5 fatos interessantes sobre o livro de Ezequiel na Bíblia

O livro de Ezequiel está localizado entre os livros proféticos do Antigo Testamento. Para muitos crentes, ele permanece misterioso e pouco explorado.

Poucos pastores querem pregar no livro, pois ele não é daqueles para esboços fáceis e aplicações simples. Aqueles que se aprofundarem em seus quarenta e oito capítulos podem sair perplexos e confusos, perguntando-se: “O que acabei de ler? O que tudo isso significa?” 

Apesar de ser um livro complexo, vale a pena tentar entender Ezequiel. Nele, a grandeza e a bondade de Deus contrastam com a escuridão da humanidade caída. Descobrimos muito sobre o pecado, o arrependimento e a complexidade humana em suas páginas.

Contexto de Ezequiel

O livro de Ezequiel, escrito entre 593-571 aC (inclui a primeira visão de Ezequiel em 573 aC, a queda de Judá em 586 aC e a visão de Ezequiel do segundo templo em 573 aC). 

A primeira visão de Ezequiel ocorreu quatro anos depois de Nabucodonosor deportar o primeiro grupo de exilados judeus para a Babilônia. Seu ministério começou quando ele tinha trinta anos, e sua última visão para o livro ocorreu quando ele tinha cinquenta anos. 

Ezequiel teve um trabalho difícil como a maioria dos profetas do Antigo Testamento. Ele estava falando para um povo que estava em meio a turbulência e punição justa devido a anos e anos de desobediência a Deus. 

Apesar dessas dificuldades, Ezequiel defendeu o Senhor como um Deus santo. Ele queria restaurar a glória de Deus ao povo de Deus. O povo havia rejeitado a Deus e se voltado para outras nações, agora eles estavam colhendo as consequências daquelas escolhas. Mas Deus nunca deixa seu povo à própria sorte; Ele está sempre presente e sempre trabalhando para preservar um remanescente por meio da graça e da fé. 

Ezequiel fornece a esperança de um novo coração e espírito (Ez 36:22-32) para aqueles que estão exilados e aqueles que permanecem em Judá. 

Antes de embarcar em sua própria leitura de Ezequiel, aqui estão 5 coisas interessantes para saber:

1. O livro de Ezequiel foi escrito durante o exílio no século VI

Ezequiel 1:3 nos diz que na época da escrita do livro, o profeta e muitos do povo de Deus estavam atualmente na Babilônia depois de deportados de Judá em 597 AC. 

Ele foi contemporâneo do profeta Daniel e começou a profetizar em 593 aC. Ezequiel esteve envolvido no ministério profético por mais de duas décadas, com sua última mensagem registrada datada do ano 571 AC. 

No livro de Ezequiel, o profeta primeiro detalha as razões pelas quais o julgamento viria sobre Judá (cap. 1-25), então declara julgamento sobre outros povos pecadores que cercam Judá (cap. 25-32), então termina com a garantia de que um dia o povo de Deus retornaria à terra e se reconciliaria com Deus (cap. 33-48).

Parece que Ezequiel escreveu o livro para ajudar os exilados na Babilônia a entender por que seu exílio aconteceu e incentivá-los a viver com fidelidade e unidade enquanto aguardavam sua restauração final. 

Enquanto muitos falsos profetas tentavam dizer ao povo o que eles queriam ouvir, que eles retornariam rapidamente à sua amada terra natal, Ezequiel profetizou a verdade, que Jerusalém seria de fato destruída e que levaria muitos anos para a futura restauração que Deus realmente havia prometido.

2. Os jovens judeus eram proibidos de ler Ezequiel até os 30 anos

Há muita coisa difícil de entender sobre o livro de Ezequiel. De fato, de acordo com Matthew Henry, alguns rabinos judeus costumavam proibir os homens de lê-lo até a idade de trinta anos porque se pensava que a maturidade era necessária para entender a mensagem da profecia. 

Matthew Henry encoraja os leitores de Ezequiel, no entanto, que “se lermos essas partes difíceis das escrituras com humildade e reverência, e as examinarmos diligentemente, embora não possamos desatar todos os nós que encontramos, podemos reunir muito para confirmar nossa fé e encorajar nossa esperança no Deus que adoramos”.

3. O nome Ezequiel significa “Deus fortalece”

O nome do profeta Ezequiel significa “Deus fortalece”. E de fato ele precisava de muita força para declarar uma mensagem difícil: o fato de que Judá estava sendo julgado por seus pecados, e esse julgamento continuaria por muitos anos. 

Ele os exortou a se arrependerem e se entregarem à misericórdia de Deus, esperando na graciosa promessa de restauração futura. 

Ezequiel veio de uma família sacerdotal e suas profecias têm um tom e ênfase sacerdotal (por exemplo, Ezequiel 46). 

