4 impactos de um espírito sedutor

Um espírito sedutor é uma influência maligna dirigida a um crente com a intenção de levá-lo a comprometer o comportamento pecaminoso, contrário à direção de Deus. 

Embora os exemplos dos impactos discutidos abaixo sejam do Antigo Testamento, os espíritos sedutores estão presentes e ativos em nossa sociedade hoje. 

Espíritos sedutores estão, portanto destruindo vidas cristãs, lares e nossas igrejas locais. 

Contudo, o Espírito Santo dá ao crente discernimento para reconhecer um espírito como sedutor, e a Palavra de Deus, é a nossa espada para derrotar a tentação, tornando assim os cristãos mais forte e ousado em sua vida espiritual.

À seguir portanto veremos os 4 impactos causados por um espírito sedutor

1. Espíritos sedutores podem impedir nossa força espiritual

À seguir vamos ver a história de Sansão, escolhido desde o ventre da sua mãe para “ser um nazireu de Deus”. (Juízes 13). 

Sansão foi abençoado com o voto nazireu antes de seu nascimento. O voto estrito ordenava que “nenhuma navalha passaria sobre sua cabeça” e “não beberia vinho nem bebida forte, e não comeria coisa alguma impura”.

O caminho de Sansão para a fragilidade à influência indevida de um espírito sedutor começou com o desejo por uma mulher filistéia. (Juízes 14:1)

A permissão de um espírito sedutor muitas vezes nos leva à introdução e consequentemente a destruição por outro espírito sedutor. 

Este conceito, portanto foi descrito por Jesus:

“então ele vai, e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele, e eles entram e habitam ali: e o último estado daquele homem é pior do que o primeiro”. (Mateus 12:45)

Mais tarde, Sansão é seduzido por Dalila, esta mulher ficou fascinada com a força e o poder de Sansão que incansávelmente exigiu que ele lhe contasse o segredo. 

Depois de responder intencionalmente errado várias vezes, Sansão finalmente cedeu e disse-lhe: “Não passou navalha sobre minha cabeça. Se eu for barbeado, minha força desaparecerá de mim e me tornarei fraco como qualquer outro homem”. 

Consequentemente, a cabeça de Sansão foi raspada e assim, Dalila “começou a afligi-lo, e a força se foi dele”.

Jesus nos advertiu sobre a importância da oração fervorosa e estar desejoso de discernimento espiritual constante.

“Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade o espírito está pronto, mas a carne é fraca”. (Mateus 26:41)

Afinal, a história de Sansão nos ensina que, o impacto do espírito sedutor rouba a nossa força espiritual.

Vamos, assim deixando de orar, de ler a bíblia sagrada, e pouco a pouco perdemos nossa força espiritual.

Assim como com Sansão, o espírito sedutor nos aflige e nos tornamos fracos.

Portanto, devemos estar sempre vigilantes, pois os espíritos sedutores, agem incansávelmente para nos destruir e impedir nossa força.

2. Espíritos sedutores podem causar perda de bênçãos espirituais

A ociosidade espiritual dá origem a espíritos sedutores, influenciando assim as obras da carne. 

Os ataques do príncipe das mentiras vão até mesmo atacar nossa própria identidade espiritual e confiança na salvação, permitindo assim que nosso estudo da Bíblia e nossa vida de oração, vacilem. 

Observe como o tempo livre nos dá o desejo de examinar ou observar coisas que nos são prejudiciais espiritualmente.

História de Davi sendo seduzido pelo espírito maligno

Em 2 Samuel 11, vamos ver a triste história de Davi e Bate-Seba.

Davi era o rei de Israel, em vez de estar na batalha liderando, ele abandonou suas responsabilidades por um “dia de folga”, sem necessidade. E agora neste tempo de sua osciosidade, fez com que seus desejos físicos, o levassem a uma grande ruína.

Resultando assim em um pecado de adultério, com consequências trájicas para a sua vida e de sua família.

Assim, vemos que não há limites para o espírito sedutor.

O que pode começar como um olhar inocente pode se transformar em um ciclo vicioso de pecado.

 Uma vez que permitimos a ação do espírito sedutor, somos incapazes de impedir as consequências. 

Davi se arrependeu, mas teve que enfrentar as doloridas consequências.

Certamente recebemos o perdão, quando nos achegamos ao Senhor com um coração arrependido por nossas falhas. 

A misericórdia do Senhor pode impedir que o julgamento caia sobre nós, mas ainda há consequências severas para nossas ações. 

A percepção das bênçãos perdidas pela desobediência, desperta em nós à importância de obedecermos e da plena utilização dos dons espirituais concedidos pelo poder do Espírito Santo.

3. Espíritos sedutores podem aumentar nossos sentimentos de justiça própria

Nas últimas palavras do rei Davi a Salomão ao assumir o trono de Israel, ele encarregou seu filho de ser forte e mostrar-se como um grande homem, guardando os mandamentos do Senhor. 

Salomão foi então visitado pelo Senhor em um sonho e disse-lhe Deus: Pede o que queres que eu te dê.

Em resposta, o único pedido de Salomão foi que o Senhor lhe desse discernimento ou seja, sabedoria para que ele pudesse julgar aquele povo com retidão.

Deus então, vendo e contemplando o desejo do coração do rei Salomão, lhe concedeu coração tão sábio e entendido, que nunca houve antes e nem depois haveria de ter.

Com isso Deus lhe acrescentou riquezas como glória, porém, Sansão deveria cumprir os mandamento que o Senhor lhe deu para que seus dias fossem prolongados.

Mas contudo, em vez de seu voto inicial de servir ao único Deus verdadeiro, Salomão permitiu que sua dependência recaísse com relações de mulheres estranhas. 

À medida que os reis e “mulheres estranhas” dos territórios estrangeiros visitavam e se gabavam do reino e da sabedoria de Salomão, sua confiança e dependência no Senhor começaram a vacilar e ele deu maior importância às suas fortificações por meio de alianças, riquezas e mão de obra.

Aprendemos portanto, com esta triste história que espíritos sedutores, quando não controlados, dão ao crente uma falsa sensação de autoconfiança e empoderamento.

4. Espíritos sedutores podem fortalecer nossa determinação espiritual

Em Gênesis 39, vamos ver a história de José um jovem que venceu a tentação e teve grande êxito em sua vida.

José era, portanto um jovem temente a Deus, com um cárater imutável. No entanto, satánas vem com suas astutas ciladas, para tentar desviar José e fazer com que ele perdesse as bençãos do Senhor.

José é levado para casa de Potifar, para assim o servir. Tudo que José fazia era próspero, pois ele tinha o Espírito do Senhor.

A mulher de Potifar, porém vendo que José era um jovem formoso, tenta seduzi-lo dizendo: Deita-te comigo, porém ele recusou.

José, no entanto foi levado para a prisão, sem dever nada.

Porém a fidelidade, de José mais tarde, faria com que ele fosse honrado.

O que aprendemos com essa história é que espíritos sedutores quando vencidos, ao invés de nos derrotar, nos aproximam de Deus.

À medida que envelhecemos e amadurecemos espiritualmente, podemos discernir que todas as “portas abertas” não são do Senhor, permitindo pessoas ou oportunidades em nossas vidas. 

Paulo aceitou e usou tentações espirituais e fraquezas, a seu favor para crescer em Cristo.

“Por isso estou satisfeito com fraquezas, com insultos, com angústias, com perseguições, com dificuldades, por amor de Cristo; pois quando estou fraco, então sou forte.” (1 Coríntios 12:10)

Autor: Chad Napier 

Botão Voltar ao topo