A Parábola do Semeador

Procura uma bom sermão das parábolas de Jesus? Aqui está um riquíssimo estudo e esboço de pregação sobre a parábola do semeador em Mateus 13.

Pregação em Mateus 13 sobre a Parábola do Semeador

Texto do sermão: Mateus 13:1-23

“Falou-lhe de muitas coisas por parábolas, dizendo: Eis que o semeador saiu a semear… quando semeava, uma parte da semente caiu ao pé do caminho, e vieram as aves, e comeram-na; E outra parte caiu em pedregais, onde não havia terra bastante, e logo nasceu, porque não tinha terra funda; Mas, vindo o sol, queimou-se, e secou-se, porque não tinha raiz. E outra caiu entre espinhos, e os espinhos cresceram e sufocaram-na. E outra caiu em boa terra, e deu fruto: um a cem, outro a sessenta e outro a trinta. (Mateus 13:3-8)

Introdução do sermão

Em Mateus 13, Jesus compartilha conosco sete parábolas, cada uma nos dizendo como é o reino dos céus. Cada parábola revela um aspecto diferente do reino, e quando as examinamos juntas, temos uma boa imagem do que é o reino dos céus.

A primeira parábola que Jesus compartilha é a Parábola do Semeador. Esta é uma das parábolas mais famosas de Jesus. Aparece em três dos quatro evangelhos, em Mateus, Marcos e Lucas. Como a maioria das parábolas, é uma história simples, mas contém ensinamentos essenciais sobre o reino de Deus tanto para os ouvintes originais de Jesus quanto para nós hoje. 

  • Por que algumas pessoas respondem ao evangelho enquanto outras não? 
  • Por que você pode falar sobre Jesus com um monte de amigos, e alguns vão responder positivamente enquanto outros vão te calar? 
  • Por que um pregador ou evangelista pode compartilhar a mesma mensagem com todo um grupo de pessoas ao mesmo tempo, e alguns aceitarão a mensagem enquanto para outros ela parece cair em ouvidos surdos? 

Essa é a pergunta que Jesus levanta e depois responde na parábola de hoje.

Estudar esta parábola e as verdades que ela ensina o tornará mais eficaz em seu testemunho de Cristo e o tornará mais eficaz em orar por pessoas que não conhecem a Cristo. Tanto o testemunho quanto a oração são essenciais para o compartilhamento eficaz do evangelho, pois, como veremos, tudo se resume a como a pessoa recebe a mensagem.

I. Jesus conta a parábola do semeador (Mateus 13:1-9)

   A. Jesus ensina em parábolas (1-3)

Então, vamos começar com a primeira seção onde Jesus conta a parábola do semeador. Veja os versículos 1-2:

Naquele mesmo dia, Jesus saiu de casa e sentou-se à beira do lago. 2 Aglomerou-se ao redor dele uma multidão tão grande que ele entrou num barco e sentou-se nele, enquanto todo o povo estava na praia. (Mateus 13:1-2)

Matthew define o cenário para nós aqui. O lago aqui é o Mar da Galiléia. As multidões se aglomeram em torno dele e ele é forçado a usar um barco como púlpito. Imagine Jesus sentado no barco um pouco afastado da praia, e todas as pessoas se reuniram ao longo da praia à beira da água para ouvi-lo. 

As margens ao longo do Mar da Galiléia se inclinam para cima criando um efeito de anfiteatro, e assim as pessoas podem estar sentadas ao longo das margens ouvindo Jesus enquanto ele ensinava.

Mateus continua a nos dizer no versículo 3:

Então ele lhes contou muitas coisas em parábolas. (Mateus 13:3)

Então, o que é uma parábola? Uma parábola na Bíblia é qualquer tipo de ditado ou história que contém uma comparação ou um paralelo. 

A própria palavra parábola significa “comparar entre si” ou “colocar uma coisa de lado da outra”. E assim, uma parábola é simplesmente uma maneira de ensinar uma verdade espiritual usando uma história ou ilustração banal e prática.

   B. Jesus descreve quatro lugares onde a semente caiu

Já vimos algumas outras parábolas no evangelho de Mateus, por exemplo, a parábola dos construtores sábios e tolos no final do Sermão da Montanha (Mateus 7:24-27), mas a parábola do semeador aqui é a primeira de uma série de parábolas todas compiladas em um capítulo. 

É um bom exemplo do que poderíamos chamar de “parábola da história”, isto é, uma comparação ou analogia mais longa e prolongada. E nesta parábola Jesus descreve um agricultor semeando e depois quatro lugares onde a semente caiu.

