Uzá na Bíblia: Morreu ao Tocar na Arca – Lições e Significado

A história de Uzá na Bíblia embora não seja uma das mais felizes, oferece lições importantes sobre obediência e reverência à santidade de Deus. Além disso, também podemos aprender sobre consequências pela desobediência e a graça restauradora de Deus.

Vamos nos aprofundar na história bíblica, entender a morte de Uzá ao tocar na Arca e extrair lições preciosas para os dias de hoje.

Quem foi Uzá na Bíblia?

Uzá é um personagem bíblico do Antigo Testamento, mencionado principalmente no livro de 2 Samuel, capítulo 6. Ele era um dos filhos de Abinadabe e, juntamente com seu irmão Aiô, foi encarregado de conduzir uma carroça que transportava a Arca da Aliança de Quiriate-Jearim para Jerusalém.

Durante o transporte da Arca, em certo momento, os bois que puxavam a carroça tropeçaram e Uzá estendeu a mão para segurar a Arca, provavelmente para impedir que ela caísse. No entanto, Deus ficou irado com o gesto de Uzá e o matou instantaneamente.

Esse episódio é um exemplo da santidade e da importância da Arca da Aliança, que representava a presença de Deus entre o povo de Israel. Ele também é um aviso sobre a necessidade de tratar com respeito as coisas sagradas de Deus.

Qual o significado hebraico do nome Uzá?

O nome Uzá, na língua hebraica, é אֻזָּה, e seu significado é incerto e discutido por estudiosos. Alguns sugerem que pode significar “força”, “poderoso” ou “corajoso”, baseando-se em raízes hebraicas que têm esses significados.

Outros estudiosos propõem que o nome Uzá pode estar relacionado com o termo “uzi”, que significa “meu poder” ou “minha força”, ou ainda com o nome Uziél, que é um nome hebraico que significa “meu poder é Deus”.

O nome Uzá também aparece em 1 Crônicas 6:29, como um descendente de Coate, uma das famílias de levitas. No entanto, não é o mesmo Uzá que tocou na Arca, pois este era filho de Abinadade e o mencionado em 1 Crônicas é filho de Simei.

Qual é a história de Uzá na Bíblia

Qual é a história de Uzá na Bíblia?

A história de Uzá na Bíblia está registrada em 2 Samuel 6. Na ocasião, Davi havia reunido 30 mil homens de Israel para levar a Arca da Aliança de Quiriate-Jearim, onde havia permanecido por muitos anos, até Jerusalém, que seria a nova capital do reino.

Para os israelitas, a Arca era um objeto sagrado e importante, pois representava a presença de Deus entre eles.

Durante o trajeto, os bois que puxavam a carroça tropeçaram e Uzá estendeu a mão para segurar a Arca, provavelmente para impedir que ela caísse. No entanto, Deus ficou irado com o gesto de Uzá e o matou instantaneamente.

O rei Davi ficou perplexo e triste com a morte de Uzá. Ele reconheceu que havia subestimado a santidade da Arca e a forma como ela deveria ser transportada. Então, ele decidiu deixar a Arca na casa de um homem chamado Obede-Edom por três meses, para que fosse tratada com o respeito adequado.

Depois disso, Davi organizou um novo dia para levar a Arca. Mas, desta vez, seguindo todas as orientações de Deus sobre a maneira correta de transportá-la. Eles trouxeram a Arca para Jerusalém com grande celebração e alegria, tocando música e dançando diante dela.

A história de Uzá é um exemplo da importância de tratar com respeito as coisas sagradas de Deus. Isso mostra que não podemos tratar a santidade de Deus de maneira irreverente ou descuidada.

Porque Uzá morreu ao tocar na arca?

De acordo com o relato bíblico em 2 Samuel 6, Uzá morreu quando estendeu a mão para segurar a Arca da Aliança, que estava sendo transportada em uma carroça puxada por bois. A Bíblia não especifica claramente por que Uzá morreu, mas é possível entender que ele morreu devido à sua irreverência em relação à Arca.

Deus havia dado instruções claras sobre tratamento e a maneira de transportar a Arca, e essas instruções incluíam o fato de que apenas os levitas, sacerdotes designados por Deus, podiam tocar na Arca. Uzá não era um sacerdote levita, e ele agiu com irreverência ao estender a mão para segurar a Arca.

