Salmo 51: Estudo versículo por versículo comentado e explicado

Você sabia que o Salmo 51 é um dos salmos mais conhecidos e lidos da Bíblia? Ele é uma oração de Davi, que reconhece o seu pecado diante de Deus e busca o perdão divino.

Vamos estudar esse salmo versículo por versículo, entendendo o seu significado e aplicação para nossas vidas hoje. Vamos começar entendendo sobre o que é o Salmo 51 e quem o escreveu. Em seguida, vamos falar sobre o contexto e qual é a sua mensagem principal. Além disso, vamos dividir o salmo em seções e fazer um comentário versículo por versículo, a fim de compreendermos mais profundamente o que Davi estava sentindo e pedindo a Deus.

Junte-se a nós nessa jornada de estudo do Salmo 51 e descubra como a oração de Davi pode ser uma fonte de inspiração e conforto para nós hoje.

Sobre o que é o Salmo 51?

O Salmo 51 é uma oração de arrependimento e confissão de Davi, o rei de Israel, após o profeta Natã o confrontar sobre seu pecado com Bate-Seba e a morte de Urias, marido da mulher com quem cometeu adultério. Este Salmo é um exemplo de como um coração contrito e arrependido pode buscar o perdão de Deus.

O Salmo 51 é um poema que expressa a profunda tristeza e dor de Davi por ter pecado contra Deus. Ele reconhece a gravidade de sua transgressão e pede a Deus que o perdoe e restaure a comunhão entre eles. O Salmo 51 é um dos Salmos penitenciais, que expressam a tristeza e arrependimento pelo pecado, e frequentemente usado em serviços religiosos como uma confissão de pecados e pedido de perdão.

sermão sobre o Salmo 51

Quem escreveu o Salmo 51?

Davi é tradicionalmente considerado o autor do Salmo 51, conforme a inscrição que precede o salmo na Bíblia: “Ao mestre de canto. Salmo de Davi, quando o profeta Natã veio a ele, depois que esteve com Bate-Seba”.

Contexto do Salmo 51

O Salmo 51 é relacionado ao episódio em que Davi comete adultério com Bate-Seba, esposa de Urias, e ordena a morte deste para encobrir sua transgressão. Após o profeta Natã o confrontar, Davi reconhece sua culpa e se arrepende profundamente, buscando o perdão de Deus. O Salmo 51 é uma expressão desse arrependimento, em que Davi reconhece seu pecado, pede perdão e renova sua aliança com Deus.

Qual é a mensagem do Salmo 51?

A mensagem principal do Salmo 51 é a importância do arrependimento e da confissão diante de Deus. Davi reconhece sua culpa, pede perdão e busca a restauração de sua comunhão com Deus. O Salmo também ressalta a misericórdia e o amor de Deus, que está pronto a perdoar e a purificar aqueles que se arrependem verdadeiramente.

Qual a divisão deste Salmo?

O Salmo 51 pode se dividir em três seções:

(1) Davi reconhece sua culpa e pede perdão (v. 1-6);

(2) Davi pede que Deus o purifique e o restaure (v. 7-12);

(3) Davi se compromete a louvar a Deus e a ensinar os pecadores a se arrependerem (v. 13-19).

Salmo 51: Comentário versículo por versículo

Comentários com explicação do versículo

# 1 – “Tem misericórdia de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; apaga as minhas transgressões, segundo a multidão das tuas misericórdias.”

Davi começa sua oração reconhecendo sua culpa e pedindo o perdão de Deus. Ele se apoia na bondade e misericórdia de Deus, sabendo que é somente pela graça recebe perdão.

Aqui, o salmista pede para que Deus apague suas transgressões, usando a imagem da multiplicidade das misericórdias de Deus, que são inúmeras e abundantes. Muitos usam esse salmo em momentos de arrependimento e busca por restauração espiritual.

# 2 – “Lava-me completamente da minha iniquidade, e purifica-me do meu pecado.”

Davi pede a Deus que o purifique de seu pecado e o lave completamente. Ele reconhece que não pode fazer isso por si mesmo e depende inteiramente da ação de Deus em sua vida.

Ele reconhece que apenas Deus pode purificá-lo completamente e transformá-lo interiormente. A imagem da lavagem se usa para transmitir a ideia de uma limpeza profunda e completa de toda a sujeira espiritual.

# 3 – “Porque eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim.”

Este versículo do Salmo 51, é uma confissão sincera de Davi sobre sua consciência do pecado. Ele reconhece que não pode escapar da culpa e da vergonha que sente por suas ações erradas. Isso mostra sua humildade e seu desejo de receber a transformação e renovação de Deus.

