somente porque Paulo fora crucificado com Cristo (20). Este é um dos conceitos teológicos paulinos mais importantes. Quando o homem entra em Cristo, ele entra na sua morte. Ele morre com Cristo.

E mais que uma figura de linguagem, descrevendo uma separação psicológica ou libertação do pecado. Significa que pela fé o homem faz sua a morte de Cristo. O resultado futuro é que ele não enfrenta a morte eterna por seus pecados. Há também um benefício presente. O poder do pecado é interrompido na vida do homem, porque ele morreu para o pecado com Cristo.

A terminologia de Paulo é estranha ao modo de pensar da atualidade, mas descreve uma verdade que é bem conhecida na experiência humana. O crente, porém, não fica morto. E vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim. A correlação da morte com Cristo sempre é a ressurreição e a nova vida nele. O homem de fé “[anda] em novidade de vida” (Rm 6:4), “na semelhança […] da sua ressurreição” (Rm 6:5) e “[vive] para Deus” (Rm 6:11). Ele “[dá] fruto para Deus” (Rm 7:4), e o “[serve] em novidade de espírito” (Rm 7:6).

Visão geral de especialistas em Gálatas

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!