A morte de Uzá serviu como um aviso sobre a importância de obedecer as instruções de Deus e tratar as coisas sagradas de maneira adequada e reverente. O evento também reforçou a crença de que a Arca da Aliança era um objeto extremamente sagrado, além disso, só alguns designados por Deus podiam transportá-la.

Arca da Aliança

Quem poderia transportar a arca?

De acordo com a lei de Deus no Antigo Testamento, apenas os levitas, que eram a tribo sacerdotal designada por Deus, poderiam transportar a Arca da Aliança. Entre os levitas, apenas os sacerdotes que eram descendentes de Arão, o irmão de Moisés, tinham permissão para tocar na Arca e transportá-la.

A Bíblia também descreve em detalhes como a Arca deveria ser transportada. (Veremos mais sobre isso logo à frente).

Portanto, apenas os sacerdotes levitas descendentes de Arão tinham permissão para tocar na Arca e transportá-la, seguindo as instruções detalhadas dadas por Deus. Aqueles que desobedecessem essas instruções, como Uzá, poderiam enfrentar consequências graves, como a morte.

Qual era a maneira correta de transportar a arca?

A maneira correta de transportar a Arca da Aliança estava registrada na lei do Antigo Testamento dada por Deus. A seguir estão as instruções sobre como deveria ser o transporte da Arca:

  • A Arca tinha duas varas de madeira de acácia revestidas de ouro que eram inseridas em anéis de ouro nas laterais da Arca. (Êxodo 25:12-15)
  • Apenas os sacerdotes levitas, descendentes de Arão, tinham permissão para tocar na Arca e transportá-la usando essas varas. (Números 4:15; 1 Crônicas 15:2, 15:11-15)
  • Os sacerdotes deveriam colocar as varas nos ombros e carregar a Arca enquanto ela estava coberta com um pano azul. (Números 4:5-6)
  • Ninguém deveria olhar dentro da Arca enquanto ela estava sendo movida, e aqueles que tocassem na Arca de maneira imprópria poderiam enfrentar consequências graves, como a morte. (Números 4:20; 2 Samuel 6:6-7)

Essas instruções indicam que o transporte da Arca da Aliança era um ato sagrado que deveria ser realizado com grande reverência e cuidado pelos sacerdotes levitas designados por Deus.

Qual era a maneira correta de transportar a arca

Exemplos de como transportar a arca:

Vejamos exemplos para ver quem realmente carregou a Arca da Aliança diante de Deus.

Quando Israel atravessou o Jordão para Canaã, foram os sacerdotes que carregaram a arca. Como o povo andou por Jericó tantas vezes antes que os muros caíssem, foram os sacerdotes que carregaram a arca. Quando o povo se reuniu no Monte Ebal e no Monte Gerizim, os sacerdotes carregaram a arca.

Deuteronômio 31:9 também descreve os sacerdotes como levitas que carregavam a arca (Deuteronômio 31:25, que diz apenas “levitas” – mas é claro, todos os sacerdotes eram levitas).

Dessa forma, concluímos que não eram quaisquer coatitas que podiam carregar a arca: ela tinha que ser carregada por sacerdotes.

Quando Davi providenciou o transporte da Arca da Aliança para Jerusalém, ela foi carregada em uma carroça. Mas isso estava errado. Pois, o próprio Davi mudou a maneira de transporte mais tarde. 

Na segunda vez, ele disse que ninguém além dos levitas deveria carregar a arca. Isso significa qualquer levita? 1 Crônicas 15:11-12 nos diz que Davi chamou Zadoque e Abiatar, os sacerdotes e outros líderes dos levitas, e disse-lhes que providenciassem o transporte da arca, observando que Deus havia irrompido contra eles e matado Uzá porque eles não haviam feito corretamente da primeira vez. 

1 Crônicas 15:14-15 nos diz que os sacerdotes e levitas se consagraram e os levitas carregaram a arca de Deus com os varais como Moisés havia ordenado.

Como Davi fez para levar a Arca de Deus para Jerusalém depois da morte de Uzá?

Então, o que Davi fez? Vamos agora para o próximo capítulo, 1 Crônicas 15:1-29. Davi construiu casas para si em Jerusalém e preparou um lugar para a arca de Deus em uma tenda especial.  

Desta vez, ele instruiu o povo que apenas os levitas “carregariam a arca de Deus, pois o Senhor os escolheu para carregar a arca de Deus e para servi-lo para sempre” 1 Crônicas 15:2.