      1) “ao longo do caminho” (3-4)

O primeiro lugar onde a semente caiu foi ao longo do caminho. Veja os versículos 3-4:

“Um agricultor saiu para semear a sua semente. 4 Enquanto ele espalhava as sementes, algumas caíram à beira do caminho, e as aves vieram e as comeram”. (Mateus 13:3-4)

Os campos nos dias de Jesus eram dispostos em faixas longas e estreitas, e os agricultores usavam o solo entre as faixas como caminhos. Esses caminhos acabariam sendo derrubados por toda a caminhada. Isso me lembra de quando eu era criança havia um caminho que passava por um campo a caminho da escola. 

Ninguém jamais fez esse caminho conscientemente. Ele foi formado ao longo do tempo a partir da caminhada constante das crianças para a escola todos os dias. O chão naquele caminho era duro como pedra, e nenhuma grama cresceria ali. Assim era esse caminho na parábola. As sementes simplesmente ficaram no topo do caminho, e assim os pássaros desceram e as comeram.

      2) “em lugares rochosos” (5-6)

O segundo lugar onde a semente caiu foi em lugares pedregosos. Veja os versículos 5-6:

“Alguns caíram em lugares pedregosos, onde não havia muito solo. Ela brotou rapidamente, porque o solo era raso. 6 Mas, quando saiu o sol, as plantas se queimaram e secaram porque não tinham raiz”. (Mateus 13:5-6)

Às vezes pensamos nesses lugares rochosos como solo que tinha muitas rochas, mas Jesus está descrevendo algo um pouco diferente aqui. 

Os lugares rochosos eram aquelas áreas que tinham apenas uma fina camada de terra descansando em cima de uma plataforma subjacente de rocha calcária. A sujeira pode ter vários centímetros de profundidade no máximo. 

O sol aqueceria este solo rapidamente, a semente germinaria e brotaria, mas as raízes pararam na rocha, e a planta literalmente morreria de fome por falta de umidade. Foi exatamente o que aconteceu com essas sementes que caíram nos lugares rochosos.

      3) “entre espinhos” (7)

O terceiro lugar onde a semente caiu foi entre os espinhos. Veja o versículo 7:

“Outra semente caiu entre os espinhos, que cresceram e sufocaram as plantas.” (Mateus 13:7)

Parecia um bom solo, mas também continha as raízes das ervas daninhas naturais daquela área. E assim, as ervas daninhas e os espinhos adormecidos cresceriam junto com as plantas e depois as sufocariam antes que pudessem dar qualquer fruto.

      4) “em boa terra” (8)

E então o quarto lugar onde a semente caiu foi em boa terra. Veja o versículo 8:

“Ainda outra semente caiu em solo bom, onde produziu uma colheita – cem, sessenta ou trinta vezes o que foi semeado.” (Mateus 13:8)

A semente que caiu em boa terra cresceu e produziu uma colheita. E o rendimento de cento, sessenta, trinta vezes aqui – esta foi uma colheita muito boa. A maioria dos agricultores ficaria feliz com um aumento de dez vezes, então isso representa uma colheita excepcionalmente abundante.

   C. Jesus exorta a multidão a ouvir (9)

Então essa é a parábola. Jesus conta uma história simples sobre um agricultor que semeou sua semente. A semente cai em quatro tipos diferentes de solo com quatro resultados correspondentes. Então Jesus encerra a parábola com uma exortação para que a multidão ouça. Veja o versículo 9 onde Jesus diz:

“Quem tem ouvidos, ouça”. (Mateus 13:9)

Jesus usa essas palavras várias vezes nos evangelhos, e elas implicam mais do que apenas ouvir com seus ouvidos físicos. Simplesmente ouvir a palavra não é suficiente. Você não deve apenas ouvir; você também deve entender e obedecer para que a palavra lhe traga algum benefício.

II. Os discípulos lhe perguntam sobre as parábolas (Mateus 13:10-17)

Agora, Jesus vai ensinar à multidão uma série de outras parábolas. Mas Mateus interrompe o fluxo aqui por um momento e salta para um momento posterior, quando Jesus estava sozinho com um grupo menor de pessoas. Veja os versículos 10-13 onde lemos:

Os discípulos aproximaram-se dele e perguntaram: “Por que você fala ao povo em parábolas?” 11 Ele respondeu: “O conhecimento dos segredos do reino dos céus foi dado a vocês, mas não a eles. 12 A quem tem será dado mais, e terá em abundância. Quem não tem, até o que tem lhe será tirado. 13 É por isso que lhes falo por parábolas: Ainda que vejam, não veem; embora ouvindo, não ouvem nem entendem.” (Mateus 13:10-13)

Antes de explicar a parábola para eles, Jesus lhes dá algumas dicas sobre por que ele ensina com parábolas. E parte da razão é para que as verdades que ele está ensinando permaneçam escondidas para aqueles que não acreditam, para aqueles que não têm “ouvidos para ouvir”. 