Apesar de ser um momento terrivelmente difícil de exílio, as condições na Babilônia pareciam “geralmente toleráveis”. Ezequiel e muitos outros exilados foram capazes de possuir suas próprias casas, como mencionado em Ezequiel 3:24 e 8:1.

A esposa de Ezequiel morreu repentinamente (24:15). E Deus diz a Ezequiel para não chorar alto por ela, e que isso servirá como um sinal de que “Jerusalém deve ser destruída sem lamento ou lamentação” (24:15).

O que o livro de Ezequiel nos ensina?

4. Ezequiel nos ensina que Deus é bom mesmo em meio ao julgamento

Embora o tom geral de Ezequiel seja sombrio e focado no pecado e no julgamento, o fato de os profetas continuarem a levar a mensagem de Deus às pessoas é prova de que seu amor perdura mesmo quando seu povo peca. 

De fato, Ezequiel retrata Deus como o marido fiel de uma esposa adúltera. Essa relação é vividamente retratada em Ezequiel 16, onde Deus conclui:

Assim diz o Senhor Soberano: Eu vou lidar com você como você merece, porque você desprezou meu juramento quebrando a aliança. No entanto, eu me lembrarei da aliança que fiz com você nos dias da sua mocidade, e estabelecerei uma aliança eterna com você”.

Ezequiel 16:59-60

Matthew Henry explica:

“Foi uma indicação da boa vontade de Deus para eles, e seus desígnios graciosos a respeito deles em suas aflições, que ele levantou profetas entre eles, tanto para convencê-los quando, no início de seus problemas, eles estavam seguro e sem humildade, que era o negócio de Ezequiel, e consolá-los quando, no final de seus problemas, eles estivessem desanimados e desencorajados. Se o Senhor tivesse gostado de matá-los, não teria usado meios tão aptos e apropriados para curá-los.” 

5. Ezequiel nos ensina que Deus deseja perdoar o arrependido

Deus não está ansioso para punir os malfeitores. Em vez disso, ele lhes dá todas as chances de se arrependerem. Deus apela aos israelitas em Ezequiel 18:31-32:

Livrem-se de todas as ofensas que vocês cometeram, e obtenham um novo coração e um novo espírito. Por que você vai morrer, povo de Israel? Pois não tenho prazer na morte de ninguém, declara o Soberano Senhor. Arrependa-se e viva! 

Além do julgamento e do exílio que o povo infiel estava enfrentando na época em que Ezequiel escreveu, Deus prediz esperança por meio de seu profeta, dizendo:

“Pois eu os tirarei das nações; Eu os reunirei de todos os países e os trarei de volta à sua própria terra. Aspergirei água pura sobre vocês, e vocês ficarão limpos; Eu os purificarei de todas as suas impurezas e de todos os seus ídolos. Eu vos darei um coração novo e porei em vós um espírito novo; Eu tirarei de você o seu coração de pedra e lhe darei um coração de carne”.

Ezequiel 36:24-26

Embora Ezequiel possa parecer um livro intimidador de ler, há recompensas a serem obtidas ao passar tempo com o forte profeta de Deus que não faz rodeios em relação à injustiça, mas nos lembra do amor constante e duradouro de Deus que cobre uma multidão de pecados quando o arrependimento suaviza corações rebeldes. 

Verdades que mudam a perspectiva e reorientam as prioridades brilham no livro de Ezequiel como um tesouro enterrado, apurado pelos mineiros maduros e diligentes da Palavra de Deus.

Resumo do livro de Ezequiel

O livro de Ezequiel é uma narrativa que demonstra a importância de reverenciar o nome e a glória de Deus. Ao longo do livro, vemos a revelação do poder e da presença divina é essencial para que o povo reconheça que Deus é o Senhor.

O livro está dividido em quatro partes principais:

I. O Chamado do Profeta (Capítulos 1-3): Deus chama Ezequiel para ser Seu mensageiro e atalaia, e ele testemunha a glória de Deus e ouve Sua palavra.

II. A Queda de Jerusalém (Capítulos 4-24): Ezequiel profetiza a respeito do juízo sobre Jerusalém devido à sua rebelião e pecados. Ele descreve a partida da glória de Deus do Templo, critica os líderes ímpios e defende a justiça de Deus.

III. As Nações São Julgadas (Capítulos 25-32): Além de profetizar sobre Judá e Jerusalém, Ezequiel também pronuncia juízos sobre outras nações vizinhas, como Amom, Moabe, Edom, Filístia, Tiro, Sidom e Egito.

IV. O Futuro Glorioso de Israel (Capítulos 33-48): Ezequiel profetiza sobre a restauração de Israel, incluindo a restauração de Jerusalém, a renovação da terra de Israel, a ressurreição e reunificação da nação de Israel, e o restabelecimento do templo e do sacerdócio.

Estudos sobre Ezequiel na Bíblia

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!