Depois de reunir os filhos de Arão, Davi chamou os chefes de família dos levitas e os instruiu a se consagrarem para trazer a arca de Deus ao lugar que ele havia preparado para ela, 1 Crônicas 15:12.

Davi reconheceu seu pecado quando tentou transportar a arca de volta para Jerusalém. “Visto que a princípio não o carregastes, o SENHOR, nosso Deus, nos irritou, porque não o buscamos conforme a ordenança.” 1 Crônicas 15:13.

Assim, os filhos dos levitas carregaram a arca com as varas conforme haviam sido instruídos por Deus por meio de Moisés centenas de anos antes.

Novamente Davi falou com os chefes dos levitas para nomear cantores, músicos e liderar a procissão em sons de alegria, 1 Crônicas 15:16.

Dessa vez, tudo foi feito corretamente. Davi buscou o Senhor, consultou os sacerdotes levitas em todos os aspectos da procissão e todo o Israel trouxe a arca de Deus de Obede-Edom para Jerusalém.

5 Lições sobre a história de Uzá na Bíblia

Lições sobre a história de Uzá na Bíblia

A história de Uzá na Bíblia, em 2 Samuel 6:1-11, oferece algumas lições valiosas que podemos aplicar em nossas vidas. Aqui estão algumas delas:

1. Deus deve ser adorado com reverência e obediência

A história de Uzá destaca a importância de adorar a Deus com reverência e obediência. Quando Uzá tocou na Arca da Aliança de maneira imprópria, ele foi punido com a morte. Isso nos lembra que Deus é santo e merece nosso respeito e obediência em todas as áreas de nossas vidas, inclusive em nossos atos de adoração.

2. Não devemos presumir que conhecemos a vontade de Deus

Davi presumiu que sabia a maneira correta de transportar a Arca, mas acabou sendo repreendido por Deus quando Uzá tocou na Arca de maneira imprópria. Isso nos ensina que não devemos presumir que conhecemos a vontade de Deus ou que nossas próprias ideias são melhores do que as instruções claras que Ele nos deu na Bíblia.

3. A desobediência às leis de Deus tem consequências

A história de Uzá também destaca a importância de obedecer às leis de Deus. A desobediência às instruções divinas pode ter consequências graves e até fatais, como foi o caso de Uzá. Isso nos lembra que, como cristãos, devemos buscar obedecer aos mandamentos de Deus e viver de acordo com Sua vontade.

4. A graça de Deus é um dom gratuito

Embora Uzá tenha sido punido por sua desobediência, Deus mostrou misericórdia a Davi e permitiu que a Arca fosse levada para Jerusalém. Isso nos lembra que a graça de Deus é um dom gratuito que não merecemos, mas que Ele nos concede por meio de Sua bondade e amor por nós.

5. Devemos buscar adorar a Deus com alegria e celebração

A história de Davi trazendo a Arca da Aliança para Jerusalém também destaca a importância de adorar a Deus com alegria e celebração. Davi dançou diante do Senhor e liderou o povo em cânticos de adoração, demonstrando sua alegria e gratidão por Deus.

O rei Davi não ficou preso ao passado do fracasso, mas quebrou os protocolos e apresentou um coração radiante de alegria e gratidão ao Senhor.

Isso nos ensina que devemos buscar adorar a Deus com um coração agradecido e uma atitude de celebração, reconhecendo Suas bênçãos e bondade para conosco.

O que a história bíblica de Uzá significa para nós?

Deus só quer o melhor para todas as pessoas. Ele é cheio de misericórdia, bondade, paciência, compaixão e perdão. Então, só nos basta adorar e servir a Deus com reverência em nosso coração.

A história de Uzá na Bíblia nos lembra da importância de adorar a Deus com reverência e obediência, e de não presumir que conhecemos Sua vontade. Também nos ensina que a desobediência às leis de Deus tem consequências, mas que Sua graça é um dom gratuito que não merecemos. Além disso, devemos buscar adorar a Deus com alegria e celebração, reconhecendo Sua bondade e amor por nós.

Como cristãos, devemos buscar obedecer aos mandamentos de Deus e viver de acordo com Sua vontade, buscando agradá-Lo em todas as áreas de nossas vidas. Ao fazê-lo, podemos experimentar a alegria e a paz que vêm da comunhão com Ele e desfrutar de Seus muitos benefícios e bênçãos.

Espero que este estudo sobre o rei Davi, Uzá e a Arca de Deus tenha sido esclarecedor e útil para você. 

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.
Botão Voltar ao topo