Ao admitir sua culpa e enfrentá-la, Davi pode buscar o perdão e a purificação de Deus. É um lembrete para nós também de que, quando pecamos, devemos ser honestos e confessar nossos pecados a Deus em arrependimento, para que possamos ser perdoados e renovados por sua graça.

# 4 – “Contra ti, contra ti somente, pequei, e fiz o que é mau perante os teus olhos; para que sejas justificado quando falares, e puro quando julgares.”

Davi reconhece que seu pecado é, acima de tudo, uma ofensa contra Deus. Ele não tenta justificar ou desculpar seu comportamento, mas assume toda a responsabilidade por suas ações e confessa sua culpa diante de Deus.

Em uma confissão sincera diante de Deus, Davi reconhece que seu pecado não afetou apenas outras pessoas, mas foi, acima de tudo, uma ofensa contra Deus. Ele entende que Deus é o padrão de justiça e pureza e, ao pecar, ele violou esses padrões. Ele reconhece que sua confissão e arrependimento são necessários para ser justo quando falar e puro quando julgar.

Este versículo nos ensina que devemos ter uma atitude humilde e sincera diante de Deus quando confessamos nossos pecados e pedimos perdão.

# 5 – “Eis que em iniquidade fui formado, e em pecado me concebeu minha mãe.”

A Bíblia ensina que todos nós nascemos com uma natureza pecaminosa herdada de Adão (Romanos 5:12). Portanto, Davi reconhece que o pecado é parte integrante de sua vida desde o nascimento e que ele não pode purificar-se sozinho, mas precisa da ajuda de Deus para ser transformado. Isso destaca a necessidade de uma salvação sobrenatural que somente Deus pode fornecer.

# 6 – “Eis que amas a verdade no íntimo, e no oculto me fazes conhecer a sabedoria.”

Este versículo é uma declaração de confiança e intimidade entre Davi e Deus. Davi afirma que Deus o conhece profundamente e revela a ele a sabedoria e a verdade oculta. Davi entende que seu relacionamento com Deus se baseia em amor e confiança mútua. Ele acredita que Deus é a fonte da verdadeira sabedoria e que só pode conhecê-la por meio da revelação divina.

# 7 – “Purifica-me com hissopo, e ficarei limpo; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve.”

Davi pede a Deus que o purifique completamente, usando a imagem do hissopo, uma planta usada na purificação de objetos e pessoas no Antigo Testamento. Ele deseja ser limpo e purificado de toda a impureza e culpa.

# 8 – “Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que se regozijem os ossos que esmagaste.”

Este versículo é uma oração de Davi, pedindo a Deus que lhe conceda alegria e felicidade novamente após confessar seus pecados. Davi reconhece que seu pecado o deixou abatido e sem esperança, e ele pede a Deus para restaurar sua alegria e paz interior.

A imagem dos ossos esmagados simboliza a dor e o sofrimento que Davi experimentou como resultado de seus pecados. Davi sabe que somente Deus pode restaurar sua alegria e felicidade, e confia em sua bondade e misericórdia para fazer isso.

# 9 – “Esconde a tua face dos meus pecados, e apaga todas as minhas iniquidades.”

Davi pede a Deus que perdoe e esqueça completamente seus pecados. Ele confia na fidelidade de Deus em manter sua promessa de perdoar e esquecer os pecados daqueles que se arrependem verdadeiramente.

# 10 – “Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto.”

Davi pede a Deus que o transforme interiormente, criando um coração puro e um espírito renovado em sua vida. Ele sabe que não pode fazer isso sozinho e depende completamente do poder de Deus.

# 11 – “Não me lances fora da tua presença, e não retire de mim o teu Espírito Santo.”

Este versículo expressa o desejo do salmista de não se afastar da presença de Deus e de não ter o Espírito Santo retirado dele. Isso mostra a importância da presença de Deus na vida do salmista e como ele reconhece que o Espírito Santo é essencial para sua vida espiritual.

O salmista entende que apenas a presença de Deus e o poder do Espírito Santo podem fortalecê-lo e capacitá-lo a viver uma vida justa e piedosa.

Esse versículo também é um lembrete para todos os crentes de que devemos buscar a presença de Deus e depender do Espírito Santo para nos guiar e nos fortalecer em nossa jornada espiritual.

# 12 – “Restitui-me a alegria da tua salvação, e sustém-me com um espírito voluntário.”

Davi pede a Deus que restaure a alegria e a paz em sua vida, destruídas pelo pecado. Ele confia que Deus pode sustentá-lo e fortalecê-lo para continuar seguindo o caminho da justiça.

# 13 – “Então ensinarei aos transgressores os teus caminhos, e os pecadores se converterão a ti.”

Davi se compromete a testemunhar sobre o perdão e a misericórdia de Deus para aqueles que estão perdidos em seus pecados. Ele sabe que pode ser um instrumento de Deus para levar outras pessoas ao arrependimento e à salvação.