Aqueles que não abordam os ensinamentos de Jesus em atitude de fé permanecem ignorantes do verdadeiro significado da parábola. Eles vêem Jesus ensinando e ouvem suas palavras, mas não entendem ou acreditam realmente.

Jesus continua e cita para eles o profeta Isaías no Antigo Testamento. Veja os versículos 14-15 onde Jesus diz:

“Neles se cumpre a profecia de Isaías: Você sempre ouvirá, mas nunca entenderá; você sempre verá, mas nunca perceberá. 15 Pois o coração deste povo se tornou calejado; mal ouvem com os ouvidos e fecharam os olhos. Caso contrário, eles veriam com os olhos, ouviriam com os ouvidos, entenderiam com o coração e se converteriam, e eu os curaria.” (Mateus 13:14-15).

Jesus está citando Isaías 6:9-10 aqui, onde Deus falou palavras de julgamento contra Israel porque eles se recusaram a ouvir a verdade da palavra de Deus. 

E assim, Jesus está dizendo aqui que ele usa parábolas como um veículo de ensino tanto para ocultar quanto para revelar. 

As parábolas destinam-se a ocultar a verdade daqueles cujos corações estão endurecidos para com Deus, e também a revelar a verdade àqueles que ouvem com o coração aberto e a mente disposta.

Jesus continua a pronunciar uma bênção sobre os discípulos porque seus corações estão abertos à palavra de Deus. Veja os versículos 16-17:

“Mas bem-aventurados os vossos olhos porque veem, e os vossos ouvidos porque ouvem. 17 Pois em verdade vos digo que muitos profetas e justos desejaram ver o que vocês veem, mas não viram, e ouvir o que vocês ouvem, mas não ouviram”. (Mateus 13:16-17)

Muitos outros antes deles desejavam ver e ouvir as coisas que estavam vendo e ouvindo agora. Os discípulos são abençoados porque, ao contrário de muitos na multidão, seus corações estão abertos a Deus e sua palavra ao verem os milagres de Jesus e ouvirem seus ensinamentos.

III. Jesus explica a parábola do semeador (Mateus 13:18-23)

Então, Jesus contou a parábola do semeador. Os discípulos lhe perguntaram sobre a parábola. Finalmente, Jesus continua a explicar a parábola para eles.

   A. A semente representa a palavra de Deus (18-19)

A primeira coisa que ele explica é o que a semente representa na parábola. Veja os versículos 18-19:

“Ouçam então o que significa a parábola do semeador: Quando alguém ouve a mensagem sobre o reino…” (Mateus 13:18-19)

O evangelho de Mateus chama a semente de “a mensagem sobre o reino”. Os evangelhos de Marcos e Lucas simplesmente a chamam de “a palavra de Deus”. 

E assim, semear a semente representa compartilhar a palavra de Deus com os outros, especialmente a mensagem sobre o reino – o evangelho, as boas novas de que Deus enviou seu Filho Jesus ao mundo para ser nosso Salvador. 

Algumas pessoas tentam igualar o semeador a Jesus, mas provavelmente devemos mantê-lo mais geral do que isso, então o semeador é qualquer um que compartilha a palavra de Deus com os outros.

   B. Os três primeiros solos representam três obstáculos ao evangelho

Jesus então passa a advertir sobre três obstáculos, três obstáculos que impedem as pessoas de receber a palavra de Deus como ela é semeada.

      1) Satanás (19)

O primeiro obstáculo é Satanás. Veja o versículo 19 novamente, onde Jesus diz:

“Quando alguém ouve a mensagem sobre o reino e não a entende, o maligno vem e arrebata o que foi semeado em seu coração. Esta é a semente lançada ao longo do caminho.” (Mateus 13:19)

Isso significa que Satanás tem o poder de tirar as sementes que plantamos. Lembro-me de compartilhar o evangelho com um amigo no ensino médio. Eu compartilhei sobre Deus e pecado e Jesus e a cruz, mas toda vez que eu chegava ao ponto de confiar em Cristo para a salvação, ele dizia:

“Eu não entendo essa parte. Eu simplesmente não entendo.” 