# 14 – “Liberta-me dos crimes de sangue, ó Deus, Deus da minha salvação, e a minha língua louvará altamente a tua justiça.”

Aqui, Davi pede a Deus que o livre da culpa e das consequências de seu pecado, para que ele possa continuar louvando e glorificando a Deus. Ele entende que a justiça de Deus exige que o pecado seja punido, mas confia que Deus é misericordioso e perdoa aqueles que se arrependem verdadeiramente.

Além disso, é interessante notar que Davi reconhece que a libertação da culpa não é apenas uma questão pessoal, mas também tem um aspecto público, uma vez que sua língua louvará a justiça de Deus. Ele entende que a sua restauração pessoal é uma oportunidade para testemunhar a misericórdia de Deus e incentivar outros a buscar a mesma restauração em suas próprias vidas.

# 15 – “Abre, Senhor, os meus lábios, e a minha boca proclamará o teu louvor.”

Davi pede a Deus que lhe dê palavras para expressar sua gratidão e louvor a Deus por seu perdão e misericórdia. Ele sabe que só pode proclamar o louvor de Deus se tiver um coração grato e humilde.

Além disso, o pedido de Davi para que o Senhor abra seus lábios também podemos interpretar como um pedido para que Deus o ajude a falar somente o que é justo e verdadeiro, evitando palavras que possam ofender a Deus ou ferir os outros. É uma expressão de humildade e submissão à vontade de Deus em sua vida.

# 16 – “Pois não desejas sacrifícios, senão eu os daria; tu não te deleitas em holocaustos.”

Davi reconhece que Deus não se contenta com rituais religiosos vazios ou ofertas materiais, mas busca um coração quebrantado e arrependido. Ele sabe que não pode comprar ou merecer a graça de Deus com sacrifícios ou obras, mas depende totalmente do amor e da misericórdia de Deus.

# 17 – “Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado; a um coração quebrantado e contrito não desprezarás, ó Deus.”

Aqui, ele reconhece que o verdadeiro sacrifício que agrada a Deus é um coração quebrantado e arrependido. Ele sabe que a única maneira de se aproximar de Deus é através da humildade e da confissão sincera de nossos pecados. Ele confia que Deus não rejeitará aqueles que se aproximam dele com um coração contrito e humilde.

# 18 – “Faze o bem a Sião, segundo a tua boa vontade; edifica os muros de Jerusalém.”

Este versículo é um apelo a Deus para que abençoe Sião e reconstrua Jerusalém, uma vez que esta cidade era o centro da vida religiosa e cultural do povo judeu. A reconstrução dos muros de Jerusalém era crucial para a segurança e proteção da cidade, e era vista como um sinal da presença e bênção de Deus.

O versículo reflete a importância de confiar em Deus para a proteção e prosperidade da cidade e do povo. Além disso, a frase “segundo a tua boa vontade” sugere que o salmista confia na sabedoria e no amor de Deus para agir de acordo com seus propósitos divinos.

# 19 – Então te agradarás dos sacrifícios de justiça, dos holocaustos e das ofertas queimadas; então se oferecerão novilhos sobre o teu altar.

Este verso conclui o Salmo 51 com uma nota de esperança e confiança em Deus. Davi acredita que, uma vez purificado e renovado, Deus aceitaria seus sacrifícios. Ele entende que os sacrifícios externos são uma expressão da justiça interna e da gratidão a Deus.

Quando o coração é transformado, as ofertas se tornam verdadeiramente agradáveis ​​a Deus. Além disso, é importante notar que a verdadeira justiça e o verdadeiro sacrifício não são baseados em uma transação comercial, mas em uma relação amorosa e fiel com Deus.

Se gostou deste estudo do Salmo 51, então complemente sua leitura com mais estudos:

Sermão no Salmo 51: O Arrependimento que Leva à Restauração

O que é hissopo na Bíblia e por que “lavamos” nele?

10 coisas que você precisa saber sobre a história de Davi e Bate-Seba

Equipe Redação BP

Nossa equipe editorial especializada da Biblioteca do Pregador é formada por pessoas apaixonadas pela Bíblia. São profissionais capacitados, envolvidos, dedicados a entregar conteúdo de qualidade, relevante e significativo.

3 Comentários

  1. O SALMO 51 FOI UMA FONTE DE ESPERANÇA PARA MINHA VIDA. POIS, O REI DAVI, DEMONSTRA CLARAMENTE QUE DEUS É AMOR E MISERICÓRDIA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Você precisa desativar o Adblock para continuar navegando em nosso site!