O que estava acontecendo? Assim que a semente estava sendo plantada, Satanás a estava tirando, antes que ele tivesse tempo de entender ou acreditar.

2 Coríntios 4:4 nos diz:

“O deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que não vejam a luz do evangelho da glória de Cristo”.

Satanás é o deus desta era, e ele cegou as mentes dos incrédulos para a verdade do evangelho.

1 Pedro 5:8 diz:

“O diabo, vosso inimigo, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar.” 

Então, o que você faz? Deus diz: “Resista a ele!” Devemos permanecer firmes em nossa fé e firmes em oração contra o inimigo que rouba as sementes plantadas no coração de outras pessoas.

Sempre que estiver testemunhando a alguém, sempre que estiver ouvindo um sermão, sempre que um convite for feito, sempre que a palavra de Deus for pregada – ore! Ore para que as pessoas ouçam e recebam a palavra de Deus. E ore contra Satanás levando essa palavra embora.

Não espere até mais tarde. Ore ali mesmo. Por que orar imediatamente? Por que não esperar para orar? Porque Satanás não espera. Satanás vem imediatamente para tirar a palavra de Deus. Ele não perde tempo e, portanto, nós também não devemos.

Então, esse é o primeiro obstáculo ou impedimento para as pessoas receberem o evangelho – o próprio Satanás.

      2) Uma falsa profissão de fé (20-21)

O segundo obstáculo é uma falsa profissão de fé. Veja os versículos 20-21:

“Aquele que recebeu a semente que caiu em lugares pedregosos é o homem que ouve a palavra e logo a recebe com alegria. 21 Mas, como não tem raiz, dura pouco tempo. Quando o problema ou a perseguição vem por causa da palavra, ele logo se afasta”. (Mateus 13:20-21)

Nesse cenário, a pessoa professa a fé com alegria, mas depois cai. Já vi isso acontecer várias vezes. Alguém recebe o evangelho de bom grado, está entusiasmado por ser cristão, começa a ir à igreja ou ao estudo bíblico e, de repente, algo surge e ele para.

Então o que aconteceu? Jesus diz que eles não tinham raiz. Era uma profissão falsa. Colossenses 2:6-7 nos diz: “Portanto, assim como vocês receberam a Cristo Jesus como Senhor, continuem a viver nele, enraizados e edificados nele”.

Colossenses diz que você precisa estar enraizado em Cristo, e assim uma pessoa sem raiz é uma pessoa sem Cristo.

Romanos 10:9 diz:

“Se você confessar com a sua boca que Jesus é o Senhor, e em seu coração crer que Deus o ressuscitou dentre os mortos, você será salvo”.

Uma fé superficial é superficial e superficial. Uma verdadeira profissão de fé em Cristo vem do seu coração. Esse é o problema com o grupo de pessoas representado pelo segundo solo. Eles só tinham fé na superfície. E uma fé superficial não é uma fé salvadora.

Então, como você evita uma falsa profissão de fé em Cristo? Não acredito que possamos eliminar completamente as falsas profissões, mas há certas coisas que podemos fazer para torná-las menos comuns.

Em primeiro lugar, podemos ajudar as pessoas a calcular o custo de seguir a Jesus. Nós não apenas apresentamos o evangelho como um cartão de “saia do inferno livre”, mas ajudamos as pessoas a entender o arrependimento do pecado e o custo do discipulado.

Em segundo lugar, apresentamos não apenas uma mensagem, mas uma pessoa. A confissão cristã básica não é “Creio em uma apresentação do evangelho”, mas “Jesus é o Senhor”. Estamos ganhando pessoas para Jesus, não para uma igreja ou religião.

E então, em terceiro lugar, podemos orar por um verdadeiro entendimento. 1 Coríntios 2:14 diz: “As coisas que vêm do Espírito de Deus… Precisamos orar para que Deus abra seus corações para entender verdadeiramente o evangelho e não apenas repetir uma oração.

Eu vi um desenho animado uma vez. Havia um homem no escritório do pastor, com a cabeça sobre a mesa, obviamente perturbado, e o pastor estava com a mão em seu ombro e lhe dizia: “É claro que você está salvo, Bill. Eu mesmo fiz a oração com você!”

Mas veja, esse é o problema. Simplesmente dizer uma oração não faz de você um cristão. Confessar Jesus como Senhor e crer em seu coração que Deus o ressuscitou dos mortos sim. Esse é o segundo obstáculo para as pessoas receberem o evangelho – uma falsa profissão de fé.

      3) Um foco mundano (22)

E então o terceiro obstáculo para as pessoas receberem o evangelho é um foco mundano. Veja o versículo 22:

“Aquele que recebeu a semente que caiu entre os espinhos é o homem que ouve a palavra, mas as preocupações desta vida e o engano das riquezas a sufocam, tornando-a infrutífera.” (Mateus 13:22)

Jesus diz aqui que um foco mundano pode sufocar a palavra da vida de uma pessoa. E ele nos dá dois exemplos de como é um foco mundano.

Primeiro, há as preocupações desta vida. Algumas pessoas dizem: “Bem, eu gostaria de receber a Cristo, mas este é um momento tão ruim. Tenho tantos problemas em casa, com as crianças, com o carro, etc. Uma vez que tudo se resolva, então virei a Cristo”. 

E assim, a palavra fica sufocada, porque a pessoa se distrai com as preocupações desta vida.

Como lidamos com essa distração? Precisamos ajudar a pessoa a se concentrar em Deus, que a ajudará com as preocupações da vida, em vez de se concentrar nas preocupações da vida que a afastam de Deus.

E então a segunda coisa é a falsidade da riqueza. Pense no jovem governante rico que se afastou de Jesus porque não podia se desfazer de sua riqueza. Essa semente foi sufocada muito rápido! Mas você não precisa ser rico para ser enganado por este. A Bíblia diz:

“Onde estiver o teu tesouro, aí estará também o teu coração”. (Mateus 6:21)

Você não precisa ter muito dinheiro para colocar seu coração nisso.

Então, como lidamos com essa distração? Precisamos expor a riqueza mundana pelo que ela é. A Bíblia chama isso de armadilha e laço. (1 Timóteo 6:9-10) Sempre gostei da atitude de Agur filho de Jaque no livro de Provérbios que disse:

“Não me dê nem pobreza nem riqueza, mas dê-me apenas o pão de cada dia. Caso contrário, posso ter demais e renegar você e dizer: Quem é o Senhor? Ou posso ficar pobre e roubar, e assim desonrar o nome do meu Deus”. (Provérbios 30:8-9)

E assim, este é o terceiro obstáculo para as pessoas receberem o evangelho – um foco mundano ao invés de um foco em Deus.

   C. O bom solo representa o crente em crescimento (23)

E então finalmente chegamos à semente que produz uma colheita no versículo 23:

“Mas aquele que recebeu a semente que caiu em boa terra é o homem que ouve a palavra e a entende. Ele produz uma colheita, produzindo cem, sessenta ou trinta vezes o que foi semeado”. (Mateus 13:23)

A semente na boa terra representa a pessoa que ouve a palavra de Deus, entende a palavra de Deus e então cresce na palavra de Deus. 

Agora é isso que estamos procurando! Queremos ver a palavra de Deus criar raízes no coração das pessoas, e queremos ver as pessoas crescendo em Cristo. 

Esta última parte da parábola teria sido especialmente encorajadora para os discípulos enquanto se preparavam para sair e pregar o evangelho.

CONCLUSÃO deste sermão da Parábola do Semeador

Já cobrimos muitas aplicações ao longo da mensagem de hoje, mas deixe-me encerrar com três pontos gerais de aplicação desta primeira parábola em Mateus 13:

1) Em primeiro lugar, tenha cuidado com a forma como você ouve. Esse é realmente o ponto principal da parábola. A semente que cresce não é diferente da semente que cai no caminho, ou no chão pedregoso, ou entre os espinhos. É tudo a mesma semente; é tudo a mesma mensagem. Mas você precisa recebê-lo com um coração aberto e uma mente disposta. Tenha cuidado como você ouve a palavra de Deus.

2) Em segundo lugar, semear a palavra de Deus com sabedoria. Seja uma boa testemunha de Cristo. Compartilhe a palavra de Deus com as pessoas sempre que puder. Mas faça isso com sabedoria. Conheça os três obstáculos ao evangelho desta parábola e proteja-se contra eles de acordo. Acima de tudo, ore para que Deus prepare o coração das pessoas para receber sua palavra.

3) E, em terceiro lugar, tenha certeza da colheita. Quando você compartilha o evangelho com os outros, sim, algumas sementes vão cair no caminho. Alguns vão cair em solo rochoso ou entre os espinhos. Mas alguns também cairão em solo bom, e assim você pode esperar que de fato haverá uma colheita. Compartilhe o evangelho, ore pelas pessoas e depois observe como Deus faz seu trabalho. É disso que trata a parábola do semeador.


Para mais sermões prontos visite a página de esboços de pregações vários temas.

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo